Considerações acerca da Educação Física escolar a partir da BNCC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v17i0.8654739

Palavras-chave:

Currículo, Educação Física, Escolas

Resumo

Objetivo: A pesquisa tem como objetivo compreender as possíveis mudanças que ocorrerão no currículo em Educação Física a partir da implantação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Busca-se compreender as concepções e entendimentos nos quais o documento avança ou não, uma vez que sua adoção será obrigatória para as escolas públicas e particulares a fim de nortear a reconstrução de currículos e planejamentos escolares. Metodologia: O método adotado foi qualitativo com análise documental. Levou-se em consideração a BNCC e para a interpretação dos dados foi utilizada a análise de conteúdo. Resultados e discussão: Conclui-se com o estudo, que a Base traz avanços no sentido de proporcionar aos estudantes conhecimentos mínimos em nível nacional, valorizando as diferenças regionais, e tendo como foco a nova geração de estudantes. Contudo sua implantação fica limitada pela falta de compreensão de como se efetivará, ou seja, como ela será trabalhada nos cursos de formação inicial e continuada de professores. Conclusão: se não for ofertado formação continuada para esses professores/as, as propostas do documento não serão concretizadas no âmbito escolar. Por se tratar de um documento recente, e que está em processo de implantação, é preciso que haja espaços formativos que trabalhem em cima da BNCC, para que os professores/as estejam preparados para a utilização deste em sua prática pedagógica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Nathalia Almeida Callai, Universidade Federal de Santa Maria

Mestre em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Maria. Participa do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Física: iniciação a docência e formação continuada (2016/2017).

Eriques Piccolo Becker, Universidade Federal de Santa Maria

Mestrando em Educação Física na Universidade Federal de Santa Maria. Professor de Educação Física na Escola CEDUCA - Santa Maria/RS, atuando na Educação Infantil e Ensino Fundamental - Anos Iniciais 2018/2019. 

Rosalvo Luis Sawitzki, Universidade Federal de Santa Maria

Professor Associado 2 do CEFD/UFSM; Pós-Doutorado UFES (2016).

Referências

ARROYO, Miguel Gonzalez. Os coletivos empobrecidos repolitizam os currículos. In: SACRISTÁN, José Gimeno. Saberes e incertezas sobre o currículo. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 1-542.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRACHT, Valter. A Educação Física brasileira e a crise da década de 1980: entre a solidez e a liquidez. In: MEDINA, J. P. S. Educação Física cuida do corpo e... “mente”: novas contradições e desafios do século XXI. 20. ed. Campinas: Papirus, 2010. p. 99-116

BRACHT, Valter. Educação Física & Ciência: cenas de um casamento (in) feliz. 3ª edição. Ijuí: Unijuí, 2007.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Medida Provisória nº. 746, de 22 de setembro de 2016. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília-DF, 23 de setembro de 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

CANDAU, Vera Maria. (org). Magistério: construção cotidiana. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997. p. 51-68.

DARIDO, Suraya Cristina; RANGEL, Conceição Andrade (Org.). Educação física na escola: implicações para a prática pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. 293p.

DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. São Paulo: Autores Associados, 1996.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. - São Paulo: Atlas, 2008.

KUNZ, Elenor. Apresentação. Pedagogia do Esporte, do Movimento Humano ou da Educação Física. In: KUNZ, E & TREBELS, A. H. (Orgs.). Educação Física Crítico Emancipatória (pag. 11-22). Ijui: Unijui. 2006.

MACEDO, Roberto Sidnei. Currículo: campo, conceito e pesquisa. Petrópolis: Vozes, 2008.

MACHADO, Thiago da Silva; BRACHT, Valter. O Impacto do Movimento Renovador da Educação Física nas Identidades Docentes: Uma leitura a partir da “Teoria Do Reconhecimento” de Axel Honneth. Movimento, v. 22, n. 3, 849-860, 2016. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/60228.

RUFINO, Luiz Gustavo Bonatto; DARIDO, Suraya Cristina. Possíveis diálogos entre a educação física escolar e o conteúdo das lutas na perspectiva da cultura corporal. Conexões, v. 11, n. 1, p. 144-170, 2013. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637635.

SACRITÁN, José Gimeno. O Currículo: uma Reflexão sobre a Prática. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SAMPIERI, Roberto Hernandéz; COLLADO, Carlos Fernandéz; LUCIO, Pilar Bapista. Metodologia da pesquisa. 5. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

SCHIAVON, Laurita; PICCOLO, Vilma Nista. A ginástica vai à escola. Movimento, v. 13, n. 03, p. 131-150, 2007. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/3572.

SILVA, Sabrine Damian; RIBAS, João Francisco Magno. A Lógica Interna e o Contexto dos Jogos Tradicionais Indígenas organizados no Rio Grande do Sul. Licere, v. 2, n. 19, p.225-259, 2016. https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/1245.

PEDRA, José Alberto. Currículo, Conhecimento e suas Representações. Campinas: Papirus, 1997.

VIEGAS, Raissa Oliveira de Melo Costa. Geração alpha: um estudo de caso no núcleo de educação infantil da UFRN. 2015. 76 f. TCC (Graduação) - Curso de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

Downloads

Publicado

2019-12-11

Como Citar

Callai, A. N. A. ., Becker, E. P., & Sawitzki, R. L. (2019). Considerações acerca da Educação Física escolar a partir da BNCC. Conexões, 17, e019022. https://doi.org/10.20396/conex.v17i0.8654739

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)