Banner Portal
Comunicação, mídia e processos de democracia local: estratégias de aproximação entre governo e cidadãos
PDF

Palavras-chave

Democracia local. Participação. Mídia. Esfera pública. Campanha publicitária

Como Citar

MARQUES, Angela Cristina Salgueiro. Comunicação, mídia e processos de democracia local: estratégias de aproximação entre governo e cidadãos. Opinião Pública, Campinas, SP, v. 15, n. 1, p. 107–132, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641322. Acesso em: 17 jul. 2024.

Resumo

As relações entre comunicação, mídia e democracia local são discutidas a partir da análise da campanha “Quem gosta de BH tem seu jeito de mostrar”, lançada pela prefeitura da cidade de Belo Horizonte, em maio de 2003. Duas hipóteses distintas originam-se de uma imagem ideal de participação política que guia a campanha. Por um lado, a campanha enfatiza uma divisão de tarefas entre os cidadãos que teria como função melhorar a qualidade de vida da cidade. Por outro lado, ela impõe uma restrição à participação política oferecendo aos cidadãos um falso status de colaboradores no processo de resolução dos problemas coletivos. O uso estratégico da mídia cria uma sensação de proximidade entre o governo municipal e os cidadãos, embora um processo real de deliberação não ocorra entre os habitantes, ou entre esses e os atores institucionais. A política discursiva da campanha reside em designar atores e ações específicas, assinalando suas contribuições ao bem-coletivo como um caminho capaz de gerar uma coesão política e cultural interna na cidade.

 

Abstract:

The relations among communication, mass media and local democracy are analysed here from an empirical case of the Belo Horizonte’s Prefecture. In May 2003 the Prefecture started a publicity campaign entitled Who likes BH, has one’s own way to show it (Quem gosta de BH tem seu jeito de mostrar). Two distinct assumptions arise from an ideal image of political participation that guides the campaign. In one hand the campaign claims for a division of tasks among citizens that would improve the life qualityin the city. In the other hand it imposes a restriction to political participation by giving to citizens the false status of collaborators in solving colctive problems. The strategic use of mass media creates a sensation of proximity between municipal government and citizens while a real deliberation process does not take place among the inhabitants. The campaign policy discourse assigns specific actors and actions, underlining their contributions to collective good as a path to generate internal political and cultural cohesion within the city.

Keywords: local democracy; participation; mass media; public sphere; publicity campaign

PDF

Referências

AUBELLE, V. “Le sens de la démocratie locale”. In: Centre Universitaire de Recherches administratives politiques de Picardie (CURAPP) & Centre de Recherches administratives politiques et sociales de Lille (CRAPS) (orgs.). La Démocratie Locale – Représentation, Participation et Espace Public. Paris: Presses Universitaires de France, p.271-301, 1999.

AVRITZER, L. “Teoria democrática e deliberação pública”. Lua Nova, nº50, p.25-46, 2000.

AVRITZER, L. e PEREIRA, M. L. D. “Democracia, participação e instituições híbridas”, mimeo, 2002.

BAIERLE, S. G. A explosão da experiência: emergência de um novo princípio ético-político nos movimentos populares urbanos em Porto Alegre. In: ALVAREZ, S.; DAGNINO, E.; ESCOBAR, A. (orgs.). Cultura e Política nos Movimentos Sociais Latino-Americanos: novas leituras. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

BAUMAN, Z. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.

BLONDIAUX, L. “Representer, Delibérer ou Governer ? Les assises politiques fragiles de la démocratie de quartier”. In: Centre Universitaire de Recherches administratives politiques de Picardie (CURAPP) & Centre de Recherches administratives politiques et sociales de Lille (CRAPS) (orgs.). La Démocratie Locale – Représentation, Participation et Espace Public. Paris: Presses Universitaires de France, p.367-404, 1999.

BLONDIAUX, L. “Démocratie locale et participation citoyenne: la promesse et le piège”. Mouvements, n.18, nov.-déc., p.44-51, 2001.

BOHMAN, J. Public Deliberation: pluralism, complexity, and democracy. Massachusetts: Mit Press, 1996.

BOURDIN, A. A questão local. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

COGO, D. M. No ar… uma rádio comunitária. São Paulo: Paulinas, 1998.

COSTA, S. “Movimentos Sociais, democratização e a construção de esferas públicas locais”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.12, nº35, outubro, p.121-134, 1997.

DAGNINO, E. Sociedade civil, espaços públicos e a construção democrática no Brasil: limites e possibilidades. In: DAGNINO, E. (org.). Sociedade Civil e Espaços Públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

DAUVIN, P. “Region, communication, citoyenneté: une équation introuvable?”. Pouvoirs Locaux – les cahiers de la décentralisation, vol.1, nº52, p.53-56, 2002.

GOHN, M. G. Conselhos Gestores e Participação Sócio-Política. Rio de Janeiro: Cortez, 2001.

GOLDSTEIN, M. N. “L’éthique de la discussion au service d’une nouvelle politique de la ville: l’éxperience de Antanas Mockus à la mairie de Bogota”. Quaderni, nº49, p.119-133, 2003.

GONTCHAROFF, G. “Le Renouveau des Comités de Quartier”. In: Centre Universitaire de Recherches administratives politiques de Picardie (CURAPP) & Centre de Recherches administratives politiques et sociales de Lille (CRAPS) (orgs.). La Démocratie Locale – Représentation, Participation et Espace Public. Paris: Presses Universitaires de France, p.305-327, 1999.

GUTMANN, A. e THOMPSON, D. “Deliberative democracy beyond process”. The Journal of Political Philosophy, vol.10, nº2, p.153-174, 2002.

HABERMAS, J. “Participação Política”. In : CARDOSO, F. H. ; MARTINS, C. E. (orgs.). Política e Sociedade, vol.1. Rio de Janeiro : Companhia Editora Nacional, 1979.

HABERMAS, J. The Theory of Communicative Action –Lifeworld and system: a critique of functionalistic reason. Boston: Beacon Press, 1987.

HABERMAS, J. “Soberania popular como procedimento: um conceito normativo de espaço público”. Novos Estudos Cebrap, nº26, p.100-113, 1990.

HABERMAS, J. Direito e Democracia: entre facticidade e validade. Vol II. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997.

JACOBS, J. Morte e Vida de grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

LE BART, C. “La cité idéale des journaus territoriaux”. Pouvoirs Locaux – les cahiers de la décentralisation, nº52, vol.1, p.45-48, 2002.

MAIA, R. C. M. Dos dilemas da visibilidade midiática para a deliberação política. In: LEMOS, A. et al.(orgs.). Livro da XII Compós: Mídia.br. Porto Alegre: Sulina, p.9-38, 2004.

MAIA, R. C. M. “A mídia e o novo espaço público: a reabilitação da sociabilidade e a formação discursiva da opinião”. Comunicação & Política, vol.5, nº1, jan.-abr., p.131-156, 1998.

MARQUES, A. L’intersection entre le processus communicatif et la délibération publique, [on line]. 2008, disponível em: <http://w3.u-grenoble3.fr/les_enjeux/2008/Marques/index.php>. Accesso em: 10 nov. 2008.

MATOS, H. “Comunicação Política e Comunicação Pública”, Revista Organicom, ECA/USP, nº 4, 2006.

MÉGARD, D. “Communication publique, médias et démocratie”. Pouvoirs Locaux – les cahiers de la décentralisation, vol.1, nº52, p.40-44, 2002.

MIGUEL, L. F. “Os meios de comunicação e a prática política”. Lua Nova, nº55-56, p.155-184, 2002.

OLIVEIRA, V. C. “Comunicação, identidade e mobilização na era da informação”. In: PERUZZO, C. e BRITES, J. (orgs). Sociedade da Informação e novas mídias: participação ou exclusão ? São Paulo: Intercom, 2002.

OLIVEIRA, V. C. “Comunicação, participação popular e controle público no sistema único de saúde”. Mimio, 2004.

PAILLIART, I. “Les enjeux locaux de la démocratie électronique”. Hermès, nº 26-27, p.129- 140, 2000.

PAOLI, M. C. e TELLES, V. S. Direitos Sociais: conflitos e negociações no Brasil contemporâneo. In: ALVAREZ, S.; DAGNINO, E. e ESCOBAR, A. (orgs.). Cultura e Política nos Movimentos Sociais Latino-Americanos: novas leituras. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2000.

PEREIRA, M. L. D. “Negociações e parcerias: o desafio da gestão urbana democráticoparticipativa”. Teoria & Sociedade, vol.6, p.212-241, 2000.

PEREIRA, M. L. D. Repensando as relações entre espaço urbano e cidadania. Aqui Arquitetura + Cultura. Belo Horizonte: Ed. Ao Cultural, nº3, 2002.

PORTO, M. “Mídia e deliberação política: o modelo do cidadão interpretante”. Política e Sociedade, n.2, p.67-108, 2003.

QUÉRÉ, L. “Communication Sociale: les effets d’un changement de paradigme”. Reseaux, n.34, p.21-47, 1989.

RANCIÈRE, J. Le tort: politique et police. In: RANCIÈRE, J. La Mésentente – politique et philosophie. Paris: Galilée, 1995.

RANCIÈRE, J. Aux bords du politique. Paris: La Fabrique-Éditions (Folio, Gallimard), 1998.

RANCIÈRE, J. Le Partage du Sensible, esthétique et politique. Paris: La Fabrique, 2000.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1997.

SCHUMPETER, J. A. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Zahar, 1971.

SENNETT, R. Respect: de la dignité de l’homme dans un monde d’inegalité. Paris: Albin Michel, 2003.

STEWART, J. “Democracy and local government”. In: HIRST, P. e KHILNANI, S. (eds.). Reinventing Democracy. Cambridge: Blackwell, p.39-56, 1996.

TEIXEIRA, E. C. Sociedade Civil e Participação Cidadã no Poder Local. Salvador: Pró-Reitoria de Extensão da UFBA, 2000.

TELLES, V. S. Sociedade civil e a construção de espaços públicos. In: DAGNINO, E. (org.). Os Anos 90: política e sociedade no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1994.

WOLTON, D. “Le Local, la petite madeleine de la démocratie”. Hermès, nº26-27, p.89-97, 2000.

A Opinião Pública utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.