Feminismos viajantes: da mulher/corpo à cidadania de gênero

Autores

  • Millie Thayer Universidade de California, Berkeley

Palavras-chave:

Cidadania. Corpo. Feminismo. Gênero

Resumo

A autora traça as trajetórias globais de discursos e teorias feministas nas suas viagens do Norte ao Sul, usando o desenvolvimento histórico do SOS Corpo em Recife como estudo de caso. Ela sugere que em momentos históricos particulares as feministas brasileiras se apropriaram seletivamente de concepções tais como, no início, “mulheres” e, mais tarde, “gênero”, – vindas da Europa e dos Estados Unidos, transformando-as no processo de atuação em relação a outros atores no seu próprio campo político-institucional, e articulando-as a construções discursivas locais. Esse processo inovador, porém, ocorreu no contexto de relações globais de poder que colocaram obstáculos no caminho de viagens discursivas de volta do Sul ao Norte, deslocando as relações entre movimentos feministas diferentemente situados.

 

Abstract


The author traces the global trajectories of feminist theories and discourses as they travel from North to South, using the historical development of SOS Corpo in Recife as a case study. At particular historical moments, she argues, Brazilian feminists selectively appropriated conceptions – such as, initially, “women” and, later, “gender” – from Europe and the United States, transforming them in the process of engaging with other actors in their own political-institutional field, and linking them to local discursive constructions. This process of innovation, however, occurred within the context of global power relations which put obstacles in the way of discursive return journeys from South to North, dis-locating the relations among differently situated feminist movements.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Millie Thayer, Universidade de California, Berkeley

Doutoranda da Universidade de California, Berkeley

Referências

Ação Mulher/Brasil Mulher. Recife, dezembro de 1980, p.4.

ALVAREZ Sonia E. e DAGNINO, Evelina. Para além da “democracia realmente existente”: Movimentos Sociais, a Nova Cidadania e a Configuração de Espaços Públicos Alternativos. Trabalho apresentado no XIX Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, Minas Gerais, outubro de 1995.

ALVAREZ, S. Engendering Democracy in Brazil... Op.cit.; LOBO, Elizabeth S. Mulheres, feminismo e novas práticas sociais. Revista de Ciências Sociais 1(2), 1987.

ALVAREZ, Sonia E. Engendering Democracy in Brazil: Women’s Movements in Transition Politics. Princeotn, Princeton University Press, 1990.

ALVES, Maria Helena Moreira. State and Opposition in Military Brazil. Austin, University of Texas Press, 1985

AQUINO, Estela de e COSTA, Dina C. Entrevista realizada com Betânia, integrante do grupo SOS-Corpo, Recife. Julho de 1983.

ASTRO, Mary Garcia e LAVINAS, Lena. Do feminismo ao gênero: A construção de um Objeto. In: COSTA, Albertina e BRUSCHINI, Cristina. (eds.) Uma Questão de Gênero. Rio de Janeiro, Rosa dos Tempos/Fundação Carlos Chagas, 1992.

ÁVILA, Maria Betânia. Modernidade e cidadania reprodutiva. Revista Estudos Feministas, segundo semestre de 1993, p.392.

ÁVILA, Maria Betânia. PAISM: Um Programa de Saúde para o Bem Estar de Gênero. Recife, SOS-Corpo, 1995, p.7.

BADEN, Sally e GOETZ, Anne Marie. Who Needs [Sex] When You Can Have [Gender]? Conflicting Discourses on Gender at Beijing. In: STAUDT, Kathleen. (ed.) Women, International Development and Politics: The Bureaucratic Mire. Philadelphia, Temple University Press, 1997.

BOSTON WOMEN’S HEALTH COURSE COLLECTIVE Our Bodies, Ourselves. Boston, New England Free Press, 1971, p.4.

CAMURÇA e GOUVEIA. Cidade, cidadania: um olhar a partir das mulheres. Recife, SOS Corpo, Gênero e Cidadania, 1995, p.32.

CAMURÇA, Silvia e GOUVEIA, Taciana. O que é gênero? Um novo desafio para a ação das mulheres trabalhadoras rurais. Recife, MMTR/DED/SOS Corpo - Gênero e Cidadania, 1995, p.5.

CASTRO, Mary Garcia. A dinâmica entre classe e gênero na América Latina: Apontamentos para uma Teoria Regional sobre gênero. In: Mulher e Políticas Públicas. Rio de Janeiro, IBAM/UNICEF, 1991.

CLIFFORD, James. Notes on Travel and Theory. Inscriptions: Traveling Theories, Traveling Theorists (5), 1989

COLEMAN, Elizabeth. From Population Control to Reproductive Health. Relatório da Fundação Ford, verão de 1994

CORRÊA, Sônia. Uma recusa da maternidade? Causas e Condições da Esterilização Feminina Voluntária na Rede Metropolitana do Recife. In: Portella, Ana Paula. (ed.) Direitos

COSTA, Ana Alice A. e SARDENBERG, Cecília M. B. Teoria e praxis feministas na academia: Os Núcleos de Estudos sobre a Mulher nas Universidades Brasileiras. Revista Estudos Feministas, número especial, 1994, p.6.

