Wilson Simonal: Vida e morte de um superastro negro

Autores

  • Carlos Eduardo Amaral de Paiva Universidade Federal do Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v8i2.8651249

Palavras-chave:

Wilson Simonal. Ditadura. Democracia racial.

Resumo

Este texto analisa algumas passagens significativas da vida de Wilson Simonal. Sua carreira meteórica, bem como o esquecimento e o boicote de que foi vítima nos anos 1970 é tratado como um importante material para reflexão sociológica e artística. Como se sabe o envolvimento de Simonal com a ditadura militar nos anos 1960 acabou gerando uma polêmica que o afastou dos palcos. Neste artigo busco compreender como o mito da democracia racial e as relações de poder entre brancos e negros, no contexto ditatorial, nos oferecem um importante painel para elucidar como as relações étnicas podiam exercer influências sobre a posição de prestígio social, ao ponto de comprometer a carreira e todo o capital social de um artista promissor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Amaral de Paiva, Universidade Federal do Mato Grosso

Prof. Dr. de Teoria Social do Instituto de Ciências Humanas e Sociais

Referências

ALEXANDRE, Ricardo. Nem vem que não tem: A vida e o veneno de Wilson Simonal. São Paulo: Globo, 2009.

ALONSO, Gustavo. Simonal: Quem não tem swing morro com a boca cheia de formiga. Rio de Janeiro: Editora Record, 2011.

ARAÚJO, Paulo Cesar. Eu não sou cachorro não: música popular cafona e ditadura. 7ª Edição. Rio de Janeiro: Record, 2010.

BOURDIEU, Pierre. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1997.

COSTA, Emília Viotti. Da monarquia à república: momentos decisivos. São Paulo: Ed. UNESP, 1999.

DAMATTA, Roberto. Relativizando: Uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

ELIAS, Norbert. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

FICO, Carlos. Reinventando o otimismo: Ditadura, propaganda e imaginário no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.

GUIMARAES, Antonio Sérgio Alfredo. Preconceito de cor e racismo no Brasil. Rev. Antropol., São Paulo, v. 47, n. 1, p. 9-43, 2004.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio. Democracia racial: o ideal, o pacto e o mito. Novos Estudos Cebrap, XX (61): 147-162. São Paulo, 2001.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. 26ª Edição, São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

MOTTA, Nelson. Noites tropicais: improvisos e memórias musicais. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

NOGUEIRA, Oracy. Tanto preto quanto branco: Estudos de relações raciais. São Paulo: T. A. Queiroz, 1985.

PENTEADO, Lea. Um instante, maestro!. Rio de Janeiro: Record,1993.

SKIDMORE, Thomas. O Brasil visto de fora. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

Downloads

Publicado

2017-12-15

Como Citar

PAIVA, C. E. A. de. Wilson Simonal: Vida e morte de um superastro negro. Ideias, Campinas, SP, v. 8, n. 2, p. 57–82, 2017. DOI: 10.20396/ideias.v8i2.8651249. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/8651249. Acesso em: 27 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: Relações Brasil-China