Identificação ideológica, partidos e voto na eleição presidencial de 2006

Autores

  • Yan de Souza Carreirão Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

Estudo Eleitoral Brasileiro. Eleições presidenciais. Identificação ideológica. Preferência partidária

Resumo

O artigo analisa as relações entre a identificação ideológica do eleitor brasileiro, seus “sentimentos” em relação aos partidos e o voto nas eleições presidenciais de 2002 e 2006. A principal hipótese testada, a partir da análise dos dados das duas ondas do ESEB (Estudo Eleitoral Brasileiro), é a de que após o primeiro mandato do presidente Lula houve, na percepção dos eleitores brasileiros, uma diluição das diferenças ideológicas entre os partidos, o que redundaria em uma menor associação entre identificação ideológica e voto na eleição presidencial de 2006 comparativamente à de 2002. O artigo investiga também se houve mudanças na associação entre os “sentimentos partidários” dos eleitores e seu voto.

 

Abstract

The article analyses the relations between the Brazilian voter’s ideological identification, his/her “partisan feelings” and the vote, in the 2002 and 2006 presidential elections. The main hypothesis tested, which is based on the two waves of the ESEB (Brazilian Electoral Study) data analysis, is that after President Lula’s first mandate there was a dilution of the ideological differences between the parties in the Brazilian voters view. This dilution would result in a smaller association between ideological identification and the vote in the 2006 presidential election compared to the 2002 election. The article also examines if there were changes in the association between the voters’ “partisan feelings” and their vote.

Key Words: Brazilian Electoral Study; presidential elections; ideological identification; party preference

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yan de Souza Carreirão, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Santa Catarina, Bacharelado em Ciências Sociais, mestrado em Sociologia Política (UFSC) e doutorado em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (2000). Realizou estágio de pós-doutoramento junto ao Departamento de Ciência Política da Universidade de São Paulo (2012/13). É Professor Associado da Universidade Federal de Santa Catarina, ocupando atualmente (2014-16) a coordenação do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política. É membro do Conselho Fiscal da ANPOCS (2014-16).

Referências

ALMEIDA, A. Ideologia e comportamento eleitoral: evidências de que a ideologia não é importante para explicar o voto. Paper apresentado ao XXV Encontro Anual da ANPOCS. Caxambu, 2001.

CARREIRÃO, Y. “Identificação ideológica e voto para presidente.” Opinião Pública, vol.VIII, nº.1, p.54-79, 2002a.

CARREIRÃO, Y. A decisão de voto nas eleições presidenciais brasileiras. Rio de Janeiro/Florianópolis: Editora da FGV/EDUFSC, 2002b.

CARREIRÃO, Y. “Relevant factors for the voting decision in the 2002 presidential election: an analysis of the ESEB (Brazilian Electoral Study) Data”. Brazilian Political Science Review, vol.1, nº.1, p.70-101, 2007a.

CARREIRÃO, Y. “A eleição presidencial de 2006: uma análise preliminar.” Política & Sociedade, nº.10, p.91-116, 2007b.

CARREIRÃO, Y. e KINZO, M.D.G. “Partidos políticos, preferência partidária e decisão eleitoral no Brasil (1989/2002).” Dados, vol.47, nº.1, p.131-168, 2004.

CARREIRÃO, Y. e BARBETTA, P. “A eleição presidencial de 2002: a decisão de voto na região da Grande São Paulo.” Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.56, p.75-93, 2004.

CASTRO, M. M. M. Determinantes do Comportamento Eleitoral. A Centralidade da Sofisticação Política. Tese de Doutorado, IUPERJ, Rio de Janeiro, 1994.

CLARKE, H. & STEWART, M. “The Decline of Parties in the Minds of Citizens.” Annual Review of Political Science, 1, p.357-378, 1998.

DALTON, R. J. & WATTENBERG, M. (eds.). Parties Without Partisans. Political Changes in Advanced Industrial Democracies. Oxford: Oxford University Press, 2000.

DAVIS, J. Levantamentos de dados em sociologia: uma análise estatística elementar. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

KINZO, M. D. “A Eleição Presidencial de 1989: o Comportamento Eleitoral em uma Cidade Brasileira.” Dados, vol.35, nº.1, 1992.

MENEGUELLO, R. “Electoral Behavior in Brazil: the 1994 Presidential Election.” International Social Science Journal, nº.146, 1995.

NICOLAU, J. “An analysis of the 2002 presidential elections using logistic regression.” Brazilian Political Science Review, vol.1, nº.1, p.125-135, 2007.

REIS, F. W. e Castro, M. M. M. “Regiões, classe e ideologia no processo eleitoral brasileiro.” Lua Nova, vol.26, p.81-131, 1992.

SILVEIRA, F. A decisão de voto no Brasil. Porto Alegre: EdipucRS, 1998.

SINGER. A. Esquerda e direita no eleitorado brasileiro. São Paulo: Edusp, 2000.

VENTURI, G. “A opinião pública diante da crise.” Teoria e Debate, vol.66, 2006.

Downloads

Publicado

2015-10-22

Como Citar

CARREIRÃO, Y. de S. Identificação ideológica, partidos e voto na eleição presidencial de 2006. Opinião Pública, Campinas, SP, v. 13, n. 2, p. 307-339, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641258. Acesso em: 27 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos