https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/issue/feed Pro-Posições 2022-08-01T14:14:25+00:00 Pro-Posições propedit@unicamp.br Open Journal Systems <p><strong>Escopo:</strong> <strong>Pro-Posições</strong> é um fórum para a apresentação e discussão de novas pesquisas e abordagens teóricas que, independentemente da área de conhecimento, contribuam para a reflexão crítica sobre as várias dimensões da Educação. A revista acolhe a produção original do campo e publica artigos em diferentes formatos, gêneros e estilos. O periódico ocupa uma posição consolidada como uma das principais publicações na área das Ciências da Educação, atingindo significativa variedade temática e conceitual e oferecendo um amplo escopo internacional, apoiado por seu corpo editorial. São publicados artigos, ensaios e revisões bibliográficas originais. Textos submetidos são apreciados supondo-se que não foram previamente publicados e que não estão sendo examinados para publicação por nenhum outro periódico ou editora.<br><strong>Qualis</strong>: A1<br><strong>Área do conhecimento</strong>: Ciências Humanas<br><strong>Ano de fundação</strong>: 1990<br><strong>e-ISSN</strong>: &nbsp;1980-6248<br><strong>Título abreviado</strong>: Pro-Posições<br><strong>E-mail</strong>: <a href="maito:%20proposic@unicamp.br">proposic@unicamp.br</a><br><strong>Unidade</strong>: <a href="http://www.fe.unicamp.br/">FE</a><br><a title="CC-BY" href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" target="_blank" rel="noopener"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by/4.0/80x15.png" alt="Licença Creative Commons"></a></p> https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670596 Henri Bergson 2022-08-01T13:46:46+00:00 Tarcísio Jorge Santos Pinto ppec@unicamp.br Aimberê Quintiliano ppec@unicamp.br <p>O texto que traduzimos é um discurso proferido por Henri Bergson no Grande Anfiteatro da Sorbonne por ocasião da distribuição dos prêmios do “Concours Général”&nbsp;em 1895. Bergson contava, então, 36 anos apenas, tendo já publicado sua primeira grande obra – o&nbsp;<em>Ensaio sobre os dados imediatos da consciência</em>&nbsp;(1889) – e estando prestes a publicar, no ano seguinte (1896),&nbsp;<em>Matéria e memória</em>, obra que igualmente teria um forte reconhecimento pela comunidade filosófica e científica de sua época, tornando-se um dos mais importantes livros da filosofia contemporânea. O discurso bergsoniano, portanto, situa-se num momento de plena e rica elaboração intelectual do filósofo, que dirige sua fala naquele momento sobretudo a jovens estudantes da principal universidade francesa. Justamente por isto, talvez, Bergson tenha escolhido tratar de um tema tão importante para vida humana e para a juventude: a educação. A reflexão que ele desenvolve é tão consistente, significativa e ao mesmo tempo bela em termos literários, que esse texto se tornou certamente um dos mais importantes discursos proferidos por ele e o mais representativo da sua contribuição para o campo educacional. Em relação a este último ponto, devemos destacar aqui que Bergson se refere não ao contexto da formação escolar em termos estritos, mas à educação num sentido amplo, aquela que constitui o humano ao longo de sua vida, passível de ser potencializada na escola e, em particular, na universidade.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668935 Debater para encontrar caminhos 2022-04-04T16:29:34+00:00 Ester Pereira Neves de Macedo ppec@unicamp.br <p>Embora a presença da filosofia no ensino médio seja preconizada em vários referenciais curriculares nacionais nas últimas décadas, sua presença no Enem no mesmo período ocorreu de forma lenta e inconstante. Através de uma análise da evolução de quantitativo e cobertura de itens de filosofia ao longo das edições do exame, este trabalho ilustra alguns desafios e possibilidades que o exame oferece à implementação de referenciais curriculares. O estudo ganha particular relevância com a recente publicação da Base Nacional Comum Curricular e a anunciada reforma do ensino médio. O artigo é dividido em três partes: 1) panorama quantitativo do componente de filosofia no Enem; 2) análise das habilidades e competências mobilizadas pelos itens de filosofia nas diferentes fases do exame; e 3) considerações sobre a BNCC à luz das possibilidades e desafios para a filosofia apresentados no corpo deste trabalho.</p> 2022-04-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668938 A formação dos(as) trabalhadores(as) da saúde na construção de um acesso à saúde integral, equânime e universal à população trans 2022-04-04T17:20:42+00:00 Pablo Cardozo Rocon ppec@unicamp.br Maria Elizabeth Barros de Barros ppec@unicamp.br Alexsandro Rodrigues ppec@unicamp.br <p>Identifica-se uma carência na produção científica sobre a formação dos(as) trabalhadores(as)da saúde para atuar com pessoas transgênero, transexuais e travestis, população que enfrenta barreiras como discriminação, desrespeito ao nome social e dependência ao diagnóstico de transexualismo para acessar o Sistema Único de Saúde (SUS). Este artigo, a partir da categoria enação de Francisco, Varela, analisa 25 entrevistas gravadas em áudio, produzidas por duas pesquisas qualitativas, e conclui que somente processos de formação não limitados à transmissão de informações possibilitarão a criação de um processo de trabalho em saúde que afirme o acesso da população trans aos serviços de saúde de forma integral, equânime e universal.</p> 2022-04-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668974 A emergência das corridas de bicicleta em Curitiba (1895-1913) 2022-04-06T16:37:23+00:00 Marcelo Moraes e Silva ppec@unicamp.br Priscila Requião Lessa ppec@unicamp.br Leonardo do Couto Gomes ppec@unicamp.br André Mendes Capraro ppec@unicamp.br <p>O presente artigo pretende investigar como se deu a emergência das corridas de bicicleta na cidade de Curitiba. Para tanto foram utilizados como fontes os jornais da época, delimitados entre os anos de 1895 a 1913. A análise dos materiais indicou uma relação da bicicleta com o ideário urbano nascente na capital paranaense na temporalidade em questão, bem como a necessidade de uma pedagogização do andar de bicicleta em virtude do crescimento da urbe. A título de conclusão, o artigo aponta que a presença das bicicletas e das corridas em Curitiba, na virada do século XIX para o XX, contribuiu significativamente na formação de gestualidades atléticas e na educação dos corpos nos indivíduos que interagiram com tais artefatos.</p> 2022-04-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668975 A dimensão metodológica da aula 2022-04-06T17:05:14+00:00 Luana Costa Almeida ppec@unicamp.br <p>O presente ensaio propõe uma reflexão sobre a dimensão metodológica na organização do trabalho pedagógico, retomando o debate sobre a constituição da aula e do lugar da tríade professor-aluno-conhecimento no processo. Mobilizado pelo relato de uma professora do 4.º ano do ensino fundamental, indaga o lugar e o papel das escolhas metodológicas na organização do trabalho pedagógico docente, assumindo-as como constitutivas do par dialético conteúdo-forma. Distante de apresentar propostas ou enaltecer a experiência relatada, o texto busca problematizar os contornos que dão forma às decisões metodológicas da aula como reflexão necessária para delimitar a ação docente, dentro da potencialidade do que, inspirado em Freire (1996), convencionou-se chamar de “inacabamento criativo professoral”. Defende-se que, ao assumir concepções críticas, o professor é convidado a protagonizar, com seus estudantes, um processo de construção que exige a abertura para o inesperado possível, porém, desconhecendo o caminho, deve ter clareza do destino e abrir-se, pela dinâmica do acontecimento, a aprendizagens múltiplas na vivência constante de novos modos de caminhar, firmemente alicerçados em princípios e conteúdos.</p> 2022-04-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668976 Os livros de filosofia do PNLD/2018 e a lei 10.639/03 2022-04-06T17:22:45+00:00 Soraia Aparecida Belton Ferreira ppec@unicamp.br Amauri Carlos Ferreira ppec@unicamp.br <p>A construção dessa pesquisa parte da concepção decolonialista e discorre sobre a filosofia, seu ensino e a diversidade étnico-racial sob a perspectiva da Lei 10.639/03. A pesquisa é qualitativa e os resultados dados foram obtidos através da coleta documental, que teve como objeto de análise os oito livros de filosofia do PNLD/2018 e um questionário misto aplicado a 31 professores de filosofia do Ensino Médio (EM). A pesquisa apontou que nos livros analisados e nas aulas de filosofia no EM, não há a efetiva inclusão da Lei 10.639/03 em seus conteúdos. Sendo assim, é possível afirmar que a filosofia ainda tem muito a fazer em relação à temática da diversidade étnico-racial, devendo problematizar seu próprio eixo epistemológico e abrir espaço para que o fazer filosófico seja fator crucial na transformação das teorias e práticas racistas presentes dentro e fora dos muros escolares fomentando a problematização das relações sociais vigentes, de modo a promover as lutas antirracistas.</p> 2022-04-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668977 Diários online como dispositivos de pesquisa-formação 2022-04-06T17:50:07+00:00 Mirian Maia do Amaral ppec@unicamp.br Rosemary dos Santos ppec@unicamp.br Edméa Santos ppec@unicamp.br <p>Tomando como inspiração uma pesquisa realizada no âmbito da disciplina Currículos e Cotidianos do Curso de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, as autoras, amparadas no paradigma da complexidade (Morin, 2003), nos princípios da multirreferencialidade (Ardoino, 1998; Macedo, 2012) e na abordagem da pesquisa com os cotidianos (Alves, 2008) objetivam mostrar, à luz do filme Avatar, como o diário&nbsp;<em>online</em>&nbsp;pode ser usado como dispositivo experiencial, potencializando atos de currículo, que levam em conta fatores, tais como: diferenças, diversidade, alteridade, autonomia, e autoria, entre outros. Nessa perspectiva, aproximam educação e artes, englobando aspectos culturais, históricos, literários e políticos inerentes ao filme.</p> 2022-04-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668990 A obra Antimoderne de Jacques Maritain e suas representações sobre o pensamento moderno (1922) 2022-04-08T14:24:33+00:00 Rodrigo Augusto de Souza ppec@unicamp.br <p>Este artigo procura apresentar as representações sobre o pensamento moderno, elaboradas por Jacques Maritain (1882-1973) e publicadas na sua obra&nbsp;<em>Antimoderne</em>, de 1922. Considera-se que essa obra assinala uma mudança no pensamento de Maritain, isto é, a sua adesão ao neotomismo e o seu engajamento entre os intelectuais católicos na França. A compreensão da apropriação e da interpretação do neotomismo por Maritain constitui um elemento fundamental no entendimento de sua crítica ao pensamento moderno. Com base na história intelectual e em diálogo com algumas contribuições da história cultural, busca-se realizar a conexão entre vida e obra na trajetória de Maritain. Desse modo, a obra em questão situa-se como um fator explicativo de um período da trajetória de vida do intelectual.</p> 2022-04-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668991 Lesbofobia familiar 2022-04-08T14:44:41+00:00 Keith Daiani da Silva Braga ppec@unicamp.br Arilda Ines Miranda Ribeiro ppec@unicamp.br Marcio Rodrigo Vale Caetano ppec@unicamp.br <p>Este texto tem como objetivo compreender, a partir de narrativas de mulheres lésbicas do interior do estado de São Paulo, os modos como se articulam as performatividades de gênero e as trajetórias educacionais. Para tanto, realizaram-se sete entrevistas abertas de caráter narrativo que foram problematizadas a partir das contribuições dos Estudos de Gênero com Perspectiva Feminista. Com os dados construídos no decorrer deste estudo, chegou-se à conclusão de que a visibilidade e a hipervisibilidade estavam condicionadas às performatividades de gênero das participantes e que suas corporalidades foram observadas, controladas, negociadas, refutadas e educadas de tal modo que a lesbofobia atuou como recurso educativo.</p> 2022-04-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668992 O corpo e o contemporâneo 2022-04-08T16:08:19+00:00 Santiago Pich ppec@unicamp.br Paulo Evaldo Fensterseifer ppec@unicamp.br <p>O presente trabalho apresenta um debate sobre o estatuto do corpo na contemporaneidade. Parte da premissa de que esse objeto se encontra na tensão entre o princípio do prazer, fruto dos apelos do hedonismo consumista da sociedade atual, e, por outra parte, do ascetismo corporal, herdado da secularização da formação corporal da ascese puritana. Em ambos os registros se diagnostica uma relação de heteronomia do sujeito com relação ao corpo e ao mundo que habita. Como uma alternativa a essa tensão de caráter heterônomo se postula uma possibilidade de formação corporal humana a partir do registro da áskesis, nos moldes em que fora proposto pelo pensador francês Michel Foucault, ao analisar as escolas do helenismo grego e romano.</p> 2022-04-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668993 Efeitos positivos de um programa de intervenção para o fortalecimento das estratégias de aprendizagem de professores do ensino médio brasileiro 2022-04-08T16:38:12+00:00 Natália Moraes Góes ppec@unicamp.br Evely Boruchovitch ppec@unicamp.br <p>O objetivo deste estudo foi construir e avaliar a eficácia de uma intervenção teórica/autorreflexiva para o fortalecimento das estratégias de aprendizagem de professores em dupla vertente: a de estudante e a de professor. Participaram da pesquisa três professores do Ensino Médio. Os dados foram coletados por quatro instrumentos qualitativos. Os resultados mostraram que a intervenção gerou efeitos positivos. Como estudantes, os professores passaram a refletir mais sobre a própria aprendizagem e as estratégias que utilizam para aprender. Como professores, sentiram-se mais capazes e motivados para ensinar as estratégias de aprendizagem aos alunos. Espera-se que a intervenção seja utilizada com um número maior de professores para que mais estudantes possam aprender de forma estratégica.</p> 2022-04-08T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8669249 As relações teórico-metodológicas entre Freire e Dussel e suas contribuições para uma práxis axiológico-transformadora 2022-05-11T19:37:01+00:00 Jefferson da Silva Santos thomasjefferson_br@hotmail.com Simoni Tormöhlen Gehlen stgehlen@gmail.com <p>Autores como Paulo Freire e Enrique Dussel têm sido utilizados em estudos que abordam a questão dos valores necessários a uma educação libertadora. Nesse contexto, o presente estudo objetivou caracterizar a práxis axiológico-transformadora da educação ético-crítica. Para isso, foi realizado um estudo teórico que tem como referência três pontos de discussão: i) as relações teórico-metodológicas entre a pedagogia libertadora freireana e a filosofia da libertação dusseliana; ii) as contribuições da Investigação Temática para o desenvolvimento de um Projeto Pedagógico Libertador; iii) as perspectivas axiológicas a partir das relações entre a pedagogia e a filosofia da libertação. Essa articulação permitiu uma compreensão sobre a importância dos valores da cultura popular no desenvolvimento de um processo educativo ético-crítico.</p> 2022-04-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pró-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8669257 A genealogia e a pesquisa em educação 2022-05-12T18:57:34+00:00 Janete Magalhães Carvalho janete.carvalho0112@gmail.com Patrick Stefenoni Kuster pask1806@gmail.com <p>O ensaio aborda como a pesquisa genealógica pode contribuir para visibilizar, nos processos educativos, zonas cegas existentes em qualquer diagrama de forças sociais ou dispositivo de saber e poder nos quais as crianças podem exercer uma resistência. Utiliza a literatura para exemplificar a força da inventividade infantil. Discute algumas dimensões da pesquisa genealógica: o exame dos processos de subjetivação; a análise do plano de consistência e o acaso das lutas; o sentido descontínuo da história e o peso da tradição; a sensação de estranhamento e atenção do pesquisador; o enfrentamento dos efeitos de verdade e seu desmonte, visando a escapar não ao poder em si, mas às estratégias particulares das relações de saber e poder.</p> 2022-04-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8669264 O modo e a ordem de conhecer na Suma Teológica de Tomás de Aquino 2022-05-13T11:43:04+00:00 Rafael Henrique Santin rafael.h.santin@gmail.com Terezinha Oliveira teleoliv@gmail.com <p>O objetivo do artigo é analisar o modo como o teólogo dominicano Tomás de Aquino entende os procedimentos pelos quais o intelecto humano conhece as coisas inferiores a si mesmo, bem como a importância de se conhecer esse processo para a formação do mestre no Ocidente medieval. A fonte para o desenvolvimento deste estudo é a Questão 85 da Primeira Parte da Suma Teológica, intitulada “O modo e a ordem de conhecer”. A Questão supracitada apresenta um dos fundamentos da Filosofia da Educação tomasiana e pode, a nosso ver, ensinar lições importantes para os professores do século XXI. O método empregado para o desenvolvimento da pesquisa é o da História Social, cujos pressupostos teóricos remontam às obras de Bloch, Febvre, Braudel e outros historiadores ‘herdeiros’ da escola dos Annales.</p> 2022-04-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8669265 Educação aberta, letramento midiático e MOOCs 2022-05-13T12:11:17+00:00 Alexandra Bujokas de Siqueira alexandra.siqueira@uftm.edu.br <p>A tecnologia dos MOOCs (Massive Open Online Course) tornou-se uma galáxia em evidência dentro do universo da educação aberta&nbsp;<em>on-line</em>, em especial depois que universidades, do porte de Harvard, Standford e MIT, investiram milhões de dólares na criação de suas plataformas. Como qualquer tecnologia disruptiva, os MOOCs ainda são um mundo volátil, que requer investigação apurada e renova a discussão sobre o papel do professor. O presente texto procura contribuir para esse debate, abordando quatro frentes. Foi construído um breve histórico dos MOOCs, de modo que se possa ter uma visão estrutural das práticas e contradições inerentes ao fenômeno. A seguir, é feita uma avaliação crítica do cenário, confrontando-se discursos sobre o caráter inovador ou não dos cursos abertos massivos online e sobre o que a pesquisa acadêmica de fato já descobriu sobre o fenômeno. As evidências abrem o caminho para uma discussão sobre o professor “designer de aprendizagem”, necessariamente hábil em letramento midiático e informacional. Uma vez versado na cultura dos MOOCs, cabe a ele se, como e quando aderir à tecnologia.</p> 2022-04-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8669267 Florestan Fernandes e a educação pública na Assembleia Nacional Constituinte (1987-1988) 2022-05-13T13:09:30+00:00 Fabiana de Cássia Rodrigues fabicrod@unicamp.br <p>Discute-se os enfrentamentos na área educacional na Constituinte e suas origens históricas, segundo o percurso teórico e político do sociólogo e deputado constituinte Florestan Fernandes. O desafio de romper o nó górdio da democracia em sua articulação com a pauta da educação pública constitui a chave de leitura pela qual percorremos as manifestações de Florestan à época da ANC. As fontes utilizadas foram seus textos publicados em jornais e seus discursos na Constituinte organizados em coletâneas e que estão disponíveis nos arquivos digitais do congresso. Em consonância com as quatro etapas da ANC, procedeu-se a uma leitura dos textos e discursos de Florestan Fernandes num percurso cronológico que acompanhou os principais momentos da Constituinte. Assim, o material analisado foi organizado em três núcleos temáticos que têm profunda conexão com as esperanças e impasses do processo constituinte: (i) Desafios históricos da Constituinte; (ii) O processo constituinte, a participação popular e a educação; e (iii) Transição Transada e os limites da “Nova República”. Nesta última fase, já aparecem os limites com os quais a Constituinte se deparava e impediam mais uma vez na história brasileira a ruptura do nó górdio das reformas democráticas.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8669268 Viver no mundo conectado 2022-05-13T13:32:44+00:00 Carine Bueira Loureiro carine.loureiro@poa.ifrs.edu.br Alfredo Veiga-Neto alfredoveiganeto@gmail.com <p>O objetivo deste artigo é problematizar, a partir da perspectiva dos Estudos Foucaultianos, as implicações da transferência da educação escolarizada para o espaço e o tempo do convívio familiar. Tal realidade surge da necessidade de readequação das rotinas, imposta pelo isolamento social fundamental no contexto pandêmico que atingiu a todos no ano de 2020. A ênfase no produtivismo conteudista, via de regra, fortalece os investimentos na sujeição maquínica e enfraquece a formação de sujeitos capazes de se contraporem a essa forma de condução das condutas e à lógica econômica vigente, pautada no consumo e na competição. É justamente a possibilidade de convívio com o outro em espaços e tempos apartados da família que favorece aprender com as diferenças e enfrentar o imprevisível.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8669269 Pedagogias da sexualidade 2022-05-13T13:57:32+00:00 Jamile Guimarães mile.guimaraes@gmail.com Cristiane da Silva Cabral cabralcs@usp.br <p>Este estudo etnográfico analisa as ações de educação sexual empreendidas por profissionais de saúde em uma unidade básica de saúde e em uma escola pública de um bairro periférico de São Paulo. As intervenções educativas centravam na responsabilização individual de meninas e na gramática do risco que contextualiza a gravidez na adolescência. A noção da gravidez como fator desestruturante de projetos de vida alinhava-se ao senso comum tradicionalista presente no cotidiano das garotas, refletindo assimetrias de gênero. Todavia, as necessidades de saúde sexual pontuadas por adolescentes trazem temas transversais como a diversidade de gênero e sexualidade, questões de saúde mental e as mudanças vivenciadas no início da adolescência. A educação para a sexualidade integra o processo de construção do sujeito, podendo contribuir com reflexões e experiências que engendrem uma práxis de cuidado de si e do outro.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8669271 Educação interprofissional em saúde 2022-05-13T14:14:48+00:00 Renyelle Schwantes de Souza renyelle@gmail.com Luciane Ines Ely luciane.ely@progesp.ufrgs.br Ramona Fernanda Ceriotti Toassi ramona.fernanda@ufrgs.br <p>Este estudo de caso qualitativo teve o objetivo de compreender a percepção de Agentes Comunitários de Saúde e gestores sobre o significado da experiência de educação interprofissional em serviços de Atenção Primária à Saúde para a formação de estudantes da saúde na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foram realizadas entrevistas individuais semiestruturadas (n=20) e análise documental. O material foi interpretado pela análise temática de conteúdo. Os resultados mostraram que atividades de ensino que integram pessoas, currículos e profissões nos serviços de saúde têm potencial para promover aprendizagens interprofissionais na graduação, formando profissionais mais colaborativos e qualificando a atenção à saúde.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670484 Disciplina, biopolítica e educação 2022-07-25T12:41:53+00:00 Oscar Espinel-Bernal ppec@unicamp.br <p>A entrada da vida na política e o posicionamento do Estado-nação como forma de ordenamento político e social fizeram da educação um cenário fundamental na consolidação, aperfeiçoamento e desenvolvimento das emergentes mecânicas de poder. Sendo assim, os aparelhos educacionais operaram de modo decisivo na fixação da ideia de bem comum como horizonte de normalização. Perante a crescente ampliação dos estudos e das apropriações das noções foucaultianas nesse cenário, torna-se urgente a elaboração de um levantamento documental contemplando as noções de disciplina e biopolítica visando a examinar as relações entre a instituição do Estado como aparelho de governo da vida na modernidade e a expansão da maquinaria educacional.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670485 O estatuto epistemológico do ensino de filosofia 2022-07-25T13:32:30+00:00 Patrícia Del Nero Velasco ppec@unicamp.br <p>Baseado nas produções bibliográficas e técnicas, assim como nos projetos de pesquisa e nas orientações (em todos os níveis) desenvolvidos nos últimos 20 anos pelos membros do grupo de trabalho&nbsp;<em>Filosofar e Ensinar a Filosofar</em>, da Associação Nacional de Pós-graduação em Filosofia (ANPOF), o presente artigo parte do pressuposto de que já há, no Brasil, um campo de conhecimento autônomo que pode ser intitulado de Ensino de Filosofia. Pretende-se, pois, apresentar as especificidades desta subárea e seu estatuto epistemológico – discutindo o&nbsp;<em>locus</em>&nbsp;do Ensino de Filosofia entre as questões educacionais e os problemas filosóficos; entre a Educação, a Filosofia e a Filosofia da Educação. Para tanto, será utilizado um material pouco usual na Filosofia institucionalizada, a saber, os depoimentos daqueles e daquelas que constituem a própria comunidade acadêmica da área em questão.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670486 Igualdade, diferença e conhecimento 2022-07-25T13:54:36+00:00 Marina Meira ppec@unicamp.br <p>Partindo de um cenário de desigualdades educacionais que há muito caracteriza a realidade brasileira, o presente texto busca investigar algumas das diferentes concepções sobre o conhecimento escolar e sua distribuição, que preveem justificativas e encaminhamentos distintos para esse quadro. Nesse processo, destacam-se o papel que uma base curricular comum poderia desempenhar nas diferentes perspectivas e as controvérsias que giram em torno da proposta, a partir de um tensionamento entre o direito à igualdade e à diferença. Uma terceira dimensão de direito é então abordada, como parte de uma tentativa de superação daquilo que alguns autores vêm considerando ser uma “crise” nas teorias sobre currículo (Young).</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670489 Anísio Teixeira e o “direito à educação” 2022-07-25T14:34:17+00:00 Leoni Maria Padilha Henning ppec@unicamp.br <p>Este artigo trata centralmente da questão do direito à educação, tendo como autor principal Anísio Teixeira, que tomou para si o problema das desigualdades definidoras dos papéis sociais atribuídos historicamente aos brasileiros, resultando em privilégios. Nesse ordenamento fenomênico, a educação se encontra comprometida com o espelhamento desse estado de injustiça, fato que poderia ser desconstruído pelo fortalecimento da escola pública e de qualidade, promovida por uma pedagogia renovadora. A partir de John Dewey, Teixeira viu-se inspirado pelas ideias do progressivismo, animando-se para promover as transformações necessárias para a passagem de uma sociedade arcaica para outra modernizadora. Paulo Freire ocupou-se de problemas semelhantes, mas sugeriu uma pedagogia que pudesse libertar os indivíduos das condições opressivas, cujo mecanismo escolar da educação bancária contribuía para a realização da dominação. Vendo conexões entre esses autores, que pretenderam impulsionar o desenvolvimento por ações pedagógicas inovadoras, fundamentamo-nos nas obras desses intelectuais que permitiram a discussão, o aprofundamento e as conexões entre o direito à educação e a democracia.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670491 A visão de matriculados sobre a evasão num curso de licenciatura em física 2022-07-25T14:51:20+00:00 André Coelho da Silva ppec@unicamp.br Tairine de Carvalho Cabral ppec@unicamp.br <p>Objetivamos compreender quais são, na visão de licenciandos em Física, as causas e as possíveis soluções para a evasão no curso. Para isso, tomamos como base o modelo teórico de Tinto e considerações da literatura sobre as causas e as possíveis estratégias de ação contra a evasão no Ensino Superior. As informações de pesquisa foram coletadas junto a 33 estudantes por meio de um questionário dissertativo. As análises, realizadas por meio da Análise de Conteúdo, indicaram que a maioria dos participantes já havia pensado em evadir, especialmente aqueles que ingressaram sem ou com níveis reduzidos de compromisso com o curso. As dificuldades de aprendizagem e uma maior sensibilidade dos docentes e da instituição em relação a elas foram apontadas, respectivamente, como o principal motivo para a evasão no curso e a melhor maneira de combatê-la.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670497 Problematização da escolarização doméstica 2022-07-25T17:43:02+00:00 Clarice Salete Traversini Traversini ppec@unicamp.br Kamila Lockmann ppec@unicamp.br <p>Este artigo problematiza a escolarização doméstica, analisando Projetos de Lei em trâmite na Câmara de Deputados, assim como relatos de mães sobre a intensificação da escolarização doméstica em meio à crise do coronavírus. Compreendemos que a proposta de escolarização doméstica se alinha a uma <em>governamentalidade neoliberal conservadora</em>, cuja centralidade está nos processos de individualização, exclusão e desprofissionalização docente, impedindo o compartilhamento do processo de escolarização no espaço comum, público e democrático da escola. Como forma de resistência a tal processo, apresentamos o conceito de comum, proposto por Dardot e Laval, o qual nos permite pensar a escola como espaço inapropriável.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670498 Amizade e educação infantil 2022-07-25T18:20:01+00:00 Artur Oriel Pereira ppec@unicamp.br <p>O artigo tem como objetivo contribuir com os estudos da Educação Infantil, explorando as amizades entre as crianças, marcadas por raça, gênero, classe e idade, num Centro Municipal de Educação Infantil que atende crianças com 5 anos. Trata-se de uma etnografia realizada na cidade de São Paulo, ao longo de sete meses, fazendo uso do registro em caderno de campo. Com base nas análises, pode-se destacar que as relações entre as crianças e a percepção que elas têm sobre suas identidades étnico-raciais e de gênero se constituem no contato com as diferenças. Na convivência cotidiana, as crianças constroem sentidos com a realidade, transformam os sentidos propostos a cada momento em que brincam juntas praticando a amizade.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670503 Corpos, silêncios e disciplinas 2022-07-26T12:38:15+00:00 André Bocchetti ppec@unicamp.br <p>O texto analisa a questão do silêncio sob uma ambiência contemporânea, pensando-o a partir de sua dupla acepção latina: a de&nbsp;<em>taceo</em>, associada ao silenciamento; e a de&nbsp;<em>sileo</em>, silêncio que amplia espaços subjetivos de criação pela suspensão de codificações significantes previamente existentes. A análise percorre então, sobretudo a partir do pensamento de Michel Foucault e de José Gil, as relações entre modos de silenciar e de disciplinar(-se) e suas reverberações nos corpos, culminando no olhar sobre o silêncio que ora opera como pedagogia moralizante, ora como ato pedagógico que abre espaço para novos modos de existência.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670505 Pesquisa documental histórica e pesquisa bibliográfica 2022-07-26T13:27:20+00:00 Luciane Sgarbi Grazziotin ppec@unicamp.br Viviane Klaus ppec@unicamp.br Ana Paula Marques Pereira ppec@unicamp.br <p>O presente artigo, de caráter teórico, apresenta uma discussão sobre as metodologias de análise documental e a pesquisa bibliográfica, ambas na área da Educação, percorrendo os seus diferentes focos de estudo e percursos metodológicos. Para uma melhor organização da discussão, o artigo está dividido em quatro seções: na primeira seção, apresentamos algumas notas introdutórias sobre o tema; na segunda, discorremos sobre a noção de documento histórico e sobre como trabalhar com ele nas pesquisas em Educação; na terceira, apresentamos os percursos metodológicos adotados em pesquisas bibliográficas; e na quarta, estabelecemos algumas considerações finais. As reflexões são apresentadas de modo a confrontar essas duas perspectivas, trazendo os elementos teóricos e metodológicos que as distinguem.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670506 Tendências globais nas elites locais 2022-07-26T13:56:25+00:00 Manuel Alejandro Giovine ppec@unicamp.br Mariana Beatriz Mataluna ppec@unicamp.br <p>O presente artigo tem como objetivo mostrar os resultados de duas pesquisas, uma realizada na Universidade Nacional de Córdoba e outra na Universidade de Brasília, sobre o processo de escolarização de alunos de classes altas em duas importantes cidades na Argentina (Córdoba) e no Brasil (Brasília). O trabalho analisa a reconstrução da institucionalização da educação para as famílias objeto do estudo, considerando a escolarização como um instrumento de reprodução social disponível para grupos pertencentes a setores sociais detentores de grande volume de capital.&nbsp;Reconhecendo que são cidades com histórias e singularidades que as diferenciam, observa-se a existência de processos e ou tendências que as aproximam. Nesse sentido, a primeira parte do artigo discute, de forma comparativa, o processo de formação das elites nos dois países e faz referência à incidência da formação bilíngue e da internacionalização da educação básica dessas elites. Posteriormente, uma breve contextualização histórica da educação em ambas as cidades concentra o enfoque no estado atual da oferta educacional para esses setores abastados, o que permite identificar tanto as tendências comuns quanto as singularidades de cada cidade. A abordagem utiliza dados estatísticos, levantamento crítico das páginas web, bem como contribuições do trabalho de campo realizado entre 2012 e 2019.</p> 2022-06-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670510 Microscopias biotextuais em aula 2022-07-26T16:30:37+00:00 Máximo Daniel Lamela Adó ppec@unicamp.br <p>Propõe-se pensar a sala de aula como um espaço de convívio e estudo que vive em frequente tensão. A sala de aula é prefigurada como um espaço de ação que insiste como uma prática cotidiana, mas, por ser habitual, acaba sendo um lugar disposto a dispersão. Nossa intenção é afirmar essa dispersão — no uso desse espaço — como uma abertura para as interrupções e, com isso, provocar que as leituras curriculares possam se tornar agentes da invenção de um biotetexto, pessoal e coletivo, que se tece hipertextualmente. Para isso, apresentamos a poética de Georges Perec como uma maneira de utilizar a sala de aula.</p> 2022-06-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670511 Epistemologia da educação comparada com ênfase em reformas educacionais 2022-07-26T16:47:26+00:00 Taiani Vicentini ppec@unicamp.br Adolfo Ramos Lamar ppec@unicamp.br <p>A Educação Comparada, desde o início, possui uma vocação reformista e foi permeada por diversas epistemologias, o que influi na abordagem da tensão entre o local e o global, discutida pela Teoria Decolonial. Este artigo aborda a Epistemologia da Educação Comparada com ênfase em reformas educacionais, partindo da teoria Decolonial. Realizou-se uma pesquisa bibliográfica e documental. A Educação Comparada apresenta um uso pragmático e o modo como as reformas foram e ainda são implementadas não levam em consideração as especificidades locais de cada região. Concluiu-se que a teoria Decolonial apresenta subsídios para um giro epistemológico no campo da Educação Comparada com ênfase em reformas educacionais de modo a (re)pensar a articulação entre a tensão do local e o global.</p> 2022-06-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670512 A presença de obras freireanas nos cursos de pedagogia do Rio Grande do Sul 2022-07-26T17:06:48+00:00 Diuliana Nadalon Pereira ppec@unicamp.br Cristiane Muenchen ppec@unicamp.br <p>O presente estudo busca investigar e discutir a presença das obras freireanas nos currículos dos cursos de Pedagogia, públicos e presenciais, do Rio Grande do Sul. Esta pesquisa, de caráter quantitativo e de cunho exploratório, identificou um total de 28 obras de autoria de Paulo Freire, distribuídas em 92 disciplinas de cursos de Pedagogia presenciais de 7 instituições públicas. As disciplinas observadas são voltadas, especialmente, a discussões da Educação de Jovens e Adultos e da Educação Popular. Dentre elas, constatou-se que as obras mais utilizadas pelos cursos investigados são a&nbsp;<em>Pedagogia da autonomia</em>&nbsp;e a&nbsp;<em>Pedagogia do oprimido</em>, presentes, principalmente, como indicações básicas em disciplinas obrigatórias. Portanto, considera-se que as obras de autoria de Paulo Freire vêm sendo bastante indicadas pelas disciplinas dos cursos de Pedagogia analisados.</p> 2022-06-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670513 Dialética do esclarecimento e tecnologia 2022-07-26T17:30:15+00:00 Mariana Bergo ppec@unicamp.br Luiz Roberto Gomes ppec@unicamp.br <p>Partindo dos dados elaborados por pesquisadores da Universidade de Warwick (UK), que indicam haver uma relação positiva entre o uso do&nbsp;<em>Facebook</em>&nbsp;e o aumento dos casos de ataques contra refugiados na Alemanha, o artigo tem como objetivo estabelecer um referencial para a compreensão da lógica de funcionamento das redes sociais e o seu papel de mediação na produção e intensificação das relações de violência. Para tal, o trabalho retoma elementos da obra de Theodor Adorno, Max Horkheimer e Herbert Marcuse em uma investigação que se orienta pela hipótese da existência da ação de um esquecimento em curso no modo como se organizam as mediações sociais. No lugar da defesa do que seria uma humanidade justa, são eleitos como fim princípios que se atualizam para manter a barbárie como ordem atuante</p> 2022-06-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670517 Desafios e oportunidades para a participação no futsal escolar extracurricular 2022-07-26T18:04:05+00:00 Flavia Volta Cortes de Oliveira ppec@unicamp.br Christiano Streb Ricci ppec@unicamp.br Renato Francisco Rodrigues Marques ppec@unicamp.br <p>A participação das mulheres em modalidades esportivas de reserva masculina, como o futsal, é permeada de lutas por espaços e legitimidade, inclusive no contexto escolar. Para meninos, movimentar-se é algo valorizado, enquanto meninas são ensinadas a serem mais quietas, dificultando o acesso a determinadas práticas esportivas. O objetivo deste estudo foi analisar os desafios e oportunidades para a participação no futsal escolar extracurricular na perspectiva de alunas de ensino médio de uma escola privada. Os dados foram produzidos em entrevistas semiestruturadas e analisados com base na Teoria Fundamentada. A iniciativa da escola em oportunizar a prática, as atitudes heterodoxas das alunas, o apoio dos pais e o pertencimento ao grupo possibilitam às meninas uma atuação legítima no futsal nesta escola.</p> 2022-07-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670523 O racismo na infância e a infância do racismo 2022-07-27T11:57:44+00:00 Emerson Benedito Ferreira ppec@unicamp.br Anete Abramowicz ppec@unicamp.br <p>Este artigo, com base em uma metodologia arqueogenealógica, teve como objetivo resgatar e cartografar fragmentos de vida de uma criança negra em um documento judicial alocado no Museu Histórico Simonense no ano de 1861 e, sequencialmente, entender esse documento, seus discursos e posições, decifrando como funcionava a maquinaria jurídica em seu mais expressivo conceito de poder-saber e quais olhares e tratativas o poderio local lançava para administrar vidas e corpos. O trabalho procurou entender também como, naquele contexto oitocentista, “cor” e “raça” influenciavam os deslindes processuais. Concluiu-se, com o trabalho, que em meados do século XIX nascia uma nova ideia de criança. Esse modelo de criança, idealizado naquele momento pela medicina higienista, serviria somente à criança branca, católica, de posses. Ele não ampararia a criança negra. Não se tratava somente de um tipo de racismo já existente, mas, sim, de um tipo novo de racismo que nascia junto com a própria ideia de criança. Era a infância desse tipo de racismo no Brasil. E esse racismo teria consequências nos processos judiciais em que figuravam crianças negras. Ele geraria uma justiça seletiva, com decisões judiciais afetadas pela questão racial.</p> 2022-07-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670524 Os jesuítas e os descaminhos de uma missão 2022-07-27T12:48:18+00:00 Marcos Roberto de Faria ppec@unicamp.br <p>O artigo investiga a ocorrência de uma crise ligada à ação dos jesuítas da Província do Brasil, no final do século XVI e início do XVII. Tal crise se deu entre os membros da Companhia e é exposta, neste manuscrito, nas críticas dirigidas aos superiores e nas denúncias de comportamentos desviantes, feitas pelos próprios padres que atuavam na missão do Brasil. Os descaminhos da missão se aprofundaram na medida em que alguns membros da Companhia feriram os votos religiosos e praticavam violências, sobretudo no trato com os índios nas aldeias. Para verificar esses descaminhos, fez-se uso de uma documentação muito pouco explorada e, em grande parte, inédita para o público brasileiro, pesquisada no&nbsp;<em>Archivum Romanum Societatis Iesu</em>&nbsp;(ARSI), em Roma.</p> 2022-07-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670525 Malhar como metáfora da exercitação física 2022-07-27T13:24:19+00:00 Carlos Alberto de Andrade Coelho Filho ppec@unicamp.br <p>Tendo como objeto de investigação o emprego metafórico, no Brasil, da palavra malhar associado à exercitação física, esta pesquisa busca contribuir para a compreensão vinculada ao problema da motivação para a prática regular de atividades físico-esportivas. Participaram do “método de associação livre” 194 pessoas adultas, citando de uma a três palavras ou expressões que lhes tivessem vindo imediatamente à lembrança, a partir do termo indutor malhar. Na sequência, realizaram-se dez entrevistas. Concluiu-se que há correlação entre a atuação profissional em educação física e o problema investigado. Com a exigência da performance, produz-se um afeto negativo (inconsciente) que opera no corpo como uma força (cansaço, desânimo, sofrimento).</p> 2022-07-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670526 Intelectuais mediadores e a internacionalização de saberes 2022-07-27T13:46:57+00:00 Iara Marina dos Anjos Bonifácio ppec@unicamp.br Andrea Moreno ppec@unicamp.br Anderson da Cunha Baía ppec@unicamp.br <p>Entre os séculos XIX e XX, um intenso movimento de internacionalização tomou lugar no Instituto Central de Ginástica de Estocolmo (GCI), apostando, entre outras ações, no trânsito de sujeitos da Suécia para outros países. Ludvig Gideon Kumlien (1874-1934), sueco, se mudou para Paris e realizou diferentes ações para divulgar a ginástica sueca. Objetiva-se aqui, mobilizando a noção de intelectuais mediadores, analisar as estratégias de divulgação empreendidas por Kumlien na França entre os anos de 1895 e 1921. Como fontes, recorreu-se a jornais franceses e manuais de ginástica. Concluiu-se que Kumlien, no encontro com uma nova cultura, traçou estratégias para driblar as resistências, mas não abandonou o&nbsp;<em>modus operandi</em>&nbsp;dos sujeitos formados no GCI.</p> 2022-07-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670529 Mobilidade estudantil de universitários oriundos do ensino médio público 2022-07-27T16:59:28+00:00 Wivian Weller ppec@unicamp.br Jéssica Reis ppec@unicamp.br <p>A internacionalização da educação superior é uma marca das universidades no mundo contemporâneo. Nesse processo, programas voltados à mobilidade acadêmica recebem centralidade, representando a faceta mais visível da internacionalização. O presente artigo analisa a mobilidade acadêmica de estudantes oriundos do ensino médio público no âmbito do programa Ciência sem Fronteiras, trazendo para a discussão o acesso ao programa, a experiência internacional e os projetos de futuro. A pesquisa foi conduzida em uma universidade pública da Região Centro-Oeste e consistiu na aplicação de dois&nbsp;<em>surveys</em>&nbsp;e na realização de grupos de discussão que foram analisados à luz do Método Documentário. Com base nos resultados, identificamos que a origem social e o capital escolar são dimensões que podem dificultar ou privar o acesso de estudantes de classes menos favorecidas em programas de mobilidade estudantil. Quando as barreiras são rompidas, as contribuições da experiência internacional ultrapassam os ganhos acadêmicos, possibilitando a abertura para novos projetos de futuro, tanto no campo pessoal quanto profissional.</p> 2022-07-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670530 Noções de engajamento cívico e liderança em adolescentes civismo, liderança e adolescência 2022-07-27T17:22:06+00:00 Denise D’Auria-Tardeli ppec@unicamp.br Lucian da Silva Barros ppec@unicamp.br <p>Esta pesquisa tem como objetivo discutir o engajamento cívico em adolescentes a partir das concepções que eles próprios têm sobre política e liderança. A linha teórica se insere na intersecção entre Educação e Psicologia Moral, trazendo pesquisas e estudos da educação em valores, assim como conceitos da filosofia política. A avaliação das respostas de 219 adolescentes escolarizados de ambos os sexos, da faixa etária de 10 a 13 anos, da região da Baixada Santista, SP, se dá a partir de dois questionários organizados para a investigação– um deles sobre as percepções do cenário político e outro sobre personagens anti-heróis de filmes de cinema e TV –, que se relacionam a partir das respostas. Os resultados mostram que o engajamento cívico enfatiza o importante papel que os adolescentes podem e devem desempenhar como participantes e como agentes de mudança na construção de qualidades promotoras do bem comum e da cidadania.</p> 2022-07-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670544 A literatura sobre shadow education 2022-07-28T16:55:12+00:00 Fernando Vizotto Galvão ppec@unicamp.br <p>O artigo trata de recortes de pesquisa da literatura sobre&nbsp;<em>shadow education</em>&nbsp;(ensino suplementar), explorando estudos que representam cada recorte e suas principais conclusões. A análise das pesquisas indica que a preocupação com a produção de desigualdades educacionais permeia a literatura sobre&nbsp;<em>shadow education</em>, tendo em vista que essas atividades tendem a promover o aumento de distâncias educacionais entre estudantes que ocupam posições diferentes no espaço social. Destaca-se, também, que o ambiente de competição por posições escolares/universitárias relativamente favoráveis parece fomentar a demanda por atividades de ensino suplementar em diferentes contextos e que a proliferação de atividades de ensino suplementar tende a afetar as práticas de professores e alunos no ensino regular.</p> 2022-07-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670598 Dilemas de um esporte em construção 2022-08-01T14:14:25+00:00 Leonardo Brandão ppec@unicamp.br Rafael Fortes ppec@unicamp.br <p>Este artigo visa investigar os dilemas em torno da prática do skate através das cartas que foram publicadas na revista Overall. Essa revista contou com 19 edições entre 1985 e 1990, sendo que, ao todo, 107 cartas foram publicadas ao longo deste período. A década de 1980 pode ser compreendida como um momento-chave para a esportivização desta atividade, entretanto, ela marca, paradoxalmente, o período no qual se desencadeiam concepções ambivalentes sobre o skatismo, sobretudo acerca de sua prática nas ruas. Tais cartas foram um reflexo desse paradoxo, pois, ao passo que muitos skatistas se sentiam confiantes pela existência da Overall como um elemento de fomento desta atividade como um esporte, muitos também reclamavam das coibições e proibições que a prática ensejava.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670597 Agradecimentos 2022-08-01T14:01:16+00:00 Pró-Posições Revista ppec@unicamp.br <p>A Revista&nbsp;Pro-Posições&nbsp;agradece a importante contribuição dos pesquisadores abaixo, que no ano de 2021, colaboraram para a manutenção da qualidade editorial do periódico.</p> 2022-03-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8670502 Recolher e colecionar a leitura e a escrita 2022-07-26T11:44:36+00:00 Maria Campesato ppec@unicamp.br Elisandro Rodrigues ppec@unicamp.br Betina Schuler ppec@unicamp.br <p>Este artigo busca pensar, por meio da educação, da filosofia e das artes visuais, as possibilidades estéticas da leitura e da escrita. Para tanto, se traça um diálogo entre autores e autoras, como o filósofo estoico Sêneca, Walter Benjamin, o filósofo da imagem Didi-Huberman e a artista plástica Elida Tessler, para pensar os conceitos de recolhimento, colecionar e montagem, tratando da escrita e da leitura como formas que podem tornar possível pensar a diferença. Desse modo, entendemos a leitura e a escrita para além de sua função reduzida de informar, mas também em sua dimensão ética, estética e política no atravessamento dos modos de existência no presente, tal como um risco de fósforo que fagulha por alguns instantes.</p> 2022-06-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8669275 Nas franjas dos arquivos – incursões, biografias e memórias 2022-05-13T14:46:04+00:00 Carolina Cechella Philippi philippi@unicamp.br <p>Resenha de: Cunha, M. T. S.. 2019. (Des)arquivar. : Arquivos pessoais e ego-documentos no tempo presente. Rafael Copetti Editor.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Pro-Posições