https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/issue/feed Zetetike 2022-08-12T20:04:32+00:00 Dario Fiorentini zetetike@unicamp.br Open Journal Systems <p><strong>Escopo:</strong> A Zetetiké é uma publicação institucional da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (em parceria editorial com a UFF), tendo como objetivo contribuir, de um lado, para o desenvolvimento da pesquisa na Área da Educação Matemática e, de outro, para a formação de pesquisadores dessa Área, mediante intercâmbio e divulgação de pesquisas e estudos realizados por educadores matemáticos vinculados a instituições brasileiras ou estrangeiras. A Zetetiké publica artigos inéditos de estudos e pesquisas sobre temas e problemas de natureza acadêmica ou profissional, sob múltiplas abordagens metodológicas – empíricas ou de campo, ensaios teóricos ou estudos histórico-filosóficos - relacionados ao ensino e à aprendizagem da matemática em todos os níveis de ensino, à formação de professores que ensinam matemática, às práticas matemáticas na escola, na universidade e em outras atividades sociais, entre outras. Além disso, a Zetetiké pode ser composta por artigos encomendados, números temáticos e por artigos de demanda regular, podendo ser escritos e publicados em língua portuguesa, espanhola e inglesa.<br /><strong>Qualis</strong>: B1 <br /><strong>Área do conhecimento</strong>: Ciências Humanas<br /><strong>Ano de fundação</strong>: 1993<br /><strong>e-ISSN</strong>: 2176-1744<br /><strong>Título abreviado</strong>: Zetetiké<br /><strong>E-mail</strong>: <a title="E-mail" href="https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/management/settings/context/mailto:zetetike@unicamp.br" target="_blank" rel="noopener">zetetike@unicamp.br</a><br /><strong>Unidade</strong>: <a title="FE - UNICAMP" href="https://www.fe.unicamp.br/" target="_blank" rel="noopener">FE</a> <br /><strong>Prefixo DOI</strong>: 10.20396<br /><a title="CC-BY-NC-ND" href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" target="_blank" rel="noopener"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by-nc-nd/4.0/80x15.png" alt="Licença Creative Commons" /></a></p> https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8657104 Consumo energético 2021-10-19T10:45:36+00:00 Ana Rosa Corica coricaana@yahoo.com.ar <p>La cultura actual de la información y las tecnologías exigen nuevos enfoques en educación acordes a las demandas de la sociedad. El currículo actual y las prácticas de estudios en secundaria no favorecen desarrollar estos requisitos, necesarios para cualquier ciudadano. En particular, en Argentina se reportan resultados desalentadores con relación al desempeño de los estudiantes en matemática. En este trabajo, con fundamento en la Teoría Antropológica de lo Didáctico, se propone el análisis de una situación para el estudio funcional de la matemática. Esta propuesta se encuentra en correspondencia con el plan de renovación de la escuela secundaria argentina. En este trabajo se traza un posible recorrido de preguntas y respuestas en torno a una situación real, vinculada al ahorro energético. Se procura que se formulen preguntas en sentido fuerte, es decir que no solo demanden información como respuesta, sino del estudio de herramientas útiles para abordarlas y generar nuevas preguntas.</p> 2022-08-10T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetik´e https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8670109 Apresentação 2022-06-14T11:36:31+00:00 Denise Medina França denisemedinafranca@gmail.com Edilene Simões Costa dos Santos edilenesc@gmail.com Wagner Rodrigues Valente wagner.valente@unifesp.br <p>O tema deste Dossiê enseja uma multiplicidade de abordagens. No entanto, recebidas as propostas, avaliados os textos, sempre no sistema duplo cego, e aprovado um conjunto de quinze artigos, é interessante notar a presença de uma tendência dominante no tratamento dos estudos atuais sobre história da educação matemática. Eles concentram atenção nos saberes envolvidos no ensino de matemática e na formação de professores. Por certo, estudos da área, que têm a matemática como foco, não são novidade; trata-se, ao contrário, de algo óbvio. No entanto, de poucos anos a esta data, o tratamento da matemática ligada às lides escolares vem sofrendo uma modificação fundamental, de âmbito epistemológico. Não mais se considera a matemática transmitida pela escola vinda do campo disciplinar matemático, nem sendo a escola lugar de passividade, divulgando o que lhe é externo, os saberes que são elaborados fora dela. As pesquisas relativas à história da educação matemática vêm mostrando que há uma matemática própria a cada tempo escolar ligada ao ensino e à formação de professores, reafirmando o papel criativo do meio escolar.