COSTA, Cláudia Lima. Being There and Writing Here: Gender and the Politics of Translation in a Brazilian Landscape. Paper presented at the XX International Congress of the Latin American Studies Association, Guadalajara, April, 1997

FEINBERG, Madaline. The Boston Women’s Health Book Collective Celebrates Its 25th Anniversary! The Network News 21, no. 3 May/June 1996.

FERNANDES Cida e CAMURÇA, Sílvia. Relações de cooperação ao 38 desenvolvimento e a política de gênero: Experiências e Perspectivas no Brasil. Anais do Seminário sobre Saúde, Recife, SOS-Corpo: Gênero e Cidadania, outubro de 1995, p.41.

FRASER, Nancy. Rethinking the Public Sphere. In: Justice Interruptus: Critical Rleflections on the “Post-Socialist”Condition. New York, Routledge, 1997.

GERSON, Deborah A. Speculums and Small Groups: New Visions of Female Bodies. In: Practice from Pain: Building a Women’s Movement through Consciousness Raising, PhD dissertation, UC Berkeley, 1996.

HARTMANN, Betsy. Reproductive Rights and Wrongs: The Global Politics of Population Control. Boston, South End Press, 1995.

JOHN, Mary E. Discrepant Dislocations: Feminism, Theory, and Postcolonial Histories. Berkeley, University of California Press, 1996

KAPLAN, Caren e GREWAL, Inderpal. Introduction: Transnational Feminist Practices and Questions of Postmodernity. In: KAPLAN, Caren e GREWAL, Inderpal. (eds.) Scattered Hegemonies: Postmodernity and Transnational Feminist Practices. Mineapolis, University of Minesota Press, 1994

KECK, Margaret E. e SIKKINK, Kathryn. Activists Beyond Borders: Advocacy Networks in International Politics. Ithaca, Cornell University Press, 1998.

MANI, Lata. Multiple Mediations: Feminist Scholarship in the Age of Multinational Reception. Inscriptions: Traveling Theories, Traveling Theorists (5), 1989.

MARTINE, George. citado em PORTELLA, Ana Paula; SOUZA, Cecilia de Mello e DINIZ, Simone. “Not Like Our Mothers”: Reproductive Choice and the Emergence of Citizenship amongst Brazilian Rural Workers, Domestic Workers, and Housewives. Recife/Rio de Janeiro/São Paulo, International Reproductive Rights Research Action Group: Brazilian Team, Pamphlet, 1996, p.13. (Translated by Jones de Freitas and Cecilia de Mello e Souza.)

MOLYNEUX, Maxine. Mobilization without Emancipation? Women’s Interests, State and Revolution in Nicaragua. In: FAGEN, Richard; DEERE, Carmem Diana e CORAGGIO, José Luis. (eds.) Transition and Development: Problems of Third World Socialism. New York, Monthly Review Press, 1986.

RATHGEBER, Eva M. WID, WAD GAD: Trends in Research and Practice. The Journal of Developing Areas 24, July 1990

RAZAVI, Shahrashoub e MILLER, Carol. From WID to GAD: Conceptual Shifts in the Women and Development Discourse. Occasional paper, Geneva, UNRISD, 1995.

SAFFIOTI, Heleith. Rearticulando gênero e classe social. In: COSTA, Albertina de Oliveira and BRUSCHINI, Cristina. (eds.) Uma Questão de Gênero. Rio de Janeiro, Editora Rosa dos Tempos/Fundação Carlos Chagas, 1992.

SAID, Edward W. Traveling Theory. In: The World, the Text and the Critic. Cambridge, Harvard University Press, 1983.

SANTOS, Maria Cecilia MacDowell dos. The Battle for a Feminist State within a Context of Globalization: The Case of Women’s Police Stations in São Paulo, Brazil. Trabalho apresentado no XXI Congresso Internacional da Associação de Estudos Latinoamericanos (Latin American Studies Association), Chicago, 24-26 de setembro, 1998, p.12.

SKIDMORE, Thomas. Brazil’s Slow Road to Democratization: 1974-1985. In: STEPAN, Alfred. (ed.) Democratizing Brazil: Problems of Transition and Consolidation. New York, Oxford University Press, 1989.

SOS CORPO. O que as mulheres de Pernambuco querem como políticas públicas municipais de 1997 ao ano 2000.

Downloads

Publicado

2015-05-20

Como Citar

THAYER, M. Feminismos viajantes: da mulher/corpo à cidadania de gênero. Cadernos Pagu, Campinas, SP, n. 12, p. 203–249, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8634895. Acesso em: 11 maio. 2021.