Banner Portal
O esporte contemporâneo e o modelo de concepção das formas de manifestação do esporte
PDF

Palavras-chave

Esporte. Valores morais. Sociedade. Educação.

Como Citar

MARQUES, Renato Francisco Rodrigues; GUTIERREZ, Gustavo Luis; ALMEIDA, Marco Antonio Bettine de. O esporte contemporâneo e o modelo de concepção das formas de manifestação do esporte. Conexões, Campinas, SP, v. 6, n. 2, p. 42–61, 2008. DOI: 10.20396/conex.v6i2.8637803. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637803. Acesso em: 16 jul. 2024.

Resumo

O esporte contemporâneo se configura pela busca por lucros e por suas inúmeras formas de manifestação. Essa característica se deve às diversas incorporações do esporte em formas distintas de cultura, além de objetivos, expectativas, possibilidades e limitações, da parte dos praticantes, que delimitam as formas de prática. O Modelo de concepção das formas de manifestação do esporte é uma proposta de sistematização das possíveis vertentes desse fenômeno na sociedade do século XXI. Configura-se pela análise de três categorias que compõem as formas de manifestação desse objeto: o ambiente da prática, a modalidade esportiva em questão e o sentido que se dá à essa atividade. De acordo com a combinação desses fatores, toma-se uma forma de manifestação, que transmitirá valores morais específicos aos sujeitos envolvidos.
https://doi.org/10.20396/conex.v6i2.8637803
PDF

Referências

BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BOURDIEU, P. Programa para uma sociologia do esporte. In: BOURDIEU, P. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 1990, p. 207-220.

BRASIL. Ministério dos Esportes. Decreto-lei no 9.615, de 24 de março de 1998. Lei Pelé. Diário Oficial Federal. Brasília. Disponível em: http://www81.dataprev.gov.br/sislex/paginas/42/1998/9615.htm. Acesso em: 22 jun. 2007.

DIECKERT, J. Peculiaridade e autonomia do esporte de lazer. In: DIECKERT, Jurgen. (Org.). Esporte de lazer: tarefa e chance para todos. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1984. p.1-12.

GOMES, A. C. Curso de pós-graduação em treinamento desportivo. São Paulo: UNIFESP, 2007.

MARQUES, R. F. R.; GUTIERREZ, G. L.; ALMEIDA, M. A. B. de. Esporte na empresa: a complexidade da integração interpessoal. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 20, n. 1, p. 27-36, jan/mar, 2006.

MARQUES, R. F. R.; ALMEIDA, M. A. B. de; GUTIERREZ, G. L. Esporte: um fenômeno heterogêneo:estudo sobre o esporte e suas manifestações na sociedade contemporânea. Movimento, Porto Alegre, v. 13, n. 3, p. 225-244, set./dez. 2007.

MARQUES, R. F. R. Esporte e qualidade de vida: reflexão sociológica. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

PAES, R. R. Educação Física escolar: o esporte como conteúdo pedagógico do ensino fundamental. Canoas: Ed. da Ulbra, 2001.

PAES, R. R. A pedagogia do esporte e os jogos coletivos. In: DE ROSE JR., D. Esporte e atividade física na infância e na adolescência: uma abordagem multidisciplinar. Porto Alegre: Artmed, 2002. p. 89-98.

PRONI, M. W. Esporte-espetáculo e futebol-empresa. 1998. Tese (Doutorado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria de Educação. Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas. Atividades curriculares desportivas: 2002. Disponível em: http://cenp.edunet.sp.gov.br/index.htm. Acesso em: 26 jun. 2007.

STIGGER, M. P. Esporte, lazer e estilos de vida: um estudo etnográfico. Campinas: Autores Associados, 2002.

STIGGER, M. P.; SILVA, R. da. A. A prática da “bocha” na SOERAL: entre o jogo e o esporte. Movimento, Porto Alegre, v.10, n. 2, p. 37-53, maio/ago. 2004.

O periódico Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.