Cenário petrolífero: sua evolução, principais produtores e tecnologias

Marcela Taiane Schiavi, Wanda Aparecida Machado Hoffmann

Resumo


O setor Petrolífero é um dos maiores e mais amplos empreendedores do mundo. E vem crescendo a cada ano, com novas tecnologias e novas perspectivas de inovação. Esta pesquisa envolve os seguintes objetivos: apresentar um breve histórico da origem do petróleo e seu desenvolvimento com o passar dos anos; apresentar uma análise do segmento petrolífero, indicando quais são os principais países que detém as maiores reservas e as maiores empresas petrolíferas do mundo; e, uma análise de patentes onde apresenta-se o número anual de documentos de patentes na respectiva área em um determinado período, as áreas de foco tecnológico e as empresas que mais depositam documentos de patentes neste setor no Brasil. O método de pesquisa constituiu na seleção de artigos para que se tornasse possível à contextualização da história do petróleo e também na seleção de dados estatísticos que indicassem sua evolução através de tabelas e gráficos que comprovasse a produção e o desenvolvimento no decorrer dos anos. Uma analise na base de dados da Derwent Innovation Index julgou-se necessária e importante na utilização de documentos de patentes como uma fonte de informação, pois registram os avanços tecnológicos. Com o estabelecimento de uma estratégia de busca no período de 1994-2013 foi possível destacar a Procter & Gamble, empresa americana, como sendo a empresa que mais deposita documentos de patentes dentro desta área no Brasil. Ainda apresenta o cenário petrolífero e os avanços tecnológicos nos últimos anos. Quanto às descobertas de reservas petrolíferas recentes tanto no Brasil quanto em outros países a tendência é de que esta área se fortaleça implementando suas tecnologias e aumentando suas reservas produtivas e se destacando cada vez mais no cenário mundial.

Abstract
The Petroleum sector is one of the largest and most comprehensive in the world market. And it is growing every year with new technologies and new innovation perspectives. This research involves the following objectives: to present a brief history of the origin of oil and its development over the years; to present an analysis of the oil sector, indicating the main countries which own the largest reserves and the largest oil companies in the world; and a patent analysis showing the annual number of patent documents in the respective area in a given period, the areas of technological focus and the companies that place more patent documents in this sector in Brazil. The research method consisted in the selection of articles which made it possible to put the history of oil into context and also in the selection of statistical data that would indicate it's evolution through charts and graphs that show the production and development over the years. It was deemed necessary and important to analyze the Derwent Innovation Index database, as it allowed the utilization of patent documents as a source of information, inasmuch as they register technological breakthroughs. With the establishment of a search strategy in the 1994-2013 period it was possible to highlight Procter & Gamble, an American company, as the company that places more patent documents within this area in Brazil. As for the recent discoveries of oil reserves in Brazil and in other countries the trend is that the area be strengthened by implementing their technologies and increasing their productive reserves making them stand out more and more worldwide.

Keywords
Innovation. Petroleum scenario. Oil. Patents.


Palavras-chave


Inovação. Empreendedorismo. Cenário Petrolífero. Análise de Patentes. Petróleo

Texto completo:

PDF

Referências


ABITANTE, K. G. Co-integração entre os mercados spot e futuro: evidências dos mercados de boi gordo e soja. Rev. Econ. Sociol. Rural. vol.46, n 1, p. 75-96, 2008.

ARAÚJO, E. F.; BARBOSA, C. M.; QUEIROGA, E S.; et al. Propriedade Intelectual: proteção e gestão estratégica do conhecimento. Revista Brasileira de Zootecnia, v.39, p.1-10, 2010.

BAETA, A. M. C.; BORGES, C. V.; TREMBLAY, D. Empreendedorismo nas incubadoras: Reflexões sobre tendências atuais. Revista Comportamento Organizacional e Gestão, vol. 12, n 1, p. 7-18, 2006.

BARBOSA, D. As 10 maiores petroleiras do mundo; Petrobrás é a nona. Exame.com, 08 maio 2014. Disponível em: . Acesso em: 10 nov.2014.

BARBOSA, V. Os 15 países com as maiores reservas de petróleo do Mundo. Revista Exame: Negócios, 2012. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2014

BEZERRA, P. As 20 maiores empresas de petróleo segundo a.Forbes. Revista Exame: Negócios, 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2014.

BRANDÃO, G. B. Incubadoras e o Empreendedorismo Tecnológico. In: SEMIPI: SEMINÁRIO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL E EMPREENDEDORISMO TECNOLÓGICO – UFPI, 4., Natal. Anais... Natal: UFRN, 2012.

CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA – CEPA USP. Origem do Petróleo. 1999. Disponível em:. Acesso em: 29 abr. 2014.

DIRETÓRIO DE PATENTES. Importância do petróleo exige proteção do conhecimento. Propriedade Intelectual. Inovação Uniemp. vol.2, n.4, Campinas, 2006. p. 22-24. Disponível em: . Acesso em: 25 fev. 2014.

