Solidariedade e expressão jurídica: valores políticos de vereadores sobre direitos sociais

Autores

  • Samira Kauchakje Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Palavras-chave:

Valores políticos. Direitos sociais. Política social. Solidariedade. Legislativo municipal

Resumo

O artigo discute cultura política sobre direitos sociais e solidariedade, com base na pesquisa sobre valores políticos de parlamentares municipais de Curitiba. Considerou-se os direitos à saúde, educação, assistência social, trabalho, previdência social, segurança alimentar e nutricional, habitação e transferência de renda. A estratégia metodológica para identificar e interpretar valores foi: entrevista, sistematização e discussão focada em frequência e testes estatísticos e, também, análise a partir dos parâmetros da Constituição Federal de 1988 e de tipos ideais de solidariedade. Para o campo dos direitos sociais, foram elaborados os seguintes tipos de solidariedade: civil-pública; cívica-protetiva; pessoalista, benevolente; internacional e cosmopolita. Os resultados indicam que o legislativo municipal caracteriza-se por um perfil ideológico liberal e conservador e que os valores dos vereadores sofrem variação a depender da área de cada um dos direitos sociais. De forma geral, quanto se trata de transferência de renda e, em menor medida, de assistência social, os valores dos vereadores são compatíveis com a solidariedade cívica-protetiva ou beneficente; para a educação e saúde, os valores são congruentes com a solidariedade civilpública, isto é, com maior adesão aos atuais preceitos constitucionais e de cidadania.

 

Abstract:

This article discusses values of city councilors of Curitiba–Brazil on social rights, such as: health, education, welfare, labor, social security, food security and nutrition, housing and income transfers. The methodological procedures include interviews, statistical tests and analysis from the parameters of the Constitution of 1988 and from types of solidarity. The types were divided in two groups: political solidarity and gift solidarity. The results indicate that for the case of the rights to the direct monetary transfer and social assistance, the values of city councilors are compatible to the characteristics of the gift solidarity. In the cases of education and health, the values are compatible to the constitutional principles and the political solidarity. Keywords: political culture; social rights; social

Keywords: policy; solidarity; city councilors

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samira Kauchakje, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Professora Titular de políticas governamentais no Programa de Pós-Graduação em Gestão Urbana e no Curso de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica do Paraná / PUCPR. Professora Colaboradora no Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade Federal do Paraná / UFPR. Visiting Research Scholar in the Department of Political Science of the Universty of Illinois at Urbana-Champaign, com supervisão de José Cheibub.

Referências

ABREU, N. M. C. Direitos fundamentais na Constituição Federal de 1988. Anais do Conselho Nacional de Pesquisa e PósGraduação em Direito, 2007.

ALMOND, G.; VERBA, S. The civic culture: political attitudes and democracy in five nations. Califórnia: Sage Publications, 1989.

ARRETCHE, M. “Emergência e desenvolvimento do Welfare State: teorias explicativas”. BIB, n˚34, 1995.

ARRETCHE, M. Estado federativo e políticas sociais: determinantes da descentralização. São Paulo: Fapesp/Revan, 2000.

BANFIELD, E. The Moral Basis of a Backward Society. Nova York: Free Press, 1958.

BEHRING, E. R.; BOSCHETTI, I. Política social: fundamentos e história. São Paulo: Cortez, 2007.

BOBBIO, N. A Era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

BOBBIO, N. Direita e esquerda. Razões e significados de uma distinção política. São Paulo: UNESP, 1995.

BOITO, A. “A burguesia no Governo Lula“. Crítica Marxista, Rio de Janeiro, Revan, n˚ 21, p. 52-76, nov. 2005.

BOITO, A. “Estado e burguesia no capitalismo neoliberal”. Revista Sociologia e Política, 28, p. 57-74, jun. 2007.

BOSCHI, R. R. e DINIZ, E. O corporativismo na construção do espaço público. In: BOSCHI, R. R. (org.). Corporativismo e desigualdade: a construção do espaço público. Rio de Janeiro: Rio Fundo, 1991.

