https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/issue/feed Revista Internacional de Educação Superior 2022-09-20T12:10:34+00:00 José Camilo Santos Filho / Maria de Lourdes Pinto de Almeida riesup@unicamp.br Open Journal Systems <p><strong>Escopo</strong>: A <strong>Revista Internacional de Educação Superior / International Journal of Higher Education</strong>, publicação do Grupo de Pesquisa GEPES da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas em parceria com a Rede Iberoamericana de Estudos e Pesquisas em Politicas e Processos de Educação Superior - RIEPPES - Universidade do Oeste de Santa Catarinense, tem como missão socializar a produção de estudos e pesquisas científicas, de caráter teórico ou empírico, na área da educação superior. É uma publicação eletrônica que se dedica à publicação de artigos da comunidade científica nacional e internacional que investiguem questões de interesse do campo da educação superior. Visa contribuir na formação do pesquisador da área de Educação Superior por meio da divulgação e disseminação de pesquisas e estudos realizados por educadores, vinculados a instituições nacionais e internacionais. São publicados artigos, relatos de experiência, comunicações, pesquisas e ensaios de autores avaliados por pares, especialmente convidados pelo Conselho Editorial, com edição bilíngue.<br /><strong>Qualis/CAPES</strong>: A3 <br /><strong>Área do Conhecimento</strong>: Ciências Humanas<br /><strong>Ano de fundação</strong>: 2015<br /><strong>e-ISSN</strong>: 2446-9424<br /><strong>Título abreviado</strong>: Rev. Inter. Educ. Sup. <br /><strong>E-mail</strong>: <a title="Email" href="https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/management/settings/context/mailto:riesup@unicamp.br" target="_blank" rel="noopener">riesup@unicamp.br</a><br /><strong>Unidade:</strong> <a title="FE" href="https://www.fe.unicamp.br/" target="_blank" rel="noopener">FE</a><br /><strong>Prefixo DOI: </strong>10.20396<br /><a title="CC-BY" href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" target="_blank" rel="noopener"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by/4.0/80x15.png" alt="Licença Creative Commons" /></a></p> https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8663929 Contribuições da literatura sobre o início da docência em nível superior 2022-05-01T22:19:21+00:00 Marina Cristina Zotesso marina.zotesso@gmail.com Sandra Leal Calais scalais@fc.unesp.br Sandra Regina Gimeniz-Paschoal srg.paschoal@unesp.br <p>O docente ocupa um papel de extrema importância ao longo da história, capaz de propagar o conhecimento nas mais distintas fases da vida e contribuir para o senso crítico e de formação pessoal e profissional dos indivíduos. Assim, ressalta-se não somente a notoriedade do mesmo, como também as variáveis consequentes atribuídas ao professor iniciante em nível superior, que caminha de um percurso vindo da pós-graduação e ingressa no ensino superior. O presente estudo teve por objetivo averiguar a partir de um levantamento bibliográfico não sistemático, publicações cientificas que abordassem as variáveis envoltas no processo de ensino do docente universitário iniciante, bem como as que acarretam adoecimento e dificuldades de lecionar. Para tal utilizou-se a base de dados Scielo, e busca de artigos entre 2015 a 2019 com seis descritores específicos. Como resultados obteve-se três tabelas dos quatro artigos selecionados na busca, as quais ampliaram os conceitos de 1) Docência, 2) Dificuldades no lecionar e 3) Formas de adoecimento enquanto professor universitário. Os dados obtidos explanam a ideia de que em tal âmbito ocupacional há consequências que se estendem do local de trabalho, ampliando-se para a vida pessoal, como níveis de estresse, ansiedade, depressão, em função de pressões, cobranças e excesso de trabalho exigidos em especial para o docente iniciante. Ressalta-se, por fim, a necessidade de maiores estudos na área, em especial de cunho empírico, podendo contribuir não somente para a comunidade científica, como para ampliação de qualidade de vida aos professores novatos.</p> 2022-08-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8666552 A formação continuada em uma universidade comunitária na perspectiva de seus docentes 2022-08-21T16:31:37+00:00 Ricardo Luiz de Bittencourt rlb@unesc.net Caroline Fenali Fernandes doutorcado@hotmail.com <p>O presente artigo visa analisar quais são as percepções que os docentes universitários possuem acerca da Formação Continuada, a partir da participação no Programa destinado para este fim. Os principais autores que embasaram essa pesquisa foram: Nóvoa (1992; 2012), Nóvoa e Amante (2015), Pérez Gómez (1998), Garcia (1999), Tardif (2000), Masetto (2003), Cunha (2008; 2009) e Contreras (2012). A pesquisa alicerça-se nos pressupostos da abordagem qualitativa e, por instrumento, utiliza-se da entrevista semiestruturada. Os sujeitos da pesquisa foram oito professores universitários que tiveram mais participação no Programa de Formação Continuada proposto pela universidade no ano de 2018. Destes oito, foram selecionados dois professores por área de atuação, sendo: Humanidades Ciências e Educação (HCE), Ciências, Engenharias e Tecnologias (CET), Ciências da Saúde (SAU) e Ciências Sociais Aplicadas (CSA). As entrevistas foram gravadas, transcritas e organizadas em três blocos de análise, denominados: Perfil dos entrevistados; Análise do Programa e Concepções de Formação Continuada e Impactos da Formação Continuada na constituição de Docência Universitária. Com a pesquisa foi possível perceber que os professores compreendem a Formação Continuada como um espaço importante de reflexão crítica acerca da profissão docente. Os docentes apontam que a Formação Continuada oportuniza o acesso aos conhecimentos pedagógicos para os profissionais liberais, uma vez que não possuem formação específica na área da educação.</p> 2022-09-20T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8670364 A BNC-formação e a formação docente em cursos de licenciatura na Universidade Brasileira 2022-09-20T12:10:25+00:00 Paulo Fioravante Giareta plft27@gmail.com Arlete Cristina Motovani Ziliani prof.arlete.motovani@gmail.com Ligiane Aparecida da Silva ligiane.silva@ufms.br <p>Este trabalho tem por objeto a pedagogia universitária para a formação de professores no âmbito da Resolução N<sup>o</sup> 2, de 20 de dezembro de 2019, a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Para tanto, objetiva apresentar uma análise do possível impacto das novas diretrizes curriculares para a formação de professores nos cursos de Licenciatura na universidade brasileira. Metodologicamente, o trabalho apresenta-se como exercício analítico-crítico, estruturado a partir do materialismo histórico-dialético e com aporte teórico nas concepções de Gramsci (1968, 2002). A pesquisa indica o desenho de uma lógica homogeneizante para a política de formação de professores da BNC-Formação, produzida a partir da intelectualidade orgânica do capital e focada em uma pedagogia de resultados, com explícita intencionalidade de reduzir os espaços para pensar a formação para a docência em uma perspectiva de promoção cultural, da expressão e da organização da práxis social da atividade humana das classes subalternas e de uma pedagogia capaz de promover uma articulação indissociável entre as dimensões técnica, científico-pedagógica e sociopolítica da formação de professores.</p> 2022-09-16T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8670012 Formação em pedagogia na América Latina 2022-09-20T12:10:27+00:00 José Leonardo Rolim de Lima Severo leonardorolimsevero@gmail.com Selma Garrido Pimenta sgpiment@usp.br <p>Este trabalho relata uma pesquisa cujo objetivo consistiu em analisar a condição disciplinar e a formação em Pedagogia na Argentina, no Brasil, na Colômbia e no México, a partir do exame do processo de institucionalização de estudos pedagógicos em nível superior e das configurações formativas de cursos de Pedagogia (Colômbia, Brasil e México) e Ciências da Educação (Argentina). Tratam-se de cursos com finalidades curriculares equiparáveis por objetivarem a formação de profissionais da educação no marco mais amplo de trabalho pedagógico, sem centrarem-se exclusivamente no magistério. Os dados referentes às configurações formativas consistiram nos planos de estudos de sete cursos de 2 universidades mexicanas, 2 universidades colombianas e 3 universidades argentinas. Em se tratando do contexto brasileiro, problematizou-se o curso de Pedagogia diante das contradições das suas atuais diretrizes curriculares nacionais, homologadas em 2006. Com base nesse panorama de dados, foi possível estabelecer a crítica comparativa-reflexiva de que há um esforço acadêmico mais evidente para situar a Pedagogia como campo disciplinar na Argentina, na Colômbia e no México, especialmente como base para justificar a existência de cursos dirigidos à formação de profissionais da educação para além do magistério, inclusive com componentes curriculares específicos que englobam as bases identitárias da Pedagogia. O contexto brasileiro, por sua vez, é marcado pelo obscurecimento da discussão epistemológica que situa a Pedagogia na esfera da ciência.</p> 2022-09-16T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8661288 O conhecimento do estudante de medicina sobre medicina narrativa 2021-11-07T02:28:23+00:00 Vitória Emanuela Santos Machado vitoriamachado16.2@bahiana.edu.br Iêda Maria Barbosa Aleluia iedaleluia@bahiana.edu.br <p>O ensino médico é basicamente fundamentado em uma medicina baseada em evidências, na qual os pacientes são dados, submetidos a protocolos. A medicina narrativa favorece a história dos pacientes, suas falas e o contexto onde estão inseridos. Com sua implantação relativamente recente, impõe-se saber o conhecimento do estudante de medicina sobre o assunto. Assim, tivemos o objetivo de identificar o conhecimento do estudante de medicina sobre medicina narrativa, em uma faculdade privada de Salvador, através de um estudo transversal, analítico, com abordagem qualitativa através da análise de conteúdo. Incluídos estudantes de medicina do terceiro ao sexto semestre, em duas etapas: primeira com um formulário online constando uma pergunta: “você sabe o que é Medicina Narrativa?”, com opção binária de “sim” e “não”. A segunda, foi um grupo focal com parte desses estudantes. Houve 134 participantes na 1ª etapa, onde 123 responderam “não” e 11 responderam “sim”. No grupo focal, surgiram 03 categorias. 