ECOCRÍTICA(S). Literatura e Colapso Ambiental

2021-09-21

A ecocrítica se destaca entre os mais recentes desdobramentos nos estudos literários contemporâneos, sobretudo no campo da literatura comparada, da reflexão pós-colonial e do debate sobre literatura-mundial; trata-se, no entanto, de uma perspectiva teórica e analítica ainda pouco desenvolvida no Brasil, especialmente no que tange à teoria e à crítica literárias. Portanto, o dossiê temático ECOCRÍTICA(S). Literatura e Colapso Ambiental visa publicar artigos científicos, resenhas, entrevistas e review essays que se situam no vasto âmbito das humanidades ambientais (environmental humanities), privilegiando, por um lado, reflexões críticas que se inscrevem no campo dos estudos pós-coloniais e de literatura-mundial e, por outro, análises e (re-)leituras de obras literárias que registram o colapso ambiental, em diversas modalidades estéticas, línguas e geografias. Tendo em conta a proliferação de categorias que de um modo geral pretendem observar o impacto (geológico) do humano em suas diversas subjetividades e através de perspectivas críticas distintas - Antropoceno (Crutzen, 2000), Capitaloceno (Moore, 2016), Plantationceno ou Chthuluceno (Haraway 2015), entre outras - o ambiente, a ser entendido em sua inevitável convergência entre pessoas, animais, natureza e sistema-mundial capitalista, se configura como um tópico e um problema também literário, oferecendo a possibilidades de se (re)definir a literatura - suas estéticas, formas e gêneros - bem como seus paradigmas críticos e conceituais a partir de uma perspectiva eco-ambientalista.

 

Editores do dossiê: Elena Brugioni e Alfredo Cesar Melo - Departamento de Teoria Literária da Unicamp; Centro de Pesquisa Kaliban https://www2.iel.unicamp.br/kaliban/ (IEL/CNPq)

 

NOTA: O dossiê ECOCRÍTICA(S). Literatura e Colapso Ambiental será bilingue (português e inglês); poderão ser enviadas propostas em outras línguas, no entanto, em caso de aprovação para publicação no dossiê, a tradução do artigo em português ou em inglês será de responsabilidade do(a) autor(a).

 

Prazo para envio das propostas:  31 de Março de 2022