Sala de aula invertida: investigação sobre o grau de familiaridade conceitual teórico-prático dos docentes da universidade

  • Elieser Xisto da Silva Schmitz Universidade Federal de Santa Maria
  • Susana Cristina dos Reis Universidade Federal de Santa Maria
Palavras-chave: Sala de aula invertida. Ensino híbrido. Metodologias ativas de aprendizagem

Resumo

Este artigo apresenta resultados da investigação da aproximação conceitual teórico-prática entre a abordagem da sala de aula invertida e os saberes e fazeres de docentes da universidade, mediante a disponibilização de material didático instrucional. O estudo descritivo e exploratório, de natureza quali-quantitativa, descreve o grau de familiaridade com a temática e as necessidades de formação identificadas pelos participantes, que ocorreu por meio da aplicação de Teste Conceitual (TC) e de questionário. Os resultados apontam compreensão dos conceitos apresentados, identificação de aspectos de inversão da sala de aula de forma parcial nas práticas docentes, embora a estratégia não fosse conhecida pela maioria. Além disso, o levantamento de necessidades identificou interesse por formação na área de metodologias ativas de aprendizagem e ensino híbrido. Para aplicação da sala de aula invertida, os métodos que despertaram maior interesse foram o Just-in-Time Teaching (Ensino sob Medida) e o Peer Intruction (Instrução por Pares). Já em termos de tecnologias, houve destaque para a lousa digital interativa e para softwares de edição de áudio/vídeo e de captura de tela.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elieser Xisto da Silva Schmitz, Universidade Federal de Santa Maria
Graduada em Letras Português (1990), Especialista em Educação Ambiental (1998) e Mestre em Tecnologias Educacionais em Rede (2016) pela Universidade Federal de Santa Maria. Atualmente exerce atividades de Técnica em Assuntos Educacionais, na Equipe de Capacitação do Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), possuindo experiência na área de coordenação executiva e apoio pedagógico de cursos de formação continuada para profissionais da área de educação a distância.
Susana Cristina dos Reis, Universidade Federal de Santa Maria
É professora Adjunto 4, no Curso de Letras, pesquisadora, orientadora e docente no Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional de Tecnologias em Rede, na UFSM. Líder do GRPesq/CNPq NUPEAD (Núcleo de Pesquisa, Ensino e Aprendizagem de Línguas a distância) e coordenadora do Laboratório de Ensino e Aprendizagem de Línguas Online (LabEon). Atualmente é coordenadora do Curso de Especialização de Tecnologias de Informação e Comunicação aplicadas à Educação TIC, na UFSM.

Referências

ANDRADE, Hugo Sica de; LOBATO, Luanna Lopes. Uma discussão sobre métodos sistemáticos para revisão de trabalhos científicos em engenharia de software. In: ENCONTRONACIONAL DE COMPUTAÇÃO, 8., 2010, Catalão/GO. Anais...Goiânia, GO: UFG, 2010.

ARAUJO, Ives Solano; MAZUR, Eric. Instrução pelos colegas e ensino sob medida: uma proposta para engajamento dos alunos no processo de ensino-aprendizagem de física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, SC: 2013. v. 30, n. 2, p. 362-384.

BARBOSA, Fernando Pires et al. Planejamento de TI em universidades: relato dos primeiros dois anos de trabalho com PDTI e práticas de Gestão de Serviços. In: WORKSHOP DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DAS IFES, 8., 2014, Brasília/DF. Anais... Brasília, DF: Colégio de Gestores de Tecnologia da Informação e Comunicação das IFES, 2014.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa, PT: Edições 70, 1977.

BACICH, Lilian.; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre, RS: Penso, 2015.

BEHRENS, Marilda Aparecida. A formação pedagógica e os desafios do mundo moderno. In: MASETTO, Marcos Tarciso. (Org.). Docência na Universidade. 8. ed. Campinas, SP: Papirus, 2006. p. 57-76.

BERGMANN, Jon; OVERMYER, Jerry; WILIE, Brett. The flipped class: what it is and what it is not. The Daily Riff, [S.l.], Jul. 9, 2013.

BERGMANN, Jon.; SAMS, Aaron. Flip your classroom: reach every student in every class every day. [S.l]: ISTE; ASDC, 2012.

BERGMANN, Jon; SAMS, Aaron. Sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. Tradução de Afonso Celso da Cunha Serra. Rio de Janeiro, RJ: LTC, 2016.

CARVALHO, Helena; MCCANDLESS, Margarite. Implementing the flipped classroom. Revista Hupe, Rio de Janeiro, RJ: out./dez. 2014. v. 13, n. 4, p. 39-45.

CHRISTENSEN, Clayton M.; HORN, Michael B.; STAKER, Heather. Ensino híbrido: uma inovação disruptiva? Uma introdução à teoria dos híbridos. Traduzido por Fundação Lemann e Instituto Península. [S.l.: s.n.], 2013.

CROUCH, Catherine H.; MAZUR, Eric. Peer instruction: ten years of experience and results. American Journal of Physics, Melville, v. 69, n. 9, p. 970-977, 2001.

DANKER, Brenda. Using flipped classroom approach to explore deep learning in large classrooms. The IAFOR Journal of Education, Nagoya, 2015. v. 3, n. 1, p. 171-186.

FLIPPED Classroom Field Guide [Internet]. [S.I.: s.n], [201-]. Disponível em: https://goo.gl/ypnrXD. Acesso em: 13 dez. 2015.

FLIPPED LEARNING NETWORK. Definition of flipped learning [Internet]. South Bend, IN: Flipped Learning, 2014. Disponível em: https://goo.gl/wa5tmo. Acesso em: 20 out. 2015.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e tempo docente. Campinas, SP: Papirus, 2013.