</p> 2022-06-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetike https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667600 Caracterização de uma "tabuada para ensinar" 2022-05-06T12:48:39+00:00 Viviane Barros Maciel barrosmaciel@gmail.com <p>Este texto tem por objetivo caracterizar saberes do campo profissional do professor que ensina matemática. Buscar-se-á responder à seguinte questão: Que “tabuada para ensinar” pode ser caracterizada, a partir da análise das orientações de Irene de Albuquerque em seu manual <em>Metodologia da Matemática</em> (1951)? A pesquisa, de cunho qualitativo, bibliográfica e documental, embasa-se em autores que defendem dois tipos de saberes na constituição das profissões do ensino e da formação, saberes <em>a</em> e <em>para</em> ensinar, e volvendo para a matemática, de autores que definem matemática <em>a</em> e <em>para</em> ensinar a partir dos primeiros referenciais. Para as análises teórico-metodológicas, apoiar-se-á em autores que consideram que a interpretação de uma informação em saber ocorre por etapas. Como resultados foram caracterizados elementos de uma tabuada para ensinar em dois grupos, dos saberes sobre a tabuada a ensinar e dos saberes sobre as práticas de ensino da tabuada.</p> 2022-04-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667881 Os saberes matemáticos na formação do professor leigo 2022-06-08T14:43:46+00:00 Reginaldo Rodrigues da Costa reginaldo.costa@pucpr.br Fabiane Aparecida de Almeida Bezerra fabiane.sud@gmail.com <p>O objetivo desse texto é apresentar os saberes <em>a</em> e <em>para</em> ensinar matemática, presentes nos oito módulos de Didática da Matemática do Projeto Logos II que visava habilitar, no nível de 2º Grau, professores leigos que estavam atuando em algumas regiões do Brasil. A pesquisa foi orientada pela História Cultural, mobilizou os conceitos de saberes a e para ensinar de Hofstetter e Schneuwly (2017, 2003); de Valente (2017, 2017a, 2007, 2004). Procuramos responder a seguinte questão: Quais saberes matemáticos e orientações metodológicas foram veiculados no Projeto Logos? Há indícios que nesse curso havia uma articulação entre os saberes <em>a</em> e <em>para</em> ensinar Matemática. Além disso, observamos uma interação de três tendências pedagógicas: formalista moderna, tecnicista e empírico-ativista. Ao que tudo indica, os professores tiveram contato com os saberes profissionais dando condições para realizar a tarefa de ensinar matemática.</p> 2022-05-05T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667446 Bastidores da elaboração dos PCN 2022-05-06T12:48:46+00:00 Wagner Rodrigues Valente ghemat.contato@gmail.com Lauro Igor Metz lauroigormetz@gmail.com <p>O texto tem como objetivo realizar uma análise histórica do movimento de elaboração dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Matemática para os anos iniciais. O estudo realiza uma primeira aproximação aos bastidores da produção curricular dos PCN, uma proposta oficializada na década de 1990. O artigo limita-se ao contexto da elaboração da matemática para os primeiros anos do Ensino Fundamental. Como fontes de pesquisa utilizam-se documentos, entrevistas e produções científicas relacionados com o tema. O processo de investigação opta por uma escolha teórico-metodológica que envolve a mobilização do conceito de <em>expert</em>. Realiza-se uma análise em diferentes escalas de observação de modo a dar ênfase a esse tipo de marcha de investigação para estudos que intentem compreender os processos e dinâmicas de elaboração dos saberes presentes no ensino e na formação de professores.</p> 2022-04-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667515 Geometria escolar nos anos iniciais 2022-05-06T12:48:42+00:00 Maria Célia Leme da Silva celia.leme@unifesp.br <p>O presente artigo toma categorias construídas pelos estudos históricos de relações entre geometria e desenho que marcaram os diferentes movimentos do currículo de matemática para o ensino de geometria, proposto ao curso primário, do século XIX até meados do século XX. Utilizam-se como fonte regulamentações e manuais escolares de cada período que tiveram como intenção atender às normativas. Dialogam com o passado os resultados de pesquisas atuais, que destacam perspectivas para o ensino de geometria no século XXI e sua inserção na BNCC. Nenhum dos três movimentos foi mantido da maneira como foi prescrito, entretanto, há vestígios deles no cenário do século XXI. A história dos movimentos de construção de saberes para o ensino de geometria pode trazer contribuições e frutíferas reflexões para pensar, analisar e desencadear proposta e ações pertinentes para práticas pedagógicas de um ensino de geometria.