Banner Portal
A crise e suas fronteiras: oito meses de “mensalão” nos editoriais dos jornais
PDF

Palavras-chave

Mídia e política. Crise política. Política brasileira. Partido dos Trabalhadores. Corrupção

Como Citar

MIGUEL, Luis Felipe; COUTINHO, Aline de Almeida. A crise e suas fronteiras: oito meses de “mensalão” nos editoriais dos jornais. Opinião Pública, Campinas, SP, v. 13, n. 1, p. 97–123, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641241. Acesso em: 24 jun. 2024.

Resumo

Com certa freqüência, a imprensa é acusada de “incendiária”, alimentando as crises políticas, de forma irresponsável, na busca por melhores manchetes. A partir da análise de editoriais dos três principais jornais da imprensa brasileira entre maio e dezembro de 2005, meses do escândalo do “mensalão”, este artigo observa outra faceta: como a crise é constituída como “desvio” a ser corrigido pela punição ou exclusão de determinados atores e comportamentos, impedindo que se coloque em questão os fundamentos do regime político.

 

Abstract

Press is frequently accused of being “incendiary”, nourishing political crisis in an irresponsible way, in search of better headlines. This article relies on an analysis of editorial stuff of the three leading Brazilian newspapers to observe another facet: how the crisis is constituted as a “deviation” something to be corrected by punishment or exclusion of certain actors and kinds of behavior. Thus, the foundations of the political system are never put in question.

Keywords: media and politics, political crisis, brazilian politics, Workers’ Party, corruption

PDF

Referências

ABREU, A. A. e LATTMAN-WELTMAN, F. Controles midiáticos: investigação e denuncismo na construção da visibilidade pública democrática. In: XXV Encontro Anual da ANPOCS, 2001, Caxambu.

CAPPELA, J. N. e K. H. J. Spiral of cinicism: the press and the public good. Oxford: Oxford University Press, 1997.

DOWNS, A. Up and down with ecology: the “issue-attention cycle”. The Public Interest, Washington, nº 28, p. 38-50, 1972.

GAMSON, W. Talking politics. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.

HALLIN, D. The “uncensored” war: the media and Vietnam. Berkeley: University of California Press, 1986.

IYENGAR, S. Is anyone responsible? How television frames political issues. Chicago: The University of Chicago Press, 1991.

LATTMAN-WELTMAN, F. Mídia e poliarquia: denuncismo e oligarquia. In: XI Encontro da COMPÓS, 2002, Rio de Janeiro.

LIMA, V. A. Presunção de culpa: a cobertura da crise política de 2005-2006. In: Mídia: crise política e poder no Brasil. São Paulo, Fundação Perseu Abramo, 2006.

MACHADO, C. A. M. Identidades diluídas: consistência partidária das coligações para prefeito no Brasil. Dissertação de Mestrado em Ciência Política. Brasília, Universidade de Brasília, 2007.

MARINI, A. R. Com quantas manchetes se derruba um presidente? Mídia e Democracia, São Paulo, nº 5, p. 16-22, 2007.

MIGUEL, L. F. From equality to opportunity: transformations in the discourse of Workers’ Party in the 2002 elections. Latin American Perspectives, Riverside, vol. 33, nº 4, p. 122-43, 2006.

PRZEWORSKI, A. Capitalism and social democracy. Cambridge: Cambridge University Press, 1985.

RIBEIRO, P. J. F. O PT sob uma perspectiva sartoriana: de partido anti-sistema a legitimador do sistema. Política & Sociedade, Florianópolis, nº 3, p. 45-70, 2003.

RUBIM, A. A. C. Cultura e política na eleição de 2002: as estratégias de Lula presidente. En: XII Encontro da COMPÓS, 2003, Recife.

THOMPSON, J. B. O escândalo político. Petrópolis: Vozes, 2002.

A Opinião Pública utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.