BOURDIEU, P. Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 1998.

BOURDIEU, P. Meditações pascalinas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

BRAGA, M. S. S. O processo partidário-eleitoral brasileiro, padrões de competição política (1982-2002). São Paulo: Associação Editorial Humanitas/FAPESP, 2006.

CARREIRÃO, Y. S. “Ideologia e partidos políticos: um estudo sobre coligações em Santa Catarina”. Opinião Pública, Campinas, vol. 12, n˚ 1, maio 2006.

CARVALHO, J. M. “Mandonismo, Coronelismo, Clientelismo: Uma Discussão Conceitual”. Dados, Rio de Janeiro, vol. 40, n˚2, 1997.

CARVALHO, J. M. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

CASTEL, R. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Petrópolis: Vozes, 2001 CASTRO, H. C. O. et al. “Percepções sobre o Programa Bolsa Família na sociedade brasileira”. Opinião Pública, Campinas, vol. 15, n˚ 2, nov. 2009.

CERVI, E. U. “Produção legislativa e conexão eleitoral na assembléia legislativa do estado do Paraná”. Revista de Sociologia e Política. Curitiba, vol. 17, n˚ 32, p. 159-177, fev. 2009 CHAUÍ, M. Raízes Teológicas do Populismo no Brasil: Teocracia dos Dominantes, Messianismo dos Dominados. In: DAGNINO, E. (org.). Anos 90: Política e Sociedade no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1994.

CODATO, A. Como funciona o parlamento brasileiro? 2009. Disponível em: <http://adrianocodato.blogspot.com/2009/12/como-funciona-o-parlamento-brasileiro.html>. Acesso em: 20 maio 2010.

COMPARATO, F. K. “O papel do juiz na efetivação dos direitos humanos”. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, Campinas, São Paulo, n˚ 14, 2001.

COSTA, P. R. N. Democracia nos anos 50: burguesia comercial, corporativismo e parlamento. São Paulo: Hucitec, 1998.

COSTA, S. “Democracia cosmopolita: déficits conceituais e equívocos políticos”. Revista Brasileira de Ciências Sociais. São Paulo, vol. 18, n˚ 53, 2003.

DINIZ, E. Voto e máquina política: patronagem e clientelismo no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

DINIZ, S. ”Interações entre os poderes executivo e legislativo no processo decisório: avaliando sucesso e fracasso presidencial”. Dados, vol.48, no. 2, p.333-369, jun. 2005.

DOIMO, A. M. A vez e a voz do popular: movimentos sociais e participação político no Brasil pós-70. Rio de Janeiro: Relume-Dumará: ANPOCS, 1995.

DRAIBE, S. ”Há tendências e tendências: com que Estado de Bem Estar Social haveremos de conviver neste fim de século?’ Cadernos de Pesquisa NEPP, Unicamp, n˚10, 1989.

DRAIBE, S. “Welfare State no Brasil: características e perspectivas”. Caderno de Pesquisa NEPP. Unicamp, n˚ 08, 1993a.

DRAIBE, S. “Qualidade de vida e reformas de programas sociais: o Brasil no cenário latino-americano”. Lua Nova, n˚31, p. 5-46, 1993b.

DRAIBE, S. “Uma nova institucionalidade das políticas sociais? Reflexões a propósito da experiência latino-americana recente de reformas e programas sociais”. São Paulo em Perspectiva, vol.11, n˚4, out.dez., 1997.

DRAIBE, S. Brasil: A Proteção social em tempos difíceis. Taller Inter-Regional Protección Social en una Era Insegura: Un Intercambio Sur-Sur sobre Políticas Sociales Alternativas en Respuesta a la Globalización, 2002, Santiago. Seminário Internacional Protección Social en una Era Insegura, 2002.

DRAIBE, S. “A política social no período FHC e o sistema de proteção social”. Tempo Social, vol. 15, n˚ 2, 2003.

DOWNS, A. Uma teoria econômica da democracia. São Paulo: Edusp, 1999.

ESPING-ANDERSEN, G. ”As três economias políticas do “Welfare State”. Lua Nova, São Paulo, n˚ 24, p. 85-116, 1991.

FAGNANI, E. Política social no Brasil (1964-2002): entre a cidadania e a caridade. Tese (Doutorado em Economia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

FIGUEIREDO, I. Políticas públicas e a realização dos direitos sociais. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 2006.

FIORI, J. L. “Estado do Bem-Estar Social: Padrões e Crises”. Instituto de Estudos Avançados, 1997.

HOBSBAWM, E. J. Ecos da Marselhesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

HUGO, V. Os Miseráveis. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

KOERNER, A. “Ordem política e sujeito de direito no debate sobre direitos humanos”. Lua Nova, n˚ 57, 2002.

KRISCHKE, P. J. “Governo Lula: políticas de reconhecimento e de redistribuição”. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas, nº 47, out. 2003.

LAVALLE, A. G. “Cidadania, igualdade e diferença”. Lua Nova, nº 59, 2003.

LAVALLE, A. G.; HOUTZAGER, P. P.; CASTELLO, G. “Democracia, Pluralização da Representação e Sociedade Civil”. Lua Nova, 67, p. 49-103, 2006.

LAVILLE, J. L. “Do século 19 ao século 21: permanência e transformações da solidariedade em economia”. Katálysis, Florianópolis, vol. 11, n˚ 1, jun. 2008.

LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto: o município e o regime representativo no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997.

LENHART, G.; OFFE, C. Teoria do Estado e Política Social. Tentativas de explicação político-sociológica para as funções e os processos inovadores da política social In: OFFE, C. Problemas estruturais do Estado capitalista. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

LOJKINE, J. O Estado capitalista e a questão urbana. São Paulo: Martins Fontes. 1981.

LOPEZ, F. G. “A política cotidiana dos vereadores e as relações entre executivo e legislativo em âmbito municipal: o caso do município de Araruama”. Revista de Sociologia e Política, nº 22, p. 153-177, jun. 2004 MARQUES, E. C.; BICHIR, R. “Estado e espaço urbano: revisitando criticamente as explicações correntes sobre as políticas urbanas”. Revista de Sociologia e Política, n˚16, p. 9-28, 2001.

LOPEZ, F. G. “Investimentos públicos, infra-estrutura urbana e produção da periferia em São Paulo”. Espaço & Debates, São Paulo, n˚ 42, p. 9-30, 2002.

MARSHALL, T. H. Cidadania, Classe Social e Status. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1967.

MARX, K. O capital. Livro 1, vol. 1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

MARX, K. A questão judaica. In: Manuscritos Econômicos-filosóficos. Lisboa: Edições 70, 1989.

MAUSS, M. Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

MEDEIROS, M.; BRITTO, T.; SOARES, F. “Transferência de renda no Brasil“. Novos estudos - CEBRAP, São Paulo, n˚ 79, nov.2007.

MEIRELLES, M. Ferramentas administrativas para identificar, observar e analisar problemas: organizações com foco no cliente. São Paulo: Arte & Ciência, 2001.

MIGUEL, L. F.; MACHADO, C. “Um equilíbrio delicado: a dinâmica das coligações do PT em eleições municipais (2000 e 2004)”. Dados, Rio de Janeiro, vol. 50, n˚ 4, 2007.

MOISÉS, J. A. “Cidadania, confiança e instituições democráticas”. Lua Nova, n˚65, p. 71-94, 2005.

MOTTA, L. E. “Direito, Estado e poder: Poulantzas e o seu confronto com Kelsen”. Sociologia e Política, vol.19, n˚ 38, p. 7-25, fev. 2011.

NERI, M. C. “Pobreza e políticas sociais na década da redução da desigualdade”. Nueva Sociedad, p. 53-75, out. 2007.

NERI, M. C. Desigualdade de Renda na Década. FGV/CPS, 2011 OFFE, C. Partidos Políticos e nuevos movimientos sociales. Editorial Sistema - Coleccion Politeia, 1993.

OLIVEIRA, H. M. J. “Cultura política e Assistência social: desafios à consolidação de uma singular política pública no âmbito da proteção social”. Revista Ser Social, Brasília, UnB, n˚ 12, p. 9 – p. 36, jan/jun 2003.

PERISSINOTTO, R. M. & BRAUNERT, M. B. “A direita, a esquerda e a democracia: os valores políticos dos parlamentares paranaenses (1995/2003)”. Revista Opinião Pública, vol. 12, nº 1, 2006.

PERISSINOTTO, R. M.; CODATO, A. N.; FUKS, M.; BRAGA, S. S. (orgs.). Quem governa? Um estudo das elites políticas do Paraná. Curitiba: Editora da UFPR, 2007.

PIOVESAN, F.; VIEIRA, R. S. “Justiciabilidade dos direitos sociais e econômicos no Brasil: desafios e perspectivas”. Revista IberoAmericana de Filosofia, Política y Humanidades, v. 8, n˚ 15, p. 128-146, abril 2006.

POWER, T. & ZUCCO, C. “Estimating Ideology of Brazilian Legislative Parties, 1990-2005: A Research Communication”. Latin American Research Review, 44(1), p. 219-246, 2009.

PUTNAM, R. Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2000.

RAICHELIS, R. “Gestão pública e a questão social na grande cidade”. Lua Nova, São Paulo, n˚ 69, 2006.

REIS, E. “Percepções da elite sobre e pobreza e desigualdade”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, nº 42, p. 143-152, 2000.

RIBEIRO, E. A. “Bases da legitimidade democrática no Brasil: adesão a valores e avaliação de desempenho”. Opinião Pública, vol. 13, nº 1, p.74-96, jun. 2007.

SALES, T. “Raízes da desigualdade social na cultura política brasileira”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n˚ 25, p.26-37, 1994.

SCHERER-WARREN, I. “Das mobilizações às redes de movimentos sociais”. Sociedade e Estado, Brasília, vol. 21, n˚ 1, abr.2006.

SIMÕES, C. Curso de Direito do Serviço Social. Biblioteca Básica de Serviço Social, vol. 3. São Paulo: Cortez, 2007.

SINGER, A. Direita e esquerda no eleitorado brasileiro. São Paulo: EDUSP, 2000.

SOUZA, C. “Governos locais e gestão de políticas sociais universais”. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, vol. 18, n˚ 2, p. 27-41, 2004.

SOUZA, N. R. A política pública e o espaço democrático: o caso do Conselho de Direitos da Criança e do Adolescente de Curitiba (COMTIBA). In: 3º Encontro Nacional da ABCP – Associação Brasileira de Ciência Política. Anais... Universidade Federal Fluminense, Niterói: 2002.

TELLES, V. S. Direitos Sociais: Afinal do que se trata? Belo Horizonte: UFMG, 2000.

TOMIO, F. R. L. Competição eleitoral e coalizões legislativas estaduais: conexão entre as arenas eleitoral e parlamentar nos estados. ANPOCS, 2007.

VASCONCELOS, T. A. C. A economia solidária como uma estratégia de desenvolvimento territorial: alguns aspectos teóricos. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Uberlândia, Programa de Pós-Graduação em Economia– Uberlândia, 2007.

VILLA, R. D. “Segurança internacional e normatividade: é o liberalismo o elo perdido dos critical securities studies?” Lua Nova, São Paulo, n˚ 73, 2008.

WEBER, M. Economia y sociedad. México: Fondo de Cultura Económico, 1984.

Downloads

Publicado

2015-10-30

Como Citar

Kauchakje, S. (2015). Solidariedade e expressão jurídica: valores políticos de vereadores sobre direitos sociais. Opinião Pública, 18(2), 309–336. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641421

Edição

Seção

Artigos