Evangélicos no Brasil. Perfil socioeconômico, afinidades ideológicas e determinantes do comportamento eleitoral

Autores

  • Simone R. Bohn Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Estudo Eleitoral Brasileiro. Religião. Comportamento eleitoral. Evangélicos. Cultura política

Resumo

O artigo estuda as características socioeconômicas, opiniões e preferências dos evangélicos no Brasil. Os dados mostram uma forte tendência deste grupo a opiniões mais conservadoras, comparado a outros grupos religiosos. O artigo utiliza os dados do ESEB 2002.

Abstract

The article analyses the socioeconomic aspects, opinions and political preferences of the evangelics in Brazil. The data show in this group a strong tendency to more conservative opinions, compared to other religions groups. The data come from the 2002 Brazilian Electoral Study.

Keywords: Brazilian Electoral Study; religion; electoral behavior; evangelics; political culture.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, R. & MONTERO, P. Trânsito religioso no Brasil. SP em perspectiva, 15 (3), p. 92-101, Julho-Setembro, 2001.

ALVES, Maria Teresa Gonzaga. Conteúdos ideológicos da nova direita no município de São Paulo: análise de surveys. Opinião Pública, VI (2), p. 191-229, 2000.

BURDICK, J. Looking for God in Brazil. The progressive Catholic Church in Brazil’s religious arena. Berkeley: University of California Press, 1993.

FERNANDES, R. et al. Novo nascimento: os evangélicos em casa, na igreja e na política. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

FONSECA, A. Secularização, pluralismo religioso e democracia no Brasil: um estudo sobre a participação dos principais atores evangélicos na política. São Paulo. 262 páginas. Tese (doutorado), Universidade de São Paulo, 2002.

FRESTON, P. Evangelicals and politics in Asia, Africa and Latin America. Cambridge & New York: Cambridge University Press, 2001.

FRESTON, P. Evangélicos na política brasileira: história ambígua e desafio ético. Curitiba: Encontrão Editora, 1994.

FRESTON, P. Protestantes e política no Brasil: da constituinte ao impeachment. Campinas. 307 páginas. Tese (doutorado), Universidade Estadual e Campinas, 1993.

GOMES, W. Nem anjos nem demônios. In: ANTONIAZZI, A. et al Nem anjos nem demônios: interpretações sociológicas do pentecostalismo. Petrópolis: Vozes, 1996.

KNUTSEN, O. Religious denomination and party choice in Western Europe: a comparative longitudinal study from eight countries (1970-1997). International Political Science Review, 25 (1), p. 97-128, 2004.

IBGE. Censo Demográfico 2000, Brasília: IBGE, 2000.

IBGE. Anuário Estatístico do Brasil 1982. Rio de Janeiro: IBGE, 1982.

LIPSET, S. M. O homem político. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

LÖWY, M. The war of gods. Religion and politics in Latin América. London, New York: Verso, 1996.

MANNHEIM, K. Ideologia e utopia. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.

MONTERO, P. Religiões e dilemas da sociedade brasileira. In: MICELI, S. (org.). O que ler na ciência social brasileira. São Paulo: Sumaré & ANPOCS, Brasília: CAPES, 1999.

MONTERO, P. & ALMEIDA, R. O campo religioso brasileiro no limiar do século: problemas e perspectivas. In: RATTNER, H. (org.). Brasil no limiar do século XXI. Alternativas para a construção de uma sociedade sustentável. São Paulo: EDUSP & FAPESP, 2000.

NOVAES, R. A divina política: notas sobre as relações delicadas entre religião e política. Revista da USP. São Paulo, 49, p. 60-81, Março-Maio, 2001.

NOVAES, R. Os escolhidos de Deus. Trabalhadores, pentecostais e cidadania. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1985.

ORO, A. P. A política da Igreja Universal e seus reflexos nos campos religioso e político brasileiros. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 18 (53), p. 53-69, 2003.

PIERUCCI, A. F. O. Representantes de Deus em Brasília: a bancada evangélica na constituinte. Ciências Sociais Hoje. São Paulo, 11, p. 104-32, 1989.

PIERUCCI, A. F. O. & MARIANO, R. O envolvimento dos pentecostais na eleição de Collor. Novos Estudos Cebrap, 34, p. 92-106, Novembro, 1992.

PIERUCCI, A. F. O.; PRANDI, J. R. Religiões e voto: a eleição presidencial de 1994. Opinião Pública, 3 (1), p. 20-43, Junho, 1995.

PRANDI, R. Religião paga, conversão e serviço. Novos Estudos. São Paulo, 45, p. 65-77, 1996.

TOCQUEVILLE, A. A democracia na América. São Paulo: EDUSP, Belo Horizonte: Itatiaia, 1977.

Downloads

Publicado

2015-10-19

Como Citar

Bohn, S. R. (2015). Evangélicos no Brasil. Perfil socioeconômico, afinidades ideológicas e determinantes do comportamento eleitoral. Opinião Pública, 10(2), 288–338. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641153

Edição

Seção

Artigos