https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/issue/feed RUA 2022-12-13T15:28:55+00:00 Eni Puccinelli Orlandi publabe@unicamp.br Open Journal Systems <p><strong>Escopo:</strong> A <strong>RUA</strong> é uma revista do Laboratório de Estudos Urbanos do Nudecri/Unicamp e reúne artigos, produções artísticas e resenhas de obras que tratem de práticas da cidade a partir das dimensões do simbólico e do político em uma relação entre o saber urbano e a linguagem. Seu objetivo principal é o de refletir sobre o espaço urbano concebido como espaço de significação, propiciando um diálogo entre diferentes áreas do conhecimento.<br /><strong>Qualis</strong>: B1<br /><strong>Área do conhecimento</strong>: Linguística, Letras e Artes<br /><strong>Ano de fundação</strong>: 1995<br /><strong>E-ISSN</strong>: 2179-9911<br /><strong>E-mail</strong>: <a href="https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/management/settings/context/mailto:publabe@unicamp.br">publabe@unicamp.br</a><br /><strong>Unidade</strong>: <a href="http://www.labeurb.unicamp.br/portal/pages/home/index.lab" target="_blank" rel="noopener">LABEURB</a><br /><strong>Prefixo DOI</strong>: 10.20396<br /><a title="CC-BY-NC" href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/" target="_blank" rel="noopener"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by-nc/4.0/80x15.png" alt="Licença Creative Commons" /></a></p> https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671567 Ao farmacêutico, peça uma memória 2022-11-29T15:54:26+00:00 Marcela Lins marcela.lins@gmail.com Guilherme Benzaquen benzaquenguilherme@gmail.com <p><em>Ao farmacêutico, peça uma memória </em>é um ensaio fotográfico que parte de inquietações acerca da construção da cidade e suas memórias coletivas. A partir de um olhar direcionado às muitas farmácias presentes em Recife, o conjunto aborda questões relativas ao efêmero e ao duradouro na paisagem e vivência urbanas. Como lojas que se proliferam e com uma vida muitas vezes fugaz, as farmácias são a síntese de uma cidade que coloca à margem outras cidades possíveis. Dessa maneira, algumas questões norteiam o trabalho: qual o lugar da memória na cidade? Como se constrói essa memória? Qual a relação entre o espaço edificado e a construção da memória? Quanta violência há em uma construção? Em uma intersecção entre história, arquitetura e fotografia, o ensaio se propõe menos como uma resolução das questões e mais como uma abertura e provocação para o diálogo.</p> 2022-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671554 Apresentação 2022-12-13T15:28:14+00:00 RUA publabe@unicamp.br <p class="Rua">Com satisfação ímpar, apresentamos o segundo volume do vigésimo oitavo número da revista RUA na celebração da efeméride dos 30 anos do Laboratório de Estudos Urbanos responsável por sua edição. Vida longa a esse espaço institucional! O Labeurb instala formas outras de refletir sobre o espaço urbano, dentre elas uma política editorial que inclui a publicação da revista RUA! Vida longa a essa revista que completa 28 anos de existência. Labeurb e RUA caminham lado a lado há muito tempo! Celebremos! Celebramos e agradecemos! A todos os autores, pareceristas e equipe técnica que mantêm a revista com sua pujança e atualidade. Muito obrigada!</p> 2022-11-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671551 Blockchain 2022-12-13T15:28:21+00:00 Márcia Pinheiro Ohlson marcia.ohlson@gmail.com <p>Esta resenha trata do livro <em>A expansão social do blockchain</em>, organizado pela Profa. Dra. Lucia Santaella a partir dos trabalhos do grupo de pesquisa Sociotramas, por ela coordenado. O livro apresenta um total de onze artigos que abordam a tecnologia blockchain a partir de diferentes aspectos, das criptomoedas ao combate às fake news, passando por meios de pagamento, integridade de dados pessoais e educação. Uma publicação de valor inestimável para aqueles que buscam conhecer os meandros desta tecnologia denominada blockchain.</p> 2022-11-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671552 Testemunho e memoriável 2022-12-13T15:28:17+00:00 Andréa Rodrigues andrearodrigues.letras@gmail.com Luiza Castello Branco luizakcb@gmail.com <p>Esta resenha objetiva apresentar o livro&nbsp;<em>Testemunhos de resistência e revolta</em> – um estudo em Análise do Discurso, escrito por Bethania Mariani. A coletânea de textos traz o testemunho como objeto discursivo, a-bordando nesse gesto noções de sujeito, inconsciente, ideologia, real – questões que insistem em seu percurso teórico-metodológico na Análise de Discurso, atravessada pela Psicanálise. Dessa forma, Mariani tece seu emaranhado de fios pelo modo como seu objeto de estudo funciona em cada textualidade analisada. Ao longo dos oito capítulos, o livro traça um percurso de leituras discursivas do testemunho em diferentes objetos de análise. E o leitor pode acompanhar essa trajetória para seguir refletindo então sobre a noção de <em>testemunho</em>, seus modos de funcionamento, suas relações com o indizível, com o real da história e da língua, com a urgência de certos dizeres, com a resistência e a revolta, entre muitas outras questões que vão surgindo a cada página virada.</p> 2022-11-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8670835 Forma sujeito histórica e sujeito de direito 2022-12-13T15:28:55+00:00 Eni Puccinelli Orlandi enip@unicamp.br <p>Nesse estudo refletimos sobre a relação, no capitalismo, entre a democracia, o Jurídico e o Estado na produção de sentidos quando se trata de significar temas como a propriedade da terra, os usos da terra e os sujeitos envolvidos nessas relações de sentidos. Nossa análise toma como referência o texto do PNRA (Plano Nacional da Reforma Agrária) da Nova República e estende seus efeitos de sentidos com suas consequentes derivas para a discursividade atual.</p> 2022-08-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671122 “Deus, pátria, família” 2022-12-13T15:28:42+00:00 João Paulo Martins de Almeida joao.paulo_martins@hotmail.com <p>Neste trabalho, tomando-se a Análise do Discurso como um campo de saber ancorado no materialismo histórico, intenta-se desvelar as contradições do discurso religioso, mormente o do neopentecostalismo, como uma das expressões do discurso do capital na sociedade brasileira. A discussão aqui proposta se volta às possibilidades produtivas (ou parafrásticas) e/ou criativas (ou polissêmicas) dos efeitos de sentido do discurso fascista no Brasil. Tal discurso se assenta sobre elementos da religiosidade postos em circulação desde a Ação Integralista Brasileira (AIB), em 1930. Sustenta-se que elementos interdiscursivos deste movimento fascista são resgatados na contemporaneidade, o que demonstra uma tensão entre passado e presente, entre o já-dito, o reformulado e o ressignificado na atualidade.</p> 2022-09-29T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671549 Rua Marielle Franco 2022-12-13T15:28:24+00:00 Deborah Pereira deborah.p16@gmail.com <p>Em março de 2018, após a morte da vereadora Marielle Franco (e de Anderson Gomes, seu motorista), uma placa de rua com a inscrição “Rua Marielle Franco” foi colocada na Cinelândia, no Rio de Janeiro, em frente à Câmara Municipal da cidade. No entanto, em outubro do mesmo ano, a placa foi quebrada por dois candidatos ao cargo de Deputado Estadual pelo Partido Social Liberal (PSL). Após a depredação, foi feita uma manifestação em homenagem à Marielle com a distribuição de mais de mil placas de rua com o seu nome. Assim, à luz da Semântica do Acontecimento (GUIMARÃES, 2002), este trabalho busca tecer uma reflexão acerca do enunciado “Rua Marielle Franco”, pensando principalmente na multiplicação de placas de rua com este enunciado. Para isso, me debruço sobre os estudos de Orlandi (2004) a respeito da ordem e da organização da cidade articulados ao modo como Guimarães trabalha as noções de acontecimento, reescrituração, texto e enunciado.</p> 2022-11-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671112 Pixação e o circuito artístico brasileiro 2022-12-13T15:28:47+00:00 Priscila Mocelin Lara priscilamlara@hotmail.com Patricia Camera Varella patriciacamera@uepg.br <p>A reflexão apresentada nesse artigo pauta-se na relação entre o pixo e os diversos espaços artísticos (galeria, museu, espaço público e privado), considerando os diferentes embates surgidos na área teórica, relativos aos conceitos que envolvem o uso das imagens e seus significados nas pesquisas sobre história da arte e o campo da cultura visual. Tais processos são abordados visando uma melhor compreensão sobre como essa prática ocorre a partir de 2008, em interação com o circuito artístico brasileiro. Adiante, a pesquisa mostra desdobramentos dos eventos de 2008, os acontecimentos recentes da pixação na Feira ArtRio 2019 e a exposição Língua Solta, ocorrida no Museu da Língua Portuguesa em São Paulo (2021). Tal panorama busca apontar ambiguidades e convergências entorno do pixo presente no campo das artes.</p> 2022-09-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8670932 Por um arquivo (d)e memória 2022-12-13T15:28:51+00:00 André Cavalcante acbs.cavalcante@gmail.com Lucília Maria Abrahão e Souza luciliamasousa@gmail.com <p>A partir da Análise do Discurso e da mobilização das noções de arquivo e memória, este trabalho objetiva refletir sobre a construção de arquivos digitais sobre a transgeneridade na Argentina e no Brasil. Nosso gesto de análise acerca das materialidades inscritas nas páginas do Instagram @archivotrans e @acervobajuba, lança um olhar sobre as subjetividades trans no decorrer da história, observando como o trabalho de arquivo é feito na incompletude e na falta, questionando, também, quais saberes sobre os corpos-trans podem/devem ser inscritos no fio do discurso.</p> 2022-09-05T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671444 Os discursos na reabilitação urbana e a dimensão do city marketing 2022-12-13T15:28:36+00:00 Geise Brizotti Pasquotto geisebp@gmail.com <p>Neste trabalho será enfatizado o discurso na reabilitação urbana do centro de São Paulo, com o objetivo de analisar se existe uma propaganda desvinculada dos resultados práticos ou se é um importante dispositivo de aproximação com a população. Para tanto, como estudo de caso, foi delimitada a área da Luz em São Paulo, região paradigmática quando se trata de um tecido urbano corrompido com forte discurso de requalificação.</p> <p>&nbsp;</p> <h2>&nbsp;</h2> 2022-11-10T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671140 Apropriação do espaço público 2022-12-13T15:28:40+00:00 André Luís Santos de Sousa adm.andreluis@outlook.com.br Márcia Maria Couto Mello mellomarcia@uol.com.br Ana Licks Almeida Silva ana.almeida@unifacs.br <p>Este artigo, resultante de uma dissertação de mestrado, tem como objetivo analisar as transformações provocadas pelo comércio informal ocorridas no espaço público, especificamente na Praça do Caranguejo, município de Lauro de Freitas/BA, área central no bairro que propiciou seu crescimento demográfico e consolidação comercial. A pesquisa de abordagem qualitativa, baseou-se na percepção dos residentes no entorno da praça, com a aplicação de 266 questionários. A falta de segurança, conservação e equipamentos de lazer, constituíram-se os principais fatores que acarretaram a diminuição da presença dos moradores na praça. Compreender a percepção dos residentes frequentadores e não frequentadores sobre a praça, permitiu apontar caminhos para o seu resgate como símbolo cultural, histórico, de lazer e entretenimento em um bairro periférico</p> 2022-10-19T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671538 O conflito entre apropriação e dominação nas Batalhas de Rap em Florianópolis (SC) 2022-12-13T15:28:32+00:00 Miriam Santini Abreu misabreu@yahoo.com.br <p>O estudo analisa o conflito entre <em>apropriação</em> e <em>dominação</em> na repressão às chamadas “Batalhas de Rap” ou “Batalhas da Alfândega”, realizadas no Largo de mesmo nome, no Centro Histórico de Florianópolis (SC). A análise empírica engloba uma reportagem em vídeo da imprensa independente e uma reportagem em texto da imprensa tradicional. O pressuposto é que as Batalhas, ao corporificar a ideia de <em>insurreição do uso, </em>questionam os limites ao uso autorizado da rua e a lógica da cidade como mercadoria, uma cidade à venda.</p> 2022-11-25T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8671548 Cartográfias afetivas 2022-12-13T15:28:28+00:00 Kátia Maria Kasper katiakasper@uol.com.br Gabriela de Sousa Tóffoli gabrielatoffoli@gmail.com Thalita Alves Sejanes thalitasejanes@gmail.com <p>Este ensaio escreve-se pela cidade, pelas marcas de quem por ela caminha.&nbsp; A cidade se provoca no texto: contra-diz. Cidade fértil: brota, respira, transpira. A cidade escuta a si mesma, irrompe, risca. O caminhante intervém nela produzindo paisagens, arquiteturas, meios-lugares, quedas, derivas, (in)servíveis. A cidade emaranha suas direções com encontros (im)possíveis. Com existências mínimas (LAPOUJADE, 2017), enquanto caminhar se delineia com uma prática filosófica (GROS, 2010). O caminhante, errante, vagabundo: texto em equilíbrio precário, entre os fios de uma rede (DELIGNY, 2015). Fio a fio, o caminhar e a cidade cartografam-se (ROLNIK, 2007; DELIGNY, 2015) neste texto, mapeando os trajetos vagos e os desenhos da caminhada.</p> 2022-11-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 RUA