Revista Internacional de Educação Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup <p><strong>Escopo</strong>: A <strong>Revista Internacional de Educação Superior / International Journal of Higher Education</strong>, publicação do Grupo de Pesquisa GEPES da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas em parceria com a Rede Iberoamericana de Estudos e Pesquisas em Politicas e Processos de Educação Superior - RIEPPES - Universidade do Oeste de Santa Catarinense, tem como missão socializar a produção de estudos e pesquisas científicas, de caráter teórico ou empírico, na área da educação superior. É uma publicação eletrônica que se dedica à publicação de artigos da comunidade científica nacional e internacional que investiguem questões de interesse do campo da educação superior. Visa contribuir na formação do pesquisador da área de Educação Superior por meio da divulgação e disseminação de pesquisas e estudos realizados por educadores, vinculados a instituições nacionais e internacionais. São publicados artigos, relatos de experiência, comunicações, pesquisas e ensaios de autores avaliados por pares, especialmente convidados pelo Conselho Editorial, com edição bilíngue.<br /><strong>Qualis/CAPES</strong>: A3 <br /><strong>Área do Conhecimento</strong>: Ciências Humanas<br /><strong>Ano de fundação</strong>: 2015<br /><strong>e-ISSN</strong>: 2446-9424<br /><strong>Título abreviado</strong>: Rev. Inter. Educ. Sup. <br /><strong>E-mail</strong>: <a title="Email" href="https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/management/settings/context/mailto:riesup@unicamp.br" target="_blank" rel="noopener">riesup@unicamp.br</a><br /><strong>Unidade:</strong> <a title="FE" href="https://www.fe.unicamp.br/" target="_blank" rel="noopener">FE</a><br /><strong>Prefixo DOI: </strong>10.20396<br /><a title="CC-BY" href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" target="_blank" rel="noopener"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by/4.0/80x15.png" alt="Licença Creative Commons" /></a></p> Universidade Estadual de Campinas pt-BR Revista Internacional de Educação Superior 2446-9424 <p>A&nbsp;<strong>Revista Internacional de Educação Superior</strong>&nbsp;utiliza a licença do&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0">Creative Commons (CC)</a>, preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.</p> Hegemonia global estadunidense e os acordos MEC/USAID (1965-1968) https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8657974 <p><strong>Introdução</strong>: O presente artigo se insere no <em>tema</em> da História da Educação e tem como <em>objeto</em> de estudo o intercâmbio entre Brasil, por meio do então Ministério da Educação e Cultura (MEC), e Estados Unidos da América (EUA), representado pela <em>United States Agency for International Development </em>(USAID) – os famosos acordos MEC/USAID, estabelecidos no período da ditadura militar, num recorte temporal de 1965 a 1968. Nesse viés, o estudo se debruça sobre os seguintes eixos norteadores: o <em>problema</em> de pesquisa indaga de que forma os acordos MEC/USAID serviram para instrumentalizar a hegemonia estadunidense sobre o Brasil no campo educacional. <strong>Objetivo</strong>: O <em>objetivo </em>incide em compreender a constituição da hegemonia estadunidense sobre o Brasil, no contexto dos Acordos MEC/USAID (1965-1968). <strong>Metodologia</strong>: Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, de abordagem qualitativa e que busca traçar as discussões, partindo da Análise Crítica do Discurso, na vertente de Fairclough (2001). <strong>Resultados/Conclusão</strong>: Como resultados do estudo, verificou-se que o interesse norte-americano pelos rumos da Educação Superior no Brasil no período militar, foi além do discurso de modernização, pois ao incentivar uma reorganização das universidades, impunha a partir do aparelho ideológico escolar, sua hegemonia como potência capitalista.</p> <p><strong> </strong></p> <p> </p> Darllen Almeida da Silva Norma Iracema de Barros Ferreira Copyright (c) 2022 Darllen Almeida da Silva, Norma Iracema de Barros Ferreira https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-01-26 2023-01-26 10 024034 024034 10.20396/riesup.v10i00.8657974 Estresse e tecnoestresse docente https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667528 <p><strong>Introdução:</strong> A pandemia da COVID-19 provocou a necessidade de isolamento social, o que levou as instituições educacionais a adotarem, desde março de 2020, o Ensino Remoto Emergencial. <strong>Objetivo:</strong> Nesse contexto, o objetivo geral deste artigo é apresentar resultados de uma pesquisa sobre a relação entre mal-estar, mais especificamente dos níveis de estresse e tecnoestresse docente, com o uso excessivo das Tecnologias Digitais Informacionais e Comunicacionais. <strong>Metodologia:</strong> A metodologia, de natureza quanti-qualitativa, descritiva e exploratória, constituiu-se da realização do estado do conhecimento sobre a temática e da aplicação de um questionário respondido por 311 professores universitários brasileiros. As análises foram realizadas por meio de estatística descritiva e com a triangulação dos resultados de pesquisas anteriores e dos dados empíricos. <strong>Resultados:</strong> Os resultados apontaram que 84,9% dos professores que responderam ao questionário apresentam algum nível de estresse, sendo que 24,1% estão na fase de alarme, 33,8% na fase de resistência e 27% na fase de exaustão. Dentre os respondentes, 66,2% atribuiu o aumento do estresse ao uso exaustivo das Tecnologias Digitais Informacionais e Comunicacionais durante o ensino remoto. Por último, 72,6% dos docentes que receberam formação continuada ainda se considera em níveis básicos de habilidades e competências para o uso das tecnologias digitais. <strong>Conclusão</strong>: Conclui-se, a partir dos resultados, que há a necessidade de investimento na formação continuada para os professores, bem como de realização de novas investigações para acompanhar os efeitos do mal-estar docente, do estresse e do tecnoestresse sobre a saúde e o trabalho dos professores universitários.</p> Djanires L. Neto de Jesus Flavinês Rebolo Copyright (c) 2022 Djanires L. Neto de Jesus, Flavinês Rebolo https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-01-30 2023-01-30 10 e024040 e024040 10.20396/riesup.v10i00.8667528 Ensino superior remoto e as políticas de enfrentamento a pandemia de COVID-19 na Universidade Federal de Santa Maria https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668712 <p><strong>Introdução:</strong> Este artigo tem como escopo a análise das políticas de enfrentamento à pandemia do COVID-19, na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), especialmente no que se refere à promoção da assistência estudantil. No início de 2020, com o expressivo aumento de casos de COVID -19 no Brasil e no mundo, foram implantadas uma série de medidas que afetaram todos os setores, inclusive o sistema educacional. As Instituições de Ensino Superior (IES), diante desse cenário, necessitaram de adaptações, com a elaboração de políticas emergenciais de assistência aos estudantes em situação de vulnerabilidade social. Deste modo, a relevância deste estudo justifica-se na medida em que procura demonstrar os desafios enfrentados pela UFSM, para garantir aos alunos o direito à educação. <strong>Objetivo:</strong> Assim, este artigo objetiva analisar as questões emergentes nas políticas de enfrentamento à pandemia do Covid-19 na UFSM, além de apresentar as concepções da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE) sobre os limites e potencialidades dessas políticas em atuação. <strong>Metodologia:</strong> Para tanto, utiliza-se abordagem qualitativa, com análise documental e realização de entrevista. <strong>Resultados: </strong>Os resultados evidenciam que o alcance das políticas educacionais desenvolvidas e executadas pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da UFSM e a assistência estudantil para a formação dos estudantes exercem papel fundamental, garantindo que os estudantes tenham meios de alcançar os seus objetivos acadêmicos e profissionais, sem danos à sua integridade. <strong>Conclusão:</strong> Em contrapartida, as limitações impostas pelo sucateamento das IES, pelos frequentes cortes orçamentários, têm comprometido a continuidade das ações de assistência estudantil e representam uma ameaça aos futuros estudantes da UFSM.</p> Kélli Renata Corrêa de Mattos Luciane Inês Matte Mariglei Severo Maraschin Copyright (c) 2022 Kélli Renata Corrêa de Mattos, Luciane Inês Matte, Mariglei Severo Maraschin https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-01-28 2023-01-28 10 e024042 e024042 10.20396/riesup.v10i00.8668712 Acesso à universidade da Argentina https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8670480 <p><strong>Introdução/Objetivo:</strong> Este artigo enfoca os dispositivos e regulamentos que organizam o ingresso nas universidades públicas na Argentina, com foco especial nas universidades nacionais localizadas na Grande Buenos Aires. A partir da consideração do contexto sociodemográfico em que atuam as Universidades da Grande Buenos Aires, apresentam-se algumas especificidades sobre sua criação e organização institucional/acadêmica. Dado que o foco do artigo está nos dispositivos e regulamentos de admissão, apresenta-se uma caracterização dos novos ingressantes nas referidas universidades, em termos da evolução recente das matrículas anuais e de sua inserção laboral e a trajetória educacional de suas famílias . <strong>Metodologia:</strong> A partir dessa contextualização, são apresentadas as características fundamentais dos dispositivos reguladores de ingresso construídos em cada universidade e, numa perspectiva comparada, são analisados ​​seus modos de organização no que diz respeito à sua institucionalização, duração, modalidade de curso, composição dos espaços curriculares que cada dispositivo inclui e as modalidades de aprovação previstas. <strong>Resultados/Conclusão:</strong> Para finalizar o artigo, são colocadas em discussão algumas reflexões sobre a articulação entre esses dispositivos e regulamentos de admissão e os desafios da universidade pública contemporânea.</p> Pablo Daniel Garcia Copyright (c) 2022 Pablo Daniel Garcia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-01-15 2023-01-15 10 e024031 e024031 10.20396/riesup.v10i00.8670480 Percepções de estudantes universitários sobre a prática avaliativa de seus professores https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667226 <p><strong>Introdução</strong>: A prática avaliativa na universidade constitui uma das principais preocupações dos estudantes, sobretudo num contexto em que a avaliação ainda é o elemento central para possibilitar a progressão dos estudantes no curso universitário. <strong>Objetivo</strong>: Neste sentido, este artigo busca compreender, pelo olhar dos discentes, como os professores realizam práticas avaliativas na universidade. <strong>Metodologia</strong>: A pesquisa é de natureza quantitativa e revela os resultados de um questionário do tipo survey, de 36 questões, aplicado a 997 estudantes da Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS, de 28 distintos cursos de graduação da referida instituição. Os estudantes, em sua maioria são do sexo feminino; se autodeclaram pretos; são solteiros; não possuem filhos; moram com pais e/ou familiares em residências próprias ou de parentes, em Feira de Santana; e não desenvolvem atividade remunerada. <strong>Resultados</strong>: Sobre o desenvolvimento das avaliações, os estudantes disseram que os professores explicam como as mesmas serão realizadas, mas que nem sempre explicam os critérios que serão utilizados para a correção dos instrumentos avaliativos. Revelam que pouco os professores devolvem as avaliações com comentários. <strong>Conclusão</strong>: Há, ainda, a percepção dos estudantes de que a forma como eles se relacionam com os professores interfere no desenvolvimento de suas aprendizagens na universidade. </p> Fabrício Oliveira da Silva André Ricardo Lucas Vieira Copyright (c) 2022 Fabrício Oliveira da Silva, André Ricardo Lucas Vieira https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-01 2022-11-01 10 e024021 e024021 10.20396/riesup.v10i00.8667226 O apoio psicossocial e as vivências acadêmicas dos estudantes universitários https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8666009 <p><strong>Introdução</strong>: A população universitária tem, cada vez mais, buscado suportes para enfrentar as dificuldades psicossociais vivenciadas no Ensino Superior. As vivências acadêmicas; o adoecimento mental; as condições socioeconômicas e educacionais; e a presente pandemia da COVID-19 podem alterar as percepções de segurança, conforto e pertencimento do estudante à universidade. É importante que essas instituições possibilitem os discentes a vivenciarem essa fase de forma mais adaptativa, a fim de evitar o surgimento de distúrbios mentais e desigualdades socioeconômicas. <strong>Objetivo</strong>: Nesse estudo, foi analisado as contribuições da atenção psicossocial nas vivências acadêmicas dos universitários. <strong>Método: </strong>Trata-se de estudo qualitativo, no qual foi realizado um levantamento bibliográfico de pesquisas e legislações brasileiras que envolvem a assistência estudantil; o apoio psicossocial; e as vivências acadêmicas. <strong>Resultados:</strong> Os serviços institucionais de apoio podem promover o empoderamento do estudante frente as suas adversidades. Para isso, entende-se a necessidade de identificar dados como: o perfil do estudante de cada instituição, em todos os níveis de ensino; o perfil do estudante usuário da assistência estudantil; o perfil de saúde desses estudantes; quais modelos de atenção à saúde existem na assistência estudantil; ações e estratégias para enfrentamento dos conflitos interpessoais; o equilíbrio entre a vida acadêmica e a vida pessoal; e ações de intervenção nas vivências acadêmicas. A partir dessa identificação, a universidade deve elaborar um modelo de assistência psicossocial adequada para as necessidades para o corpo estudantil<strong>. </strong><strong>Conclusão: </strong>A atenção psicossocial deve fortalecer o vínculo entre o aluno-instituição e promover vivências acadêmicas satisfatórias e a sua permanência na universidade.</p> Viviane Martins Ferreira Milagres Lilian Perdigão Caixêta Reis Sérgio Domingues Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-29 2022-10-29 10 e024002 e024002 10.20396/riesup.v10i00.8666009 Preditores da adaptação acadêmica de iniciantes no curso de psicologia https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668325 <p><strong>Introdução</strong>: A adaptação acadêmica é um fenômeno multifatorial e a sua investigação pode oferecer subsídios que contribuam para a permanência dos estudantes iniciantes na Universidade. <strong>Objetivo</strong>: O presente estudo teve como objetivo identificar a relação preditiva das variáveis explicativas Expectativas Acadêmicas, Maturidade para a Escolha Profissional, Habilidades Sociais, Adaptabilidade de Carreira e Satisfação Acadêmica com a variável critério Adaptação Acadêmica em estudantes de Psicologia. <strong>Metodologia</strong>: Participaram 426 universitários (M=24,17; DP=7,27), sendo 330 mulheres, 90 homens. Foram utilizados os seguintes instrumentos: Escala de Expectativas Acadêmicas de Estudantes Ingressantes na Educação Superior (EEAEIES), Escala de Adaptabilidade de Carreira (EAC), Escala de Satisfação com a Experiência Acadêmica (ESEA), Escala de Maturidade para a Escolha Profissional (EMEP), Inventário de Habilidades Sociais (IHS) e Questionário de Vivências Acadêmicas (QVA-r). <strong>Resultados</strong>: Os resultados apontaram que universitários com maiores escores de habilidades sociais, expectativas acadêmicas e satisfação com a experiência acadêmica apresentam maiores escores nas vivências acadêmicas. <strong>Conclusão</strong>: Dessa forma, o estudo aponta a relevância dessas variáveis para uma adaptação acadêmica satisfatória. Ressalta-se que adaptação universitária é um processo complexo e, no caso específico desta amostra, esteve relacionada positivamente a fatores como as relações interpessoais, o aproveitamento nos estudos e o envolvimento institucional.</p> Adriana Benevides Soares Zeimara de Almeida Santos Almir Diego Brito Copyright (c) 2022 Adriana Benevides Soares, Zeimara de Almeida Santos, Almir Diego Brito https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-12-02 2022-12-02 10 e024003 e024003 10.20396/riesup.v10i00.8668325 Políticas públicas de avaliação na educação superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8661573 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: O artigo discute resultados de uma pesquisa na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que teve como objetivos analisar o discurso das políticas públicas de avaliação para o ensino superior no Brasil e compreender como elas são recontextualizadas na prática da instituição. <strong>Metodologia</strong>: Fundamentado na abordagem histórico-dialética analisou como as reformas neoliberais têm interferido na formulação e desenvolvimento das práticas de avaliação na universidade pública. Os conceitos de Stephen Ball sobre recontextualização e ciclo de políticas nos auxiliaram na compreensão do hiato entre o texto da política e sua realidade na prática. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com setores e instâncias estratégicas responsáveis pela avaliação na universidade, com ênfase no Centro de Ciências da Saúde, incluindo diretores dos cursos de Medicina, Odontologia, Nutrição e Enfermagem. <strong>Resultados</strong>: Os dados foram interpretados com apoio da técnica de análise de conteúdo e os resultados agrupados em cinco dimensões de análise: 1. Relações entre neoliberalismo, globalização e educação superior; 2. Reformas universitárias e políticas educacionais no Brasil; 3. A diversidade das múltiplas abordagens teóricas sobre avaliação; 4. O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior; 5. Desafios na prática de avaliação na UFRJ. Ficou evidente a tensão entre o discurso da avaliação participativa e a realidade hierarquizada das práticas de avaliação como dispositivos para implementar tecnologias de regulação, controle e desempenho. <strong>Conclusão</strong>: Embora seja inegável a importância do trabalho que é desenvolvido pela universidade, as práticas de avaliação são pouco participativas e não estão relacionadas a um processo de aprendizado e desenvolvimento institucional.</p> Marcia Giraldez Evald Gustavo de Oliveira Figueiredo Copyright (c) 2022 Marcia Giraldez Evald, Gustavo de Oliveira Figueiredo https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-09-30 2022-09-30 10 e024005 e024005 10.20396/riesup.v9i00.8661573 Desafios e dificuldades de docentes universitários iniciantes na área de Ciências da Natureza e o potencial formativo do estágio de docência https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8663758 <p><strong>Introdução:</strong> O processo de preparação de docentes para o ensino superior é algo complexo e pouco explorado. Apresentam-se, aqui, resultados de investigação realizada com docentes universitários (iniciantes), atuando como formadores de professores num curso de Ciências Biológicas de uma universidade pública brasileira. <strong>Objetivo:</strong> Visa apresentar suas representações no que diz respeito às dificuldades/desafios em relação ao ensino<strong>. Metodologia:</strong> Trata-se de um estudo de caso, de cunho quali-quantitativo, uma pesquisa exploratória, fundamentada na legislação que normatiza os estágios de docência em cursos de Pós-Graduação <em>stricto sensu</em> e no que dizem alguns autores de renome a respeito deste espaço formativo. A partir de um questionário misto, as representações sociais dos participantes foram levantadas e analisadas por meio da técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. <strong>Resultados:</strong> As principais dificuldades/desafios enfrentados e suas sugestões visando minimizá-las/saná-las, podem ser resumidas às de ordem: pedagógicas, referentes ao planejamento e execução de aulas; burocráticas, como preenchimento de documentos e atendimento de normativas; falta de apoio/orientação por parte de coordenadores, baixos salários; e preocupações de ordem pessoal, relacionadas com a qualidade do ensino oferecido e com o comportamento desinteressado de alunos, entre outros. <strong>Conclusões:</strong> Embora não possam ser generalizados, os resultados apontam que a preparação à docência, que deveria ser realizada durante a pós-graduação, ainda não se apresenta como lugar formativo, apesar das intenções dos proponentes.</p> Beatriz Salemme Corrêa Cortela Gabriela Oldane Gebara Tarso Bortolucci Ferrari Copyright (c) 2022 Beatriz Salemme Corrêa Cortela, Gabriela Oldane Gebara, Tarso Bortolucci Ferrari https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-28 2022-10-28 10 e024006 e024006 10.20396/riesup.v10i00.8663758 O contexto educacional das pessoas com deficiência visual em duas instituições de ensino públicas federais de Rio Branco/AC https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8663742 <p>A presente pesquisa baseia-se na inclusão de alunos com deficiência visual e objetiva investigar o quantitativo de alunos com deficiência visual em instituições de ensino federal na cidade de Rio Branco /AC, os efeitos do processo de inclusão dos discentes DV, contextualizar os dados numéricos à realidade inclusiva adotada nestes espaços quanto ao ingresso, permanência e conclusão dos respectivos cursos e a narrativa de um dos autores que é pessoa com deficiência visual. O estudo concentrou-se no universo de pesquisa da Universidade Federal do Acre e do Instituto Federal do Acre, Campus Rio Branco. A pesquisa fundamenta-se numa metodologia de pesquisa quanti-qualitativa, os procedimentos levam em consideração as análises bibliográficas e da pesquisa de campo. Apresenta como resultados a reafirmação das contribuições que endossam os debates sobre a inclusão dos alunos com deficiência visual nas instituições federais de ensino na ótica de uma fundamentação teórica e prática vivenciada nas instituições alvos da investigação.</p> Antonia Diniz Cesar Gomes de Freitas Valdirene Nascimento da Silva Oliveira Copyright (c) 2022 Antonia Diniz, Cesar Gomes de Freitas , Valdirene Nascimento da Silva Oliveira https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024007 e024007 10.20396/riesup.v10i00.8663742 Internacionalização e Ensino Superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8664364 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: Em tempos de intensificação global da internacionalização no ensino superior e sua importância para as instituições de ensino, esta pesquisa aborda esse tema complexo, sujeito a múltiplas interpretações e percepções, por meio de uma investigação realizada sobre as convergências e divergências de compreensão e percepções dos alunos sobre a realidade das instituições de ensino superior brasileiras. <strong>Metodologia</strong>: A pesquisa foi realizada em quatro grandes instituições de ensino superior (IES) brasileiras e seus alunos de graduação nacionais e internacionais. A análise foi realizada por meio de pesquisa exploratória, descritiva, analítica, interpretativa e qualitativa. A estratégia utilizada para a consolidação e apresentação dos dados foi um estudo comparativo entre esses dois grupos. <strong>Resultados</strong>: Dos resultados obtidos, concluiu-se que existe uma forte ligação entre internacionalização e globalização, mobilidade, presença de uma língua estrangeira nas atividades das IES e das parcerias. Embora esteja em amadurecimento, persistem as múltiplas interpretações para a internacionalização do ensino superior. Identificam-se diferentes perspectivas sobre temas e realidades em relação ao Brasil e aos Estados Unidos. Estudantes estrangeiros dão mais importância ao Brasil depois de morar no país. <strong>Conclusão</strong>: A pesquisa mostrou que os brasileiros têm a percepção de que o Brasil está atrás do contexto global no ensino superior, enquanto para os norte-americanos o Brasil está alinhado, destaca-se a percepção mais positiva dos norte-americanos. Não há consenso sobre o "fim" comum para a internacionalização universitária. A pesquisa também demonstrou uma percepção de uma glamourização em relação à internacionalização das IES e que aprender um novo idioma é essencial para a educação internacional.</p> Renato Pereira Lima de Carvalho Mario Cesar Barreto Moraes Copyright (c) 2022 Renato Pereira Lima de Carvalho, Mario Cesar Barreto Moraes https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024009 e024009 10.20396/riesup.v10i00.8664364 Formação de educadores do campo https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8664685 <p><strong>Introdução</strong>: O projeto político da Educação do Campo visa, entre outras finalidades, contribuir com a formação de educadores engajados com as lutas dos povos indígenas e, portanto, desestabilizar o projeto colonizador, as práticas de genocídios e invasões de territórios. <strong>Objetivo</strong>: Com base nesses elementos, estabelecemos o seguinte objetivo de pesquisa: conhecer a representatividade indígena na matriz formativa da Licenciatura Interdisciplinar em Educação do Campo da UFF. <strong>Metodologia</strong>: Metodologicamente, adotamos a pesquisa qualitativa, exploratória, pautada na análise documental. <strong>Resultados/Conclusão</strong>: Os resultados indicam que o curso desenvolve temas relacionados às histórias, lutas e culturas dos povos indígenas de forma articulada ao pensamento decolonial.</p> Francisca Marli Rodrigues de Andrade Letícia Pereira Mendes Nogueira Copyright (c) 2022 Francisca Marli Rodrigues de Andrade, Letícia Pereira Mendes Nogueira https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024010 e024010 10.20396/riesup.v10i00.8664685 Empreendedorismo e engajamento em estudantes da educação superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8666248 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: O objetivo do presente estudo foi o de identificar níveis de ‘potencial empreendedor’ e ‘engajamento acadêmico’ em estudantes de duas Instituições de Ensino Superior (IES). <strong>Metodologia</strong>: Trata-se de uma pesquisa descritiva, quantitativa e transversal, com emprego de análises descritivas, psicométricas, de correlação e diferença de médias. A amostra foi constituída por 442 acadêmicos de cursos diversos de duas IES. Para obtenção dos dados optou-se pelo uso de questionário sociodemográfico, Escala para Identificar Potencial Empreendedor e o <em>Utrecht Work Engagement Scale-Students</em>. <strong>Resultados</strong>: Os resultados demonstraram adequada qualidade psicométrica das escalas e índices moderados tanto para engajamento como para potencial empreendedor. Foram encontradas correlações significativas entre as dimensões de ‘potencial empreendedor’ e ‘engajamento acadêmico’, o que denota o envolvimento entre esses constructos. Também foi verificada a qualidade psicométrica de escalas incipientemente estudadas no Brasil. Há evidências de que essas variáveis se associam positivamente. Cabe destacar que não foram encontrados estudos que utilizem, concomitantemente, as escalas utilizadas. Tanto o ‘potencial empreendedor’ quanto o ‘engajamento acadêmico’ são temas relevantes, especialmente no cenário acadêmico visando a preparação de estudantes para o mercado de trabalho no contexto da Quarta Revolução Industrial. <strong>Conclusão</strong>: Por fim a identificação de variáveis relevantes tanto no cenário organizacional como educacional, uma vez que o potencial empreendedor e o engajamento são capazes de incrementar a performance e bem-estar nos mais diversos contextos.</p> Pedro Guilherme Basso Machado Paulo Cesar Porto-Martins Dilmeire Sant´ Anna Ramos Vosgerau Copyright (c) 2022 Pedro Guilherme Basso Machado, Paulo Cesar Porto-Martins, Dilmeire Sant´ Anna Ramos Vosgerau https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024011 e024011 10.20396/riesup.v10i00.8666248 Gênero e as relações de opressão no contexto social https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668115 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: O presente estudo tem como objetivo identificar as opressões de gênero vividas pelas alunas de um curso de Licenciatura em Educação Física, numa universidade pública no Norte de Minas Gerais, com o intuito de contribuir para a percepção sobre as relações de gênero (na visão das alunas) no âmbito daquele curso. Este trabalho possui o objetivo de contribuir para o entendimento dos diferentes tipos de comportamentos nas relações de gênero dentro do ambiente universitário, do referido curso. <strong>Metodologia</strong>: A metodologia usada é baseada em uma pesquisa qualitativa, de caráter exploratório, a partir de um questionário <em>on-line</em>. <strong>Resultados</strong>: Encontramos uma grande influência do pensamento patriarcal nos pensamentos, emoções, sentimentos e ações das entrevistadas, e como isso acabou por influenciar a universidade. <strong>Conclusão</strong>: Concluímos sobre a importância de maior esclarecimento, e de maior informação, acerca dos conceitos de gênero (e opressão de gênero), para que a mulher tenha mais espaço e voz.</p> Naanna Evangelista Agostinho Silva Carla Chagas Ramalho José Jairo Vieira Copyright (c) 2022 Naanna Evangelista Agostinho Silva, Carla Chagas Ramalho, José Jairo Vieira https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024014 e024014 10.20396/riesup.v10i00.8668115 Internacionalização do ensino superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8669066 <p><strong>Objetivo</strong>: Este artigo busca identificar fatores restritivos à realização de Mobilidade Acadêmica Internacional por acadêmicos da Área de Conhecimento de Ciências Sociais, considerando, para fins de análise, pesquisa realizada em uma universidade comunitária brasileira, aproximando os resultados obtidos a estudos realizados por outros pesquisadores. <strong>Metodologia</strong>: A pesquisa de caráter exploratório-descritivo teve, como técnica para coleta de dados, a aplicação de questionário <em>online, </em>com perguntas distribuídas em quatro seções assim constituídas a) perfil dos acadêmicos; b) conhecimento sobre o assunto abordado; c) interesse em realizar a mobilidade acadêmica internacional (MAI) e d) fatores que restringiriam a realização de MAI, totalizando 180 respondentes. <strong>Resultados</strong>: Após compilação, na análise dos dados, observou-se que entre os fatores restritivos predomina a falta de recursos financeiros (ou fatores associados), além da menção à barreira linguística. A falta de divulgação ou o desconhecimento de programas de MAI também foram apontados como restritivos. Nesse sentido, os resultados, no que tange a fatores restritivos, aproxima-se ao de outras pesquisas já realizadas. <strong>Conclusão</strong>: Nas considerações, em tom reflexivo, questiona-se sobre a eficácia de estratégias de comunicação entre as instituições e acadêmicos e sobre programas de mobilidade acadêmica virtual. Ainda, considera-se que entre os fatores restritivos há a existência de fatores emocionais, como o medo do desconhecido.</p> Patricia Carvalheiro Pereira Michel Bregolin Luciane Todeschini Ferreira Copyright (c) 2022 Patricia Carvalheiro Pereira, Michel Bregolin, Luciane Todeschini Ferreira https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024016 e024016 10.20396/riesup.v10i00.8669066 Pedagogia crítica para a gestão pública e social https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8669959 <p><strong>Introdução</strong>: O campo teórico-prático deste artigo é o do reconhecimento das práticas educativas e extensionistas como campos de disputa, entre paradigmas, teorias e significados possíveis. O contexto é a construção do Plano Político Pedagógico de um Bacharelado em gestão pública/social e políticas públicas, em uma das mais novas Universidades do país.<strong> Objetivo</strong>: O artigo objetiva socializar e refletir em torno da experiência de construção de um dispositivo pedagógico que chamamos de Oficina Temática (OT) a partir da vontade de construir uma pedagogia crítica em gestão pública/social e políticas públicas. <strong>Metodologia:</strong> Em termos metodológicos, trata-se de uma abordagem reflexiva, suportada por pesquisa bibliográfica, de uma prática de construção político-pedagógica buscando aprofundar as apostas teórico-metodológicas que o desenho do mesmo subtende e implica. <strong>Resultados</strong>: O resultado é o de enuclear as implicações teórico-práticas de inovações metodológicas instigadas pela exigência de creditação curricular da extensão, buscando avançar na efetiva integração entre ensino /pesquisa/ extensão. <strong>Conclusão:</strong> O desenho da OT interpreta criativamente o cenário de curricularização da extensão permitindo indagar o significado do conceito de experiência na construção curricular e abrindo um espaço autônomo de autoconhecimento por parte discente em relação ao tipo de profissional que pretende ser.</p> Valéria Giannella Copyright (c) 2022 Valéria Giannella https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024017 e024017 10.20396/riesup.v10i00.8669959 O que dizem estudantes da Unesp sobre experiência com Ensino Remoto Emergencial https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667598 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: O presente estudo tem por objetivo discutir narrativas de estudantes de duas disciplinas, de dois cursos de graduação, de uma das unidades da Universidade Estadual Paulista (Unesp), a Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, acerca de suas experiências com o Ensino Remoto Emergencial (ERE). <strong>Metodologia</strong>: O ERE foi proposto em razão da pandemia da Covid-19 e se caracterizou por interações com finalidades pedagógicas por meio de aulas síncronas e assíncronas em plataformas digitais. Participaram deste estudo 59 estudantes regularmente matriculados nos cursos de Licenciatura em Matemática e Bacharelado em Zootecnia. Os dados foram constituídos por meio de um formulário online, no qual os estudantes foram convidados a escrever sobre suas experiências com ERE no ano letivo de 2020, e analisados na perspectiva das Mônadas de Walter Benjamim. <strong>Resultados</strong>: Pelas respostas ao formulário foi possível caracterizar descrições de experiências, diagnósticos e expectativas dos estudantes sobre ERE, bem como reflexões sobre desempenho nas atividades didáticas propostas, acerca da própria aprendizagem e do isolamento social. <strong>Conclusão</strong>: A maioria dos 59 estudantes consultados reconhece que o ERE cumpre o propósito de diminuir perdas em relação ao conteúdo das disciplinas, previstos nas matrizes curriculares dos cursos, mas as desigualdades sociais, evidenciadas pela falta de infraestrutura física e tecnológica, se fizeram presentes nas experiências com as atividades de ensino realizadas remotamente.</p> Flavio Augusto Leite Taveira Natália Torres Colombo Alves Deise Aparecida Peralta Copyright (c) 2022 Flavio Augusto Leite Taveira, Natália Torres Colombo Alves, Deise Aparecida Peralta https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024018 e024018 10.20396/riesup.v10i00.8667598 Participação e reconhecimento social no contexto da gestão universitária https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8666942 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: O artigo descreve a experiência da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) no que se refere à capacitação anual de pessoal técnico administrativo. Com isso, indica em que medida a participação desses servidores no planejamento desse processo revela engajamento profissional e traduz um percurso de lutas por reconhecimento social desta categoria. <strong>Metodologia</strong>: A base de dados produzida na investigação foi fruto de uma pesquisa aplicada, realizada em 2017, no programa de mestrado profissional em Gestão e Tecnologias Aplicadas à Educação da UNEB. A questão central que orientou o percurso metodológico foi quais as possíveis relações existentes entre participação e o reconhecimento social observáveis nas práticas desse segmento analisado? Para responder tal questão, foram realizadas oficinas, a partir de grupos focais, para apreensão de um senso coletivo estabelecido. <strong>Resultados</strong>: Com a análise de conteúdo por frequência temática, os resultados indicaram que a participação ocorre na forma concedida, em grau de consulta e no nível de execução de ações. <strong>Conclusão</strong>: Por outro lado, mesmo distante de uma participação efetiva, apresenta indícios de valorização e reconhecimento do técnico administrativo.</p> Kleber Monteiro Pinto Carla Liane Nascimento dos Santos Copyright (c) 2022 Kleber Monteiro Pinto, Carla Liane Nascimento dos Santos https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-01 2022-11-01 10 e024022 e024022 10.20396/riesup.v10i00.8666942 Panorama dos programas de residência para farmacêuticos na América do Sul https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667470 <p>A pesquisa mapeou os programas de residências para farmacêuticos na América do Sul. Foi realizado estudo transversal, descritivo, quantitativo. Os dados foram coletados em consulta aos sítios eletrônicos e editais dos programas de residência, no período de janeiro a junho de 2021. As variáveis analisadas foram a região geográfica, financiamento, número de vagas, área de concentração e perfil das instituições. <strong>Os resultados apontam que e</strong>mbora tenham bibliografias sobre programas na Argentina, Brasil e Peru, apenas para os dois primeiros foi possível identificar programas ativos. Foram identificados 35 cursos oferecidos na Argentina e 216 no Brasil. Enquanto a maioria dos programas de Buenos Aires estão concentrados na província de Buenos Aires; no Brasil, os cursos foram identificados em todas as regiões, a maior parte na região sudeste, principalmente no estado de São Paulo. O setor público é o principal responsável pelo financiamento das bolsas de estudo, em ambos os países. Enquanto no Brasil existem dois modelos de residência, uniprofissional e multiprofissional, na Argentina, observou-se apenas programas uniprofissionais. O hospital é o principal cenário de prática em ambos os países, 97,2 % na Argentina e 83,7 % no Brasil. Apesar dos programas de residência serem modelos de educação permanente bem sucedidos em diversos países, ainda há carência deste tipo formação profissional nos países da América do Sul.</p> Sabrina Calil-Elias Zilda de Santana Gonsalves Selma Rodrigues de Castilho Copyright (c) 2022 Sabrina Calil-Elias, Zilda de Santana Gonsalves, Selma Rodrigues de Castilho https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-01 2022-11-01 10 e024023 e024023 10.20396/riesup.v10i00.8667470 Desafios e tensões do estágio curricular supervisionado na educação infantil https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667469 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: O artigo reflete acerca do papel do estágio curricular supervisionado na Educação Infantil no curso de Pedagogia de duas instituições públicas de ensino superior do Estado do Paraná, especificamente nos municípios de Guarapuava e Maringá. <strong>Metodologia</strong>: Trata-se de pesquisa qualitativa, de caráter documental, que considera inicialmente a especificidade da Educação Infantil e da docência com as crianças, a finalidade do estágio supervisionado no contexto formativo e, a partir da análise da configuração dessa disciplina nos dois cursos, problematiza características, desafios e tensões que marcam a constituição da profissionalidade docente. <strong>Resultados</strong>: A análise revelou dificuldades que se assemelham nas duas instituições, especialmente voltadas à configuração do campo de estágio, às concepções de Educação Infantil e à desvalorização dos profissionais. <strong>Conclusão</strong>: Concluímos ser urgente pensar na necessária articulação entre as instituições formativas e aquelas campo de estágio, bem como ampliar a carga horária dedicada a essa tarefa como forma de superar a marginalização social das crianças e dos profissionais que trabalham com elas.</p> Aliandra Cristina Mesomo Lira Heloisa Toshie Irie Saito Copyright (c) 2022 Aliandra Cristina Mesomo Lira, Heloisa Toshie Irie Saito https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-21 2022-11-21 10 e024024 e024024 10.20396/riesup.v10i00.8667469 Política educacional, acesso e inovação nos cursos de licenciatura a distância https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668174 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: Esta pesquisa tem por objetivo analisar teses e dissertações em educação que tratam sobre a política educacional, acesso e inovação nos cursos de licenciatura na educação superior a distância e identificar o método científico utilizado nesses estudos. <strong>Metodologia</strong>: O percurso metodológico desta investigação é desenvolvido por meio de pesquisa bibliográfica realizada no Catálogo de Teses e Dissertações da Capes, tendo como recorte temporal o período de 2010 a 2020. Também foi usada a pesquisa documental para subsidiar as análises desenvolvidas por meio de abordagens qualitativas e quantitativas, desvelando elementos que constituem o objeto e que materializam os resultados identificados. O estudo destaca um conjunto de 9 trabalhos correlatos à EaD na educação superior, sendo sete das publicações dissertações e duas teses que envolvem a temática em questão. <strong>Resultado</strong>: Sobre o método científico utilizado nas publicações, observamos como principal referencial teórico indicando o método dialético voltado à perspectiva epistemológica marxista. <strong>Conclusão</strong>: As conclusões apontam a escassez de pesquisas específicas acerca da relação entre política educacional, acesso e inovação nos cursos EaD. As publicações destacam que a EaD no Brasil segue uma lógica neoliberal, associando inovação ao uso de tecnologias e à tentativa de organização da formação docente via modalidade a distância, mas com fraturas importantes resultantes do processo de precarização da educação superior.</p> Carina Elisabeth Maciel Franciele Aparecida Henrique Taveira Kelly Cristina da Silva Ruas Copyright (c) 2022 Carina Elisabeth Maciel , Franciele Aparecida Henrique Taveira, Kelly Cristina da Silva Ruas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-21 2022-11-21 10 e024025 e024025 10.20396/riesup.v10i00.8668174 O impacto da interiorização do ensino de medicina https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668513 <p><strong>Introdução</strong>: O Curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC), em Sobral, há 20 anos vem formando médicos no interior do estado do Ceará, resultado do processo de interiorização desta Instituição Federal de Ensino Superior (IFES) que teve início em 2001. Atualmente, o curso conta com 720 médicos graduados até dezembro de 2020. <strong>Objetivo</strong>: Diante do exposto, considerando o papel transformador da universidade na sociedade em que está inserida, este artigo tem como objetivo avaliar a interiorização do ensino superior por meio das contribuições de um Curso de Medicina da UFC nos níveis da atenção à saúde primária, secundária e terciária no município de Sobral, dado o período de 2007 a 2020. <strong>Metodologia</strong>: A metodologia do estudo caracteriza-se por uma pesquisa descritiva, qualitativa e quantitativa, ancorada em uma análise documental realizada nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina (DCN), resoluções da UFC e no Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (CNES) e em uma pesquisa de campo com aplicação de questionários à egressos de medicina. <strong>Resultados</strong>: Os resultados do estudo mostram que o Curso de Medicina de Sobral é um modelo exitoso do processo de interiorização do ensino superior no Brasil, realizado por uma IFES. <strong>Conclusão</strong>: Como conclusão, percebe-se a contribuição da Universidade Federal do Ceará para a melhoria da assistência à saúde da cidade de Sobral no estado do Ceará por meio da atuação dos seus egressos nos equipamentos públicos de saúde do município.</p> Antonio Vanderley Moreira Maxweel Veras Rodrigues Conceição de Maria Pinheiro Barros Copyright (c) 2022 Antonio Vanderley Moreira, Maxweel Veras Rodrigues, Conceição de Maria Pinheiro Barros https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-01 2022-11-01 10 e024026 e024026 10.20396/riesup.v10i00.8668513 Desenvolvimento e testes iniciais de validade da escala de experiências associadas ao ensino remoto https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668665 <p>Na Pandemia da Covid-19, muitas instituições de ensino superior adotaram aulas remotas para manter o distanciamento social e garantir a continuidade dos estudos nesse período. Este artigo apresenta o processo de desenvolvimento e as evidências iniciais de validade da Escala Experiências Associadas ao Ensino Remoto, que contou com três etapas: 1) construção de 20 itens derivados de entrevistas e da adaptação de uma escala de domínio de habilidades de uso de novas tecnologias. Após a avaliação por juízes, a escala contou com 15 itens distribuídos em duas dimensões (autodisciplina e domínio tecnológico); 2) aplicação da escala a 971 universitários, de 17 instituições públicas e privadas, matriculados em cursos presenciais que durante a pandemia adotaram aulas remotas. As análises fatoriais exploratória e confirmatória indicaram uma estrutura bidimensional com 10 itens e bons indicadores psicométricos e de ajuste; 3) teste da relação da medida com os construtos de atitudes frente à educação a distância e desenvolvimento profissional; e comparação entre grupos de estudantes com ou sem experiência prévia na EaD. Tal relação positiva com ambas as variáveis foi confirmada, além de terem sido identificados escores mais elevados de adaptação ao ensino remoto entre os discentes que já tinham alguma experiência com a modalidade a distância. Os resultados permitem recomendar o uso da escala desenvolvida, com indicações de possíveis contribuições teóricas e práticas a partir da adoção da medida.</p> Danielle Mello Ferreira Luciana Mourão Cerqueira e Silva Lara Barros Martins Copyright (c) 2022 Danielle Mello Ferreira, Luciana Mourão Cerqueira e Silva, Lara Barros Martins https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-21 2022-11-21 10 e024027 e024027 10.20396/riesup.v10i00.8668665 As contribuições dos educadores anarquistas à pedagogia freireana https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8669136 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: O presente artigo tem como objetivo relacionar as pedagogias antiautoritária de Paulo Freire e a Educação libertária do movimento Anarquista. Para tanto, busca identificar em que medida se verificam vestígios das forças do pensamento anarquista manifestado por Proudhon (1809-1865), Bakunin (1814-1876), entre outros, que permanecem nas pedagogias imortais em Paulo Freire (1921-1997). <strong>Metodologia</strong>: Com base em metodologia qualitativa interpretativa propusemos a 32 alunos de 2 turmas de Pós-graduação em áreas da Educação a avaliação da qualidade da experiência de sua própria aprendizagem durante o curso de modo a tornar esses alunos investigadores de si próprios. <strong>Resultados</strong>: Os resultados desse estudo contribuem para o entendimento dos nexos entre a Educação Libertária, anarquista, do século XIX-XX, e as pedagogias de Paulo Freire. <strong>Conclusão</strong>: A conclusão foi de que Paulo Freire abordou o ideal anarquista, colocando-o à contemporaneidade de modo político e como ferramenta de desconstrução da realidade única e reconstrução de um mundo diverso.</p> <p> </p> <p><strong> </strong></p> Amália Galvão Idelbrando Copyright (c) 2022 Amália Galvão Idelbrando https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-21 2022-11-21 10 e024029 e024029 10.20396/riesup.v10i00.8669136 A educação superior na literatura acadêmica da América Latina https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8669371 <p><strong>Introdução</strong>: A educação superior é um campo em desenvolvimento no mundo todo e na América Latina. <strong>Objetivo</strong>: Este artigo analisa o desenvolvimento do campo na região a partir da literatura acadêmica. <strong>Metodologia</strong>: Com um enfoque cienciométrico, baseado em dados de publicação, analisa o crescimento, o idioma, as revistas de publicação, a distribuição geográfica, temática e de citações, a cooperação e a colaboração internacional nos artigos latinoamericanos sobre educação superior com circulação regional e internacional. <strong>Resultados/Conclusão</strong>: Os resultados mostram um campo multidisciplinar, que crece e se desenvolve em torno de debates e investigações sobre educação superior e universidade em uma multiplicidade de temas e enfoques.</p> Dirce Maria Santin Bernardo Sfredo Miorando Célia Elizabete Caregnato Copyright (c) 2022 Dirce Maria Santin, Bernardo Sfredo Miorando, Célia Elizabete Caregnato https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-21 2022-11-21 10 e024030 e024030 10.20396/riesup.v10i00.8669371 Mulheres, professoras e pesquisadoras https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8670871 <p><strong>Introdução: </strong>Nesta pesquisa, temos por objetivo geral apresentar questões que podem ser identificadas e analisadas, em torno das vivências de mulheres, docentes, pesquisadoras, que estiveram no espaço universitário frente ao momento de pandemia (a qual teve início no ano de 2019), em função do Coronavírus/COVID-19. O isolamento social, que foi imposto como uma das medidas de contenção do vírus, exigiu (e tem exigido) de todas e todos nós, (re)pensarmos novas adaptações e readequações, principalmente, no que concerne ao âmbito acadêmico. As docentes têm sido desafiadas a refletirem sobre suas atividades nos diversos aspectos, tanto profissionais quanto pessoais. Desta maneira, tomando por base, o contexto de pandemia mundial, problematizamos: quais as questões que podem ser identificadas e analisadas, em torno das vivências de mulheres, docentes, pesquisadoras, que estiveram no espaço universitário frente ao momento de pandemia? <strong>Método: </strong>Para tanto, aplicamos um questionário por meio da plataforma Google Forms, para dez mulheres, docentes, pesquisadoras e que, encontravam-se inseridas em programas de Pós-Graduação durante os anos de 2020 e 2021. Os dados coletados foram analisados a partir dos Estudos Feministas e de Gênero, pertinentes para análise e discussão das nuances do “ser mulher” e suas experiências frente às exigências deste momento histórico. <strong>Resultados/Conclusão</strong>: Os dados evidenciaram as desigualdades de gênero associadas às mulheres pesquisadoras, além disso, indicaram a necessidade de repensarmos as questões de gênero diante do contexto de pandemia ocasionada pelo COVID-19.</p> Jean Pablo Guimarães Rossi Thaíse Fernanda de Lima Mares Eliane Rose Maio Copyright (c) 2022 Jean Pablo Guimarães Rossi, Thaíse Fernanda de Lima Mares, Eliane Rose Maio https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-21 2022-11-21 10 e024032 e024032 10.20396/riesup.v10i00.8670871 Relações de gênero no meio acadêmico https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8670258 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: A pesquisa aqui relatada se refere a um estudo exploratório realizado com estudantes universitários sobre suas concepções acerca das relações de gênero na educação superior. <strong>Metodologia</strong>: A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário aberto e contou com a colaboração de 149 participantes (47 homens e 102 mulheres) de diferentes cursos e instituições de ensino. O reconhecimento e análise de situações, tais como a predominância de gênero em alguns cursos e as diferenças históricas de participação das mulheres na ciência, ainda revelam concepções pouco problematizadas e simplistas. Por exemplo, a natureza do cuidar ainda é atribuída como uma característica feminina e de pouco valor intelectual. <strong>Resultado</strong>: Tais visões podem se desdobrar em atitudes de discriminação que atuam na manutenção do status quo vigente, pois obstaculizam algumas tarefas, em especial no campo científico. <strong>Conclusão</strong>: Abandonar compreensões e práticas de uma sociedade patriarcal não é simples ou natural. Ainda é preciso uma análise crítica e a problematização dos meios de produção e divisão do trabalho, bem como de comportamentos e atitudes ao longo do percurso de vida.</p> Wilmo Ernesto Francisco Junior Andreza Alves de Souza Mônica dos Santos Ferreira Copyright (c) 2022 Wilmo Ernesto Francisco Junior, Andreza Alves de Souza, Mônica dos Santos Ferreira https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-21 2022-11-21 10 e024033 e024033 10.20396/riesup.v10i00.8670258 Educação popular, cultura e democracia https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8664664 <p><strong>Introdução/Objetivo:</strong> O presente texto busca refletir sobre o Instituto de Economia <em>Fulidaidai-Slulu</em>, compreendendo-o como uma universidade popular camponesa do Timor-Leste por meio da relação entre Educação Popular, cultura e democracia. <strong>Metodologia: </strong>Destaca-se que a presente reflexão apenas foi possível em função de minha experiência junto à construção do currículo dessa universidade camponesa, quando, em 2013, realizei atividades junto à Cooperação Brasileira no país leste-timorense, e num segundo momento, em 2017, quando atuei como docente do instituto como atividade do meu doutorado sanduíche junto a Universidade Nacional de Timor <em>Lorosa’e</em>. <strong>Resultados/Conclusão:</strong> Acerca dos resultados e conclusões, destaca-se que, não havendo uma desvinculação entre formação de mão de obra e formação humana, o instituto põe em prática a Educação Popular como expressão da cultura rebelde, atuando junto ao processo de conscientização dos camponeses, sendo que os próprios membros da União dos Agricultores de Ermera (UNAER) são também protagonistas desse processo educativo, atuando na disseminação e desenvolvimento de uma economia e de uma tecnologia ligada a outro modelo societário (democrático).</p> Samuel Penteado Urban Copyright (c) 2022 Samuel Penteado Urban https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-01-27 2023-01-27 10 e024035 e024035 10.20396/riesup.v10i00.8664664 Educação científica na pós-graduação https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667236 <p>Descreve-se uma abordagem da educação científica desenvolvida e experienciada na formação de docentes e pesquisadores, numa pós-graduação em estudos linguísticos aplicados, na Região Norte do Brasil. Nesse sentido, este artigo apresenta a caracterização de uma ferramenta denominada Circuito da Educação Científica (CEC), utilizada no planejamento de curso na perspectiva da referida abordagem. A pesquisa documental ainda ilustra os desafios instaurados numa tarefa de divulgação científica integrante do planejamento. Fundamenta-se numa articulação indisciplinar de pressupostos teóricos sobre práticas de pesquisa no ensino e na formação docente. O estudo mostrou que a faceta processual da educação científica foi favorecida pelo planejamento colaborativo do curso, e revelou quatro atividades linguísticas instauradas na reescrita de artigos de opinião produzidos e publicados em jornais: escolha lexical; nomenclaturas definidas; referência e citação; e conteúdo tematizado. Essa tarefa garantiu uma experiência de divulgação científica pelos pós-graduandos.</p> Wagner Rodrigues Silva Copyright (c) 2022 Wagner Rodrigues Silva https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024012 e024012 10.20396/riesup.v10i00.8667236 Práticas de estudo na comunidade acadêmico-digital https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667949 <p>Este texto relata a experiência de três professoras universitárias a partir de um projeto apresentado ao Programa de Assistência Estudantil (PAE), elaborado com o intuito de introduzir os estudantes no ensino remoto emergencial no contexto da pandemia da COVID-19.&nbsp; O curso proposto “Práticas de Estudo na Comunidade Acadêmico-Virtual”, teoricamente fundamentado na aprendizagem dialógica, trouxe elementos essenciais para o bom desempenho dos estudantes, explorando diferentes linguagens acadêmicas muito utilizadas nos cursos de graduação: leitura crítica, escrita de resumos e resenhas, elaboração e gravação de seminários. Os estudantes inscritos eram de diferentes cursos de graduação da universidade e estavam em semestres iniciais em sua maioria. Entendemos que a oferta do curso, baseado em evidências científicas de máximas aprendizagens foi fundamental para o acompanhamento dos estudantes em seus cursos de graduação e para nossa formação continuada, oportunizando a vivência da co-docência. Nesse sentido, pudemos evidenciar que a diversidade das docentes (de formação, atuação profissional e tempo na universidade) foram determinantes para que todos os objetivos fossem alcançados.</p> Adriana Fernandes Coimbra Marigo Claudia Reyes Isabela Custódio Talora Bozzini Copyright (c) 2022 Adriana Fernandes Coimbra Marigo, Claudia Reyes, Isabela Custódio Talora Bozzini https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024013 e024013 10.20396/riesup.v10i00.8667949 Ações extensionistas em uma disciplina de educação ambiental https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668251 <p><strong>Introdução/Objetivo</strong>: Este trabalho foi escrito com o objetivo de promover reflexão sobre uma experiência de curricularização da extensão em uma disciplina de graduação. A disciplina de Educação Ambiental foi ministrada no formato remoto durante a pandemia da COVID-19, em uma universidade pública do sul do Brasil. <strong>Metodologia</strong>: A pesquisa com abordagem qualitativa de natureza exploratória apresenta oito ações extensionistas de sensibilização ambiental idealizadas e implementadas pelos estudantes de diferentes cursos de graduação durante dois semestres letivos. Neste estudo são destacados dois desafios: o primeiro, trabalhar de forma remota, e o segundo, ministrar uma disciplina com o compromisso de realização de ações de extensão pelos graduandos organizados em equipes. <strong>Resultados</strong>: Os resultados revelaram que, além do protagonismo dos estudantes, as ações de extensão contribuíram para a divulgação e sensibilização quanto a temáticas de interesse ambiental. <strong>Conclusão</strong>: Entende-se que uma disciplina de caráter extensionista, embora exija uma dedicação maior tanto de professores quanto de graduandos, se configura como uma possibilidade viável de inserir a extensão universitária no currículo dos cursos de graduação, de promover a formação integral dos estudantes e de contribuir para a transformação da sociedade.</p> Jana Magaly Tesserolli de Souza Josmaria Lopes de Morais Copyright (c) 2022 Jana Magaly Tesserolli de Souza, Josmaria Lopes de Morais https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024015 e024015 10.20396/riesup.v10i00.8668251 Canastra anatômica https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8663947 <p><strong>Introdução</strong>: A anatomia humana ainda é uma disciplina que os professores apresentam mais dificuldades em romper com o modelo tradicional de ensino. O conteúdo extenso e que deve ser memorizado em um curto espaço de tempo, torna o ensino monótono e desinteressante do ponto de vista dos alunos. O jogo em sala de aula entra como uma ferramenta de apoio, com o intuito de tornar o processo de ensino dinâmico, divertido e prazeroso. <strong>Objetivo</strong>: Este artigo teve como objetivos o desenvolvimento e a avaliação de um jogo pedagógico para dar suporte ao aprendizado dos músculos e articulações envolvidos nos movimentos do ombro, aos graduandos da área da saúde. <strong>Metodologia</strong>: Trata-se de um relato de experiência com abordagens quantitativas e qualitativas. A geração de dados ocorreu por meio de um questionário <em>on-line</em> respondido de forma anônima e voluntária, com nove perguntas fechadas e três abertas, assim como as notas de campo redigidas pela professora. Utilizou-se a análise de conteúdo para as questões abertas e o cálculo de <em>Ranking</em> Médio para questões fechadas em Escala de Likert. Participaram da pesquisa 120 alunos. Foi desenvolvido um baralho, com regras adaptadas do tradicional jogo de cartas chamado “Canastra”, no qual os alunos devem formar uma sequência com as cartas dos músculos de cada movimento articular. <strong>Resultados/Conclusão</strong>: Os resultados indicaram que o jogo de cartas “Canastra Anatômica” se mostrou uma estratégia motivadora e promissora para o aprendizado de anatomia, proporcionando uma aula lúdica, descontraída e divertida, sendo avaliado positivamente pela maioria dos participantes.</p> Emília Cristina Benevides de Freitas Carolina Nascimento Spiegel Copyright (c) 2022 Emília Cristina Benevides de Freitas, Carolina Nascimento Spiegel https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-21 2022-11-21 10 e024019 e024019 10.20396/riesup.v10i00.8663947 A universidade como deve ser https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8661935 <p>Resenha de Livro "A Universidade como deve ser" de António Feijó e Miguel Tamen.</p> <p> </p> Hélia Bracons Copyright (c) 2022 Hélia Bracons https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024008 e024008 10.20396/riesup.v10i00.8661935 Resenha sobre o livro "Posicionamentos epistemológicos nas pesquisas em políticas educacionais em cenários incertos" https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8669063 <p>Este trabalho se constitui em uma resenha da obra “Posicionamentos epistemológicos nas pesquisas em políticas educacionais em cenários incertos”, que tem por objetivo trazer um debate sobre os diferentes enfoques epistemológicos utilizados nas pesquisas em Políticas Educacionais, em tempos de desgovernos vivenciados pelo descaso à ciência no governo de Jair Bolsonaro, nesta primeira metade de século XXI, no Brasil. Os autores da obra resenhada, acreditam que a pesquisa se configura como um campo de disputa onde as diferentes correntes teóricas apresentam argumentos que embasem sua forma de analisar a realidade e suas contradições. Para os autores, este conjunto de justificativas configura-se em posturas e demarcações éticas e políticas, que do início ao fim, constituem posicionamentos frente àquilo que se propõe investigar. </p> Bruna Surdi Alves Copyright (c) 2022 Bruna Surdi Alves https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-10-30 2022-10-30 10 e024028 e024028 10.20396/riesup.v10i00.8669063 Uma reflexão sobre o apoio pedagógico no ensino superior brasileiro https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8666934 <p>O texto traz a resenha do e-book ‘’Os serviços de apoio pedagógico aos discentes no ensino superior brasileiro’’ organizado por Carlos Dias, Michelle Toti, Helena Sampaio e Soely Polydoro, que apresenta ações desenvolvidas por instituições de ensino superior com objetivo de apoiar estudantes no seu percurso universitário. Trata-se de uma compilação de textos voltados para o registro de experiências e para a reflexão teórica acerca do apoio pedagógico na educação superior, notadamente no contexto brasileiro: seus antecedentes, suas principais características, os profissionais envolvidos, as principais estratégias desenvolvidas para atender a demanda dos estudantes e os desafios encontrados pelos profissionais dedicados a este trabalho.</p> Rosana Heringer Bruna Crespo Jessica Borges Copyright (c) 2022 Rosana Heringer, Bruna Crespo, Jessica Borges (Resenhista) https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2023-01-28 2023-01-28 10 e024038 e024038 10.20396/riesup.v10i00.8666934 O programa MD/PhD https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8662062 <p><strong>Introdução</strong>: O Programa de treinamento em pesquisa médica surgiu nos Estados Unidos, em 1956, e consiste no treinamento científico de graduandos de medicina para a formação de profissionais altamente qualificados para dupla atuação no contexto médico: clínica e pesquisa. <strong>Objetivo</strong>: O presente artigo tem o objetivo de relatar algumas ocorrências do Programa MD/PhD pelo mundo, utilizando como ponto de partida, e como inspiração para a pesquisa de artigos científicos e sites institucionais que relatassem a experiência MD/PhD, o artigo “The combined medical/PhD degree: a global survey of physician-scientist training programs”. <strong>Metodologia</strong>: Porém, para o contexto brasileiro, foram utilizados dados fornecidos pela Capes sobre o financiamento do programa até dezembro de 2019. Nos resultados são apresentadas experiências do programa MD/PhD nos cinco continentes, incluindo suas particularidades e semelhanças. <strong>Resultado/Conclusão</strong>: E nas considerações finais são apresentados pontos comuns abordados nos diferentes países e sistemas MD/PhD, como a recorrente inspiração no modelo estadunidenses e a necessidade de combater o recente declínio de pesquisadores clínicos. No Brasil, assim como em países de recente implementação, o programa ainda carece de estudos que avaliem seus impactos. A observação das características e peculiaridades do MD/PhD nos diferentes continentes e países do mundo nos permite vislumbrar algumas ferramentas que podem ser utilizadas para o fortalecimento e a expansão do programa a nível nacional.</p> Hayslla Boaventura Piotto Luciana Calabró Copyright (c) 2022 Hayslla Boaventura Piotto, Luciana Calabró https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-20 2022-11-20 10 e024001 e024001 10.20396/riesup.v10i00.8662062 Formação continuada de professores no ensino superior https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8667147 <p><strong>Introdução/Objetivo:</strong> A intenção do artigo acentua-se sobre a discussão acerca de processos de formação continuada no Ensino Superior (ES) como importantes na consolidação do Desenvolvimento Profissional Docente (DPD). <strong>Metodologia</strong>: O diálogo apresenta interlocuções com as ações do Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS),<em> campus</em> Cerro Largo, RS, no desenvolvimento do curso de formação: “Educação Superior: desafios da formação”. Pela Análise Temática de Conteúdo (ATC) são trazidos argumentos atinentes às compreensões dos participantes do curso (professores formadores, técnicos administrativos em educação (TAEs) e alunos da Pós-Graduação (mestrandos) ancoradas em respostas a perguntas direcionadas por meio da aplicação de um questionário sobre os objetivos do processo de formação em questão. <strong>Resultados</strong>: Para além das contribuições do curso também é direcionada atenção para as concepções de docência dos sujeitos participantes. <strong>Conclusão</strong>: As concepções implicam situar as possibilidades formativas decorrentes do desenvolvimento de encontros balizados pelo modelo da Investigação-Formação-Ação (IFA), na qual cada participante do processo é convidado para a pesquisa da própria prática e, dessa maneira, a reflexão crítica passa a ter um potencial formativo, especialmente no tocante do DPD.</p> Eduarda da Silva Lopes Franciele Siqueira Radetzke Roque Ismael da Costa Güllich Copyright (c) 2022 Eduarda da Silva Lopes, Franciele Siqueira Radetzke, Roque Ismael da Costa Güllich https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-11-01 2022-11-01 10 e024020 e024020 10.20396/riesup.v10i00.8667147