Banner Portal
Geração de conhecimento na área da saúde humana
PDF
PDF Acesso via SciELO

Palavras-chave

Sistema de inovação em saúde
Universidade-organizações
Hospitais universitários
Interações entre agentes
Rio Grande do Sul.

Como Citar

TATSCH, Ana Lúcia; BOTELHO, Marisa dos Reis Azevedo; RUFFONI, Janaina; HORN, Lara Stumpf. Geração de conhecimento na área da saúde humana: uma análise da interação universidade-organizações no Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Inovação, Campinas, SP, v. 18, n. 2, p. 249–270, 2019. DOI: 10.20396/rbi.v18i2.8654558. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rbi/article/view/8654558. Acesso em: 19 maio. 2024.

Resumo

Este trabalho contribui para a caracterização dos processos de geração de conhecimento e inovação na área da saúde humana em países emergentes, como o Brasil. O objetivo é examinar as interações estabelecidas entre as universidades, a partir de seus grupos de pesquisa, e outras organizações. Realizou-se uma pesquisa exploratória junto a cinco grupos de pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Dados secundários a respeito dos grupos de pesquisa foram também utilizados. Conclui-se que equipes multidisciplinares de pesquisadores qualificam o processo de geração de conhecimento e inovações; hospital-escola é ator-chave; pacientes são relevantes no estabelecimento de interações e construção de conhecimento pelos grupos; outros pesquisadores de centros de pesquisa ou universidades do Brasil e do exterior participam do processo de geração de conhecimento; empresas industriais têm pouca ou nenhuma presença nas interações estabelecidas; existe desconexão entre produção científica e tecnológica. Essas características corroboram outros achados já divulgados na literatura acadêmica.

https://doi.org/10.20396/rbi.v18i2.8654558
PDF
PDF Acesso via SciELO

Referências

ALBUQUERQUE, E. M. Sistema Nacional de Inovação no Brasil: uma análise introdutória a partir de dados disponíveis sobre a ciência e a tecnologia. Revista de Economia Política, vol. 16, n. 3, p. 56-72, 1996.

ALBUQUERQUE, E. M. Catching up no século XXI: construção combinada de sistemas de inovação e de bem-estar social. In: SICSÚ, J.; MIRANDA, P. (Org.). Crescimento econômico: estratégias e instituições. Rio de Janeiro: IPEA, 2009, p. 55-83.

ALBUQUERQUE, E. da M.; CASSIOLATO, J. E. As Especificidades do Sistema de Inovação do Setor Saúde. Revista de Economia Política, v. 22, n. 4 (88), outubro-dezembro 2002.

ASHEIM, B.; GERTLER, M. S. The geography of innovation: regional innovation systems. The Oxford Handbook of Innovation, Oxford University Press, Oxford, 2006.

BARBOSA, P. R; GADELHA, C. A. G. O papel dos hospitais na dinâmica de inovação em saúde. Revista de Saúde Pública 46 (Supl), p. 68-75, 2012.

BOTELHO, M.; TATSCH, A. L. Health services and innovation in Brazil: an analysis based on teaching and research hospitals in Rio Grande do Sul and Minas Gerais. In: CASSIOLATO, J. E.; SOARES, M. C. (eds.). Health systems, equity and development. Río de Janeiro: E-papers, 2015: 355-381.

CASSIOLATO, J. E.; SOARES, M. C. Health systems, development and health - an introduction. In: CASSIOLATO, J. E.; SOARES, M. C. (Eds.). Health systems, equity and development. Rio de Janeiro: E-papers, 2015, p. 15-57.

CHAVES, C. V.; ALBUQUERQUE, E. M. Desconexão no sistema de inovação do setor saúde: uma avaliação preliminar do caso brasileiro a partir de estatísticas de patentes e artigos. Revista de Economia Aplicada, v. 10, p. 523-539, 2006.

CHAVES, C. V.; MORO, S. Investigating the interaction and mutual dependence between science and technology. Research Policy, v. 36, p. 1204-1220, 2007.

CONSOLI, D.; MINA, A. An evolutionary perspective on health innovation systems. Journal of Evolutionary Economics, 19, p. 297–319, 2009.

COOKE, Philip. Introduction: origins of the concept. In: BRACZYK, Hans-Joachim; COOKE, Philip; HEIDENREICH, Martin (Ed.). Regional Innovation Systems. London: UCL Press, 1998. p 2-25.

COSTA, A. B. da; RUFFONI, J.; PUFFAL, D. Proximidade geográfica e interação universidade-empresa no Rio Grande do Sul. Revista de Economia / UFPR, v. 37, n. especial, p. 213-238, 2011.

DJELLAL, F.; GALLOUJ, F. Mapping innovation dynamics in hospitals. Research Policy, 34, p. 817-835, 2005.

