CMU publica dossiê “História Econômica e Demografia Histórica”

2017-12-19

 

Está no ar a 34ª edição da Resgate - Revista Interdisciplinar de Cultura, que apresenta o dossiê “História Econômica e Demografia Histórica (Parte 1)”, com organização da Dra. Maria Alice Rosa Ribeiro, pesquisadora colaboradora do CMU e professora aposentada da Universidade Estadual Paulista (Unesp/Araraquara), e da Dra. Maísa Faleiros da Cunha, pesquisadora do Núcleo de Estudos de População Elza Berquó (Nepo/Unicamp).

 

 

A proposta do dossiê investiu na interdisciplinaridade entre duas áreas autônomas da História, tendo como objetivo potencializar a compreensão dos acontecimentos e das transformações sociais e econômicas que se passaram em espaços geográficos específicos e em tempos determinados. "O dossiê História Econômica e Demografia Histórica reúne trabalhos de pesquisa que resultaram da análise crítica de documentos originais, sejam eles produzidos por instituições públicas ou privadas, administrativas, judiciárias ou eclesiásticas, tais como: registros paroquiais (batismo, casamento e óbito), testamentos, inventários post mortem, recenseamentos populacionais, almanaques, entre outros, como, por exemplo, as correspondências ativas e passivas trocadas entre indivíduos", explicam as organizadoras.

 

As organizadoras do dossiê, Dra. Maria Alice Rosa Ribeiro (CMU/Unesp Araraquara) e Dra. Maísa Faleiros da Cunha (Nepo/Unicamp).

“Partimos do pressuposto que o estudo da população é fundamental para entender os condicionamentos das transformações na vida material, na produção, distribuição e consumo de mercadorias, no trabalho, no dinheiro e no crédito. A história da população condiciona e é, ao mesmo tempo, condicionada pelas estruturas e pelas condições sociais, econômicas e culturais que se modificam e voltam a se reestruturar no tempo, segundo a ação de homens e mulheres, das gerações que fazem surgir novas formas na organização social, cultural e material do espaço e da paisagem”.


Em razão do grande número de submissões recebidas e aprovadas para publicação dentro do tema, esta primeira parte do dossiê reúne nove trabalhos de autores de diferentes instituições e regiões do país, sendo que a segunda parte apresentará outros dez textos, com previsão de publicação em março de 2018.

Assim, a partir de 2018, a Resgate deixará de ser publicada nos meses de junho e dezembro – que sempre coincidem com os períodos em que nossos colaboradores, autores e pareceristas, estão sobrecarregados com o fechamento de semestre –, passando a ser publicada nos meses de março e setembro, com a mesma periodicidade semestral.

A nova edição da Resgate pode ser lida no site da revista, sendo também possível fazer o download da edição completa em PDF clicando aqui.