Inovações Tecnológicas e Mecanismos de Proteção aos Direitos Autorais na Indústria Fonográfica

Autores

  • Jucélio Kretzer Universidade Estadual de Maringá
  • Miriam Costa Possui graduação em Econo Toyama Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.20396/rbi.v7i1.8648962

Palavras-chave:

Inovação tecnológica. Direitos autorais. Indústria fonográfica.

Resumo

As recentes inovações, ligadas às indústrias de computação e eletrônica, vêm colocando em evidência certas motivações (legais e deliberadas) para o reforço do sistema de direitos autorais na indústria fonográfica. Este artigo analisa os efeitos de um conjunto de inovações sobre as formas de proteção de criações artísticas. O argumento básico está em considerar que, quando a imitação é fácil, os lucros da inovação podem advir de certos ativos complementares, mais do que do sistema de propriedade intelectual. O foco está nas relações entre inovações, regime de apropriabilidade, ativos complementares e desempenho comportamental da indústria. Afirma-se aqui que, sendo o conteúdo (as canções) do formato digital da música (recurso de computação) de sua propriedade (direitos autorais), a indústria (fonográfica) acaba por se beneficiar do desenvolvimento da inovação se o know-how em questão for utilizado (mediante integração vertical ou acordos contratuais) em conjunto com outras capacidades ou ativos, na sua comercialização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jucélio Kretzer, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mestrado, doutorado e pós-doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente é Professor Associado pesquisador do Departamento de Economia (DECON) da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO).

Miriam Costa Possui graduação em Econo Toyama, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Economia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003) e mestrado em Economia pela Universidade Estadual de Maringá (2006). Doutorado em Engenharia de Produção na UFSCar. Doutorado Sanduíche realizado junto à UC Berkeley (Califórnia E.U.A.), sob supervisão do Prof. Dr. Neil Fligstein. 

Referências

Akerlof, G.A. et al. On writ of certiorari to the United States Court of appeals for the Districti of Columbia circuit. 2002. Disponível em http://cyber.law.harvard.edu/openlaw/eldredvashcroft/supct/amici/economists.pdf. Acesso em 20 de agosto de 2005.

Andersen, B. “The neglected patent controversy in the twenty first century”, Revista Brasileira de Inovação, v.2, n.1, 2003.

Arora, G. et al. “P2P commercial digital content exchange”, Eletronic Commerce Research and Applications, v.4, n.3, p.250-263, 2005.

Barney, J.B. “Looking inside for competitive advantage”, Academy Management of Executive, v.9, n.4, p.49-61, 1995.

Dosi, G. “The nature of the innovative process”, in Dosi, G.; Freeman, C.; Silverberg, G. et al. (eds.), Technical change and economic theory, Londres: F. Pinter Publ., p.221-238, 1988.

Frederiksen, L. “Innovation? The fuzzy case of pop music industry”, DRUID Summer Conference on “Industrial Dynamics of the New and Old Economy – Who is Embracing Whom?”, Copenhagen, Elsinore, jun., 2002.

Freeman, C. “A hard landing for the ‘new economy’? Information technology and the United States National System of innovation”, Seminário Arranjos e Sistemas Produtivos Locais e as Novas Políticas de Desenvolvimento Industrial e Tecnológico, UFRJ, BNDES, 2000.

Hui, K.L. Piracy and the legitimate demand for recorded music. Novembro 2002. Disponível em http://www.bepress.com/bejeap/contributions/vol2/iss1/art11. Acesso em 14 agosto de 2005.

Landes, W.M.; Posner, R.A. “An economic analysis of copyright law”, Journal of Legal Studies, n.18, 1989.

Liebowitz, S.J. “Will MP3 download annihilate the record industry?”, The evidence so far, Dallas: School of Management, University of Texas, jul., 2003.

Liebowitz, S.J.; Margolis, S.E. “Seventeen economists weigh in on copyright: the role of theory empirics and net world effects”, CAPRI, jan., 2004.

Lessig, L. Free culture: how big media uses technology and law to lock down culture and control creativity. 2004. Disponível em www.lessig.org. Acesso em 4 agosto de 2005.

Loren, L.P. “Technological protections in copyright law – Is more legal protection needed?”, BILETA Annual Conference, abr., 2001.

