A eficácia dos Bancos de Alimentos de Minas Gerais no combate às perdas e desperdícios de alimentos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v24i1.8649720

Palavras-chave:

Bancos de alimentos. Programa de aquisição de alimentos. Avaliação. Eficácia. Perdas e desperdícios de alimentos.

Resumo

Bancos de Alimentos são equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional destinados a captar alimentos perdidos e desperdiçados ao longo da cadeia produtiva e distribuir para pessoas em vulnerabilidade social e alimentar. Este estudo buscou verificar se a operacionalização do Programa de Aquisição de Alimentos interfere na eficácia quanto ao propósito precípuo de combate às perdas e desperdícios de alimentos de 10 Bancos de Alimentos públicos municipais de Minas Gerais. Estudo transversal descritivo, de enfoque avaliativo misto, integrando abordagens quantitativa e qualitativa. Avaliação externa, de natureza somativa e realizada “ex-post”. A coleta de dados se deu por entrevista estruturada, submetida à análise de conteúdo, e pesquisa documental retrospectiva para construção de indicadores de eficácia. Em 90% dos equipamentos verificou-se uma crescente participação do Programa de Aquisição de Alimentos em detrimento ao cumprimento do objetivo primordial de combate às perdas e desperdícios de alimentos, interferindo na eficácia dos Bancos de Alimentos de Minas Gerais. Mais estudos são necessários para verificar se há resultados semelhantes em outros Bancos de Alimentos do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natalia Tenuta, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Possui graduação em Nutrição pelo Centro Universitário de Belo Horizonte, especialização em Gestão de Alimentos e Alimentação Coletiva pela Universidade Federal de Ouro Preto e mestrado em Saúde, Sociedade e Ambiente pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Consultora da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, atuando no Ministério do Desenvolvimento Social. Pesquisadora e atuante na área de Segurança Alimentar e Nutricional, atuando principalmente nos seguintes temas: perdas e desperdícios de alimentos, Bancos de Alimentos, alimentação adequada e saudável e educação alimentar e nutricional.

Romero Alves Teixeira, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Possui graduação em Nutrição pela Universidade Federal de Ouro Preto, mestrado em Ciência Animal pela Universidade Federal de Minas Gerais e doutorado em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é professor Adjunto IV na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Tem experiência na área de Saúde Coletiva e Nutrição, com ênfase em Promoção da Saúde, Vigilância da Saúde, Saúde Ambiental e Análise Nutricional de população, atuando principalmente nos seguintes temas: Promoção da Saúde, Prevenção e Controle de Doenças, Vigilância em Saúde, Avaliação Nutricional, Alimentação Escolar, Nutrição na Atenção Primária em Saúde, Epidemiologia Nutricional e Consumo Alimentar.

Referências

Agriculture Organization of the United Nations - FAO, International Fund for Agricultural Development - IFAD, World Food Programme - WFP. The State of Food Insecurity in the World 2015. Meeting the 2015 international hunger targets: taking stock of uneven progress. Rome; 2015.

Food and Agriculture Organization of the United Nations - FAO. Food Losses And Waste In The Context Of Sustainable Food Systems. Committee on World Food Security. 2014.

Belik WB, Cunha ARAA, Costa LA. Crise dos alimentos e estratégias para a redução do desperdício no contexto de uma política de segurança alimentar e nutricional no Brasil. Planejamento de Políticas Públicas 2012; 107-33.

Food and Agriculture Organization of the United Nations - FAO. Food Losses and Waste in Latin America and the Caribbean. [publicação online]. 2014. [acessado 2016 Set 12]. Disponível em: http://www.fao.org/3/a-i3942e.pdf

Organização das Nações Unidas - ONU. Transformando nosso mundo: a agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável. Organização das Nações Unidas. [publicação online]. ONUBR; 2015. [acessado 2016 Jul 27]. Disponível em: https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030

Gustavsson J, Cederberg C, Sonesson U. Global Food Losses and Food Waste. Roma: FAO; 2011.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Manual de Implantação do Banco de Alimentos. [publicação online]. Brasília; 2006 [acessado 2016 Jun 02]. Disponível em: http://www.mds.gov.br/backup/programas/seguranca-alimentar-e-nutricionalsan/banco-dealimentos/MANUAL%20DE%20IMPLANTAcaO% 20DO%20BANCO%20DE%20ALIMENTOS.doc

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Relatório de informações. Principais informações e ações do MDSA. [publicação online]. Brasília [acessado 2016 Jun 02]. Disponível em: http://aplicacoes.mds.gov.br/sagi /ri/relatorios/mds/index.php#equipamentossan

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SESAN. [publicação online]. Brasília; 2014 [acessado 2016 Mar 12]. Disponível em: http://www.mds.gov.br/segurancaalimentar

Brasil. Lei n. 10.696, de 02 de julho de 2003. Dispõe sobre a repactuação e o alongamento de dívidas oriundas de operações de crédito rural, e dá outras providências. Diário Oficial da União 2003; 03 jul.

Tenuta N. Análise tridimensional da situação dos Bancos de Alimentos de Minas Gerais, Brasil. [dissertação]. Diamantina: UFVJM; 2014.

Donabedian A. Basic approaches to assessment: structure, process and outcome. In: Donabedian A. Explorations in Quality Assessment and Monitoring, v. 1. Ann Arbor, Michigan: Health Adiministration Press, 1980. p.77-125.

Cohen E, Franco R. Avaliação de Projetos Sociais. Petrópolis: Vozes; 1994.

Aguilar MJ, Ander-Egg E. Avaliação de Serviços e Programas Sociais. 2. ed. Petrópolis: Vozes; 1995.

Posavac EJ, Carey RG. Program evaluation: methods and case studies. 4th ed. Englewood Cliffs, New Jersey: Prentice Hall; 1992.

Worthen B, Sanders J, Fitzpatrick J. Avaliação de programas: concepções e práticas. São Paulo: Editora Gente; 2004.

Rossi PH, Lipsey MW, Freeman HE. Evaluation: a systematic approach. Thousand Oaks, California, US: Sage; 2004.

Vaitsman J, Rodrigues RWS, Paes-Sousa R. O sistema de avaliação e monitoramento das políticas e programas sociais: a experiência do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome do Brasil. Brasília: Organização das Nações Unidas Para a Educação, a Ciência e a Cultura; 2006.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Caderno de estudos do curso em conceitos e instrumentos para a avaliação de programas. Brasília; 2015. Versão 2 (Março 2015).

Brasil. Portaria nº 329, de 11 de outubro de 2006. Institui e regulamenta a Política de Monitoramento e Avaliação do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Diário Oficial da União 2006; 13 out.

Campbell DT, Russo MJ. Social Experimentation. Atlanta, GA: Sage; 1999.

Caracelli VJ, Jennifer CG. Crafting mixed-method evaluation designs. In: Jennifer CG, Caracelli VJ. Advances in mixed-method evaluation: the challenges and benefits of integrating diverse paradigms, new directions for evaluation. San Francisco, CA: Jossey-Bass 1997; (74):19-32.

Jannuzzi P de M. Avaliação de políticas sociais no Brasil: repensando práticas e metodologias de pesquisas avaliativas. Planej. e Polít. Públicas. 2011;(36):251-275. [acessado 2014 Jun 23]. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/ppp/index.php/PPP/ article/viewFile/228/212

Serapioni M. Conceitos e métodos para a avaliação de programas sociais e políticas públicas sociologia. Revista da Faculdade de Letras da Universidade do Porto 2016; 31: 59-8.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, 13 jun 2013.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Pesquisa de Avaliação do Programa Banco de alimentos. [publicação online]. Brasília; 2011. [acessado 2016 Mar 02]. Disponível em: http://www.mds.gov.br/gestaodainformacao/ disseminacao/sumarios-executivosdepesquisas/2011/pesquisa-de-avaliacao-do-programa-banco-de-alimentos/pesquisa-deavaliacao-do-programa-banco-de-alimentos.

Brasil. Lei 12.512, de 14 de outubro de 2011. Institui o Programa de Apoio à Conservação Ambiental e o Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais; altera as Leis n. 10.696 de 02 de julho de 2003, 10.836, de 09 de janeiro de 2004, e 11.326, de 24 de julho de 2006. Diário Oficial da União 2011; 17 out.

Costa LA, Bastos MA, Rocha, DF, Almeida, AAP, Silva, AVM, Silva, JH. Capacidade de resposta de Bancos de Alimentos na captação, distribuição e redução de desperdício de alimentos. Revista Baiana de Saúde Pública 2014; 38(1):30-48.

Figueiredo M, Figueiredo AC. Avaliação política e avaliação de políticas: um quadro de referência teórica. Revista Fundação João Pinheiro 1986; 108-129.

Tribunal de Contas da União - TCU. Relatório de avaliação de programa: programa Banco de Alimentos. Ministro-Relator Ubiratan Aguiar. Brasília, DF: TCU, Secretaria de Fiscalização e Avaliação de Programas de Governo; 2005.

Downloads

Publicado

2017-06-29

Como Citar

1.
Tenuta N, Teixeira RA. A eficácia dos Bancos de Alimentos de Minas Gerais no combate às perdas e desperdícios de alimentos. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 29º de junho de 2017 [citado 28º de outubro de 2021];24(1):53-61. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8649720

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional