[1]
G. G. Debert, “Masculinidade, feminilidade e a reprodução das desigualdades”, Cad. Pagu, nº 30, p. 409-414, abr. 2016.