Pesquisar artigos

Declaração do México em favor do ecossistema Latino-americano de acesso aberto não comercial

A Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT, recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto.

Essa licença impede que se faça o uso comercial das publicações distribuídas gratuitamente nos sistemas de acesso aberto. Portanto, é prudente e confiável que o autores, editores e instituições adotem essa licença nas suas publicações, evitando que outros possam fazer uso comercial de suas publicações.

Por esse motivo que as instituições e serviços (LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT) de juntaram para recomendar e combater o mal uso das publicações de acesso aberto na grande rede (Internet).

As instituições, ou mesmo pessoa física,  que quiserem assinar essa Declaração, poderão no próprio site em que está a Declaração, fazer sua adesão com a confirmação e submissão dos dados, conforme modelo abaixo que fica no final do site da Declaração:

Vale apena ressaltar que:

…muitas instituições abriram acesso ao conhecimento, tornando-o disponível, sem barreiras e sem custo em benefício da humanidade, com o entendimento
de que o conhecimento, especialmente o que é resultado do financiamento público, é um bem comum e o acesso a ele, um direito humano. (DECLARAÇÃO…, 2017).

Fonte:

DECLARAÇÃO do México. Disponível em: <http://www.accesoabiertoalyc.org/declaracion-mexico-pt/>. Acesso em: 26 jan. 2018.

Campanha de povoamento do ORCID-UNICAMP começa a partir de hoje

Campanha ORCiD UNICAMP

Desde 2012, está em funcionamento um novo modo de identificação de pesquisadores junto às entidades do meio científico, o ORCiD (Open Researcher and Contributor ID).Trata-se de uma ferramenta digital de identificação, que permite ao usuário armazenar e gerir informações relativas à formação e à produção acadêmica.
Ao se cadastrar, o usuário recebe um código numérico de 16 dígitos que será utilizado para identifica-lo e distingui-lo no ambiente de pesquisa científica. O ORCiD vincula o pesquisador às publicações de sua autoria e/ou coautoria e torna a busca por autores mais precisa e menos sujeita a erros, ao passo que elimina o problema de homônimos e de variações nos nomes dos pesquisadores.

O ORCiD importa os trabalhos listados no Google Scholar para sua base, além de permitir a integração do seu registro com outros identificadores, como o Researcher ID e o Scopus ID. É uma importante ferramenta que proporciona de forma prática e rápida a recuperação da produção científica tanto pelos pesquisadores quanto pela Universidade.

Várias editoras e agências de fomento têm recomendado enfaticamente aos pesquisadores que associem identificadores ORCiD dos co-autores no ato de submissão de trabalhos e propostas de pesquisa.

Como se cadastrar?

Realizar o cadastro é muito rápido! Em apenas 30 segundos, através do link, o próprio pesquisador pode obter o seu ORCiD para depois atualizar suas informações e adicionar links para suas atividades de pesquisa, afiliações, prêmios, outras versões de seu nome e mais.

Caso prefira, o pesquisador pode autorizar o SBU a realizar o seu cadastro, preenchendo o formulário e clicando no link de ativação que será encaminhado para o e-mail indicado.

Aos pesquisadores que já possuem registro no ORCiD, solicitamos que se certifiquem de que a Unicamp está indicada como sua instituição e atualizem as informações, caso necessário.

Pró Reitoria de Pesquisa da UNICAMP
Sistema de Bibliotecas da UUNICAMP — SBU

30 de Novembro: Dia Internacional da Preservação Digital

Prezados colegas e amigos,

No próximo dia 30 de novembro, a Rede Cariniana comemorará pela primeira vez o Dia Internacional da Preservação Digital, data recentemente declarada pela Coalizão de Preservação Digital (DPC) http://www.dpconline.org/events/international-digital-preservation-day.

A ação reunirá indivíduos e instituições de todo o mundo para celebrar as coleções preservadas, o acesso mantido e o entendimento promovido pela preservação de materiais digitais. O objetivo é também criar maior conscientização sobre a preservação digital, que se traduz em uma compreensão mais ampla que permeie todos os aspectos da sociedade – negócios, elaboração de políticas, boas práticas pessoais.