1.“Linguagem” como a impossibilidade de desvinculá-la da narrativa do paciente. 2. “Empatia” com a necessidade de estabelecer um vínculo com o paciente que possibilitasse a anamnese de uma forma natural. 3. “Receita de Bolo /Narrativa” há a expressão do enrijecimento proposto pelas faculdades de medicina em uma entrevista médica e das tentativas dos estudantes de remodelá-la para encontrar maior naturalidade na relação médico-paciente, fomentando a importância da Medicina Narrativa. Os resultados desse estudo mostram que os estudantes de medicina dessa faculdade privada têm conhecimento intuitivo sobre medicina narrativa, pois está entremeado aos princípios do programa de ensino institucional.</p> 2022-08-05T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8665181 O perfil sociocultural dos estudantes da licenciatura em educação do campo da Universidade Federal Rural do Semi-árido 2022-09-18T18:59:06+00:00 Emerson Augusto de Medeiros emerson.medeiros@ufersa.edu.br Giovana Carla Cardoso Amorim giovana_melo@hotmail.com <p>Este texto apresenta uma análise acerca do perfil sociocultural dos estudantes da Licenciatura Interdisciplinar em Educação do Campo da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (LEDOC/UFERSA). Com base em um levantamento documental, toma para análise informações de 257 discentes da referida graduação. A análise se encontra sistematizada em cinco “eixos temáticos”, a saber: a) número de discentes homens e mulheres; b) faixa etária dos formandos; c) pertença étnico-racial; d) faixa de renda familiar; e) naturalidade dos estudantes. Como conclusão, sobrelevamos que a maior parte do alunado é constituída por mulheres, possui faixa etária entre 17 e 25 anos, se autodeclara parda ou preta, tem como renda familiar até dois salários mínimos e possui naturalidade referente a cidades circunscritas na Mesorregião do Oeste Potiguar do Estado do Rio Grande do Norte. Esses aspectos, entre outros, apontam para a feminização na formação de professores da Educação do Campo e para a inclusão de grupos sociais do semiárido potiguar na Educação Superior, os quais foram marginalizados na formação da sociedade brasileira.</p> 2022-09-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8661946 O campo universitário na UFMG (Brasil) e na UBA (Argentina) 2021-11-07T01:00:24+00:00 Juliana Santos da Conceição julianasantosc@yahoo.com.br Júlio Emílio Diniz-Pereira julioemiliodiniz@yahoo.com <p>Este artigo tem como objetivo discutir o campo universitário no Brasil e na Argentina a partir de um estudo comparado de ações de desenvolvimento profissional docente realizadas em uma universidade pública em cada um desses países. Apoiamo-nos em estudos de Bourdieu para discutir o conceito de campo e, a partir dele, o capital científico e o capital pedagógico no campo universitário. O percurso metodológico adota uma abordagem qualitativa atrelada aos princípios da pesquisa comparada. No conjunto, a análise comparada apresentada nesta pesquisa nos revela campos universitários com acentuadas distinções no que se refere ao valor dado aos capitais envolvidos em cada campo e essas diferenças têm relação direta com o lugar em que as ações de desenvolvimento profissional ocuparão na universidade. Defendemos a existência de um outro capital dentro desse campo, que não o capital científico, já amplamente discutido por Bourdieu, e acreditamos que, com uma outra configuração do campo universitário, o capital pedagógico pode vir a ocupar um lugar de prestígio dentro dele.</p> 2022-05-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668125 Vozes da experiência docente e gestão na vida acadêmica 2022-06-05T23:49:19+00:00 Franciane Ester de Souza francianeestersouza@gmail.com Inajara de Salles Viana Neves inajara.salles@ufop.edu.br <p>Este trabalho discute sobre o trabalho docente tendo como o pano de fundo compreender criticamente as tensões que atravessam o processo de trabalho do docente do magistério superior considerando, centralmente, o exercício das atividades de gestão relacionadas a cargos de chefia, coordenação ou direção e representação em órgãos colegiados na Universidade. O problema da pesquisa está articulado à prática profissional da pesquisadora diante do silêncio percebido em relação trabalho do docente do ensino superior nessas atividades. Como estratégia para atingir o objetivo geral da pesquisa buscou-se compreender trabalho docente e o lugar que a gestão acadêmica ocupa na sua profissionalidade, identificando as implicações do processo de formação no exercício da profissão. Em uma abordagem qualitativa, o estudo se desenvolveu a partir da análise dos Memoriais de Promoção à Professor Titular de cinco professores de uma Unidade Acadêmica da Universidade Federal de Minas Gerais. A investigação teve como escolha metodológica a Pesquisa Narrativa e como objeto de análise as narrativas dos docentes do magistério superior para compreender a experiência na perspectiva da gestão. Utilizou-se a Análise de Conteúdo de Bardin (2008) como método para operacionalizar a exploração do objeto da pesquisa, bem como o tratamento dos resultados. Os resultados da pesquisa reconhecem que o docente do magistério superior enfrenta cotidianamente o desafio de ser professor-pesquisador-gestor na lógica da sociedade capitalista, permeada de contradições que se expressam na educação e no trabalho deste profissional. </p> 2022-09-10T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8660632 A experiência dos estudantes do Programa Universidade para Todos (PROUNI) na produção científica em teses e dissertações 2022-07-10T21:32:44+00:00 Polyana Raquel Pedroso pooly_raquelpedroso@hotmail.com Maria Lourdes Gisi gisi.marialourdes@gmail.com <p>Desde a implementação do Programa Universidade para Todos (PROUNI), pela Lei nº 11.096/2005, tem-se beneficiado inúmeros estudantes brasileiros no acesso à educação superior privada. Considerando o período de 2007, quando se iniciam as publicações até 2017, surgiu o interesse em analisar as produções científicas sobre a experiência dos estudantes do Prouni. Para tanto, foi realizado um estudo de revisão sistemática, em dissertações de mestrado e teses de doutorado, na base de dados da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD). Foi utilizado o protocolo para a revisão sistemática proposto por Schiavon (2015, p. 54-72), nas suas seguintes fases: 1- Validação sobre a existência da revisão sobre o tema; 2- Elaboração do protocolo de revisão; 3- Aplicação do protocolo de revisão; 4- Análise dos estudos coletados. Foram encontradas 31 publicações neste estudo e, destas, 9 eram teses de doutorado e 22 dissertações de mestrado. O estudo evidenciou diversas percepções sobre o Prouni, mas o que se sobressai é que ele é visto pela maioria como um programa que não democratiza a educação superior brasileira, pois embora essa política possibilite o acesso à educação superior, não se preocupa com a permanência desses estudantes e nem garante a universalidade do direito à educação superior a todos os jovens brasileiros. Pode-se concluir, ainda, que esses estudantes pertencem a uma classe social trabalhadora e que enfrentam diversas dificuldades para permanecer no ambiente universitário, dificuldades essas que vão muito além do âmbito econômico e têm implicações nas subjetividades dos estudantes.</p> 2022-09-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8669070 Práticas inovadoras no ensino superior 2022-06-18T01:18:52+00:00 Janaína Rodrigues Reis Nascimento jreisnascimento83@gmail.com Barbarah Conrado de Almeida Silva conradobarbarah@gmail.com Mariana Batista do Nascimento Silva marianabatista@ufg.br <p>Neste artigo, se discutem Práticas Inovadoras desenvolvidas no Ensino Superior, no âmbito de licenciaturas, nos últimos 10 anos, de acordo com publicações de artigos; a fim de identificar quais práticas docentes, realizadas no Ensino Superior, foram consideradas inovadoras. Para tal produção, o tipo de pesquisa abordada é qualitativo, de caráter exploratório. A base de dados analisada foi a Scielo (Scientific Electronic Library Online). Todos os artigos encontrados foram individualmente e previamente avaliados, para verificação da abordagem em concordância com o tema da pesquisa pensando no viés de licenciaturas. Primeiramente, foi delimitado o Brasil como o local de exploração, com a busca dos termos em português em artigos nacionais. Distinguiu-se nos artigos analisados, a inovação presente em duas categorias: inovação em recursos pedagógicos e inovação em práticas e metodologias. A inovação em recursos pedagógicos foi observada em dois artigos analisados. Em ambos, foi associada a recursos tecnológicos, como utilização de redes sociais e TICs. A inovação em práticas e metodologias de ensino foi observada nos demais artigos analisados, sendo oito a sua quantidade. Em tais artigos, foram considerados inovadoras as seguintes práticas: encontros formativos, propostas de assessoramento pedagógico, metodologia de estágio aliado à pesquisa, programa de formação interdisciplinar, aplicação prática de conceitos apreendidos em disciplina, desenvolvimento de curso online, <em>blended learning</em> e sala de aula invertida.