Intelectuais e universidade percepções sociológicas a partir de uma experiência pedagógica

Autores

  • Antonio Carlos Dias Junior Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v17i3.8639482

Palavras-chave:

Intelectuais. Universidade. Ensino.

Resumo

O artigo discute a temática dos intelectuais e sua relação com a sociedade a partir do locus privilegiado em que atuam: a universidade. No âmbito da disciplina de licenciatura oferecida pela Unicamp, Tópicos Especiais em Ciências Sociais Aplicadas à Educação - EL 142 (sob minha responsabilidade no primeiro semestre de 2015) e tendo em vista a inquietação inicial acima citada, foi proposto como tema para o curso a reflexão sobre a formação das universidades modernas e, conjuntamente, a atuação do intelectual em seus quadros. Problematizou-se, com efeito, a função ou o papel que os intelectuais exercem nos dias atuais e a validade do status conferido a estes sujeitos como intérpretes privilegiados da realidade. O diálogo com a bibliografia específica sugerida para a disciplina, a percepção dos estudantes em relação à temática proposta – obtida através das discussões em sala e pela avaliação do curso, bem como minha própria autoanálise reflexiva da experiência no decorrer do semestre, configuram as balizas nas quais o artigo se assenta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Carlos Dias Junior, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Sociologia. Professor do Departamento de Ciências Sociais na Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Unicamp

Referências

AGGIO, Alberto. Gramsci: a vitalidade de um pensamento. São Paulo: UNESP, 1998.

ARON, Raymond. O ópio dos intelectuais. Brasília: UnB, 1980.

BENDA, Julien. A traição dos intelectuais. São Paulo: Peixoto Neto, 2007.

BOBBIO, Norberto. Os intelectuais e o poder. São Paulo: UNESP, 1996.

BOTO, Carlota. Traição dos intelectuais. Um tema nosso contemporâneo. Revista USP, São Paulo, SP, v. 1, n. 80, p. 161-171. dez./fev. 2008-2009. Disponível em: http://goo.gl/4tePbI Acesso em: 07 ago. 2015. ISSN 0103-9989.

CHAUÍ, Marilena. Intelectual engajado: uma figura em extinção? In: NOVAES, Adauto (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Cia das Letras, 2006.

DIAS JUNIOR, Antonio Carlos. A sociologia política de Raymond Aron. 2013. 571 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2013. Disponível em: http://goo.gl/qQOVqo Acesso em: 08 ago. 2015.

FREYRE, Gilberto. Sobrados e mucambos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1985.

GIANOTTI, José Arthur. A universidade em ritmo de barbárie. São Paulo: Brasiliense, 1986.

LE GOFF, Jacques Le. Os intelectuais na Idade Média. Rio de Janeiro: José Olympio, 2003.

LEPENIES, Wolf. As três culturas. São Paulo: USP, 1996.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

MINTO, Lalo Watanabe. A educação da miséria: particularidade capitalista e educação superior no Brasil. São Paulo: Outras Expressões, 2014.

NOVAES, Adauto (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Cia das Letras, 2006.

RIBEIRO, Renato Janine. O cientista e o intelectual. In: NOVAES, Adauto (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Cia das Letras, 2006.

RINGER, Fritz. O declínio dos mandarins alemães. São Paulo: Editora da USP, 2000.

ROUANET, Sérgio Paulo. A crise dos universais. In: NOVAES, Adauto (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Cia das Letras, 2006.

SAID, Edward. Representações do intelectual. São Paulo: Cia das Letras, 2005.

SARTRE, Jean-Paul. Em defesa dos intelectuais. São Paulo: Ática, 1994.

SIRINELLI, Jean-François. Sartre, um intelectual engajado. In: NOVAES, Adauto (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Cia das Letras, 2006.

SILVA, Franklin Leopoldo. O Imperativo ético de Sartre. In: NOVAES, Adauto (Org.). O silêncio dos intelectuais. São Paulo: Cia das Letras, 2006.

STEINER, João; MALNIC, Gerhard. (Org.). Ensino Superior: conceito e dinâmica. São Paulo: Editora da USP, 2006.

TOCQUEVILLE, Alexis. L’ancien régime et la révolution. Paris: Gallimard, 1967.

WEBER, Max. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Pioneira, 2001.

WEBER, Max. Ciência e política: duas vocações. São Paulo: Cultrix, 1972.

Downloads

Publicado

2015-12-17

Como Citar

Dias Junior, A. C. (2015). Intelectuais e universidade percepções sociológicas a partir de uma experiência pedagógica. ETD - Educação Temática Digital, 17(3), 673–695. https://doi.org/10.20396/etd.v17i3.8639482