Banner Portal
Método científico e controvérsias nas geociências
PDF

Palavras-chave

Controvérsias em geociências. Pós-Colonialismo. Método científico.

Como Citar

MARTINS, J. R. S.; CARNEIRO, C. D. R. Método científico e controvérsias nas geociências. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 10, n. 3, p. 240–249, 2015. DOI: 10.20396/td.v10i3.8637330. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8637330. Acesso em: 1 mar. 2024.

Resumo

Este artigo representa o primeiro passo de uma caminhada na direção de proposta original de um currí- culo de ensino superior em Geociências. Partindo do fato que as polêmicas são basilares a qualquer ciência, sendo o debate fundamental ao questionamento dos princípios e ao processo de formação conceitual, e que as periodizações históricas das Geociências constituem instrumentos de alcance limitado à sua compreensão, este artigo visa demonstrar como a fluidez está a atuar sobre as ciências, ajudando a derrubar metanarrativas e desvelar essencialismos. Este trabalho propõe que todo cientista deva: (a) assumir função social diversa da atual, ao trazer, para o centro do debate, vozes dos que estão à margem do saber; (b) democratizar os resultados de suas experiências junto à sociedade, possibilitando ao cidadão comum agenciar suas próprias demandas, tomando por base este conhecimento.
https://doi.org/10.20396/td.v10i3.8637330
PDF

Referências

Adams F.D. 1954. The birth and development of the geological sciences. New York: Dover Publ. 506p.

Aranha M.L.A.1992. História da Educação. São Paulo: Moderna, 288p.

Bacci D.L.C. 2009. A contribuição do conhecimento geológico para a educação ambiental. Pesquisa em debate, v.6, n.2, pp.1-23, jul-dez. 2009.

Bachelard G. 1973. Epistemologia. Barcelona: Anagrama. 254p.

Bauman Z. 2005. Identidade. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 112p.

Bhabha H.K. 2001. O local da cultura. Trad. Myriam de Ávila, Eliana L. L. Reis, Gláucia R. Gonçalves. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 395p.

Borrón J.C.G. 1988. A filosofía e as ciências: métodos e processos. Lisboa: Teorema. 198p.

Bourdieu P., Chamboredon J.-C., Passeron J.-C. 2002. A profissão do sociólogo. Trad. Guilherme J. F. Teixeira. 3 ed. Petrópolis: Vozes. 328p.

Carneiro C.D.R., Brito-Neves B.B.de, Amaral I.A.do, Bistrichi C.A. 1994. O Atualismo como princípio metodológico em Tectônica. Bol. Geoc. Petrobrás, 8(2/4):275-293.

Carneiro C.D.R., Gonçalves P.W. 2013. Ciência do Sistema Terra em cursos superiores de formação de geógrafos. In: Vitte A.C. org. 2013. Ensaios sobre Geografia. Campinas: Bertrand Brasil. (cap. submetido em 28.02.2013).

Carneiro C.D.R., MizusakiA.M.P., Almeida F.F.M.de. 2005. A determinação da idade das rochas. Terrae Didatica, 1(1):6-35. URL: http://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/v1/v1_a2.html. Acesso 02.08.2013.

Cerqueira H.E.A.G. 2006. A mão invisível de Júpiter e o método newtoniano de Smith. Estud. Econ. São Paulo, 36(4):667-697.

Deleuze G., Guattari F. 2007 [1972]. Mil Platôs: Capitalismo e Esquizofrenia. v.2. Trad. Ana L. Oliveira e Lúcia C. Leão. Lisboa: Ed. 34. 112p.

Espinosa B. 1978. Ética. São Paulo: Abril Cult.. 294p. (Col. Os Pensadores)

Franco Jr. H. 1986. A Idade Média: o nascimento do ocidente. São Paulo: Ed. Brasiliense. 204p.

Frodeman R. 1995. Geological reasoning: Geology as an interpretative and historical Science.Geol. Soc. Am. Bull., 107(8):960-968.

Frodeman R. 2001. A epistemologia das Geociências. In: L. Marques, J. Praia. coords. 2001. Geociências nos currículos básico e secundário. Aveiro: Univ. Aveiro. p.39-57.

Frodeman R., Turner C. 1996. Geology in a post-industrial society. J. Geosc. Educ.,44:36-37.

Fuganti L. 2010. Agenciamento.URL: http://escolanomade.org/pensadores-textos-e-vídeos/fuganti-luiz/agenciamento. Acesso em 02.08.2013.

Geikie A. 1962. Founders of Geology. 2 ed. New York: Dover Publ. 486p.

Hallam A. 1989. Great geological controversies. 2 ed. Essex: Oxford Science Publ. 244p.

Le Goff J. 1990. O maravilhoso e o quotidiano no ocidente medieval. Lisboa: Ed. 70. p.14-235.

Monteiro G.M.V. 2007. Controvérsias geológicas: seu valor científico-histórico e didático. Aveiro: Depto. Didática Tecnologia Educativa. 456p. (Tese Dout.)

Régis de Morais J.F.1978. Filosofia da ciência e da tecnologia: introdução metodológica e crítica. 5 ed.

Potapova M.S. 2008. Geologia como uma ciência histórica da natureza. Terrae Didatica, 3(1):86-90. [Trad. de: Potapova M.S 1968. Geology as an historical science of nature. In: Interaction of the science in the study of the Earth. Moscow: Progress, p.117-126]. URL: http://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/v3/v3_a7.html. Acesso 27.02.2014.

Randles W.G.L. 1994. Da terra plana ao globo terrestre: uma mutação epistemológica rápida (1480-1520) Trad. Maria Carolina F. C. Pires. Campinas: Papirus. 162p.

Rudwick M.J.S. 1987. El Significado de los Fóssiles. Trad. Antonio Resines. Madrid: Herman Blume. 347 p.

Sousa Santos B. 2003. Um discurso sobre as ciências. São Paulo, Cortez. 58p.

Stengers I. 2002. A invenção das ciências modernas. Trad. Max Altman. São Paulo: Ed. 34. 208p.

Trindade D.F., Trindade L.S.P. 2007. Os caminhos da ciência e os caminhos da educação: ciência, história e educação na sala de aula. São Paulo: Madras. 254p.

Terrae Didatica utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Terrae Didatica, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.