</p> 2022-08-29T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668162 Aprendizagem significativa 2022-06-18T02:16:40+00:00 Cecília Rosa Lacerda cecilia.lacerda@uece.br Marlene Gomes Guerreiro marlenegguerreiro@gmail.com <p>Este trabalho é resultado de uma pesquisa que teve como objetivo analisar as visões de professores sobre a aprendizagem significativa no ensino superior e sua mobilização para este propósito. Buscou-se também, identificar a visão dos professores sobre aprendizagem significativa; verificar as estratégias utilizadas pelos docentes para mobilizar a aprendizagem significativa; e diagnosticar as dificuldades e deliberações dos docentes nesse processo. A investigação consistiu em uma abordagem qualitativa, tendo, como procedimentos metodológicos, estudo bibliográfico e realização de entrevistas semiestruturadas com professores da educação superior. O contexto do estudo foi um Centro Universitário situado no Sertão Central do Ceará, com professores do curso de psicologia. A análise se desenvolveu por meio da percepção docente acerca do uso das metodologias ativas na educação superior, bem como apontando as dificuldades e desafios ao trabalhar estratégias que valorizam e estimulam a relação entre teoria e prática. Os resultados da investigação indicaram que a visão dos docentes sobre a aprendizagem significativa, refere-se ao conceito atribuída por Ausubel (1982) em relação à compreensão sobre a aprendizagem significativa, em que reconhecem a importância da interação dos conhecimentos prévios com os conhecimentos reelaborados no cotidiano da sala de aula. O aprendizado é considerado significativo quando expressa uma prática refletida, capaz de modificar a percepção do estudante em relação aos saberes sistematizados e reconstruídos.</p> 2022-09-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668327 Sobre o (Ph.D.) (Philosophiae Doctor) 2022-08-07T00:42:56+00:00 Francisco Regis Vieira Alves fregis@gmx.fr <p>O termo “Ph.D.” (<em>Philosophiae Doctor</em>) se consubanstancia por um significado e sentido histórico-evolutivo, na medida em que, examinanos alguns emblemáticos aspectos sobre a História das Universidades. Nesses termos, uma compreensão do seu viés não estático pode ser adquirido, por exemplo, quando consideramos determinados rituais sociais incorporados, ao longo de séculos, pela universidade. Dessa forma, no presente trabalho, se discute uma noção ou tradição secular incorporada pelas universidades medievais denominado “<em>Viva Voce</em>” (<em>soutenance de these)</em> que, de forma prosaica, envolvia um exame oral de avaliação dos candidatos (ou professores universitários) no momento de apresentação de uma “<em>dissertation</em>” ou “<em>thesis</em>”. Dessa forma, ao decurso de uma apreciação do seu processo evolutivo da noção de “Ph.D.” (<em>Philosophiae Doctor</em>), se observa uma passagem de ênfase no ensino e que, durante os séculos XIX e XX, ocorreu uma maior ênfase para a pesquisa, de acordo com um paradigma moderno de universidade. Ademais, é possível identificar, mais recentemente, uma discussão em torno da noção de doutorado profissional, que se constitui como uma nova variante do doutorado acadêmico. Por fim, diante de um cenário recente da experiência de doutorados profissionais na área de ENSINO – 46 no Brasil, o trabalho assinala uma discussão atual e necessária sobre o papel do “<em>Viva Voce</em>” que não pode figurar como um ritual indefectível tanto para doutorados acadêmicos, bem como para o caso dos doutorados profissionais em recente evolução.</p> 2022-09-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8664900 Resiliência docente e alternância pedagógica na aprendizagem dos professores iniciantes 2021-10-03T01:45:38+00:00 Jordana Rex Braun jordanabraun@hotmail.com Doris Pires Vargas Bolzan dbolzan19@gmail.com <p>Neste artigo, apresentamos discussões resultantes da pesquisa “Professor iniciante nas licenciaturas e os contextos emergentes: aprendizagem para/na docência”, cujo foco é a aprendizagem docente do professor iniciante de licenciatura na perspectiva dos contextos emergentes. Para isso, buscamos responder ao seguinte problema de pesquisa: quais são os movimentos produzidos pelos professores iniciantes nos processos de aprender a docência nas licenciaturas, em meio aos contextos emergentes. Como aporte teórico-metodológico, utilizamos, neste artigo, Bolzan (2009, 2012, 2016), Isaia e Bolzan (2009), Isaia (2006), Morosini (2014), Tardif (2014), Imbernón (2009), entre outros autores. A pesquisa é qualitativa narrativa sociocultural. Realizamos entrevistas, a partir de tópicos guia, com professores iniciantes que atuam nos cursos de licenciatura de uma universidade pública do interior do Rio Grande do Sul. A partir das narrativas, evidenciamos as categorias docência e processos formativos que, perpassadas pelos contextos emergentes, configuram a aprendizagem docente dos professores iniciantes. Esses contextos emergentes se colocam como desafios frente à dinamização dos conhecimentos universitários, das exigências da profissão e da especificidade dos cursos de formação de professores. Assim, a docência se complexifica na medida em que as transformações da sociedade emergem na aprendizagem docente, na qual os movimentos de alternância pedagógica e resiliência docente implicam no processo de aprender a docência do professor iniciante que atua como formador de formadores.</p> 2022-05-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8666622 A implementação do modelo de Gestão por Competências nas universidades federais brasileiras 2022-09-05T01:04:15+00:00 Marcos B. L. Dalmau professordalmau@gmail.com Carolina Suelen da Silva carolina.silva.ufsc@gmail.com José Pereira do Canto jpcanto1@gmail.com <p>As universidades federais brasileiras fazem parte de um sistema maior de organizações que têm que seguir determinadas normas legais, principalmente por sua essência na Administração Pública. Buscam constantemente melhorias para a prestação dos seus serviços, dentre elas na gestão de pessoas, as quais são fatores determinantes para excelência de qualquer organização, seja ela pública ou privada. Nesse sentido, a implementação da gestão por competências ganhou destaque nessas instituições nos últimos anos. Esta pesquisa tem como objetivo geral analisar o estágio da implementação do modelo de gestão por competências em universidades federais brasileiras no que tange os subsistemas de gestão de pessoas. Para isso, procurou-se identificar a existência de objetivos, metas, ações ou iniciativas para gestão de competências no PDI dessas instituições, verificar o estágio de implementação do modelo em cada subsistema, e evidenciar os desafios enfrentados na implementação do modelo. Trata-se de uma pesquisa básica, quanto aos seus fins, com níveis exploratória e descritiva e, quanto aos meios ou métodos empregados, se utilizou de bibliográfica, documental e levantamento de campo (<em>survey</em>) com doze universidades com datas de fundação antes de 2006. Se utilizou de métodos mistos ou convergentes na abordagem do problema (qualitativo e quantitativo) sob enfoque indutivo, por meio da análise de conteúdo e estatística básica descritiva. As limitações apontadas dizem respeito ao aprofundamento restrito aos elementos constitutivos da gestão por competências, sem análise aprofundada dos decretos; e a exclusão das universidades cujas criação se deu após de 2006, o que caracteriza lacunas para estudos futuros.</p> 2022-09-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8661400 Adaptação transcultural do Questionnarie to evaluation the quality of PBL problems para uso no Brasil 2022-03-05T21:47:32+00:00 Marcela de Araújo Cavalcanti Maciel marcelamacielmm@hotmail.com Luciana Marques Andreto lucianandreto@fps.edu.br Tatiana Cristina Montenegro Ferreira tatiana.ferreira@fps.edu.br <p><strong>Introdução: </strong>Os grupos tutoriais contribuem para aprendizagem ativa, na Aprendizagem Baseada em Problemas, estimulando o estudante a desenvolver raciocínio crítico-reflexivo e autonomia, direcionando-o à construção de competências necessárias a futura profissão. Para que tal construção teórica seja efetiva, os problemas, norteadores dos grupos tutoriais, devem ser avaliados adequadamente a fim de garantir sua qualidade. <strong>Objetivo</strong>: Deste modo o presente estudo objetiva-se em adaptar o <em>Questionnarie to evaluation the quality of PBL problems</em> para o português brasileiro. <strong>Metodologia:</strong> Estudo metodológico de adaptação transcultural. Foram seguidas as etapas: equivalência conceitual dos itens, tradução, síntese das traduções, retradução, resíntese, avaliação pelo comitê de especialista de revisão e pré-teste. O comitê foi composto por uma amostra de 7 especialistas e o pré-teste por 111 estudantes de graduação em Enfermagem. Os dados foram analisados pelo software SPSS<sup>®</sup>, verificando-se medidas de dispersão e tendência central. A confiabilidade foi verificada por meio do alfa de Cronbach. <strong>Resultados:</strong> Foram realizadas traduções, síntese, retraduções e resíntese buscando adequar culturalmente o instrumento e preservando o conteúdo da versão original. O comitê de juízes propôs substituições por sinônimos de palavras mais usuais no ensino superior, assim como ajustes para favorecer a concordância verbal e coerência. No pré-teste s as questões foram analisadas quando a sua clareza, todas tiveram média maior que 3. O alfa de Cronbrach variou entre 0,73 a 0,89. <strong>Conclusão:</strong> O processo de adaptação transcultural seguiu todas as etapas sistematicamente baseada na literatura. Sendo assim, o <em>Questionnarie to evaluation the quality of PBL problems</em> encontra-se adaptado para uso no Brasil.</p> <p><br /><br /></p> 2022-09-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8666782 As políticas e as dinâmicas da interiorização da pós-graduação em Santa Catarina 2022-07-30T20:12:10+00:00 Joviles Vitório Trevisol joviles.trevisol@uffs.edu.br Geomara Balsanello mara.balsanello@hotmail.com Sherlon Cristina de Bastiani sherlondebastiani@gmail.com <p>A pós-graduação brasileira (PG) tem crescido exponencialmente nas últimas décadas. A expansão, no entanto, não tem ocorrido de forma uniforme em todas as regiões do país. As desigualdades e as assimetrias regionais e intrarregionais persistem. A redução das assimetrias tem ocorrido de forma lenta. O presente estudo teve como propósito investigar o processo de interiorização da PG no Brasil a partir de uma unidade específica da federação: Santa Catarina (SC). A partir dos dados gerais da PG no Brasil e em SC, optou-se por concentrar a investigação em uma região específica deste estado: a Oeste. O estudo foi desenvolvido por meio da pesquisa documental e a sistematização e análise dos principais indicadores da PG disponíveis na Plataforma Sucupira e nas bases do GeoCapes. Os dados apontam que a expansão da PG na região Oeste foi capitaneada pelas instituições de ensino superior (IES) sem fins lucrativos. Em 2019, as IES sem fins lucrativos ofertavam 72,4% dos cursos de PG, contra 27,6% das IES públicas e 0% do setor privado com fins lucrativos. O primeiro curso de PG na região Oeste foi recomendado pela CAPES em 2005. Em 2019, a região ofertava 29 cursos (24 mestrados e 05 doutorados), correspondendo a 9,9% do total dos cursos em SC. A UFFS, UNOESC e UNOCHAPECÓ respondem por 82,7% da oferta de cursos. A cidade de Chapecó concentra 71,4% dos cursos de PG da região.</p> 2022-09-20T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668636 Avaliação formativa e autorregulação da aprendizagem no ensino superior 2022-09-20T12:10:34+00:00 Iron Pedreira Alves ipalves@uefs.br Ivan Faria ivanfaria@uefs.br Juliana Laranjeira Pereira jlpsantos@uefs.br <p>No Ensino Superior, a avaliação da aprendizagem é uma atividade que desafia professores de diferentes áreas de conhecimento. Tal fato foi evidenciado na recente experiência de migração para o ensino <em>online</em> com utilização das tecnologias digitais contemporâneas como mediadoras no processo pedagógico, em consequência da pandemia de COVID-19. Dada a possibilidade dessas tecnologias serem definitivamente incorporadas ao ensino universitário, esse novo cenário demandaria, mais que nunca, a adoção de princípios e práticas que estimulem a autonomia discente em relação à sua própria aprendizagem e práticas pedagógicas promotoras da autorregulação. O presente trabalho objetiva apresentar um panorama das pesquisas e reflexões sobre as relações entre avaliação formativa e autorregulação da aprendizagem nas duas últimas décadas (2003 a 2021), com ênfase na literatura internacional e com foco no Ensino Superior. A metodologia adotada é uma revisão narrativa da literatura<em>. </em>Os achados desta revisão apontam para uma crescente integração entre os campos teóricos da avaliação formativa e autorregulação da aprendizagem, bem como para a necessidade de melhorarmos as práticas de <em>feedback</em>, tanto nas atividades avaliativas conduzidas pelos docentes quanto nas autoavaliações e avaliações por pares.</p> 2022-09-16T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668770 Perfil dos estudantes de odontologia no uso do instagram como ferramenta de aprendizagem móvel e ubíqua 2022-09-20T12:10:30+00:00 Maria Teresa Borges Araújo mariateresa@unipam.edu.br Veridiana Resende Novais veridiana.novais@ufu.br Thiago de Amorim Carvalho thiagocarvalho@unipam.edu.br <p><strong>Objetivo:</strong> Caracterizar o perfil de uso do Instagram como ferramenta de aprendizagem ubíqua por parte dos estudantes de Odontologia de instituições de ensino públicas e privadas. <strong>Método:</strong> Trata-se de um estudo transversal, quali-quantitativo, prospectivo, exploratório, utilizando um questionário estruturado, sobre o uso do Instagram como ferramenta de aprendizagem por estudantes de uma Instituição de Ensino Superior Pública (Universidade Federal de Uberlândia) e uma Instituição de Ensino Superior Privada (Centro Universitário de Patos de Minas) com estudantes do primeiro ao último ano do curso de Odontologia. As análises estatísticas foram realizadas através do software Bioestat versão 5.3, e o nível de significância foi igual 5% ou (p=0,05). <strong>Resultado:</strong> As características sociodemográficas revelaram que a maioria dos estudantes de Odontologia são mulheres, jovens e brancas. A frequência do uso do celular é média de 5 horas diárias (38,2%). A rede mais acessada é o Instagram (33,5%) e a maioria dos estudantes tem facilidade (44,7%) ou muita facilidade (44,1%) em acessar conteúdos sobre saúde bucal nas redes sociais. A maior parte dos entrevistados se preocupa em visualizar conteúdos com evidência científica (44,4%). <strong>Conclusão:</strong> Demonstra-se que o Instagram pode ser uma ferramenta útil para o processo ensino-aprendizagem, já que estudantes relatam seu uso para atividades acadêmicas e que professores devem estimular o uso dessa mídia social, mesmo após o retorno do regime presencial.&nbsp;&nbsp;</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> 2022-09-16T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668939 Contribuições dos indígenas para a construção de um currículo cosmopolita subalterno 2022-05-14T23:37:27+00:00 José Licínio Backes backes@ucdb.br Ruth Pavan ruth@ucdb.br <p>No artigo, analisam-se as contribuições dos indígenas para a construção de um currículo cosmopolita subalterno. A pesquisa de campo envolveu entrevistas semiestruturadas com estudantes indígenas de cursos de licenciaturas de uma universidade brasileira. Pela análise qualitativa efetuada com base nas teorizações curriculares cosmopolitas e no campo da educação indígena, concluiu-se que&nbsp; os indígenas contribuem para a construção de currículos cosmopolitas subalternos de diferentes formas: luta contra os estereótipos; valorização das línguas maternas; reconhecimento de que a subalternização não se rompe com uma educação que subalterniza; necessária articulação entre conhecimento e contexto cultural; construção de laços de solidariedade com outros grupos subalternizados; e insistência em construir pontes e diálogo, mesmo com quem historicamente não o deseja.</p> 2022-09-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8666403 Desafios ao engajamento acadêmico no ensino superior 2022-09-18T19:29:46+00:00 Leandro da Costa Santos leandrosantoscont@gmail.com Leonardo Rolim Severo leonardorolimsevero@gmail.com Lindinalva de Alcântara Correia lindinalvaalcantara@gmail.com <p>O objetivo do texto consiste em discutir, a partir de uma pesquisa com estudantes da Educação Superior, a satisfação acadêmica como fator para a promoção do engajamento acadêmico. Além disso, examinou fatores sociodemográficos capazes de afetar a satisfação acadêmica dos alunos. A pesquisa foi realizada com a utilização de um questionário virtual que contou com 320 respostas válidas de estudantes de instituições públicas e privadas. Na análise dos dados obtidos, foram utilizados três tipos de exames estatísticos: estatística descritiva, análise de variância multivariada (MANOVA - <em>Multivariate Analysis of Variance</em>) e análise de variância (ANOVA). Os resultados evidenciaram que, de modo geral, os/as estudantes sentem-se satisfeitos academicamente com as oportunidades formativas no Ensino Superior e que as variáveis sociodemográficas conclusão do ensino médio, exercício de atividade laboral e exercício de atividade de pesquisa na Instituição de Ensino afetam, de maneira significativa, a satisfação acadêmica. Estes resultados são importantes, pois com base nas informações sobre fatores sociodemográficos de seus alunos, as Instituições de Ensino Superior podem promover ações eficientes para a promoção da satisfação acadêmica e o consequente engajamento do/a estudante, através da geração de um ambiente educacional capaz de gerar sentido e vínculo.&nbsp;</p> 2022-09-17T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8665518 Metodologias ativas nas concepções de docentes do ensino superior 2022-06-18T03:41:14+00:00 Giselle Martins dos Santos Ferreira gmdsferreira@gmail.com Gabriela Gonçalves Ozório gabrielagoncalvesx@gmail.com Laélia Carmelita Portela Moreira moreira.laelia@gmail.com <p>Este artigo explora dados produzidos em uma pesquisa cujo objetivo consistiu em caracterizar confluências e disjunções entre as concepções e práticas pedagógicas de docentes do Ensino Superior (ES) e ideias associadas às Metodologias Ativas (MA). O texto discute os achados de uma análise de conteúdo categorial de cinco entrevistas conduzidas entre outubro de 2019 e março de 2020 no âmbito de uma pesquisa de métodos mistos realizada em uma instituição de ES privada. Tomou-se, como fundamentação teórica, pesquisas focalizadas em usos de MA no ES, textos acerca da docência e da inovação no ES, bem como literatura da História da Educação e da Didática. A discussão está organizada em torno das seguintes temáticas: trajetória na profissão docente; planejamento e dinâmica na sala de aula; concepções sobre inovação; e concepções de MA. Sugere-se que, apesar de os professores declararem ter pouca familiaridade com as MA, que é, de fato, uma expressão relativamente recente, muitas das estratégias de ensino relatadas por eles são consistentes com as práticas e fundamentos teóricos dessas metodologias conforme explicitado na literatura pertinente. Assim, por um lado, reitera-se que sempre há espaço para a inovação pedagógica no sentido de adaptação a novos contextos e demandas. Por outro, sugere-se que ideias em torno de proporcionar estímulo ao protagonismo dos estudantes têm uma história mais longa e já podem ser parte integrante, ainda que tácita, do repertório de professores do ES de forma bem mais ampla do que os discursos de defesa do caráter inovador dessas metodologias parecem sugerir.</p> 2022-09-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8670113 Internacionalização da e na educação superior 2022-09-20T12:10:21+00:00 Giselly Cristini Mondardo Brandalise gmondardo@gmail.com Marcia Regina Selpa Heinzle selpamarcia@gmail.com <p>O intuito deste artigo é ampliar a discussão sobre a diferenciação dos conceitos de internacionalização da e na educação superior, a partir dos estudos desenvolvidos nos últimos anos sobre a temática. Trata-se de um ensaio teórico que dialoga com diversos pesquisadores que vem revelando potenciais da internacionalização como uma via de acesso para se pensar na melhoria da qualidade da educação e da pesquisa para a sociedade. Estão em evidência propostas para operacionalizá-la, nomeadas abordagens de internacionalização, apresentadas neste estudo a Internacionalização do Currículo - IoC e a Internacionalização em Casa – IAH. Apontam-se caminhos para a avançar à compreensão do conceito, revelando outras possibilidades para além da focalização da internacionalização como um destino para a mercantilização da educação superior. São evidenciadas as trocas interculturais e solidárias com pares estrangeiros que podem corroborar para com o desenvolvimento deste cenário.