Estudantes universitários e as percepções de seus estilos de aprendizagem

Palavras-chave: Estudante universitário, Estilos de aprendizagem, Métodos de ensino

Resumo

Em um universo de avanço da tecnologia a aula universitária precisa se reinventar. Sendo assim, para compreender se estudantes se beneficiam ao reconhecer seu estilo de aprendizagem (EA) e a partir disso, aprendem com técnicas específicas correspondentes a cada estilo, foram realizadas intervenções em disciplinas dos cursos de Psicologia e Nutrição em uma universidade comunitária na região metropolitana de Porto Alegre - RS. No total, participaram 22 estudantes que foram avaliados através do Levantamento das Preferências Perceptuais em Estilos de Aprendizagem de Joy Reid. Achados revelam que 57% dos estudantes participantes têm estilo de aprendizagem do tipo auditivo. A partir de abordagens interventivas distintas em sintonia com os estilos de aprendizagens dos estudantes, a grande maioria deles se beneficiou e respondeu positivamente aos métodos propostos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Koglin, Universidade La Salle

Mestra em Saúde da Criança e do Adolescente/UFRGS (2012). Professora (2014-atual) e coordenadora (2018-2019) do curso de Nutrição da Universidade Lasalle. Já atuou em restaurante (2013-2014) e consultório (2010-2017).

Marina Ortolan Araldi, Universidade La Salle

Professora na graduação de Psicologia da Universidade LaSalle, psicóloga clínica e perita examinadora de trânsito. Mestre em Psicologia Clínica pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2015).

Vera Lúcia Felicetti, Universidade La Salle

Atualmente é coordenadora e professora no curso de Pós-Graduação em Educação da Universidade La Salle e professora no Curso de Matemática. Doutorado em educação pelo n Programa de Pós-Graduação na PUC/RS. 

Referências

BARROS, R.; MONTEIRO, A. R.; MOREIRA, J. A. M. Aprender no ensino superior: relações com a predisposição dos estudantes para o envolvimento na aprendizagem ao longo da vida. Rev. bras. Estud. pedagog. (online), Brasília, v. 95, n. 241, p. 544-566, set./dez. 2014.

BECKER, F. Educação e Construção do Conhecimento. 2.ed.Porto Alegre: Penso, 2012.

CERQUEIRA, T. C. S. Estilos de aprendizagem em universitários. Tese de Doutorado, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2000.

DEWEY, J. Experiência e educação. Tradução Anísio Teixeira. São Paulo: Editora Nacional, 1971.

DORSEY, O. L., Pierson, M.J. A descriptive study of adult learning styles in a non-traditional education program. Lifelong Learning: An Omnibus of Practice and Research, 7, 8-11, 1984.

DUNN, R.; DUNN, K. The complete guide to the Learning Styles Inservice System. Boston: Allyn and Bacon, 1999.

DUNN, R. S.; DUNN, K.J. Learning styles/teaching styles: Should they . . . can they . . . be matched? Educational Leadership, 36, 238-244, 1979.

FELICETTI, V. L. Comprometimento do estudante: um elo entre aprendizagem e inclusão social na qualidade da educação superior. 298 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, 2011.

FREIRE, P. Cartas a Cristina: reflexões sobre minha vida e minha práxis. 2. ed. São Paulo: UNESP, 2003.

JESUS, E. M. S.; SANTOS, D. V.; VIEIRA, M. L. C.; CARVALHO, A. A. Metodologias de ensino e os estilos de aprendizagem na graduação em farmácia: um estudo piloto. Revista on line de Política e Gestão Educacional, v.21, n. esp. 1, p. 621-639, out./2017.

LUDWIG, J.P. et al. Strategic planning: analysis of efficiency methodology applied through Likert Scale. Espacios, vol. 36, nº 16, 2015

MAZUROSKI Jr., A. et al. Variação nos estilos de aprendizagem: investigando as diferenças individuais na sala de aula. ReVEL. Vol. 6, n. 11, agosto de 2008.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 10. ed. São Paulo: Cortez, Brasília. 2005.

NEGREIROS, F.; SILVA, E. H. B.; LIMA, J. A. Estilos de aprendizagem no ensino superior: um estudo com universitários ribeirinhos do Piauí. Revista Educação e Emancipação, São Luís, v. 9, n. 3, ed. especial, jul./dez. 2016.

REGO, T. C. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. 12. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

REID, J. M. The learning style preferences of ESL students. TESOL Quarterly, 21(1), 1987.

SONAGLIO, A. L. B.; GODOI, C. K.; SILVA, A. B. Estilos de aprendizagem experiencial e aquisição de habilidades: um estudo com discentes de graduação em Administração em

instituição de ensino superior. Administração: Ensino e Pesquisa. RIO DE JANEIRO, V. 14 No 1 P. 123–159, 2013.

TAPIAS, M. G.; CUÉ, J. L. G.; VIVAS, M.; RINCÓN, J. A. S.; GARCÍA, C. M. A.; DIOS, M. S. A. Estudio comparativo de los estilos de aprendizajes del alumnado que inicia sus estudios universitarios en diversas facultades de Venezuela, México y España. Revista Estilos de Aprendizaje, n.7, v.7, p.1-27, 2011.

ZANON, D. A. V.; OLIVEIRA, J. R. S.; QUEIROZ, S. L. O "saber" e o "saber fazer" necessários à atividade docente no ensino superior: visões de alunos de pós-graduação em Química. Ens. Pesqui. Educ. Ciênc. (Belo Horizonte), Belo Horizonte , v. 11, n. 1, p. 140-159, June 2009 .

Publicado
2020-07-29
Como Citar
Koglin, G., Araldi, M. O., & Felicetti, V. L. (2020). Estudantes universitários e as percepções de seus estilos de aprendizagem . Revista Internacional De Educação Superior, 7, e021028. https://doi.org/10.20396/riesup.v7i0.8660214
Seção
Artigos