DOSI, G. Technological paradigms and technological trajectories: a suggestes interpretation of the determinants and directions of technical cahnge. Research Policy, 11, p. 147-162, 1982.

EDQUIST, C. Systems of Innovation: perspectives and challenges. In: FARBERGER, J.; MOWERY, D. C.; NELSON, R. (Org.). The Oxford handbook of innovation. Oxford: Oxford University Press, 2006.

FREEMAN, C. The national system of innovation in historical perspective. Cambridge Journal of Economics, 19, p. 5-24, 1995.

GADELHA, C. A. G. O complexo industrial da saúde e a necessidade de um enfoque dinâmico na economia da saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 8, n. 2, p. 521-35, 2003.

GADELHA, C. (Coord.). Perspectivas do investimento em saúde. Rio de Janeiro: UFRJ, 2008 / 2009. Relatório final do estudo do sistema produtivo Saúde, integrante da pesquisa “Perspectivas do Investimento no Brasil”, realizada por IE/UFRJ e IE/UNICAMP. Disponível em: http://www.projetopib.org/?p=documentos

GADELHA, C. A. G. (Coord.). A dinâmica do sistema produtivo da saúde: inovação e complexo econômico-industrial. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2012.

GELIJNS, A.; ROSENBERG, N. The dynamics of technological change in medicine. Health Affairs, [s.l.], v. 13, n. 3, p.28-46, 1994.

GELIJNS, A. C.; ROSENBERG, N. The changing nature of medical technology development. In: ROSEMBERG, N.; GELIJNS, A. C.; DAWKINS, H. Sources of medical technology: universities and industry. Washington: National Academy Press, 1995.

HANLIN, R.; ANDERSEN, M. H. Health systems strengthening. Rethinking the role of innovation. Globelics Thematic Report 2016. Denmark: Aalborg University Press, 2016.

HICKS D.; KATZ, J. S. Hospitals: the hidden research system. Science and Public Policy 23(5), 297-304, 1996.

LUNDVALL, B-Å. Innovation as an interactive process: from user-producer interaction to the national system of innovation. In: DOSI, G. et al. (Eds.). Technical change and economic theory. Londres: Pinter, 1988, p. 349-369.

LUNDVALL, B-Å. (Ed.). National innovation systems: towards a theory of innovation andinteractive learning. London: Pinter, 1992.

MALERBA, F. Sectoral system of innovation and production. Research Policy, v.31, p.247–264, 2002.

METCALF, J. S; JAMES, A.; MINA, A. Emergent innovation systems and the delivery of clinical services: The case of intra-ocular lenses. Research Policy, 34, p. 1283–1304, 2005.

MOWERY, D. C.; SAMPAT, B. N. Universities in national innovation systems. In: FAGERBERG, J.; MOWERY, D.C.; NELSON, R.R. (Org.). The Oxford Handbook of innovation. Oxford: Oxford University Press, 2006.

NELSON, R. (Ed.). National innovation systems: a comparative analysis. Nova York: Oxford University, 1993.

NELSON, R. R.; BUTERBAUGHB, K.; PERLB, M.; GELIJNS, A. How medical know-how progresses. Research Policy, n. 40, p. 1339–1344, 2011.

NELSON, R. R.; WINTER, S. G. An evolutionary theory of economic change. Cambridge, Mass./London: The Belknap Press of Harvard University Press, 1982.

PAVITT, K. Sectorial patterns of technical change: towards a taxonomy and a theory. Research Policy, n.13, North-Holland, 1984.

SILVA NETO, F. C. C. et al. Abordando os grupos de pesquisa sobre sua relação com as instituições: uma avaliação por área específica de conhecimento. In: Anais… XV Seminário sobre a Economia Mineira, Diamantina: CEDEPLAR / UFMG, 2012.

SUZIGAN, W.; ALBUQUERQUE, E. da M. The underestimated role of universities for the Brazilian system of innovation. Brazilian Journal of Political Economy, v. 31, n. 1 (121), p. 3-30, January-March/2011.

TATSCH, A. L.; RUFFONI, J.; BOTELHO, M. R. A. Health innovation system: networks in Rio Grande do Sul/Brazil. América Latina Hoy, v. 73, p. 87-119, 2016.

THUNE, T.; MINA, A. Hospitals as innovators in the health-care system: a literature review and research agenda. Research Policy, [s.l.], v. 45, n. 8, p.1545-1557, out. 2016.

WINDRUM, P.; GARCÍA-GOÑI, M. A neo-schumpeterian model of health services innovation. Research Policy, 37, p. 649–672, 2008.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2019 Revista Brasileira de Inovação

Downloads

Não há dados estatísticos.