EPSTEIN, G. Novas descobertas achatam preço do petróleo e mudam forças do mercado. 2014. The Wall Street Journal. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2014

FOLHA ONLINE. Lula anuncia auto-suficiência do Brasil em petróleo amanhã. 2006 Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2014

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS - FGV PROJETOS. O mercado do petróleo: oferta, refino e preço. A nova oferta do Petróleo. n. 15, 2012.

GASPARETTO JUNIOR, A. Crise do Petróleo. 2014. Disponível em: . Acesso em: 11 jul. 2014.

GOLDEMBERG, J.; LUCON, O. Energia e meio ambiente no Brasil. Estudos avançados, v. 21, n. 59, 2007. Disponível em: . Acesso em: 27 fev. 2014.

GOUVEIA, F. Tecnologia nacional para extrair petróleo e gás do pré-sal. Agencia Iberoamericana para La difusión de La ciência y La tecnologia. Ciência Brasil. 2014. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2014.

GRUPO DE ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO. Conceito de indicador. 2012. Disponível em: . Acesso em: 2 maio 2014.

GUERRANTE, R. D. S. Estratégia de inovação e tecnologia em sementes. 270 f. Tese de doutorado (Doutorado). Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2011. Disponível em: . Acesso em: 28 Julho 2013.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL – INPI. Guia – Informação Tecnológica. 2014. Acesso em: 19 maio 2014. Disponível em: IPIRANGA. Nossa História. 2006. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2014.

MANUTENÇÃO SUPRIMENTOS. Poli inova tecnologia de extração de petróleo. 2005. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2014.

MARTINS, D. Ipiranga: a trajetória de uma refinaria em Rio Grande (RS) rumo à consolidação de um grupo empresarial (1930-1967). 2008. 140 f. Programa de pós-graduação (Dissertação de Mestrado)-Faculdade de filosofia e Ciências humanas. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2008.

NIJHOF, E. Subject analysis and search strategies: has the searcher become the bottleneck in the search process. World Patent Information, Oxford, v. 29, n. 1, p. 20-25, 2007.

O GLOBO. Choques e descobertas do petróleo. O Globo Economia, 2014. Disponível em: . Acesso em: 11 jul. 2014.

OCDE. Rumo a um desenvolvimento sustentável: indicadores ambientais. Paris: OCDE, 2002. p. 224. (Cadernos de referência ambiental, v. 9).

OPEC. OPEC share of Word crude oil reserves, 2013. 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2015.

PEIXINHO, F. C. Proposta de aplicação do modelo de gestão estratégica baseado no “balanced scorecard - bsc” para uma empresa pública. Gerência Estratégica da Informação, 2003.

PENROSE, Edith Tilton. The large international firm developing countries: the international petroleum industry. London: G. Alien & Unwin, 1968.

PETROBRAS. Tecnologia Petrobras 2012. Relatório de tecnologia Petrobras. 2013a.

PETROBRAS. Relatório de sustentabilidade 2013. 2013b Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2015.

PIRES, F. Brasil tem 14ª maior reserva de petróleo do mundo. RankingBrasil. 2012. Recordes Brasileiros. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2014.

PROCTER & GAMBLE. História. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2014.

RAO, I. K. Métodos quantitativos em biblioteconomia e ciência da informação. Brasília: ABDF, 1986.

SANTOS, R. N. M. dos; KOBASHI, N. Y. Aspectos metodológicos da produção de indicadores em ciência e tecnologia. In: ENCONTRO NACIONAL DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 6., 2005, Salvador. Anais... Salvador: Cinform, 2005.

SCHÜFFNER, C. Statoil quer gerar energia em Peregrino com petróleo. Petróleo etc. Valor Econômico. 2014. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2014.

SHANE, S.; VENKATARAMAN, S. The Promise of Entrepreneurship as a Field of Research. Academy of Management Review, vol. 25, n 1, p 217-228, 2000.

SIMÕES, A. J. F. Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis: desafios estratégico no mundo e no Brasil. IN: O BRASIL NO MUNDO QUE VEM AÍ. Conferência Nacional dePolítica Externa e Política Internacional. 1, 2006. Disponível em: . Acesso em 25 abr. 2014.

SOUSA, R. História do petróleo no Brasil. Brasil escola. 2014. Disponível em: . Acesso em: 19 abr. 2014.

SUA PESQUISA. Petróleo. 2014. Disponível em: . Acesso em: 1 maio 2014.

TERRA, B. Inovação, empreendedorismo e negócios tecnológicos em universidades e institutos de pesquisa públicos -ipps no cenário pós-lei de inovação, no Brasil – uma breve revisão bibliográfica. J Bras Tele. 2012, vol. 1, n. 2, p. 25-34

UNILEVER. Sobre a Unilever. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2015.

YERGIN, D. O petróleo. Uma história de ganância, dinheiro e poder. São Paulo: Scritta, 1994.

ZHU, D. et al. A process for mining science & technology documents databases illustred for the case of knowledge discovery and data mining. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 28, n.1, jan. 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.20396/rdbci.v13i2.2104

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2015 Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

(c) RDBCI: Rev. Digit. Bibliotecon. Cienc. Inf. / RDBCI : Digit. J. Libr. and Inf. Sci., Campinas (SP) - ISSN 1678-765X.