Modernidade e crítica da modernidade: a Sociologia e alguns desafios feministas às categorias de análise

Autores

  • Silvana Aparecida Mariano Universidade Estadual de Campinas

Resumo

Este trabalho aborda as tradições do pensamento sociológico para compreender e explicar a modernidade e seus fenômenos econômicos, sociais e políticos, que transformaram a sociedade moderna ocidental. As discussões em torno dos desafios colocados para a Sociologia para a reformulação das tradições científicas na contemporaneidade foram alavancadas pelas críticas feministas, colocando questionamentos de ordem histórica, epistemológica e metodológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADELMANN, Miriam. Das margens ao centro?: Refletindo sobre a teoria feminista e a sociologia acadêmica. Estudos Feministas, vol. 11, nº 1, Florianópolis, CFH/CCE/UFSC, jan-jun/2003, pp.284-288.

__________. A voz e a escuta. Encontros e Desencontros entre a Teoria Feminista e a Sociologia Contemporânea. Tese de doutorado, Doutorado Interdisciplinar de Ciências Humanas, UFSC, 2004.

BENHABIB, Seyla e CORNELL, Drucilla. Feminismo como crítica da modernidade: releituras dos pensadores contemporâneos do ponto de vista da mulher. Rio de Janeiro, Rosa dos Tempos, 1987.

BORDO, Susan. A feminista como o Outro. Estudos Feministas. vol. 8, nº 1, Florianópolis, CFH/UFSC, 2000, pp.10-29.

BUTLER, Judith. Fundamentos contingentes: o feminismo e a questão do “pós-modernismo”. Cadernos Pagu (11), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 1998, pp.11-42.

__________. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade.

Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CASTRO, Anna Maria de e DIAS, Edmundo F. Introdução ao Pensamento Sociológico.Rio de Janeiro, Eldorado, 1974.

COSTA, Claudia de Lima. O feminismo e o pós-modernismo/pósestruturalismo: (in)determinações da identidade nas (entre)linhas do (con)texto. In: PEDRO, Joana Maria e GROSSI, Miriam Pillar. (orgs.) Masculino, Feminino, Plural: gênero na interdisciplinariedade.

Florianópolis, Ed. Mulheres, 2000 (1ª reimprensão), pp.57-90.

DE LAURETIS, Teresa. A tecnologia do gênero. In: HOLLANDA, Heloisa Buarque de. Tendências e Impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro, Ed. Rocco, 1994, pp.206-242.

GIFFIN, Karen Mary. Produção do conhecimento em um mundo “problemático”: contribuições de um feminismo dialético e relacional.

Estudos Feministas, Florianópolis, CFH/CCE/UFSC, vol. 14, nº 3, setdez/2006, pp.635-653.

HARAWAY, Donna. “Gênero” para um dicionário marxista: a política sexual da palavra. Cadernos Pagu (22), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2004, pp.201-246.

IANNI, Octavio. A Sociologia e o Mundo Moderno. Série Textos em Ciências Sociais, nº 5, EDUC, 1988.

__________. Sociologia do Futuro. Primeira Versão, Campinas-SP, IFCH/UNICAMP, 2000, p.5.

LOURO, Guacira Lopes. Epistemologia feminista e teorização social – desafios, subversões e alianças. In: ADELMAN, Miriam e SILVESTRIN, Celsi Brönstrup. Coletânea Gênero Plural. Curitiba-PR, Ed. UFPR, 2002, pp.11-22 MACEDO, Ana Gabriela e AMARAL, Ana Luísa. Dicionário da Crítica Feminista. Lisboa: Edições Afrontamento, 2005.

MACHADO, Lia Zanotta. Campo Intelectual e Feminismo: alteridade e subjetividade nos estudos de gênero. Brasília, Série Antropologia, 1994, pp.1-28.

MARIANO, Silvana Aparecida. O sujeito do feminismo e o pósestruturalismo.

Estudos Feministas, vol. 13, nº 3, Florianópolis, CFH/UFSC, set-dez/2005, pp.483-505.

MARTINS, Carlos Benedito. O que é Sociologia. 27ª ed. São Paulo, Brasiliense, 1991.

MORAES, Maria Lygia Quartim de. Usos e limites da categoria gênero.

Cadernos Pagu (11), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de GêneroPagu/Unicamp, 1998, pp.99-105.

__________. Marxismo e feminismo: afinidades e diferenças. Crítica Marxista, nº 11, 2000, pp.89-97.

MOUFFE, Chantal. Feminismo, cidadania e política democrática radical.

Debate Feminista. Cidadania e Feminismo (Edição especial), São Paulo, Cia. Melhoramentos, 1999, pp.29-47.

__________. La paradoja democrática. Barcelona, Gedisa Editorial, 2003.

NICHOLSON, Linda J. (ed.) Feminism and postmodernism. New York and London, Routledge, 1990.

PATEMAN, Carole. O contrato sexual. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1993.

PEDERSEN, Jean Elisabeth. Política sexual em Comte e Durkheim: feminismo, história e a tradição sociológica francesa. Estudos da Religião, 2006 [Tradução Denise Lopes de Souza] (disponível em http://www.pucsp.br/rever/rv1_2006/t_pedersen.htm#footnote9texto).

RIAL, Carmen Silvia; GROSSI, Miriam Pillar e LIMA, Betina Stefanello.

Gênero e Ciência: entrevista com Shirley Malcolm. Estudos Feministas, vol. 14, nº 3, Florianópolis, CFH/CCE/ UFSC, setdez/2006, pp.695-708.

SAFFIOTI, Heleieth I. B. Quem tem medo dos esquemas patriarcais de pensamento? Crítica Marxista, nº 11, 2000, pp.71-75.

SCOTT, Joan W. Prefácio a Gender and Politics of History. Cadernos Pagu (3) – Desacordos, desamores e diferenças –, Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 1994, pp.11-27.

_____. A invisibilidade da experiência. Projeto História, nº 16, São Paulo, Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em História e do Departamento de História, 1998, pp.297-325.

__________. Igualdade versus diferença: os usos da teoria pósestruturalista.

Debate Feminista. Cidadania e Feminismo (Edição especial), São Paulo, Cia. Melhoramentos, 1999, pp.203-222

Downloads

Publicado

2016-04-07

Como Citar

Mariano, S. A. (2016). Modernidade e crítica da modernidade: a Sociologia e alguns desafios feministas às categorias de análise. Cadernos Pagu, (30), 345–372. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644858

Edição

Seção

Artigos