Integração produtiva e acordos comerciais: o caso dos países da Aladi

Autores

  • Karla Sarmento Gonçalves Souza Universidade Federal Fluminense
  • Marta Reis Castilho Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Integração comercial. Integração produtiva. Aladi. Associação latino-americana de integração. Modelo gravitacional. Estágios produtivos.

Resumo

O processo de fragmentação da produção tem imprimido novas formas de organização da produção e de comércio entre os países. Dentre os diversos fatores explicativos dessa reorganização das atividades produtivas, aqueles relativos aos custos de comércio são de particular importância. Nesse sentido, os acordos comerciais podem ter uma influência relevante na formação de redes produtivas regionais e, mesmo, globais. Este artigo busca investigar se os acordos firmados no âmbito da Aladi contribuíram para aprofundar a integração produtiva na região, por meio da análise do perfil do comércio regional e da estimação de um modelo gravitacional. O grau de integração dos países da região nas redes produtivas internacionais e regionais é bem inferior aquele observado na Ásia, na América do Norte e na Europa. No entanto, as estimações sugerem que os acordos da Aladi exerceram uma influência fraca, porém, positiva sobre os fluxos regionais de partes, componentes e bens de capital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karla Sarmento Gonçalves Souza, Universidade Federal Fluminense

Possui graduação em Ciencia Economicas pela Universidade Federal Fluminense (2008), mestrado em Economia pela Universidade Federal Fluminense (2011) e doutorado em Economia pela Universidade Federal Fluminense (2015). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Internacional, atuando principalmente nos seguintes temas: estruturalismo, mudança estrutural, especialização regressiva, indústria brasileira e tarifa.

Marta Reis Castilho, Universidade Estadual de Campinas

Doutorado em Economia na Université de Paris I Panthéon-Sorbonne Mestrado em Economia Industrial no IEI/UFRJ Economista pela FEA/UFRJ

Referências

ANDERSON, J. A theoretical foundation for the gravity equation. American Economic Review, v. 69, n. 1, p. 106-116, 1979.

ANDERSON, J.; VAN WINCOOP, E. Gravity with gravitas: a solution to the border puzzle. American Economic Review, 93, p. 170-192, 2003.

ANDERSON, J. The gravity model. NBER, Dec. 2010. (Working Paper Series, v. 16576).

ASSOCIAÇÃO LATINO-AMERICANA DE INTEGRAÇÃO (ALADI). II Tratado de Montevidéu – Instrumento que institui a Associação Latino-Americana de Integração (Aladi). Montevidéu: ago. 1980.

AZEVEDO, A. O efeito do Mercosul sobre o comércio: uma análise com o modelo gravitacional. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 34, n. 2, p. 307-309, 2004.

BALDWIN, R.; TAGLIONI, D. Gravity chains: estimating bilateral trade flows when parts and components trade is important. National Bureau of Economic Research, 2011. (NBER Working Papers, 16672).

BARCELLOS, P. Impactos comerciais da área de livre comércio das Américas: uma aplicação do modelo gravitacional. 2002. 98f. Dissertação (Mestrado em Economia)– niversidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

BAUMANN, R. Regional trade and growth in Asia and Latin America: the importance of productive complementarity. Brasília: Cepal, 2010.

BRAGA, M. Integração econômica regional na América Latina: uma interpretação das contribuições da Cepal. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 29, 2001, Salvador, BA, 2001. Anais...

CASTILHO, M. Protection et accès au marché européen: le cas du Mercosur. 1999. Thèse de doctorat–Université de Paris I, Panthéon Sorbonne, Paris, 1999.

CASTILHO, M. Acesso das exportações do Mercosul ao mercado norte-americano. Rio de Janeiro: Ipea, 2001. (Texto para Discussão, n. 851).

CEPAL. Open regionalism in Latin America and the Caribbean. Santiago do Chile, 1994.

CEPAL. Panorama de la inserción internacional de América Latina y el Caribe: crisis duradera en el centro y nuevas oportunidades para las economías en desarrollo. Santiago do Chile: Naciones Unidas, 2012. 177p.

CEPAL. Comercio internacional y desarrollo inclusivo: construyendo sinergias. Santiago do Chile: Naciones Unidas, abr. 2013. 210p.

CHENG, H.; HOWARD, W. Controlling for heterogeneity in gravity models of trade and integration review. Federal Reserve Bank of St. Louis, 2005. (Working Paper, 1999-010E).

CHUDNOVSKY, D.; CAMPBELL, G. Argentina-Brasil: luces y sombras. Texto preparado para o 27o Colóquio de IDEA. Buenos Aires: Instituto para El Desarrollo de Empresários em la Argentina, 1991.

DEARDORFF, A. Fragmentation in simple trade models. North American Journal of Economics and Finance, 12, p. 12-37, 2001.

DULLIEN, S. Integração produtiva na União Europeia: uma perspectiva alemã. In: INTEGRAÇÃO produtiva – caminhos para o Mercosul. Brasília, 2010. (Série Cadernos da Indústria ABDI, v. XVI).

EVENETT, S.; KELLER, W. On theories explaining the success of the gravity equation. Journal of Political Economy, v. 110, n. 21, 2002.

GOMEZ HERRERA, E. Comparing alternative methods to estimate gravity models of bilateral trade. Department of Economic Theory and Economic History of the University of Granada, 2010.

GOMEZ HERRERA, E; BALEIX, J. Are estimation techniques neutral to estimate gravity equations? An application to the impact of EMU on third countries’ exports. Trabalho apresentado na ETSG. Roma, 2009. Disponível em http://www.etsg.org/ETSG2009/ETSG2009Programme.html.

HAMAGUCHI, N. Integração produtiva regional no leste da Ásia. In: INTEGRAÇÃO Produtiva – caminhos para o Mercosul. Brasília, 2010. (Série Cadernos da Indústria ABDI, v. XVI).

HEAD, K.; MAYER, T. Gravity equations: workhorse, Toolkit, and Cookbook. In: GOPINATH, G.; HELPMAN, E.; ROGOFF, K. (Ed.). Handbook of international economics. Elsevier, 2014. v. 4, p. 131-195.

HEAD, K.; MAYER, T.(2000). Gravity for beginners. Disponível em: http://www.unescap.org/tid/artnet/mtg/gravity10.asp. Acesso em: 27 set. 2010.

HELPMAN, E. Understanding global trade. Harvard College, 2011. Integração produtiva e acordos comerciais: o caso dos países da Aladi Economia e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 1 (56), p. 173-207, abr. 2016. 201

HUMMELS, D.; RAPOPORT, D.; YI, K. Vertical specialization and the changing nature of world trade. Economic Policy Review, Federal Reserve Bank of New York, issue Jun., p. 79-99, 1998

JONES, R.; KIERZKOWSKI, H. The role of services in production and internacional trade: a theorical framework. In: JONES, R.; KRUEGER, A. (Ed.). The political economy of international trade. Oxford: Blackwell’s, 1990. p. 31-48.

JORGE, C.; CASTILHO, M. Impacto da integração regional sobre os fluxos mundiais de Investimento Direto Estrangeiro. Economia e Sociedade, Campinas, IE/Unicamp, n. 42, 2011.

KIMURA, F., TAKAHASHI, Y. e HAYAKAWA, K. Fragmentation and parts and components trade: comparison between East Asia and Europe. North American Journal of Economics and Finance, v. 18, n. 1, p. 23-40, 2007.

KIMURA, F.; ANDO, M. Two-dimensional fragmentation in East Asia: conceptual framework and empirical. International Review of Economics and Finance, n. 17, 2005.

KOSACOFF, B.; LÓPEZ, A. América Latina y las cadenas globales de valor: debilidades y pontecialidades. Revista Globalización, Competititividad y Gobernabilidad, Georgetown University, v. 2, n. 1, 2008.

LEE, H.; PARK, D.; WANG, J. The role of the people’s Republic of China in international fragmentation and production networks: an empirical investigation. Asian Development Bank, 2011. (ADB Working Paper Series on Regional Economic Integration, n. 87).

LEMOINE, F.; UNAL-KESENCI, D. China in the international segmentation of production processes. Paris: CEPII, 2002. (Document de Travail du CEPII, 2002-02).

LINDERS, G.; GROOT, H. Estimation of the gravity equation in the presence of zero flow. Tinbergen Institute, 2006. (Discussion Paper TI, 2006-072/3).

LINNEMANN, H. An econometric study of international trade flows. Amsterdam: NorthHolland, 1966.

MACADAR, B. O Incentivo à cadeia produtiva regional como estratégia para o aprofundamento do Mercosul. Indicadores Econômicos FEE, v. 38, n. 2. p. 27-34, 2010.

MACHADO, J. Integração produtiva: referencial analítico, experiência europeia lições para o Mercosul. In: INTEGRAÇÃO Produtiva – caminhos para o Mercosul. Brasília, 2010. (Série Cadernos da Indústria ABDI, v. XVI).

MEDEIROS, C. Integração produtiva: a experiência asiática e algumas referências para o Mercosul. In: INTEGRAÇÃO Produtiva – caminhos para o Mercosul. (Série Cadernos da Indústria ABDI, v. XVI). Brasília, 2010.

MIROUDOT, S.; RAGOUSSIS, A. Vertical trade, trade costs and FDI. Jul. 2009. (OCDE Trade Policy Working Papers, n. 89).

MOTTA VEIGA, P. RIOS, S. Cadeias de Valor baseadas em recursos naturais e upgrading de empresas e setores: o caso da América do Sul. Rio de Janeiro: Cindes, 2008. (Breves Cindes, n. 9).

PAIVA, D.; BRAGA, M. Integração econômica regional e desenvolvimento econômico: reflexões sobre a experiência latino-americana. Revista de Desenvolvimento Econômico, Ano IX, n. 16, dec. 2007.

PEREZ, C. Una visión para América Latina: dinamismo tecnológico e inclusión social mediante una estrategia basada en los recursos naturales. Revista Econômica, Niterói, v. 14, n. 2, p. 11-54, dez. 2012.

OREFICE, G.; ROCHA, N. Deep integration and production networks: an empirical analysis. The World Economy, v. 37, n. 1, p. 106-136, 2014.

REIS, M.; AZEVEDO, A. O impacto da criação do Mercosul no fluxo de comércio bilateral: uma abordagem com o modelo gravitacional. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 36, ANPEC – Associação Nacional dos Centros de Pós-graduação em Economia, 2008. Anais...

SOUZA, K. Integração comercial e produtiva na América Latina: o caso da Aladi. 2005. Tese (Doutorado em Economia)–Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2005.

STURGEON, T. Global value chains and economic globalization: towards a measurement framework. A report to Eurostat. 2013. Disponível em: file:///C:/Users/Karla/Downloads/Sturgeon_report_Eurostat.pdf.

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

SOUZA, K. S. G.; CASTILHO, M. R. Integração produtiva e acordos comerciais: o caso dos países da Aladi. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 25, n. 1, p. 173–207, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8647321. Acesso em: 2 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos