Moishe Postone e o ensaio como forma

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/remate.v41i1.8662085

Palavras-chave:

Moishe Postone, Theodor Adorno, Crítica imanente, Ensaio como forma

Resumo

O presente ensaio esboça brevemente a relação entre Tempo, trabalho e dominação social, a principal obra de Moishe Postone, e uma linha de desenvolvimento filosófico da qual, por ser uma teoria crítica, ela seria inerentemente uma aliada: o trabalho de Theodor Adorno, tal como é paradigmaticamente realizado no “ensaio como forma”, expressão que aqui serve de apóstrofe ao modo de Adorno proceder como um todo, e não como uma referência estrita a seu conhecido ensaio. Ainda que o estudo de Postone almeje e seja uma reflexão dialética, ele busca a univocidade. E, ao se alinhavar dessa forma, repudiando toda divagação, como uma forma de análise categorial, ele se diferencia decisivamente do ensaio como forma por rejeitar a crítica imanente. Porém, embora reconheçamos o alcance da exclusividade mútua entre o ensaio como forma enquanto crítica imanente e uma análise categorial sistemática da totalidade – como a de Postone –, essa antipatia não precisa ser entendida como sendo obrigatoriamente improdutiva. Caso perseguida, ela pode até vir a ter implicações para a liberação de tudo aquilo que está contido como um híbrido na expressão “marxismo tradicional”, desprendendo das aspas a experiência histórica e mesmo as palavras nela alojadas, sem colocar em risco a reflexão sistemática do Marx maduro que Moishe acertadamente desejava discernir e elucidar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Robert Hullot-Kentor, Escola de Artes Visuais

Atuou Professor de Filosofia, Literatura e Artes nas Universidades de Harvard, Boston e Stanford, bem como na School of Visual Arts, em Nova York.

Tauan Fernandes Tinti, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas. Pós-doutorado no Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

ADORNO, Theodor W. Negative Dialectics. Trad. E. B. Ashton. Nova York: Continuum, 1981.

ADORNO, Theodor W. The Legacy of the German Refugee Intellectuals. Trad. Fredric Jameson. Salmagundi, Saratoga Springs, NY, ed. especial, 1969-1970.

ADORNO, Theodor W. The Essay as Form. Trad. R. Hullot-Kentor e F. Will. New German Critique, Durham, NC, n. 32, 1984a, pp. 151-171.

ADORNO, Theodor W. The Idea of Natural History. Trad. R. Hullot-Kentor. Telos, Candor, NY, n. 60, 1984b, pp. 111-124.

ADORNO, Theodor W. Kleine Häresie. Vol. 17. In: Gesammelte Schriften. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1986a.

ADORNO, Theodor W. Negative Dialektik. Vol. 6. In: Gesammelte Schriften. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1986b.

ADORNO, Theodor W. Prolog zum Fernsehen. Vol. 10.2. In: Gesammelte Schriften. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1986c.

ADORNO, Theodor W. Minima Moralia. Trad. Luiz Eduardo Bicca. São Paulo: Ática, 1992.

ADORNO, Theodor W. Metaphysik: Begriff und Probleme (ed. Rolf Tiedemann). Frankfurt: Suhrkamp, 1998.

ADORNO, Theodor W. Zur Lehre von der Geschichte und von der Freiheit (ed. Rolf Tiedemann). Frankfurt: Suhrkamp, 2001.

ADORNO, Theodor W. Minima moralia. Trad. E. F. N. Jephcott. Londres: Verso, 2006.

ADORNO, Theodor W. Philosophische Elemente einer Theorie der Gesellschaft (ed. Tobias ten Brink e Marc Phillip Nogueira). Frankfurt: Suhrkamp, 2008.

ADORNO, Theodor W. Dialética negativa. Trad. Marco A. Casanova. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

ADORNO, Theodor W. Against Epistemology. Trad. Willis Domingo. Londres: Polity, 2013.

ADORNO, Theodor W. Erkenntnistheorie (1957-1958) (ed. Karel Markus). Frankfurt: Suhrkamp, 2018.

HULLOT-KENTOR, Robert. A New Type of Human Being and Who We Really Are. Brooklyn Rail, Nova York, 10 nov. 2008, pp. 23-28.

LEBRUN, Gerard. La Patience du concept: essai sur le discours hégélien. Paris: Gallimard, 1972.

POSTONE, Moishe. Time, Labor, and Social Domination: A Reinterpretation of Marx’s Critical Theory. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.

POSTONE, Moishe. Tempo, trabalho e dominação social: Uma reinterpretação da teoria crítica de Marx. Trad. Amilton Reis e Paulo Cézar Castanheira. São Paulo: Boitempo, 2014.

POSTONE, Moishe. [Correspondência por e-mail]. Destinatário: Robert Hullot-Kentor. Viena, 2017.

POSTONE, Moishe; BRENNAN, Timothy. Labor and the Logic of Abstraction: An Interview. South Atlantic Quarterly, Durham, NC, v. 108, n. 2, 2009, p. 325.

Downloads

Publicado

2021-06-23

Como Citar

HULLOT-KENTOR, R.; TINTI, T. F. Moishe Postone e o ensaio como forma. Remate de Males, Campinas, SP, v. 41, n. 1, p. 45–59, 2021. DOI: 10.20396/remate.v41i1.8662085. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8662085. Acesso em: 22 out. 2021.