No Ibict serão realizadas algumas iniciativas para celebrar a data, entre elas estão o lançamento do livro Tendências para a gestão e preservação da informação digital e uma ação de promoção da preservação digital, onde será oferecido aos colaboradores do instituto a migração de seus arquivos que ainda estão em disquetes para novas mídias.

Convidamos a todos para que promovam essa data nas suas instituições, compartilhando suas iniciativas de preservação digital nas mídias sociais, grupos e redes de pesquisa. Aos profissionais da informação que têm desenvolvido políticas e práticas de gestão nessa área, também convidamos para que divulguem a data e participem por meio do #IDDP17 com depoimentos pessoais nas suas atividades de garantir a salvaguarda de seus acervos digitais.

Um feliz Dia Internacional de Preservação Digital para todos!!

Antes de fechar o ano de 2017, o PPEC atinge 1 milhão de acessos e 1 milhão de downloads!

O Portal de Periódicos Eletrônicos Científico (PPEC) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), está em festa! Antes de fechar o ano letivo de 2017, em pleno mês de novembro (09/11/2017), atingiu a marca de 1 milhão de acessos e downloads (ver quadro 1 abaixo abaixo).
Em menos de 2 anos de inauguração (02/12/2015), o PPEC com 30 títulos de periódicos científicos disponível gratuitamente para a comunidade, alcança esse feito.
Consulta para os anos anteriores sobre os dados estatísticos podem ser acessados em: https://sites.google.com/view/ppecestatisticas
Tudo isso se deve graças a implementação dos identificadores digitais, como o DOI e o ORCID, sendo que este segundo está sendo adotado como obrigatório em alguns periódicos do Portal. A ideia principal é que esse número aumente povoando o ORCID integrado à UNICAMP, bem como ao ORCID de aceso gratuito por qualquer pesquisador.
Toda a equipe agradece aos autores, editores e comunidade. Sucesso e vida longa ao Portal!

Quadro 1. Relatório de acessos e downloads (parcial: novembro 2017)

 

Gráfico 1. Comparativo de acessos e downloads por ano
Fonte: 2015/2016 – Anuário Estatístico UNICAMP / 2017 – PPEC

2º Ciclo de Palestras BEDiC (Biblioteconomia, Educação e Divulgação Científica)

2º Ciclo de Palestras BEDiC (Biblioteconomia, Educação e Divulgação Científica).

A palestra será realizada dia 06 de junho, tendo como temática: Teoria da inovação e das redes: uma abordagem cientométrica.

Trata-se de um evento científico fomentado pelas áreas da Biblioteconomia, Educação e Divulgação Científica, com o propósito de proporcionar a troca de informações entre profissionais da educação, da informação e de divulgadores da ciência.

O evento é organizado pela Coordenadoria do SBU, por meio do seu Portal de Periódicos Eletrônicos Científicos (PPEC), em parceria com o Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismos (LABJOR) e com o Laboratório de Novas Tecnologias na Educação (LANTEC/FE).

Por meio do evento, pretende-se difundir propostas e projetos em andamento com possibilidades de diálogos entre as áreas de Educação, Ciência da Informação e Divulgação Científica, principalmente quanto às questões de compartilhamento de soluções técnicas de acessibilidade às fontes eletrônicas de informação e serviços virtuais, além de estabelecer debates entre pesquisadores e especialistas no assunto.

Para mais informações, segue o link: http://capacitacao.bc.unicamp.br/index.php?op=200&idCurso=26

Contamos com a presença de todos vocês.

Acelerando a comunicação das pesquisas: as ações do SciELO

Um dos avanços mais notáveis que vem ocorrendo na comunicação científica é a publicação individualizada de artigos, seja por meio de periódicos que disponibilizam os artigos tão logo aprovados e editados, sem esperar a composição de um novo número, ou por meio de repositórios de preprints. O Programa SciELO alinha-se à esta tendência de aceleração da publicação como um dos aperfeiçoamentos-chave dos periódicos que indexa e publica. A expectativa é que a maioria dos periódicos SciELO adote a publicação individual de artigos nos próximos dois anos. [Mais detalhes…]

Sobre os riscos do SciHub e dos periódicos híbridos

Escrito pelo geofísico marinho e editor científico Jan Velterop, o texto aborda os perigos presentes no SciHub e nos periódicos híbridos. Enquanto o primeiro é “visto como um perigo para os publishers tradicionais dependentes de direitos autorais que operam com assinatura de periódicos”, o segundo “combina conteúdo de acesso aberto com conteúdo por assinatura, visto como um perigo por muitos pesquisadores”, expõe.

Velterop não nega “que o SciHub possa apresentar um risco potencial para os publishers que operam por assinatura; eles são óbvios, porém, hipotéticos em grande parte e, portanto, não muito graves. Como a violação de direitos autorais é ilegal, o que os publishers vivem repetindo, haverá muito poucos bibliotecários, se tanto, que considerariam cancelar assinaturas devido ao SciHub”. Já os periódicos híbridos “são frequentemente tidos como perigosos, pois frequentemente são suspeitos de ‘double-dipping’ (gíria americana para ‘obter receita de duas fontes diferentes, tipicamente, de forma ilícita’). Pode ser que sim ou que não, porém apenas publicar periódicos híbridos não necessariamente significa que o publisher está cobrando duas vezes”, adverte. (Fonte: SciELO em Perspectiva) [texto completo clique aqui]

Revista indexada no PPEC e que faz parte da Rede Cariniana está no The Keepers Registry

The Keepers Registry acts as a global monitor on the archiving arrangements for electronic journals.

The Keepers Registry was developed by EDINA, the national data service centre at the University of Edinburgh, and the ISSN International Centre in Paris. It was first developed as outcome of the JISC-funded Piloting an E-journals Preservation Registry Service (PEPRS) project, and the beta service first launched in 2011. There is further background information on the PEPRS project website

The Keepers are the participating archiving agencies acting as stewards of digital content. There are currently twelve participating agencies. Each agency runs a programme for the archiving of e-journals and is making metadata on the journals in their programme available to The Keepers Registry.

The ISSN Register, which contains bibliographic metadata for all journals which have been assigned an ISSN, is at the heart of The Keepers Registry. The ISSN Register is used both as an authority source for ISSNs and to enrich the supplied records.

The Registry has three main purposes:

  • To enable librarians and policy makers to find out who is looking after which e-journal, how and with what terms of access.
  • To highlight the e-journals which are still “at risk of loss”.
  • To showcase the organisations (the keepers) which act as digital shelves for access over the long term.

View the Keepers Registry blog for recent news and announcements, read our selected Bibliography, and view our Development Roadmap. [ver mais]

Artigo faz reflexão sobre a relação entre Acesso Aberto e comunicação científica

Texto publicado pela química Lilian Nassi-Calò, coordenadora de comunicação científica na Bireme/Opas/OMS e colaboradora doSciELO, coloca em pauta um assunto bem delicado – “o aumento abusivo dos preços de assinaturas de periódicos científicos, principalmente nas áreas de ciência, tecnologia e medicina, deu origem ao que se tornou conhecido como a crise das publicações seriadas”.

Segundo a pesquisadora, tal “fato catalisou o desenvolvimento do movimento do acesso aberto e o surgimento de iniciativas como SciELO e PubMed Central em 1998 ePublic Library of Science em 2000, para citar apenas as pioneiras relevantes”. Lilian reforça a tese de que “decorridos 15 anos, o acesso aberto se consolida como modelo de negócios e política de publicação de resultados de pesquisa financiada com recursos públicos em todo o mundo, apoiada por mandatos de instituições, agências de fomento e tomadores de decisão”. (Fonte: SciELO em Perspectiva) [Texto na íntegra]