Autonomia de aprendizes on-line de inglês

Autores

  • Cláudio Paiva Franco Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v9i2.816

Palavras-chave:

Autonomia. Internet. Inteligências múltiplas. Aprendizes de inglês.

Resumo

O presente trabalho aborda como as novas tecnologias de informação e comunicação podem promover a autonomia de aprendizes de língua inglesa. Nesse sentindo, o papel desempenhado por alunos e professores adquire um novo significado. Expressões como “aprendizagem colaborativa” e “construção de conhecimento” são empregadas de modo a esclarecer ao leitor a importância de recursos da Web que privilegiem a visão dialógica. Desse modo, alunos tornam-se protagonistas na construção do conhecimento. O estudo finaliza atentando para a formação do sujeito social e a potencialização de suas múltiplas inteligências através do contexto digital. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudio Paiva Franco, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestrando em Interdisciplinar de Lingüística Aplicada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ. Professor de Língua Inglesa do Instituto Acadêmico de Cultura Inglesa, Duque de Caxias

Referências

ALMEIDA, M. E. B. Educação, ambientes virtuais e interatividade. In: SILVA, M. (Org.). Educação online: teorias, práticas, legislação, formação corporativa. São Paulo: Edições Loyola, 2003.

AMORIM, M.L.V. A Internet em aulas de língua inglesa para alunos principiantes: relato de uma experiência. In: KESTLER, I., NOGUEIRA, R & MELLO, S. (orgs). Estudos anglo-germânicos em perspectiva. Rio de Janeiro, Faculdade de Letras da UFRJ, 2002.

ARNOLD, S. B. T. Certificados são reconhecidos. Clipping Educacional, Belo Horizonte, Set. 2002, p.3.

BAKHTIN, M. (Volochinov) Marxismo e filosofia da linguagem. 9 ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Disponível em www.mec.gov.br. Acesso em: 10 dez. 2007.

FELIX, U. Virtual language learning. Melbourne: Language Australia, 1998.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia – saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

GARDNER, H. Multiple intelligences: the theory in practice. New York: Basic Books, 1993.

GARDNER, H. Can technology exploit our many ways of knowing?, 2000. Disponível em http://www.howardgardner.com/Papers/papers.html. Acesso em 10 dez. 2007.

NEVADO, R. A; MAGDALENA, B. C.; COSTA, I. E. T. Formação de multiplicadores: nte2@projetos.cooperativos.ufrgs.br. Informática na educação: teoria & prática. Porto Alegre, v.2, n.2, 1999, p.117-125.

PAIVA, V.L.M.O. A www e o ensino de Inglês. Revista Brasileira de Lingüística Aplicada, [S.I.], v.1, n.1, 2001, p.93-116

PALLOFF, R. M.; PRATT, K. Building learning communities in cyberspace: effective strategies for the online classroom. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1999.

PRETI, O. Autonomia do aprendiz na EAD: significados e dimensões. In: PRETI, O.(Org). Educação a distância: construindo significados. Brasília: NEAD/IE – UFMT; Brasília: Plano, 2000, p.125-145.

ROBLYER, M. D., EDWARDS, J. Integrating Educational Technology into Teaching. 2. ed. Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall, Inc, 2000.

ROMISZOWSKI, Alexander J. How's the E-learning Baby? Factors leading to success or failure of an educational technology innovation. Educational Technology, [S.I.], v.44, n.1, 2004. Disponível em http://bookstoread.com/etp/elearning_failure_study.doc. Acesso em: 10 dez. 2007.

SILVEIRA, S. A. Exclusão digital: a miséria na era da informação. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2001.

VYGOTSKY, L.S. Mind in Society: the development of higher psychological processes. Harvard University Press, Cambridge, 1978.

Downloads

Publicado

2008-11-11

Como Citar

FRANCO, C. P. Autonomia de aprendizes on-line de inglês. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 9, n. 2, p. 52-60, 2008. DOI: 10.20396/etd.v9i2.816. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/816. Acesso em: 31 out. 2020.