</p> 2022-09-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8660787 Desempenho acadêmico 2022-01-30T23:23:47+00:00 Tarcísia Carolina Roberto Silva Duarte tarcisia.carol@gmail.com Lucíola Licínio de Castro Paixão Santos luciolaufmg@yahoo.com.br <p>O presente artigo aborda uma pesquisa empírica sobre as percepções de discentes do curso de Física de uma universidade pública mineira acerca do baixo desempenho acadêmico em cinco disciplinas do primeiro ano, consideradas difíceis segundo critérios da instituição e nos quais as taxas de reprovação têm sido superiores a 50% há mais de uma década. Os dados são oriundos de documentos gerados a partir da aplicação de questionários e da realização de entrevistas com os alunos e disponibilizados pela pró-reitoria de graduação da universidade. Os resultados evidenciaram diferentes compreensões a respeito da retenção no primeiro ano do curso e indicaram a necessidade de maior diálogo entre discentes, docentes e a instituição, visando à elaboração de estratégias de integração e afiliação estudantil e, consequentemente, a melhoria do desempenho acadêmico.</p> 2022-05-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8666190 A docência universitária 2022-08-23T22:34:37+00:00 Pauleany Simões de Morais pauleanysm@gmail.com Marlo Vieira dos Santos e Souza msouza1@ufba.br Jean Clemisson Santos Rosa jean.rosa@ufba.br <p>A formação docente universitária configura-se como um desafio histórico constituído desde a origem da própria universidade devido a sua natureza principal ser relacionada à pesquisa. A formação em Ciência da Computação para o Ensino Superior, em específico, representa-se com uma temática desafiadora na realidade universitária e em estudos acadêmicocientíficos. Nesse sentido, este artigo apresenta um estudo realizado no Departamento de Ciência da Computação na Universidade Federal da Bahia <br />(UFBA), em Salvador- Brasil. Como metodologia, utilizou-se a pesquisa qualitativa e pesquisa-ação com procedimentos direcionados à revisão de literatura, observação em sala de aula e formação dos docentes do departamento referido. Este estudo busca contribuir para a discussão sobre a formação docente universitária na Ciência da Computação, de modo a compreender as necessidades da área e a relação sistêmica que deveria contribuir para o Ensino da Computação e a disseminação do pensamento computacional. Como resultado, observa-se que as formações oferecidas na Pós-Graduação aos professores universitários poderiam ser instituídas de <br />maneira interdisciplinar com encaminhamentos didático-pedagógicos e específicos, enfatizando a constituição dos saberes necessários ao exercício da docência no Ensino Superior. Ainda nota-se a ênfase dada à pesquisa em detrimento à formação do docente universitário em nível de Mestrado e Doutorado, com ausência de uma atuação sistêmica entre as várias modalidades de ensino, bem como reflexões sobre a prática docente no Ensino Superior.</p> 2022-09-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667803 A ambientalização curricular nos cursos de Agronomia em duas universidades paranaenses 2022-09-04T03:16:42+00:00 Ceyça Lia Palerosi Borges ceyca.borges@uffs.edu.br Leticia da Costa e Silva leticia.csilva01@gmail.com Irene Carniatto irenecarniattol@gmail.com <p>Neste estudo objetivou-se analisar as diferenças curriculares, no que tange à inserção da temática ambiental nos currículos do curso de agronomia em duas universidades paranaenses. Optou-se por uma pesquisa qualitativa caracterizada como um estudo de caso explicativo, cujas técnicas de coletas de dados foram: pesquisa documental e entrevista semiestruturada com 21 docentes das 48 disciplinas selecionadas, com 4 coordenadores de curso (primeiro e atual) de ambos os cursos investigados. Ao analisar as 10 características que devem estar presentes em um currículo ambientalizado, proposta pela Rede Ambientalização Curricular dos Estudos Superiores, reforça-se a importância do papel do docente no sucesso da ambientalização curricular no ensino superior. Dessa forma, mesmo em cursos com viés sustentável, como é o caso do curso de Agronomia da Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS, são as práticas dos docentes durante o processo de ensino e aprendizado o diferencial para o êxito da ambientalização curricular no processo formativo do discente. Por isso, torna-se compreensível a semelhança na presença das categorias da Rede ACES nos currículos dos cursos de agronomia com ênfase em agroecologia da UFFS e de agronomia convencional da Unioeste, mesmo que a Unioeste tenha menor número de disciplinas que discutam a temática ambiental do que o da UFFS.</p> 2022-09-03T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8665279 Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) entre legitimidade e (in) definição da qualidade 2022-06-18T03:34:47+00:00 Celia Maria Haas celia.haas@univesp.br Fernando Mendes Tiago fernando1-8-2@hotmail.com <p>Esta pesquisa busca analisar como a Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes), órgão responsável pela organização dos processos de avaliação, coordenação e supervisão do sistema, instituída pela Lei n.º 10.861/2004, tem compreendido seu papel e verificar o seu entendimento acerca da Qualidade na Educação Superior. Para este fim, foram reunidas 28 atas das reuniões realizadas entre novembro/2016 e julho/2020, disponíveis no repositório da comissão, no site do Ministério da Educação (MEC). A análise das atas apoiou-se no software de análise qualitativa MaxQDA, considerado ferramenta de base para codificação e categorização das ocorrências nos textos reunidos. Resulta da análise o entendimento de que a Conaes, enquanto órgão coordenador do sistema nacional de avaliação, autodefine-se em ação, revisando sua atuação constantemente, provocada pelas discussões internas e alterações das demandas e legislação complementar, sem, entretanto, reconhecer a legitimidade e finalidade de seu papel na coordenação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). Positivamente, pode-se considerar benéfica a constante revisão, vez que seu papel é aprimorado. De forma negativa, porém, revela incerteza e irrelevância em relação às suas práticas, discutindo-se, em muitas reuniões, a falta de reconhecimento da própria existência da Conaes. Não se identificaram, no conjunto de atas analisadas, discussões aprofundadas sobre o que é qualidade e seu significado na e para a Educação Superior, com implicações relacionadas aos procedimentos avaliativos. Para a Conaes, qualidade e indicadores são sinônimos, sem indicações do que se pode considerar instituição ou curso de qualidade, restando como critério a pontuação alcançada nas avaliações.</p> 2022-10-02T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8665450 Engajamento acadêmico e saúde mental positiva entre estudantes universitários 2022-05-15T20:09:41+00:00 Enzo Lopes Amaral enzo.lopes.amaral98@gmail.com Loriane Trombini Frick loriane.trombini.frick@gmail.com <p>O engajamento acadêmico é um construto teórico reconhecido internacionalmente para a avaliação da função das instituições de ensino superior. Estudos empíricos de engajamento acadêmico no Brasil ainda são escassos e sua importância se faz cada vez maior, dada a ampliação de estudantes e universidades no país durante as últimas décadas. Os objetivos deste estudo foram descrever a autopercepção de satisfação quanto ao desempenho acadêmico, o grau de integração dos estudantes em seus cursos e também identificar se havia associação entre a percepção de engajamento acadêmico e saúde mental positiva. Os participantes foram 3484 estudantes de 37 cursos de graduação de uma universidade pública do sul do país, com idade média de 22,8 (dp = 6,92). Os resultados indicaram que quase metade dos estudantes (47,4%, n=1644) não se sentiam satisfeitos com seu desempenho acadêmico. Os itens relacionados à experiência acadêmica mostraram que os estudantes entrevistados se percebiam moderadamente encaixados ao seu curso. A correlação de Pearson demonstrou associação significativa positiva entre as dimensões de engajamento acadêmico e saúde mental positiva. A correlação mais forte entre estes construtos foi entre a dimensão de engajamento emocional e saúde mental positiva (r = 0,403, p&lt;0,01). Evidenciou-se que quanto mais os estudantes se sentem bem consigo e no ambiente universitário, mais se engajam emocionalmente nos estudos, o que estimula o desenvolvimento cognitivo. Os resultados indicam o potencial de participação ativa da universidade na promoção de políticas e práticas que contribuam para o engajamento acadêmico e a saúde mental positiva dos universitários.</p> 2022-08-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8664095 A percepção dos estudantes cotistas sobre os currículos dos cursos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul com maior densidade entre vagas e inscritos 2022-08-20T00:28:46+00:00 Thalles Ricardo de Melo Silva thallesmelo13@gmail.com Lizandro Lui Lizandrolui@gmail.com <p>O artigo se inscreve nas discussões sobre as ações afirmativas nas Instituições de Ensino Superior (IES). Tendo como universo de estudo a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), o objetivo é analisar de que modo o estudante cotista percebe o currículo dos cursos com maior densidade entre vagas e inscritos. No estudo, entende-se o currículo como um elemento construído historicamente como um mecanismo institucional de reprodução social. Por outro lado, a percepção dos estudantes cotistas está relacionada ao seu <em>habitus</em>, que é constituído por variáveis econômicas, sociais e culturais. Utiliza-se o estudo de caso como abordagem metodológica. Mediante entrevistas aprofundadas, entrevistaram-se 5 estudantes dos cursos com maior densidade da UFRGS. Três razões nortearam a análise sobre a percepção curricular: a densidade do currículo, a composição deste e a avaliação. Por mesclarem uma rotina de trabalho e estudos devido à situação socioeconômica, os cotistas entrevistados percebem o currículo como denso. As variáveis educacionais, por outra via, influenciam as avaliações, que geram dificuldades, principalmente, no início do curso. Por fim, a composição curricular é resultado de uma seleção, que exclui algumas vivências do público cotista. Embora essas razões levem à identificação de mecanismos de reprodução, por meio do ingresso do público cotista, há conflitos que permitem a possibilidade de mudança institucional.