LAGE, Maureen J.; PLATT, Glenn J.; TREGLIA, Michael. Inverting the classroom: a gateway to creating an inclusive learning environments. Journal of Economic Education, Bloomington, 2000. v. 31, n. 1, p. 30-43.

LOPES, Áurea. O jeito de aprender já mudou: falta mudar o jeito de ensinar. In: BIT SOCIAL. 7º Anuário ARede 2015-2016: boas práticas de tecnologias na educação. São Paulo, SP: Laser Press, 2015. p. 6-7.

MALLMANN, Elena Maria. Mediação pedagógica em educação a distância: cartografia da performance docente no processo de elaboração de materiais. 2008. 304 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC: 2008.

MARGULIEUX, Lauren; MAJERICH, David; MCCRACKEN, Mike. C21U’s guide to flipping your classroom. Atlanta: Georgia Institute of Technology, 2013.

MASETTO, Marcos Tarciso. (Org.). Docência na universidade. 8. ed. Campinas, SP: Papirus, 2006.

MAZUR, Eric; WATKINS, Jessica. Using JiTT with peer instruction. In: SIMKINS, Scott; MAIER, Mark. Just-in-time teaching: across the disciplines, and across the academy. Sterling: Stylus Publishing, 2009. p. 39-62.

MIRANDA, Luísa Augusta Vara. Educação online: interacções e estilos de aprendizagem de alunos do ensino superior numa plataforma web. 2005. 382 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Minho. Braga, PT: 2005.

MOITA, Maria da Conceição. Percursos de formação e de trans-formação. In: NÓVOA, António Sampaio da. Vidas de professores. Porto, PT: Porto Editora, 1995. p. 111-118.

MORAN, José Manuel. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, Carlos Alberto de; TORRES-MORALES, Ofelia Elisa. (Orgs.). Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens. Ponta Grossa, PR: UEPG, 2015. (Mídias Contemporâneas, v. 2). p. 15-33.

MOROSINI, Marília Costa. Docência universitária e os desafios da realidade nacional. In: MOROSINI, Marília Costa. (Org.). Professor do ensino superior: identidade, docência e formação. 2. ed. Brasília, DF: Plano Editora, 2000. p. 11-20.

NOVAK, Gregor M. et al. Just-in-time teaching: blending active learning with web technology. Upper Saddle River: Prentice Hall, 1999.

NÓVOA, António Sampaio. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, António Sampaio. (Org.). Vidas de professores. Porto, PT: Porto Editora, 1995. p. 11-30.

O’FLAHERTY, Jacqueline; PHILLIPS, Craig. The use of flipped classrooms in higher education: a scoping review. The Internet and Higher Education, New York, n. 25, p. 85-95, apr. 2015.

OLIVEIRA, Vagner; VEIT, Eliane Angela; ARAUJO, Ives Solano. Relato de experiência com os métodos de ensino sob medida (just-in-time teaching) e instrução pelos colegas (peer instruction) para o ensino de tópicos de eletromagnetismo no nível médio. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, SC: 2015. v. 32, n. 1, p. 180-206, abr.

PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Docência no ensino superior. São Paulo, SP: Cortez, 2002.

PRADO, Ana. Entendendo o aluno do século 21 e como ensinar a essa nova geração. São Paulo, SP: Geekie, 2015.

PRENSKY, Marc. Changing paradigms: from “being taugh” to “learning in your own with guidance”. Educational Technology, [S.l], p. 1-3, 2007.

RAMAL, Andrea. Sala de aula invertida: a educação do futuro. G1 Educação, Rio de Janeiro, RJ. 28 abr. 2015. Disponível em: https://goo.gl/ojv4Ca. Acesso em: 25 out. 2015.

RODRIGUES, Carlos Eduardo Serrina de Lima. Habilidades socioemocionais: a OCDE e seu projeto de governança educacional global. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPED, 37., 2015, Florianópolis, SC. Anais... Florianópolis, SC: UFSC, 2015. Disponível em: https://goo.gl/RY1KmG. Acesso em: 24 out. 2015.

SAMS, Aaron. The flipped class: shedding light on the confusion, critique, and hype. The Daily Riff, nov. 11, 2011.

SCHMITZ, Elieser Xisto da Silva Schmitz. Sala de aula invertida: uma abordagem para combinar metodologias ativas e engajar alunos no processo de ensino-aprendizagem. 2016. 185 p. Dissertação (Mestrado Profissional em Tecnologias Educacionais em Rede) – Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS, 2016.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

VALENTE, José Armando. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba, PR: 2014. n. 4, p. 79-97.

TEIXEIRA, G. P. Flipped classroom: um contributo para a aprendizagem da lírica camoniana. 2013. 167 f. Dissertação (Mestrado em Gestão de Sistemas de E-Learning) –Universidade Nova Lisboa. Lisboa, PT: 2013.

VASCONCELOS, Maria Lúcia Marcondes Carvalho. Contribuindo para a formação de professores universitários: relato de experiências. In: MASETTO, Marcos Tarciso. Docência na universidade. 8. ed. Campinas, SP: Papirus, 2006. p. 77-93.

Publicado
2018-01-15
Como Citar
Schmitz, E. X. da S., & Reis, S. C. dos. (2018). Sala de aula invertida: investigação sobre o grau de familiaridade conceitual teórico-prático dos docentes da universidade. ETD - Educação Temática Digital, 20(1), 153-175. https://doi.org/10.20396/etd.v20i1.8648110