O intuitivo e o formal

sobre a técnica como conhecimento da natureza em Simondon

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/ideias.v13i00.8668275

Palavras-chave:

Ciência intuitiva, Enciclopedismo, Axiontologia, Alagmática, Natureza, Amor intelectual

Resumo

Através da leitura da distinção de Simondon entre modos maior e menor de relação do humano à técnica, o artigo explora a articulação entre o intuitivo e o formal como modos de conhecimento, no contexto da relação técnica do humano à natureza. Isto é feito por meio da confrontação com a teoria espinosana dos gêneros de cognição. Ambos os autores introduzem uma síntese entre intuitivo e racional por meio da questão da natureza. Spinoza apresenta um terceiro gênero de conhecimento, a ciência intuitiva; Simondon aponta para um modo sintético de relação com a técnica, nascente na teoria da informação. O artigo discute as implicações dessa síntese.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Viana, Universidade de São Paulo

Doutor pelo programa Diversitas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

Referências

ADORNO, T., & HORKHEIMER, M. Dialética do Esclarecimento: Fragmentos Filosóficos. 1a ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

D’ABREU. R. Amor Intelectual a Deus em Espinosa. Revista Conatus - Filosofia de Spinoza. v. 1, n. 2, pp. 69-82, 2007.

DELEUZE, G. Spinoza: les vitesses de la pensée. Curso na Universidade de Vincennes. Sessão 12, 10/03/1981. https://deleuze.cla. purdue.edu/sites/default/files/pdf/lectures/fr/12b-Spinoza-10%20March%201981-FR-Published.pdf. Acesso em: 05 jan. 2022.

DESCARTES, R. Discours de la Méthode / Les Passions de l’Âme. 4a ed. Paris: Bookking, 1995.

DESCOLA, P. Par-delà nature et culture. 1a ed. Paris: Gallimard, 2005.

ELLUL, J. La Technique ou l’Enjeu du Siècle. 1a ed. Paris: Armand Colin, 1954.

FLISTAD, G. Spinoza’s theory of knowledge. Inquiry: An Interdisciplinary Journal of Philosophy, v. 12, n. 1-4, pp. 41-65, 1969. DOI: https://doi.org/10.1080/00201746908601550

GARRETT, D. Spinoza’s theory of scientia intuitiva. In: Sorell, T. et al. (eds.). Scientia in Early Modern Philosophy. 1a ed. Nova York: Springer, 2010, pp. 99-115. DOI: https://doi.org/10.1007/978-90-481-3077-1_7

HEIDEGGER, M. A Questão da Técnica. Scientiae Studia, v. 5, n. 3, pp. 375-398, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1678-31662007000300006

KOCANDRLE, R. e COUPRIE, D. Apeiron: Anaximander on Creation and Destruction. 1a ed. Cham: Springer, 2017. DOI: https://doi.org/10.1007/978-3-319-49754-9

LATOUR, B. Nous N’Avons Jamais Été Modernes. 1a ed. Paris: La Découverte, 1991.

LOGAN, R. Que é informação? A propagação da organização na biosfera, na simbolosfera, na tecnosfera e na econosfera. 1a ed. Rio de Janeiro: Contraponto/PUC, 2012.

MARCUSE, H. Algumas implicações sociais da tecnologia moderna. In: KELLNER, D (ed.), Tecnologia, guerra e fascismo. 1a ed. São Paulo: Editora UNESP, 1999, pp. 73-104.

MAUSS, M. As técnicas do corpo. In: MAUSS, M. Sociologia e antropologia. 1a ed. São Paulo: Cosac Naify, 2003. pp. 399-422.

MELAMED, Y. Mapping the Labyrinth of Spinoza’s Scientia Intuitiva. In: Haag, J. e Wild, M. (eds.) Übergänge – diskursiv oder intuitiv? Essays zu Eckart Försters "Die 25 Jahre der Philosophie".

Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 2013, pp. 99-116. NADDAF, G. The Greek Concept of Nature. 2a ed. Albany: Suny Press, 1992.

RIBEIRO, L. Ciência Intuitiva e Beatitude em Spinoza. Intuitio, v. 6, n. 1. Porto Alegre, pp. 169-193, 2013.

SIMONDON, G. Do Modo de Existência dos Objetos Técnicos. 1a ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2020a.

SIMONDON, G. A Individuação à Luz das Noções de Forma e de Informação. 1a ed. São Paulo: Editora 34, 2020b.

SIMONDON, G. Imagination et Invention. 2a ed. Paris: Presses Universitaires de France, 2014.

SIMONDON, G. Sur la Technique. 1a ed. Paris: Presses Universitaires de France, 2014b.

SIMONDON, G. Sur la Philosophie. 1a ed. Paris: Presses Universitaires de France, 2016. DOI: https://doi.org/10.3917/puf.simon.2016.03

SPINOZA, B. Ética. 1a ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

SPINOZA, B. Tratado da Emenda do Intelecto. 1a ed. Campinas: Unicamp, 2015.

STENGERS, I. & Prigogine, I. A Nova Aliança: Metamorfose da Ciência. 1a ed. Brasília: UnB, 1991.

VIANA, D. A afeto-emotividade em Simondon e o conceito de desejo. Kriterion. v. 60, n. 144, pp. 537-561, 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/0100-512x2019n14403dv

VIANA, D. Notas sobre a mentalidade técnica: a intenção pedagógica e a ênfase ativa na filosofia da técnica de Gilbert Simondon.

Revista Filosofia Unisinos, v. 21, n. 1, pp. 79-94, 2020.

ZOURABICHVILI, F. Qu’est-ce qu’un devenir, pour Gilles Deleuze? Conferência realizada em Horlieu, Lyon. 27/03/ 1997. http://horlieu-editions.com/brochures/zourabichvili-qu-est-ce-qu-undevenir-pour-gilles-deleuze.pdf. Acesso em: 05 fev. 2022.

Downloads

Publicado

2022-08-30

Como Citar

Viana, D. (2022). O intuitivo e o formal: sobre a técnica como conhecimento da natureza em Simondon. Ideias, 13(00), e022015. https://doi.org/10.20396/ideias.v13i00.8668275

Edição

Seção

Dossiê: Gilbert Simondon: reticulações contemporâneas na América Latina