Voltar aos Detalhes do Artigo Can we make sense of MacFarlane’s relative truth? Baixar Baixar PDF