Orgulho e preconceito: a "objetividade" como mediadora entre o jornalismo e seu público

Autores

  • Flávia Biroli Universidade de Brasília
  • Luis Felipe Miguel Universidade de Brasília

Palavras-chave:

Jornalismo. Objetividade. Perspectivas sociais. Interesses. Política

Resumo

O artigo discute o valor da “objetividade” na construção do discurso e na orientação das práticas jornalísticas. A análise de revistas brasileiras semanais de informação permite observar que o ideal da objetividade e a afirmação dos valores morais não são excludentes: “fatos objetivos” e julgamentos complementam-se na legitimação do jornalismo como guardião dos valores sociais. O compartilhamento de posições sociais - e preconceitos - entre os jornalistas e seu público permite que perspectivas e interesses específicos sejam vocalizados como se correspondessem à totalidade, naturalizando um padrão de valores e transmutando julgamentos em fatos. No jornalismo, a neutralidade corresponde à validação de discursos hegemônicos.

 

Abstract:

The article discusses the value of “objectivity” for journalistic discourses and practices. The analysis of Brazilian weekly news magazines confirms the comprehension that the ideal of objectivity and the assertion of moral values do not exclude each other: “objective facts” and judgments are complementary in legitimating journalism as the guardian of social values. The sharing of social positions - and prejudgments - between journalists and their public allows specific perspectives and interests to be voiced as if they equal the totality, naturalizing a pattern of values and making judgments into facts. In journalism, neutrality corresponds to the validation of hegemonic discourses.

Keywords: journalism; objectivity; social perspectives; interests; politics

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Biroli, Universidade de Brasília

Professora Associada do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília, onde coordena o Grupo de Pesquisa sobre Democracia e Desigualdades (Demodê) e edita a Revista Brasileira de Ciência Política. Sua produção está concentrada na área de gênero, política e democracia, com ênfase para o estudo das teorias políticas feministas, e na área de mídia e política, tratando especialmente das relações entre imprensa e democracia no Brasil.

Luis Felipe Miguel, Universidade de Brasília

Luis Felipe Miguel é professor titular do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília, onde coordena o Grupo de Pesquisa sobre Democracia e Desigualdades (Demodê) e edita a Revista Brasileira de Ciência Política. Trabalha principalmente nas áreas de teoria da democracia, representação política e gênero.

Referências

ABREU, A. A. de. A modernização da imprensa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

ABREU, A. A. de; LATTMAN-WELTMAN, F.; ROCHA, D. (orgs.). Eles mudaram a imprensa: depoimentos ao CPDOC. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003.

ALBUQUERQUE, A.; SOARES, R. F. “Notícias de notícias: Notícias do Planalto, memória e autoridade jornalística”. Comunicação & Política, v. XI, n. 1, p. 135-69, 2004.

AUTHIER-REVUZ, J. “Heterogeneidade(s) enunciativa(s)”. Caderno de Estudos Linguísticos, n. 19, p. 25-42, 1990.

BOUDANA, S. “On the values guiding the French practice of journalism: interviews with thirteen war correspondents”. Journalism, v. 11, n. 3, p. 293-310, 2010.

BOURDIEU, P. The political field, the social science field, and the journalistic field, In: BENSON, R.; NEVEU, E. (eds.). Bourdieu and the journalistic field. Cambridge: Polity, 2005 [1995].

CARPENTIER, N. “Identity, contingency and rigidity: the (counter)hegemonic constructions of the identity of the media professional”. Journalism, v. 6, n. 2, p. 199-219, 2005.

CARPENTIER, N.; TRIOEN, M. “The particularity of objectivity: a post-structuralist and pshicoanalytical reading of the gap between objectivity-as-a-value and objectivity-as-a-practice in the 2003 Iraq War coverage”. Journalism, v. 11, n. 3, p.311-28, 2010.

COOK, T. E. Governing with the news: the news media as a political institution. 2.ed. Chicago, London: The University of Chicago Press, 2005 [1998].

CORRÊA, V. Conversa com a memória: a história de meio século de jornalismo público. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002.

DEUZE, M. “What is journalism? Professional identity and ideology of journalists reconsidered”. Journalism, v. 6, n. 4, p.442-64, 2005.

ETTEMA, J. S.; GLASSER, T. L. Custodians of conscience: investigative journalism and public virtue. New York: Columbia University Press, 1998.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 1996 [1971].

FSB COMUNICAÇÕES. Mídia e política: pesquisa sobre os hábitos de informação dos deputados federais. Brasília: FSB Comunicações, 2009.

GANS, H. J. Deciding what’s news: a study of CBS Evening News, NBC Nighlty News, Newsweek, and Time. Evanston: Northwestern University Press, 2004 [1979].

GOMES, W. “Mapeando a audioesfera política brasileira: os soundbites políticos no Jornal Nacional”. XVII ENCONTRO DA COMPÓS, 2008, PUC-SP, São Paulo.

GRAMSCI, A. Caderno 17 (1933-1935). In: GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, v. 3, 2000 [1933-5].

JANEWAY, M. Republic of denial: press, politics, and public life. New Haven: Yale University Press, 1999.

LIPPMANN, W. Public opinion. New York: The Free Press, 1997 [1922].

MANIN, B. The principles of representative government. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

MARCELINO, D. et al. “A cabeça do jornalista: opiniões e valores políticos dos jornalistas no Brasil”. Comunicação & Política, v. 27, n. 3, p. 13-42, 2009.

MIGUEL, L. F. e COUTINHO, A. A. “A crise e suas fronteiras: oito meses de ‘mensalão’ nos editoriais de jornais”. Opinião Pública, v.13, n.1, 2007.

O ESTADO DE S. PAULO. Manual de redação e estilo. Organizado e editado por Eduardo Martins. São Paulo: O Estado de S. Paulo, 1990.

SCHUDSON, M. “The objectivity norm in American journalism”. Journalism, v. 2, n. 2, p. 149-70, 2001.

SCHUDSON, M. The sociology of news. New York: Norton, 2003.

TUCHMAN, G. “Objectivity as strategic ritual: an examination of newsmen’s notions of objectivity”. American Journal of Sociology, v. 77, n. 4, p. 660-79, 1972.

WAISBORD, S. Watchdog journalism in South America: news, accountability and democracy. New York: Columbia University Press, 2000.

Downloads

Publicado

2015-10-27

Como Citar

Biroli, F., & Miguel, L. F. (2015). Orgulho e preconceito: a "objetividade" como mediadora entre o jornalismo e seu público. Opinião Pública, 18(1), 22–43. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641396

Edição

Seção

Artigos