Poéticas do infinito em Os lados do círculo, de Amilcar Bettega

Autores

  • Amanda Priscila Santos Prado Universidade Federal de Alagoas

DOI:

https://doi.org/10.20396/remate.v37i1.8647565

Palavras-chave:

Amilcar Bettega. Livro. Infinito.

Resumo

Este ensaio discute a composição do livro Os lados do círculo (2004), de Amilcar Bettega, em diálogo com a ideia de infinito e suas possibilidades poéticas. Levando em consideração o conceito do "ainda-não" como potencial utópico na cultura, conforme elaborado por Bloch (1959), e a ideia do "livro por vir", de Blanchot (1959), analiso o modo como, em sua configuração circular e, portanto, infinita, o livro de Bettega possui uma dimensão metaficcional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Priscila Santos Prado, Universidade Federal de Alagoas

Doutoranda em Estudos Literários pelo Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da UFAL.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. (2008). O que é o contemporâneo? In: AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Tradução Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos, 2009.

ARRIGUCCI JR., Davi. Escorpianagem: o que vai na valise. In: CORTÁZAR, Julio. Valise de cronópio. Tradução Davi Arrigucci Jr. e João Alexandre Barbosa. Organização Haroldo de Campos e Davi Arrigucci Jr. São Paulo: Perspectiva, p. 7-14, 2013.

BETTEGA, Amilcar. Da leitura à escrita: a construção de um texto, a formação de um escritor. 310 f. Tese de Doutorado em Escrita Criativa. Faculdade de Letras, PUCRS, Porto Alegre, 2012.

BETTEGA, Amilcar. Os lados do círculo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

BLANCHOT, Maurice. (1959). O livro por vir. Tradução Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

BLOCH, Ernst. (1959). O princípio esperança. V. 1. Tradução Nélio Schneider. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2005.

BORGES, Jorge Luis. (1994). O jardim de veredas que se bifurcam. In: BORGES, Jorge Luis. Ficções. Tradução Davi Arrigucci Jr.. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

CALVINO, Italo. (1983). Mundo escrito e mundo não escrito. In: CALVINO, Italo. Mundo escrito e mundo não escrito. Organização Mario Barenghi. Tradução Maurício Santana Dias. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, formas, figuras, cores, números. 8ª. ed. Coordenação Carlos Sussekind. Tradução Vera da Costa e Silva (et al.). Rio de Janeiro: José Olympio, 1994.

CORTÁZAR, Julio. Valise de cronópio. Tradução Davi Arriguci Jr. e João Alexandre Barbosa. Organização Haroldo de Campos e Davi Arrigucci Jr. São Paulo: Perspectiva, 2013.

ECO, Umberto. Seis passeios pelos bosques da ficção. Tradução Hildegard Feist. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

ENTLER, Ronaldo (2002). O livro infinito de Mallarmé. Disponível em: http://www.entler.com.br/textos/mallarme.html Acesso em: 10 out. 2016.

ISER, Wolfgang. Os atos de fingir ou o que é fictício no texto ficcional. In: COSTA LIMA, Luiz (org.). Teoria da literatura em suas fontes. 3 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

LEMOS, Masé. Os lados do círculo – espaços ficcionais. In: DEALTRY, Giovanna; LEMOS, Masé; CHIARELLI, Stefania (orgs.). Alguma prosa: ensaios sobre literatura brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: 7Letras, 2007.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. A criação do texto literário. In: _____. Flores da escrivaninha: ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

PIGLIA, Ricardo. Formas breves. Tradução José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

POE, Edgar Allan. Segunda resenha de Edgar Allan Poe sobre Twice-told tales, de Nathaniel Hawthorne. In: KIEFER, Charles. A poética do conto: de Poe a Borges – um passeio pelo gênero. São Paulo: Leya, 2011.

RIBEIRO, Carlos Jesus. Arte do efeito único: conto. In: RIBEIRO, Carlos Jesus. À luz das narrativas: escritos sobre obras e autores. Salvador: EDUFBA, 2009.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Ficção brasileira contemporânea. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

Downloads

Publicado

2017-08-28

Como Citar

PRADO, A. P. S. Poéticas do infinito em Os lados do círculo, de Amilcar Bettega. Remate de Males, Campinas, SP, v. 37, n. 1, p. 201–215, 2017. DOI: 10.20396/remate.v37i1.8647565. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8647565. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

3. O livro como metáfora metapoética