</p> 2022-09-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8669095 Ensino jurídico e questões de gênero 2022-05-01T19:08:00+00:00 Fernado da Silva Cardoso fernando.cardoso@upe.br Paula Tenório Britto Galindo paulinhabrito97@gmail.com Antonio Lopes de Almeida Neto antonio.lopes@upe.br <p>O estudo tem como objetivo analisar o papel político, pedagógico e científico do ensino superior jurídico diante da abordagem e formação comprometidas com o enfrentamento das violências e abordagem de questões de gênero. Para tanto, problematizamos o ensino jurídico tradicional, o necessário olhar interdisciplinar e multidimensional da formação superior de bacharéis em Direito e sobre a aproximação entre ensino, pesquisa e extensão neste universo. É realizada uma análise documental dos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPC’s) de Bacharelados em Direito em funcionamento na cidade Arcoverde, localizada no Sertão do Moxotó, Pernambuco, como forma de compreender de que forma as instituições de ensino superior (IES) situam, na formação jurídica, questões de gênero. Os resultados apontam que as IES disponibilizam ementários que privilegiam a técnica e a dogmática em detrimento de discussões que suscitam o diálogo mais aprofundado sobre questões sociais, como as de gênero, além de manter a fragmentação de saberes como marca curricular. Por fim, quanto aos eixos de pesquisa e extensão, as instituições apresentam metas e ações que optam por um discurso genérico e apolítico, não se comprometendo, em linhas gerais, com a tematização de questões de gênero.</p> 2022-08-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667675 Formação na pós-graduação Stricto Sensu e o uso de tecnologias digitais 2022-05-14T23:06:52+00:00 Sayonara Ribeiro Marcelino Cruz sayormcruz@gmail.com Eucídio Arruda eucido@gmail.com <p>Este trabalho tem como objetivo identificar as produções relacionadas a temática: “formação docente para o uso de tecnologias digitais na pós-graduação”, com vistas a compreender de que forma a relação aprendizagem e tecnologias tem sido tratada no ensino superior, especificamente na Pós-Graduação. Foi feita uma revisão bibliográfica na base de dados do Portal de Periódicos da Coordenação Nacional de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) no período de 2015 a 2018. Confirmam um grande salto quantitativo e qualitativo a considerar o aumento crescente não só do número de trabalhos, mas de possibilidades temáticas que envolvem pensar as relações entre tecnologia e educação. Foram encontrados 42 trabalhos que tratam especificamente da discussão sobre TDIC nos cursos de mestrado e doutorado na área da Educação, apontando uma a incipiência de estudos com essa temática específica. Aprofundamos na análise de 10 trabalhos com aproximação direta com os nossos objetivos que confirmam a preponderante (e necessária) preocupação com a dimensão técnica (métodos, técnicas, estratégias, habilidades e competências), porém com poucas evidências de articulação com a dimensão conceitual e pedagógica, sem a qual torna-se impossível avançar na apropriação e difusão das potencialidades das TDIC e suas repercussões na aprendizagem.</p> 2022-09-20T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8661264 A (in)existência de estudantes do gênero masculino no curso de pedagogia 2021-11-07T02:25:05+00:00 Josiane Peres Gonçalves josianeperes7@hotmail.com Maria Cristina de Sousa Benitez cristinasbenitez2016@gmail.com <p>A pesquisa trata da evasão acadêmica de homens no curso de graduação em Pedagogia do Campus de Naviraí da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (CPNV/UFMS) e visa identificar as principais razões que motivaram estudantes do gênero masculino a ingressar e desistir do referido curso. Após fazer o levantamento do número de homens ingressantes, desistentes e concluintes do curso pesquisado, foram identificados três dos desistentes e gravadas entrevistas individualizadas. Compreende-se que a dificuldade de conciliar o curso superior com o trabalho, o desconhecimento sobre a formação do pedagogo e a baixa remuneração da profissão docente são fatores que interferem na desistência de discentes do sexo masculino do curso de Pedagogia do CPNV/UFMS. </p> 2022-04-03T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8663771 Mecanismos de apoio mediados por tecnologia 2021-10-03T19:41:00+00:00 Pricila Kohls-Santos pricila.kohls@gmail.com Patricia Estrada Mejía patricia.estrada.mejia@gmail.com <p>O ano de 2020 será marcado pela pandemia do COVID-19 e pelo distanciamento social, mais que isso, será marcado por um ano em educativo complemente distinto, no qual todos os atores da educação básica a superior, tiveram que readaptar e reaprender seus processos de ensinar, aprender, de gestão e acompanhamento para manter as atividades apesar das regras de isolamento social. O presente artigo tem por objetivo apresentar propostas para mecanismos de apoio mediados pela tecnologia, a partir da voz dos estudantes da educação superior. Para tal foi realizada uma pesquisa de cunho quali-quantitativo com estudantes de educação superior do Brasil e da Colômbia, os estudantes participaram da pesquisa por meio de questionário eletrônico, sendo que, para este estudo, foi considerada a variável “Tecnologias Digitais” para análise dos resultados e propostas de mecanismos de apoio, sendo a análise realizada por meio da estatística descritiva e análise de conteúdo. Como resultados encontramos que, mesmo antes da pandemia, os estudantes já citavam os recursos das tecnologias digitais como aliada dos processos de ensinar e aprender, recursos para vivenciar e conhecer realidades de estudantes e profissionais de outros países, aumentar a interação entre docentes e estudantes, bem como facilitar processos administrativos. Nesse sentido, podemos concluir que as possibilidades oferecidas pelas tecnologias digitais, principalmente por meio da internet, podem auxiliar a docentes, gestores e instituições educativas a acompanhar os estudantes em seus processos acadêmicos neste momento e também no futuro, quando do retorno das atividades presenciais.</p> 2022-03-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8661880 Ensino por investigação em aulas de didática para a formação inicial de professores de química 2022-01-30T22:09:36+00:00 Ana Paula Gutmann ana.paula.gutmann@hotmail.com Zenaide de Fátima Dante Correia Rocha zenaiderocha@utfpr.edu.br João Paulo Camargo de Lima joaopaulo@utfpr.edu.br <p>A presente pesquisa teve como objetivo analisar os efeitos de uma aula investigativa em uma turma de Licenciatura em Química, durante a disciplina de Didática Geral. Foram desenvolvidas duas aulas investigativas, uma na metodologia experimental e outra na metodologia de projetos por design thinking. E, ao final das duas aulas, os estudantes responderam a duas perguntas norteadoras: “O que essa aula permite de aprendizagem para vocês comporem os planos de aula e suas próprias práticas como futuros docentes?” e “Em que esses conhecimentos colaboram para a formação de vocês?”. Os resultados demonstram que as atividades propostas contribuíram de maneira promissora para o processo de compreensão dos licenciandos sobre como elaborar um plano de aula docente, além de possibilitar a utilização de uma metodologia de ensino por investigação para o desenvolvimento de suas futuras práticas docentes.</p> <p> </p> 2022-03-24T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8669067 Epistemologia e ciências da educação 2022-07-10T22:46:43+00:00 Jorge Alejandro Santos jorgesantosuba@gmail.com Tania Mara Zancanaro Pieczkowski taniazp@unochapeco.edu.br <p>O presente artigo tem como objetivo abordar uma experiência de formação na área da educação referente às concepções epistemológicas clássicas, ou seja, relacionadas à produção e legitimação do conhecimento científico. Faz referência ao curso de extensão “Lógica e Metodologia das Ciências Sociais” ministrado no Programa de Pós-Graduação em Educação da Unochapecó o início de 2020. A maioria dos participantes era de mestrandos do Programa de Pós-Graduação <em>Stricto Sensu</em> em Educação da Unochapecó, mas também havia participantes de outros cursos de pós-graduação <em>stricto sensu</em> da instituição, a exemplo de Ciências da Saúde, além de estudantes de outras universidades da região. O curso pretendeu ser original no sentido de que ao invés de focar nos aspectos teóricos e discussões típicas da epistemologia, direcionou a atenção para as aplicações práticas dessas ideias na construção de uma dissertação de mestrado. Este artigo descreve essa experiência, expõe a estratégia pedagógica utilizada para atingir o objetivo do curso e avalia seus resultados. Assim, o artigo iniciará com uma descrição do seu referencial teórico-metodológico, em seguida apresentará os conceitos epistemológicos selecionados com foco na sua utilidade para a construção da tese e nas avaliações parciais realizadas pelos alunos e, por fim, serão apresentados os resultados gerais.</p> <p><strong> </strong></p> 2022-08-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8663785 A dinamização de vivências lúdicas nas aulas de pesquisa e estágio em educação infantil 2022-08-24T16:12:58+00:00 Sandra Alves de Oliveira sandraoliveira.uneb@gmail.com Jany Rodrigues Prado janyrprado@yahoo.com.br Sônia Maria Alves de Oliveira Reis sonia_uneb@hotmail.com <p>Nos processos formativos de professores, a dinamização de vivências lúdicas constitui-se uma estratégia teórico-metodológica na ação de ensino-aprendizagem dos fundamentos da educação infantil no âmbito da formação e prática docente de futuros professores que se encontram com o outro nos espaços da universidade e da escola de educação básica para compartilhamento de saberes, experiências e aprendizagens da docência. Esses momentos serão narrados neste relato de experiência que tem por objetivo analisar os sentidos da dinamização de vivências lúdicas na formação e prática docente de futuras professoras que participaram das diferentes metodologias de ensino-aprendizagem utilizadas nas aulas de Pesquisa e Estágio em Educação Infantil pelas professoras formadoras desse componente curricular, pela bolsista de ensino e pelas estudantes do 6.