</p> 2022-04-22T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667630 Uma morfologia curricular da aritmética a ensinar nas escolas de aprendizes artífices 2022-06-08T14:43:48+00:00 Cleber Schaefer Barbaresco cleberbarbaresco1@gmail.com David Antonio da Costa david.costa@ufsc.br <p>Este artigo tem como objetivo caracterizar o <em>Documento de Consolidação dos Dispositivos Concernentes às Escolas de Aprendizes Artífices</em> como um documento prescritivo e curricular, a partir da indicação dos saberes aritméticos a ensinar. O referencial teórico metodológico utilizado mobiliza o conceito de <em>saberes a ensinar</em>. Com base neste ferramental, analisou-se a estrutura e organização para compreender os sentidos dos elementos postos neste documento. Em seguida, a partir da análise dos conteúdos aritméticos e sua disposição como elementos do <em>Documento de Consolidação</em>, buscou-se caracterizá-lo como um documento curricular. Como resultado da análise, concluiu-se que a fragmentação e organização dos conteúdos de aritmética conduzem para o desenvolvimento de uma <em>aritmética a ensinar</em>, dicotômica, de base teórica e prática, que podem ser caracterizados como elementos prescritivos que carregam a noção curricular.</p> 2022-05-05T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667894 O currículo de matemática do programa gestão da aprendizagem escolar 2022-06-08T14:44:14+00:00 Laura Isabel Marques Vasconcelos de Almeida lauraisabelvasc@hotmail.com Elizaine Vaz Santos elizaine.vaz@gmail.com <p>Este artigo é parte da dissertação de mestrado e objetiva analisar os conteúdos do Programa Gestar I constituídos pelo Guia Geral, Cadernos de Psicopedagogia, Teoria e Prática (TP) e Atividades de Apoio à Aprendizagem (AAA), destinados à formação continuada de professores dos Anos Iniciais, no período de 2001 a 2004, com ênfase na disciplina de Matemática, nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A abordagem metodológica centra-se na vertente Histórico-Cultural e apontam vestígios das práticas do Programa que se baseiam nas habilidades e competências orientadas pelo Parâmetro Curricular Nacional de Matemática, entoando ações intrínsecas da disciplina desfazendo-se de práticas de memorização, utilizando a linguagem matemática, símbolos e representações que se unem ao pensamento da construção da aprendizagem com ênfase na prática social do aluno, uso de recursos didáticos e estratégias significativas organizadas pelo professor que possam ser apropriadas pelos alunos.</p> 2022-05-13T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667859 Compêndios de aritmética escolar no corpus teórico das ciências da educação 2022-08-10T12:58:18+00:00 Kátia Sebastiana Carvalho dos Santos Farias katiafarias2014@gmail.com <p>Este artigo problematiza o uso das obras <em>Compendio de Pedagogia</em>, de Antonio M. da Silva Pontes, <em>Elementos de Arithmetica</em>, de Cristiano B. Ottoni, e <em>Cours théorique et pratique de pédagogie et de méthodologie</em>, de Thomas Braun na formação de professores de matemática para as "escolas de primeiras letras”, e também o jornal <em>A Instrução Publica</em>, a <em>Revista do Ensino</em>, relatórios dos Presidentes da Província do Rio de Janeiro e do Diretor da Escola Normal. A abordagem teórico-metodológica se inspira em<strong> Wittgenstein e Derrida</strong>. O <em>corpus</em> manifestou rastros de duas tradições de livros de aritmética: uns destinados à prática mercantil e outros às escolares, alguns destes voltados a formar professores. Quanto às práticas de ensino de aritmética, a partir dos anos 1870, foi recomendado o método intuitivo. Os compêndios integraram o currículo oficial e a estruturação das disciplinas escolares, bem como foram relevantes na formação e institucionalização da escola brasileira no século XIX.