Lorenzen, M.; Frederiksen, L. “Experimental music: innovations, projects and dynamic capabilities in the pop music industry”, DRUID Winter Conference, Aalborg, jan., 2003.

May, C. “Digital right management and the breakdown of social norms”, Peer Reviewed Journal on the Internet, 2003. Disponível em http://www.firstmonday.org/issues/issue8_11/may/. Acesso em 15 fevereiro de 2006.

Molteni, L.; Ordanini, A. “Consuption patterns, digital technology and music download”, Long Rang Planing, n.36, 2003.

Oberholzer, F.; Strumpf, K. The effect of file sharing on record sales an empirical analysis. 2004. Disponível em www.unc.edu/~cigar/papers FileSharing_March2004.pdf. Acesso em 15 agosto de 2004.

OECD. “Digital broadbad content: music”, Directoratefor science, technology and industry, jun., 2005. Disponível em www.oecd.org/dataoecd/13/2/34995041.pdf. Acesso em 20 outubro de 2005.

Peitz, M.; Waelbroeck, P. “The effect of Internet piracy on CD sales: cross-section evidence”, CESifo Working Paper, n.1.122, jan., 2004a.

Peitz, M. “An economist’s guide to digital music”, CESifo Working Paper, n.1.333, 2004b.

Penrose, E. The theory of the growth of the firm, 3ª ed. (1995), Oxford: Basil Blackwell, 1959.

Petrick, P. “Why DRM should cause of concern: an economic and legal analysis of the effect of digital technology on the music industry”, Research Publication, n.2.004-09, nov., 2004.

Ramello, G.B. “Pelle sub agnina latitat mens saepe lupine: copyright in the marketplace”, Liuc Papers, n.141, fev., 2004.

Rosenberg, N. “Problemas del economista en la conceptualización de innovación tecnológica”, in Tecnologia y economia. Tradução em espanhol de Perspectives on technology, cap.4, 1976.

Schumpeter, J.A. (1912) Teoria do desenvolvimento econômico, São Paulo: Abril, 1984 (Os Economistas).

Shapiro, C.; Varian, H.R. A economia da informação: como os princípios econômicos se aplicam à era da informática, 2ª ed., Rio de Janeiro: Editora Campus, 1999.

Silva, F.; Ramello, G.B. “Sound recording market: the ambiguous case of copyright and piracy”, in Industrial and corporate change, Oxford, v.9, n.3, p.4 15-442, 2000.

Simonsen, M.H. “O desafio da padronização”, Revista Exame, São Paulo, p.13, maio, 1995.

Tang, P. “Digital copyright and the new controversy: is the law molding technology and innovation?”, Research Policy, n.34, p.852-871, 2005.

Teece, D.J. “Profiting from technological innovation: implication for integration, collaboration, licensing and public policy”, Research Policy, n.15, p.285-305, 1986.

Teece, D.J. “Capturing value from knowledge assets”, California Management Review, v.40, n.3, p.55-79, 1998.

Towse, R. “Copyright and the cultural industries: incentives and earnings”, Paper for Presentation to the Korea Infomedia Lawyers Association, Seul, out., 2000.

Varian, H.R. Copying and copyright, Berkeley: Universidade da Califórnia, jun., 2004.

Wijk, J.V. “Dealing with piracy: intellectual asset management in music and software”, European Management Journal, Reino Unido, v.20, n.6, p.689-698, 2002.

Winter, S. “Knowledge and competence as strategic assets”, in Teece, D.J. (ed.), The competitive challenge, Cambridge, MA: Ballinger, 1987, p.159-184.

Zentner, A. Measuring the effect of music download on music purchases, University of Chicago, 2003. Disponível em home.uchicago.edu/~alezentn/musicindustryoct12.pdf. Acesso em 15 de agosto de 2005.

Downloads

Publicado

2009-08-19

Como Citar

KRETZER, J.; TOYAMA, M. C. P. graduação em E. Inovações Tecnológicas e Mecanismos de Proteção aos Direitos Autorais na Indústria Fonográfica. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 7, n. 1, p. 177–207, 2009. DOI: 10.20396/rbi.v7i1.8648962. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8648962. Acesso em: 2 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos