Os caminhos das bulhas capixabas: a sociabilidade nas ruas, 1850-1872

Autores

  • Fabíola Martins Bastos Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.20396/urbana.v4i2.8635098

Palavras-chave:

Ruas. Sociabilidades. Bulhas.

Resumo

Propõe-se neste texto analisar as sociabilidades em Vitória/ES, entre os anos de 1850-1872. Viver juntos no século XIX significava conviver estreitamente: as portas das casas permaneciam quase sempre abertas para as ruas; a circulação, pelas vizinhanças, de diversas personagens que compunham uma espécie de vida da rua (inspetores de quarteirão, transeuntes, ambulantes, lavadeiras e janeleiras – mulheres nas janelas à espera de um murmurinho) dava ritmo ao cotidiano desses caminhos e também traziam notícias sobre as bulhas. Nesse sentido, o artigo investiga as sociabilidades por uma via particular: a dos conflitos. Acredita-se que eles não tinham somente um aspecto de quebra de equilíbrio, mas guardavam também uma perspectiva de ajustamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabíola Martins Bastos, Universidade Federal do Espírito Santo

Formada em História pela Universidade Federal do Espírito Santo (2006). Mestre em História pelo Programa de Pós-Graduação em História Social das Relações Políticas da UFES (2009). Atua nas áreas de História do Brasil Império, História do Espírito Santo, com ênfase nas temáticas: impressos no século XIX e sociabilidades (informais e formais).

Referências

Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (1850-1872). Série Inquéritos Policiais, Fundo Polícia.

IPHAN. Série Espírito Santo, Fundo Fotografias e mapas.

MAXIMILIANO, Príncipe de Wied-Neuwied. Viagem ao Brasil. São Paulo: Nacional, 1940.

ESPÍRITO SANTO. Presidentes de Província (1840-1872). Relatórios de Presidentes da Província do Espírito Santo. Disponível em http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/229/index.html. Acesso em 12 jan. 2012.

SAINT-HILAIRE, Auguste de. Viagem ao Espírito Santo e Rio Doce. São Paulo: Itatiaia, 1974.

SIQUEIRA, Francisco Antunes de. Poemeto descritivo em oito cantos. Vitória: Tipografia da Província, 1884.

TSCHUDI, Johann Von. Viagem à Província do Espírito Santo: imigração e colonização suíça, 1860. Vitória: APEES, 2004.

WILBERFORCE, Edward. Ingleses na costa: impressões de um aspirante de marinha sobre o Espírito Santo em 1851. Vitória: Cultural, 1989.

AGULHON, Maurice. Pénitents et Francs-Maçons de l ́Ancienne Provence. Paris: Fayard, 1984.

BLOCH, Marc. Apologia da história ou ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

BOSCHI, Caio César. Espaços de sociabilidade na América portuguesa e historiografia brasileira contemporânea. In: VENTURA, Maria da Graça A. Mateus (Org.). Os espaços de sociabilidade na Ibero-América (sécs. XVI-XIX). Lisboa: Colibri/Instituto de Cultura Ibero-Atlântica, 2004.

BRANCO, Pedro Vilarinho Castelo. A literatura e a invenção da casa como espaço de intimidade familiar. In: IV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA CULTURAL: SENSIBILIDADES E SOCIABILIDADES, IV, 2008, Goiânia. Anais eletrônicos do IV Simpósio Nacional de História Cultural: sensibilidades e sociabilidades.

ELTON, Elmo. Logradouros antigos de Vitória. Vitória: EDUFES/Secretaria Municipal de Cultura, 1999.

FARGE, Arlette & REVEL, Jacques. As regras do motim: o caso dos raptos de crianças (Paris, Maio de 1750). In: REVEL, Jacques. A invenção da sociedade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil; Lisboa: Difel, 1989.

FARGE, Arlette. Famílias: a honra e o sigilo. In: ARIES, Philippe & DUBY, Georges (Org.). História da Vida Privada. São Paulo: Companhia das Letras, 1989-1992. V. 5.

FARGE, Arlette. Fragile lives: violence, Power and solidarity in eighteenth-century Paris. Massachusetts: Harvard University Press, 1993.

FARGE, Arlette. Lugares para a História. Lisboa: Teorema, 1997.

FREIRE, Mário Aristides. A Capitania do Espírito Santo: crônicas da vida capixaba no tempo dos capitães-mores (1535-1822). Vitória: Flor & Cultura/Cultural-ES, 2006.

HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Tempo brasileiro, 2003.

JANCSÓ, István & KANTOR, Iris. Festa: cultura & sociabilidade na América portuguesa. São Paulo: EDUSP/FAPESP/Imprensa Oficial, 2001. V. 2.

LOUSADA, Maria Alexandre. Espaços de sociabilidade em Lisboa: finais do século XVIII a 1834. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Programa de Doutorado em Geografia Humana, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Lisboa, 1995.

MOREL, Marco. As transformações dos espaços públicos: imprensa, atores políticos e sociabilidades na cidade imperial (1820-1840). São Paulo: Hucitec, 2005.

OLIVEIRA, José Teixeira de. História do Estado do Espírito Santo. Rio de Janeiro: IBGE, 1951.

SIEBER, Tim. Ruas da cidade e sociabilidade pública. In: CORDEIRO, Graças Índias & VIDAL, Frédéric (Org.). A rua: espaço, tempo, sociabilidade. Lisboa: Livros Horizonte, 2008.

SOARES, Geraldo Antonio. Cotidiano, sociabilidade e conflito em Vitória no final do século XIX. Dimensões: Revista de História da UFES, Vitória, n. 16, 2004.

SOARES, Mariza de Carvalho. Devotos da cor: identidade étnica, religiosidade e escravidão no Rio de Janeiro, século XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

SOUZA, Marina de Mello e. Reis negros no Brasil escravista: história da festa de coroação de Rei Congo. Belo Horizonte: EDUFMG, 2006.

THOMPSON, Edward Palmer. As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. Campinas: UNICAMP, 2001.

Downloads

Publicado

2013-04-01

Como Citar

BASTOS, F. M. Os caminhos das bulhas capixabas: a sociabilidade nas ruas, 1850-1872. URBANA: Revista Eletrônica do Centro Interdisciplinar de Estudos sobre a Cidade, Campinas, SP, v. 4, n. 2, p. 13–42, 2013. DOI: 10.20396/urbana.v4i2.8635098. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/urbana/article/view/8635098. Acesso em: 26 set. 2022.