O modelo de Brohm e a organização do basquetebol masculino

Autores

  • Leandro de Melo Beneli Universidade Estadual de Campinas
  • Eduardo Fantato Rodrigues Faculdade Politec de Santa Barbara D'Oeste
  • Paulo César Montagner Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v4i1.8637962

Palavras-chave:

Organização do basquetebol. Transformações esportivas. Capitalismo.

Resumo

Este artigo buscará analisar a organização do basquetebol masculino brasileiro a partir das transformações ocorridas no esporte moderno. Para tanto, será apresentado, através da revisão bibliográfica, o modelo sociológico de Jean-Marie Brohm como referencial teórico para apoiar a discussão. Em seguida será contextualizada a trajetória institucional da modalidade relacionando-a ao processo do amadorismo para o profissionalismo. Por fim, este estudo trará uma reflexão sobre a sistematização do basquetebol masculino brasileiro, referenciado pelo modelo de organização capitalista do esporte de Brohm. Apesar da inserção do setor privado no financiamento do basquetebol, infere-se que a modalidade não acompanhou as novas exigências do esporte moderno, e, conseqüentemente, não conseguiu se ajustar às demandas advindas desta sistematização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro de Melo Beneli, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade Educação Física/UNICAMP

Eduardo Fantato Rodrigues, Faculdade Politec de Santa Barbara D'Oeste

Atualmente é Diretor Executivo da F-30 Sports e professor da Faculdade Politec de Santa Barbara D'Oeste.

Paulo César Montagner, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Educação Física/Unicamp

Downloads

Publicado

2007-11-06

Como Citar

Beneli, L. de M., Rodrigues, E. F., & Montagner, P. C. (2007). O modelo de Brohm e a organização do basquetebol masculino. Conexões, 4(1), 48–63. https://doi.org/10.20396/conex.v4i1.8637962

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2