[1]
V. S. Almeida, “Natalidade e educação: reflexões sobre o milagre do novo na obra de Hannah Arendt”, Pro-Posições, vol. 24, nº 2, p. 221-237, jan. 2016.