</p> 2022-05-13T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667882 Blocos lógicos em tempos do movimento da matemática moderna (1960-1980) 2022-08-10T12:58:41+00:00 Denise Medina Franca denisemedinafranca@gmail.com Edilene Simões Costa dos Santos edilenescs@gmail.com <p>Este texto objetiva, por meio da análise histórica de atividades em currículos e programas brasileiros, identificar elementos da constituição de saberes para ensinar classificação, seriação e ordenação com a utilização dos blocos lógicos, a fim de compreender o movimento de institucionalização destes saberes durante a Matemática Moderna. Os referenciais adotados buscam entender os saberes profissionais da docência em diferentes tempos históricos, tendo em vista tensões entre campo profissional e campo disciplinar da Matemática, e das Ciências da Educação presentes em legislações, programas, currículo, decretos, dentre outros, no que se refere aos saberes a ensinar e para ensinar. O estudo sugere que um dos saberes objetivados em programas brasileiros, refere-se às maneiras de abordar as estruturas lógico-matemáticas de forma concreta, ou seja, com ênfase no modo em que os blocos lógicos constroem e concretizam saberes referentes às estruturas lógicas de</p> 2022-05-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667872 A matemática na formação da professora primária na escola complementar de Passo Fundo – RS 2022-08-10T12:42:42+00:00 Luiz Henrique Ferraz Pereira lhp@upf.br Luís Gabriel Favaretto Matté 174381@upf.br Paola do Prado 175886@upf.br <p>O presente trabalho trata sobre a Escola Complementar de Passo Fundo/RS, tendo como marco temporal o período entre 1929 até a década de 1960. Relata sua trajetória e, através de indicativos do material inventariado, busca tecer algumas percepções sobre a matemática na formação da professora primária que esta Escola buscava formar. Para tanto, o trabalho pautou-se em pesquisa nos arquivos da Instituição, bem como jornais da época para ir ao encontro dessa intencionalidade. Tendo as Atas de Exames dos anos de 1947 a 1949, como referência, vestígios dos conteúdos estudados foram encontrados. Em Matemática, evidenciou-se, um predomínio da aritmética, com foco na perspectiva a ensinar em detrimento do para ensinar. Não obstante, também foi possível perceber como se deslocou o eixo centralizador das aulas, da professora para os alunos, muito devido aos indícios da presença do ideário da Escola Nova, identificados ao longo do período analisado. Associa-se a essas conclusões o estímulo a outras questões possíveis de estudo em trabalhos futuros.</p> 2022-05-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667891 Formação docente e ensino de matemática 2022-08-10T12:42:40+00:00 Andréa Morais de Menezes andreamenezes0910@gmail.com Marcelo Bezerra de Morais morais.mbm@gmail.com <p>Com este artigo, pretendemos analisar historicamente o processo de formação docente para atuar no ensino de matemática nos anos iniciais ofertado pelo curso de licenciatura em Pedagogia da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (FE/UERN), a partir de sua criação em 1966. Para isso, desenvolvemos uma operação historiográfica pautada em documentos oficiais, referenciais e arquivos curriculares institucionais, principalmente programas de disciplinas. Os resultados apontam a existência de três momentos históricos que dividem o percurso formativo do curso para ofertar uma formação voltada ao ensino de matemática, marcado temporalmente pelos anos de 1967, 1995 e 2007. Ainda, é possível indicar que, ao menos nas duas últimas décadas, o curso buscou propiciar uma formação pautado em questões sociais, críticas e construtivistas, atentando às orientações presentes nos documentos de regulamentação da formação e em estudos científicos recentes. </p> 2022-05-23T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667892 Os números racionais no ensino primário em Portugal (1930-1974) 2022-08-12T20:04:29+00:00 Rui Pedro Campos Bento Barros Candeias rp.candeias@campus.fct.unl.pt Maria Cecília Soares de Morais Monteiro ceciliam@eselx.ipl.pt Mária Cristina Ribeiro Correia de Almeida mcrca@campus.fct.unl.pt <p>O trabalho analisa a abordagem aos números racionais não negativos presentes nos documentos curriculares oficiais e nos manuais do curso de formação inicial dos professores do ensino primário. Analisaram-se os programas destes cursos, os programas do ensino primário e quatro manuais de autores de referência na formação de professores em Portugal, na época. Fez-se uma análise documental, com uma perspetiva histórica. A primeira abordagem e definição dos números racionais é feita através da medição de grandezas, mas, os manuais também apresentam diferentes significados para as frações nos exemplos com contexto. Nos manuais destaca-se a importância atribuída às diferentes representações, para a apresentação da definição de número racional e em dois destes manuais releva-se os diferentes contextos para as frações. Os manuais analisados seguem as indicações dos programas na abordagem proposta aos números racionais, no entanto, alguns autores evidenciam aspetos diferentes na abordagem que fazem a estes números.</p> 2022-05-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667622 Relações étnico-raciais nos currículos dos cursos de licenciatura em matemática das IES baianas 2022-08-12T20:04:32+00:00 Thaís Santana Araújo dos Santos tai.sas@hotmail.com Maria de Lourdes Haywanon Santos Araújo lore@uefs.br <p>O presente trabalho verificou a existência de discussões voltadas à educação para as relações étnico-raciais nos currículos dos cursos de Licenciatura em Matemática das instituições públicas baianas, bem como discutiu a importância e necessidade do tratamento deste tema, visando contribuir para uma educação que valorize e respeite a diversidade. A pesquisa documental e bibliográfica, de cunho qualitativo, foi realizada utilizando dados obtidos em documentos e pela escuta de coordenadores, professores e estudantes dos cursos, por meio de questionários. Percebeu-se, na maioria das instituições, a ausência dessas discussões, o que reflete desinteresse ou ausência de entendimento da necessidade de tratar da temática por parte das coordenações dos cursos, em contraponto à necessidade dos estudantes que percebem a influência dessa lacuna em sua formação ao se depararem com situações de racismo no contexto escolar.</p> 2022-05-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667895 Nísia Floresta 2022-08-12T19:23:20+00:00 Deise Aparecida Peralta deise.peralta@unesp.br <p>Neste texto discuto o dilema vivido pela educadora Nísia Floresta, diante de ataques públicos sofridos, em função da sua proposta curricular para educação de mulheres no século XIX. O artigo ilustra como, historicamente, as mulheres sofreram com ataques androcêntricos em cenários sociais injustos e de desigualdades na luta para aprender e ensinar matemática. Para tanto, em termos estruturais, após uma breve introdução sobre a adequação do debate feminista aos estudos curriculares, segue uma discussão sobre o conceito de “reconhecimento”, e finalmente uma seção que analisa publicações de um jornal com teor agressivo e difamatório sobre Nísia Floresta. Em termos metodológicos, foram analisados excertos de textos publicados no Jornal O Mercantil, levantados dentre os arquivos digitais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, noticiando sobre a educadora, considerando o conceito de “reconhecimento” da filósofa feminista Seyla Benhabib.</p> 2022-05-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667618 Os currículos do curso de licenciatura em matemática da UFMG 2022-08-12T19:23:26+00:00 Mariana Lima Vilela marianalimadiv@hotmail.com Filipe Santos Fernandes fernandes.fjf@gmail.com <p>Neste artigo apresentaremos algumas discussões sobre os saberes profissionais e os currículos na formação de professores de Matemática. O objetivo deste trabalho consiste em elaborar uma compreensão histórica das reformas curriculares do curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), apontando o movimento de construção dos saberes profissionais da docência, nas décadas de 1970 e 1980. A pesquisa seguiu uma abordagem qualitativa, discutindo as reformas curriculares de 1971, 1975, 1980 e 1987. As fontes utilizadas foram os documentos presentes em arquivos institucionais, as atas de reuniões do Colegiado do curso de Matemática e informações de outras pesquisas que tangenciam tais discussões. A análise está relacionada às disciplinas responsáveis pelo estágio curricular supervisionado nos currículos do curso de Licenciatura de Matemática da UFMG. Como principais resultados, destacam-se os movimentos de construção de espaços e tempos nos currículos para saberes próprios à docência de matemática, na atribuição de responsabilidades institucionais e perspectivas de formação de professores.</p> 2022-05-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667877 A rubrica álgebra na prescrição de normativas oficiais do ensino primário capixaba (1854 – 1927) 2022-08-12T19:23:23+00:00 Hairley Figueira Mesquita hairleyfm@hotmail.com Moysés Gonçalves Siqueira Filho siqueira.moyses@gmail.com <p>Delineia as rubricas matemáticas indicadas nos documentos oficiais do ensino primário capixaba, no período de 1854 a 1927, com o intuito de captar a presença ou ausência da Álgebra. Investiga os Relatórios dos Presidentes da Província; Regulamentos da Instrução Pública; Decretos Estaduais; Programas de Ensino, enfim, a Legislação Educacional vigente à época. Aponta, por meio da análise empreendida nessas fontes históricas, que a rubrica Álgebra, no ensino primário, tanto no período oitocentos quanto no republicanismo capixaba, não se consolidou como uma disciplina, haja vista ter sido indicada apenas no ano de 1892, com a reforma Moniz Freire, determinando além de aplicações fáceis, ser ministrada para meninos.</p> 2022-05-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Zetetiké