A inserção de assistente social na Unidade de Acidente Vascular Cerebral em um hospital terciário do SUS

relato de experiência

Autores

  • Helaine Aparecida Maia Hospital Geral de Fortaleza
  • Ondina Maria Chagas Canuto Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.20396/sss.v17i2.8654102

Palavras-chave:

Saúde pública, Serviço social, Assistência hospitalar, Educação em saúde.

Resumo

Esse trabalho foi desenvolvido a partir da formação em serviço realizada por assistente social residente, atuando em Unidade de Acidente Vascular Cerebral (U-AVC) de um hospital de alta complexidade do estado do Ceará. Teve por objetivo refletir sobre as contribuições do fazer profissional do assistente social enquanto membro de uma equipe multiprofissional, frente ao processo de saúde e doença vivenciado pelos pacientes acometidos por AVC e seus familiares. Foi pautado na concepção ampliada de saúde, no Projeto de Reforma Sanitária e no Projeto Ético Político do Serviço Social.  A experiência vivenciada, de novembro de 2016 a janeiro 2017, cumpre exigência curricular em Programa de Residência Multiprofissional em Saúde com ênfase em Neurologia e Neurocirurgia, promovida pela Escola de Saúde Pública do estado do Ceará, sendo esta a primeira turma a ter em sua composição profissionais do Serviço Social. Constitui-se de um relato de experiência que descreve a vivência do profissional de Serviço Social como membro de equipe multiprofissional, de forma a contribuir para sua área de atuação num campo especializado da saúde. A vivência neste âmbito de atuação coletiva produziu novos conhecimentos específicos da neurologia e do próprio fazer profissional do Serviço Social, proporcionando uma maior aproximação com demais categorias profissionais inseridas na unidade de AVC, promovendo reconhecimento quanto ao seu fazer profissional na medida que praticou e compartilhou saberes de ordem social e de direitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helaine Aparecida Maia, Hospital Geral de Fortaleza

Graduada em Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará. Assistente Social em Hospital Geral de Fortaleza (HGF).

Ondina Maria Chagas Canuto, Universidade Federal do Ceará

Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará, com realizacao de estagio doutoral na Universidade de Montreal - Quebec.

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições de promoção e recuperação da saúde, a organização e o financiamento dos serviços correspondentes e dá outras providências.

BRASIL. Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar. Ministério da Saúde, 2000.

BRASIL. Ministério da Saúde. Clínica ampliada. 2004. Disponível em: http://www.heab.fmrp.usp.br/App_Data/Conteudo/Arquivos/Humaniza%C3%A7%C3%A3o/Clinica%20Ampliada.pdf. Acesso em: 25 julho 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. HumanizaSUS. Política Nacional de Humanização: documento base para gestores e trabalhadores do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. HumanizaSUS. Visita aberta e direito ao acompanhante. 2007. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/visita_acompanhante_2ed.pdf. Acesso em: 25 julho 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Linha de Cuidados em Acidente Vascular Cerebral (AVC) na rede de Atenção às Urgências e Emergências. 2012. Disponível em: http://conitec.gov.br/images/Protocolos/pcdt-cuidados-AVC.pdf. Acesso em: 12 julho 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n° 664, de 12 de Abril de 2012. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas: Trombólise no Acidente Vascular Cerebral Isquêmico Agudo. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/pcdt_trombolise_avc_isq_agudo.pdf. Acesso em: 12 julho 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de rotinas para atenção ao AVC. 2013. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_rotinas_para_atencao_avc.pdf. Acesso em: 12 julho 2018.

CEARÁ. Secretaria de Saúde. Manual Operacional de Serviço Social do HGF: a equipe de saúde a caminho da transdisciplinaridade. Fortaleza, 2002. 128 p.

CEARÁ. Secretaria Estadual de Saúde. Manual Operacional de Serviço Social: Uma proposta de “padronização” de procedimentos. Fortaleza, 2012.

CEARÁ. Secretaria Estadual de Saúde. Procedimentos Operacionais Padrão do Serviço Social: experiência de construção coletiva na rede de Atenção à Saúde da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará. Fortaleza, 2014. 36 p.

CEARÁ. Secretaria Estadual de Saúde. SESA apresenta e avalia epidemiologia do AVC no Ceará. 4 de maio de 2012. Disponível em: https://www.saude.ce.gov.br/2012/05/04/sesa-apresenta-e-avalia-epidemiologia-do-avc-no-ceara/. Acesso em: 15 jul. 2018.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Lei de Regulamentação da Profissão de Assistente Social. Lei nº 8.662, de 7 de junho de 1993. Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Código de Ética Profissional dos Assistentes Sociais. Resolução CFESS nº 273, de 13 de março de 1993, com as alterações introduzidas pelas Resoluções CFESS nº 290/1994 e n. 293/1994.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Resolução CFESS nº 383, de 29 de março de 1999. Caracteriza o assistente social como profissional de saúde.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Resolução CFESS nº 493, de 21 de agosto de 2006. Dispõe sobre as condições éticas e técnicas do exercício profissional do assistente social.

COSTA, L.F.A; NOGUEIRA, M. S. L.; SILVA, A.R.A. Planejamento estratégico e Serviço Social em Unidade terciária de saúde: experiência do Hospital Geral de Fortaleza. In:

COSTA, L.F.A; RIBEIRO, H.M.C.B. (Org.) Política de saúde e Serviço Social: contradições, ambiguidades e possibilidades. Fortaleza: EdUECE, 2017. 310 p. Disponível em: http://www.uece.br/eduece/dmdocuments/Poli%CC%81tica%20de%20Sau%CC%81de%20e%20Servic%CC%A7o%20Social_Marc%CC%A7o13.pdf. Acessado em: 13 jun. 2018.

HOLLIDAY, O. J. Para sistematizar experiências. João Pessoa; tradução de: Maria Viviana V. Resende. 2. ed., revista. – Brasília: MMA, 2006. Disponível em: https://www.mma.gov.br/estruturas/168/_publicacao/168_publicacao30012009115508.pdf. Acessado em: 20 julho 2018.

IAMAMOTO, M. V. As dimensões ético-políticas e teórico-metodológicas no Serviço Social contemporâneo. In: MOTA, A.E. et al. Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional, 2006. Disponível em: http://www.fnepas.org.br/pdf/servico_social_saude/texto2-2.pdf. Acessado em: 20 jul. 2018.

KUCHEMANN; B. A. Envelhecimento populacional. Cuidado e cidadania: velhos dilemas e novos desafios. Sociedade e Estado. Volume 27, nº 1. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922012000100010. Acesso em: 10 jul. 2018.

MANIVA, S. J. C. de F. Elaboração e validação de tecnologia educativa sobre Acidente Vascular Cerebral para prevenção da recorrência. 2016. (Doutorado em Enfermagem) Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem da Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, 2016. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/21580/1/2016_tese_sjcfmaniva.pdf. Acesso em: 15 jul. 2018.

MENDES, J.M.R.; LEWGOY, A.M.B.; SILVEIRA, E.C. Saúde e interdisciplinaridade: mundo vasto mundo. In: Revista Ciência & Saúde. Porto Alegre. Volume 1, n° 1, pag. 24-32, 2008. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faenfi/article/viewFile/3864/2957. Acessado em: 25 jun. 2018.

NETTO, J.P. A construção do projeto ético-político contemporâneo. In: MOTA, A.E. et al. Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional, 2006. Disponível em: http://www.fnepas.org.br/pdf/servico_social_saude/texto2-2.pdf. Acessado em: 20 jul. 2018.

SPENCE, J. D.; BARNETT, H. J. M. Acidente Vascular Cerebral. Prevenção, tratamento e reabilitação. Porto Alegre: AMGH, 2013. 306 p.

Downloads

Publicado

2018-12-14

Como Citar

MAIA, H. A.; CANUTO, O. M. C. A inserção de assistente social na Unidade de Acidente Vascular Cerebral em um hospital terciário do SUS: relato de experiência. Serviço Social e Saúde, Campinas, SP, v. 17, n. 2, p. 314–336, 2018. DOI: 10.20396/sss.v17i2.8654102. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8654102. Acesso em: 17 jan. 2021.

Edição

Seção

Relatos de Experiência