° semestre do turno matutino do curso de Pedagogia do Departamento de Educação (DEDC) de Guanambi, <em>Campus</em> XII da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), no primeiro semestre de 2018. As vivências lúdicas durante as aulas constituíram-se em um importante momento de reflexão sobre como as acadêmicas poderiam pensar seu planejamento para as crianças da educação infantil, etapa na qual teriam que realizar as atividades de estágio. É importante pensar a formação docente a partir da relação teoria e prática, do trânsito entre universidade e educação básica, da indissociabilidade dos saberes curriculares, acadêmicos e experienciais.</p> <p><strong> </strong></p> 2022-09-24T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668387 Internacionalização em casa como hub na educação superior 2022-09-04T00:10:48+00:00 Valeska Virgínia Soares Souza valeskasouza@iftm.edu.br José Celso Freire Junior jose-celso.freire@unesp.br <p>Este texto de pesquisa tem como objetivo socializar uma experiência de formação de docentes e de servidores técnicos administrativos de uma Instituição de Ensino Superior para a internacionalização em casa. O foco do curso foi a familiarização dos participantes com as concepções teóricas e práticas que circundam o tema de internacionalização em casa, incluindo questões administrativas e linguísticas, além de análise e de ideação de práticas de internacionalização. Seguindo uma perspectiva metodológica qualitativa, as percepções da professora formadora foram registradas em notas de campo ao longo do curso e as opiniões dos demais participantes foram coletadas por meio de questionários semiestruturados ao final do curso. Os resultados apontam para a pertinência dos objetivos do curso e para a qualidade dos módulos propostos. Enquanto motivos externos à ingerência dos participantes, como falta de tempo e período da oferta, conduziram à desistência, motivos relacionados à qualidade da proposta pedagógica e a questões de mediação e interação levaram à permanência. Conclui-se que atividades de formação dessa natureza são imprescindíveis para que instituições de Educação Superior no Brasil possam mobilizar aliados em suas próprias instituições para fomentar a internacionalização em casa. Como contribuição do texto de pesquisa para os leitores interessados no tema, destaca-se a identificação de boas práticas para a oferta de cursos de formação dessa natureza, que devem considerar: a heterogeneidade do conhecimento prévio, a socialização de experiências e a percepção da identidade institucional.</p> 2022-09-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8663953 Concepções e reflexões de membros da comunidade acadêmica da Universidad Nacional de Córdoba sobre a soberania e segurança alimentar no currículo de nutrição 2022-08-15T14:25:46+00:00 Gabriel Cunha Beato gabrielcbeato@gmail.com Lidia Ana Del Valle Carrizo kukycarrizo2@gmail.com Maria Rita Marques de Oliveira maria-rita.oliveira@unesp.br <p>A soberania e a segurança alimentar são temas transversais de interesses multiprofissionais, dos quais o nutricionista possui especial aproximação na inserção profissional dada as características curriculares. O grau de proximidade do nutricionista com estas temáticas depende do processo de formação no nível universitário e do currículo da instituição de ensino, os quais podem abordar de maneira suficiente, ou não, os temas durante a graduação. O presente relato de experiências tem como objetivo relatar a experiência de uma visita acadêmica guiada por entrevistas realizada na Escola de Nutrição da Faculdade de Ciências Médicas da <em>Universidad Nacional de Córdoba</em> no ano 2019. Foram realizadas entrevistas estruturadas com 7 personagens chaves acerca da compreensão e da presença da soberania e segurança alimentar no atual currículo de graduação em Nutrição. Como principais resultados, observou-se que os personagens-chaves possuíam conhecimento sobre estas temáticas, mas que estes conteúdos não eram presentes de maneira clara no currículo. Grande parte do conhecimento envolvendo a soberania e segurança alimentar eram adquiridos através de projetos de extensão e trabalhos na comunidade.</p> 2022-08-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8660200 Uso de simuladores empresariais no ensino de administração 2021-12-05T20:11:32+00:00 Douglas Heinz dh@unidavi.edu.br Maria José Carvalho de Souza Domingues mariadomingues@furb.br Iara Regina dos Santos Parisotto iaraparisotto@furb.br <p>A utilização de simuladores empresariais para o ensino de administração é uma estratégia educacional presente em Instituições de Ensino Superior (IES). Utilizando a dinâmica de jogos para estimular a competitividade, os simuladores se caracterizam como uma metodologia ativa de aprendizagem. A literatura científica tem apontado vantagens desta prática, além de discutir temáticas relacionadas, como a avaliação de desempenho dos participantes. Apesar disso, um aspecto que ainda pode ser explorado é o processo de adoção destes simuladores. Visando suprir tal lacuna, o objetivo deste estudo é avaliar a percepção dos acadêmicos participantes de experiência de implantação e utilização de simuladores empresariais em um curso de graduação de Instituição de Ensino Superior (IES) Comunitária do Estado de Santa Catarina. Os resultados apontam que a adoção de um simulador empresarial deve ser acompanhada de critérios pedagógicos, como a definição de objetivos de aprendizagem claros, e operacionais, como a preparação das turmas e os procedimentos de aplicação do jogo. Além disso, são destacados os resultados de uma investigação realizada junto a acadêmicos de administração que participaram de aplicação do simulador. A percepção dos estudantes foi positiva quanto às contribuições do jogo para a sua formação profissional, sobretudo por permitir a integração de conteúdos trabalhados de forma individual durante o curso.</p> 2022-04-03T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8660655 Engenharia biomédica 2022-01-15T23:07:35+00:00 Maria Angela Boccara de Paula boccaradepaula@gmail.com Alessandra de Cássia Grilo alessandra.grilo@unifesp.br Maria Auxiliadora Ávila maria.avila@professor.unis.edu.br <p>Engenharia Biomédica (EB) é área recente no Brasil, campo de possibilidades para profissionais das Ciências Exatas e Saúde. Cursos de graduação em EB iniciaram no país nos anos 2000 e muitos docentes ainda são de diferentes áreas do conhecimento.O objetivo foi conhecer perfil e processo de escolha profissional docente na EB. Do estudo, qualitativo e com abordagem biográfico-narrativa, participaram 11 docentes de um curso de EB, três mulheres e oito homens atuantes em uma universidade do vale do Paraíba paulista. Dados sociodemográficos e sobre a formação foram obtidos na plataforma Lattes e confirmados durante as entrevistas do tipo reflexivas (SZYMANSKI, 2011). Foram realizadas em dois momentos, sendo no primeiro um relato livre e no segundo a devolutiva do conteúdo produzido. Os relatos, gravados, transcritos e organizados em biogramas (BOLIVAR, 2002), permitiram a identificação de momentos que influenciaram na escolha profissional. Os docentes entrevistados tinham formação acadêmica diversificada, eram doutores, majoritariamente do sexo masculino, média etária de 43 anos e tempo de carreira docente 9,3 anos. Diversos caminhos os levaram os docentes à EB, como a escolha da carreira e possibilidades de atuação profissional. Acontecimentos marcantes promoveram aproximação com a área. Apesar de não ter sido a primeira escolha de carreira, EB se mostrou como opção de formação e oportunidade de atuação profissional. Os resultados indicaram a importância de ampliar reflexão sobre escolha profissional e formação em EB, de forma a promover, estimular e compartilhar alternativas que contribuam para promoção dos saberes e favoreçam a formação de novos profissionais.</p> 2022-08-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8666093 Desenvolvimento e contribuições do estágio em Farmácia no Hospital Universitário Lauro Wanderley 2022-07-30T22:26:01+00:00 José Rômulo Batista Xavier romulobx2017@gmail.com Ana Paula Furtado Soares Pontes anaufpb@gmail.com Alan Leite Moreira alanpb@hotmail.com <p>Esta pesquisa teve por objetivo analisar o desenvolvimento e as contribuições do estágio realizado no Hospital Universitário Lauro Wanderley para a formação de estudantes de Farmácia da Universidade Federal da Paraíba. Além do levantamento bibliográfico e documental sobre estágio no referido curso, realizaram-se entrevistas semiestruturadas com os professores-orientadores do estágio e aplicaram-se questionários junto aos farmacêuticos-preceptores do estágio e aos estudantes-estagiários. Os dados gerados foram analisados por meio da técnica da análise de conteúdo. A partir da compreensão dos sujeitos referenciados, considerou-se que, apesar das lacunas assinaladas, este estágio vem atingindo o seu objetivo, contribuindo, de modo satisfatório, para a formação dos estudantes do curso de graduação em Farmácia.</p> 2022-09-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8663669 Interiorização da Pós-Graduação na Região Sul 2022-05-01T21:27:34+00:00 Wellington Tischer wellington.tischer@outlook.com Valério Alecio Turnes valerio.turnes@yahoo.com.br <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: O objetivo do presente artigo é analisar a distribuição dos Programas de Pós-graduação (PPGs) stricto sensu na Região Sul no século XXI. Os PPGs representam parte significativa da pesquisa aplicada e básica dentro das Instituições de Ensino Superior (IES) realizada no Brasil e que vem se interiorizando a partir de políticas públicas de educação superior.<strong> Metodologia</strong>: Foram utilizados dados secundários a partir da base disponível no Sistema de Informações Georreferenciadas da Capes (Geocapes) para os anos de 1998 e 2018. A expansão de PPGs expõe diferenças entre os três estados em termos de capital e interior, público e privado, áreas do conhecimento e conceitos dos cursos. As universidades particulares contribuem com a expansão de PPGs em vazios deixados pela oferta pública no interior de Santa Catarina e Rio Grande do Sul e na capital do Estado do Paraná. <strong>Resultados</strong>: A reestruturação recente de institutos e universidades federais tem produzido efeitos na pós-graduação como uma dispersão de PPGs no interior e a concentração de excelência em pesquisa em IES consolidadas. PPGs nas áreas multidisciplinares e mestrados profissionais constituem as áreas do conhecimento e graus acadêmicos que mais cresceram no período sendo ainda restrita sua condição de excelência. <strong>Conclusão</strong>: Como considerações finais é apresentada a tendência de crescimento de PPGs em ciências da vida, exatas e tecnológicas em novos campi, novas universidades e institutos federais criados a partir de 2000 em municípios do interior.</p> 2022-09-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8660964 Aula universitária 2021-12-22T00:57:50+00:00 Claudson Cerqueira Santana claudson.cerqueira@gmail.com Marinalva Lopes Ribeiro marinalva_biodanza@hotmail.com <p>A sala de aula universitária se constitui espaço-tempo do acontecimento da relação educativa e tem como objetivo o desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem dos sujeitos da ação educativa: professores e estudantes. Tais sujeitos possuem papéis e funções, as quais proporcionam que esse ato aconteça. Desse modo, o estudo que originou este trabalho teve como objetivo: analisar, a partir das representações de professores e estudantes universitários, os processos interacionais e as práticas envolvidas na relação educativa. A pesquisa realizada, de delineamento qualitativo, produziu os dados mediante entrevista narrativa com 6 professores e 6 estudantes de 3 cursos de licenciatura de uma universidade pública do interior da Bahia. As narrativas desses sujeitos foram analisadas com aproximações do método Análise de Conteúdo. Os relatos apresentados pelos sujeitos foram organizados e analisados, a partir de três dimensões: as práticas na sala de aula, relação educativa e dialogicidade, e as interações na sala de aula. As representações dos sujeitos da pesquisa evidenciaram um processo de transição paradigmática na relação educativa, a partir das práticas docentes adotadas na sala de aula. Além disso, elucidaram a importância do diálogo e das interações na criação das condições necessárias para que o processo de aprendizagem aconteça de forma assertiva.</p> 2022-04-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8659136 Docência universitária 2021-10-23T23:22:09+00:00 Mayara Alves Loiola Pacheco mayara.loiola@aluno.uece.br Antonio Germano Magalhães Junior germano.junior@uece.br Rachel Rachelley Matos Monteiro rachel.monteiro@aluno.uece.br <p>A docência universitária caminha nas discussões que perpassam os percursos e trajetórias de vida da formação dos professores. Este estudo objetivou compreender a constituição dos percursos de formação docente dos professores bacharéis do curso de Medicina Veterinária. Esta pesquisa é de abordagem qualitativa com estudo de caso único, os sujeitos da pesquisa foram professores bacharéis e coordenador do curso. Tivemos como principais referenciais teórico os estudos de García, Tardif e Lessard, e Schön. A partir dos resultados e com a literatura vigente identificamos a necessária discussão sobre a formação pedagógica, a ressignificação das práticas dos docentes bacharéis, como também a necessidade de um investimento institucional que dialogue com a docência universitária.</p> 2022-04-03T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8665690 Adentrando uma moradia estudantil feminina 2022-05-15T20:42:15+00:00 Ermita de Souza Santos Rodrigues ermitarodrigues@ufsj.edu.br Bruna Sola da Silva Ramos brunasola@ufsj.edu.br <p>A permanência de estudantes oriundos de camadas populares em universidades públicas é uma temática de discussão emergente e em constante reivindicação ao longo da história do Brasil. As moradias estudantis, espaços destinados para a habitação de estudantes beneficiados por assistência estudantil nas universidades, constam dentre as ações de políticas públicas de permanência do estudante pobre no ensino superior.&nbsp; No entanto, a identificação do perfil e a escuta ativa das vozes dos estudantes-habitantes destas moradias estudantis parece ser ainda uma extensa lacuna nas pesquisas em Ciências Humanas. Neste sentido, o presente artigo se constitui como fruto de uma investigação que objetivou construir uma compreensão acerca dos modos de vida de estudantes em uma moradia estudantil de uma universidade do interior de Minas Gerais. Por meio de uma pesquisa participante, imergimos no cotidiano de uma moradia feminina e debruçamo-nos na vivência de quatro estudantes-moradoras que nos relataram seu cotidiano, tendo em vista um olhar crítico para a realidade de sujeitos advindos de camadas populares em suas trajetórias universitárias. Com fundamento no referencial teórico freireano, enfocamos, no presente artigo, as temáticas desveladas no processo de observação participante e de entrevistas realizadas com as moradoras:&nbsp; o racismo, o machismo e a fome. Em meio à busca pela resistência no espaço universitário, as estudantes denunciam a a desumanização a que são submetidas em seu cotidiano e expõem a exigência ético-política radical de nossas universidades na garantia de proteção a discentes vulneráveis que buscam, no ensino superior, oportunidades de mudança em suas realidades opressivas.</p> 2022-08-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8670030 Cartas pedagógicas como instrumento metodológico de pesquisas participativas 2022-06-19T18:02:39+00:00 Fernanda dos Santos Paulo fernanda.paulo@unoesc.edu.br <p>Este artigo pretende apresentar contribuições teórico-práticas para reflexões metodológicas acerca de pesquisas participativas em educação, alicerçadas no uso de Cartas Pedagógicas como instrumento metodológico. Para tanto, apresenta experiências de pesquisas acadêmicas que utilizam esse instrumento metodológico acompanhado de Sistematização de Experiências com base no referencial da Educação Popular emancipadora e revisão de literatura. Situa-se no âmbito de pesquisas participativas e na ciência social crítica, abordando os seguintes tópicos metodológicos: i) princípios da Educação Popular; ii) tipos de metodologias participativas; e, iii) o uso de Cartas Pedagógicas em pesquisas qualitativas em educação. Os resultados expõem subsídios para o trabalho a partir de Cartas Pedagógicas como instrumento metodológico, concluindo que essa proposta metodológica é nova no contexto de pesquisas acadêmicas. Expressa o compromisso ético-político do pesquisador no movimento educativo de pesquisas participativas como ruptura dos processos de colonização do saber, subordinado ao sistema capitalista, educação elitista e sociedade colonial. </p> 2022-08-16T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8665155 Formação pedagógica de professores universitários 2021-10-11T01:33:49+00:00 Janete Francisca Dias janadias1976@hotmail.com Juliana Cordeiro Soares Branco juliana.branco@uemg.br <p>Este artigo é um recorte de uma pesquisa de mestrado intitulada: Processos Formativos de docentes atuantes em cursos de bacharelado e as implicações em sua prática pedagógica. A pesquisa busca investigar os processos formativos vivenciados por docentes de cursos de bacharelado na trajetória profissional e as implicações em sua prática pedagógica. Espera-se com a pesquisa ampliar o conhecimento sobre o papel dos professores universitários e a importância de se fomentar, no âmbito das Instituições de Educação Superior, estratégias voltadas à formação destes profissionais. Neste estudo, de natureza quanti-qualitativa, investigaremos as produções acadêmicas publicadas no decênio 2007-2017 sobre a temática: formação pedagógica de professores universitários, tendo como objetivo conhecer as contribuições dessas pesquisas na construção do conhecimento produzido na área. Foram utilizados como fonte de informação os trabalhos completos publicados nos Anais da Reunião Anual da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação – ANPED; No banco de teses e dissertações da Biblioteca da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG e em sites que divulgam produções relacionadas à área de educação. Com base nas informações dos quadros 1 a 10, constatamos que as discussões acerca desta temática ainda são incipientes. Os resultados revelaram que a formação pedagógica de professores ainda é pouco valorizada no ambiente universitário, sem a legitimação necessária por parte das instituições de educação superior.</p> 2022-04-03T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8660820 Eu só quero criar peixes! A construção de significados para conceitos químicos em um curso de aquacultura 2021-10-03T22:01:36+00:00 Ana Luiza de Quadros ana.quadros@uol.com.br Dalva Ester da Costa Ferreira dalvester@gmail.com Roberta Guimarães Corrêa roberta.guicorrea@gmail.com <p>A partir de perspectivas construtivistas, a aprendizagem implica na busca pelo significado das “coisas”. Aprender Química na sala de aula, portanto, remete à construção de significados para os conceitos que ali circulam e, no Ensino Superior, é indicado que esses conceitos sejam associados ao campo de trabalho futuro do aprendiz. Com o objetivo de construir significados na disciplina de Química Geral ofertada aos estudantes de um curso de Aquacultura, desenvolvemos as atividades que culminaram neste trabalho. Para isso, usamos estratégias oriundas da aprendizagem baseada em problemas em uma turma de estudantes desse curso e analisamos o envolvimento deles com as atividades. Observamos uma valorização do conteúdo desenvolvido e uma participação ativa dos estudantes em todas as etapas. A maior valorização da disciplina observada nessa turma pode trazer implicações para os professores de Química Geral, além de nos desafiar a planejar novas experiências.</p> 2022-04-03T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667189 Desventuras dos professores na formação para o capital 2022-08-17T22:58:33+00:00 Andréia Aparecida Simão giolvane@gmail.com <p>Está é uma resenha sobre o livro intitulado Desventuras dos professores na formação para o capital.<br /><br /></p> 2022-08-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior