Da morte em família à babá de Freud

homenagem a Mariza Corrêa

Palavras-chave: Mariza Corrêa, Gênero, Classe, Raça, Feminismo.

Resumo

Este artigo, uma homenagem à Mariza Corrêa, aborda dois de seus escritos mais importantes: Morte em família (1983) e “A babá de Freud e outras babás” (2007). No primeiro, Mariza desvelou as articulações entre gênero e classe que perpassam a ordenação jurídica dos crimes cometidos por homens e mulheres em relações de conjugalidade. No segundo, seu penúltimo artigo, o assunto da babá de Freud é o acicate para examinar a tessitura esgarçada das relações entre classe e raça no país. Longe de ser um assunto “menor”, Mariza mostrou que o tema das babás é relevante tanto
para o entendimento da economia dos afetos como para a reflexão feminista no Brasil contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloisa Pontes, Universidade Estadual de Campinas

Professora titular do Departamento de Antropologia, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil.

Referências

BOURDIEU, Pierre. Leçon sur la leçon. Paris: Les Édtions de Minuit, 1982.

CORRÊA, Mariza. Morte em família: representações jurídicas de papeis sexuais. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

CORRÊA, Mariza. Convenções culturais & fantasias corporais. In: PEIXOTO, Fernanda; PONTES, Heloisa; SCHWARCZ, Lilia (org.). Antropologias, histórias, experiências. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004, pp.123-134.

CORRÊA, Mariza. A babá de Freud e outras babás. cadernos pagu (29). Campinas, SP: Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu/Unicamp, 2007, pp.61-90.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

PERLONGHER, Néstor. O negócio do michê: a relação entre o prostituto viril e seu cliente. Dissertação (Mestrado em Antropologia), Unicamp, Campinas, SP, 1986. (orientada por Mariza Corrêa)

PONTES, Heloisa. Do palco aos bastidores: o SOS-Mulher e as práticas feministas contemporâneas. Dissertação (Mestrado em Antropologia), Unicamp, Campinas, SP, 1986. (orientada por Mariza Corrêa)

PRADO, Décio de Almeida. 5O anos depois. O Estado de S. Paulo, 3 de junho de 1989, p.11. [Reprodução do discurso de Décio lido na sessão de homenagem prestada pela FFLCH, em 27 de abril de 1989, à 3 a turma (1938) da antiga Faculdade de Filosofia, por ocasião da comemoração dos 50 anos de sua formatura].
Publicado
2018-12-14
Como Citar
Pontes, H. (2018). Da morte em família à babá de Freud. Cadernos Pagu, (54), e185403. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8656207