Sociedade civil e Estado no Brasil: da autonomia à interdependência política

Autores

  • Leonardo Avritzer Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Sociedade civil. Autonomia. Interdependência. Democratização. Participação social

Resumo

O conceito de sociedade civil é bastante co Resumo: ntestado no seu uso e na sua capacidade de explicação analítica. Reelaborado na teoria democrática nos anos 1990, ele tem sido bastante utilizado no Brasil em diferentes acepções. Alguns autores defendem o seu uso, tal como estabelecido na sociologia-política norte-americana (Cohen e Arato) enquanto outros criticam a ideia da autonomia social a ele inerente. Neste artigo, descrevo o surgimento da sociedade civil no Brasil durante os anos setenta e analiso suas principais áreas de atuação durante sua primeira fase. Analiso também uma segunda fase de interação entre Estado e sociedade civil, mostrando a existência de uma interdependência entre ambos.

 

Abstract:

The concept of civil society is essential Abstract: ly contested in its capacity to explain modern societies. It has been re-elaborated during the early nineties and in its renewed version has been employed in Brazil. A few authors defend its analytical use within the new anglo-saxon model provided by Cohen and Arato whereas other authors criticized the idea of social autonomy. In this article I will describe the emergence of civil society in Brazil during the late seventies and will approach its main area of social action during this first stage. I will also approach a second phase in civil society organization in which it moved to a strategy of interdependency with the state.

Keywords: civil society; autonomy; interdependency; Keywords: democratization; social participation

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Avritzer, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais (1983), mestrado em Ciência Política pela Universidade Federal de Minas Gerais (1987), doutorado em Sociologia Política - New School for Social Research (1993) e pós-doutorado pelo Massachusetts Institute of Technology (1998-1999) e (2003). 

Referências

ABERS, R. N. e KECK, M. "Muddy Waters: Decentralization, Coordination and Power Struggle in the Brazilian Water Management Reform". International Journal of Regional and Urban reform. Vol. 30, number 3, 2006.

ARATO, A. “Civil Society vs. the State: Poland 1980-81”, Telos, nº 47, Spring, 1981.

ALMOND, G. and VERBA, S. The civic culture: political attitudes and democracy in five nations. Princeton: Princeton University Press, 1963.

ALVAREZ, S. Engendering democracy in Brazil. Princeton: Princeton University Press, 1990.

ALVAREZ, S. E., DAGNINO, E. ESCOBAR, A. Cultures of Politics, Politics of Cultures: Re-visioning Latin American Social Movements, Boulder: Westview Press, 1998.

ARTURI, C. S. “O Debate Teórico sobre Mudança de Regime Político: o caso brasileiro”. Revista de Sociologia e Política, nº17, 2001.

AUYERO, J. Poor People's Politics: Peronist Survival Networks and the Legacy of Evit. Durham: Duke University Press, 2001.

AVRITZER, L. Sociedade Civil e Democratização. Belo Horizonte: Del Rey, 1994.

AVRITZER, L. “Democratization and changes in the pattern of association in Brazil”. Journal of Interamerican Studies and World Affairs, Fall, vol.42, nº3, p. 59-76, 2000.

AVRITZER, L. Democracy and the public space in Latin America. Princeton University Press, 2002.

AVRITZER, L. (ed.). A participação em São Paulo. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

AVRITZER, L. “New public spheres in Brazil”. International Journal of Urban Regional Research, 2006.

AVRITZER, L. Participatory Institutions in Democratic Brazil. Wilson Press/John Hopkins University Press, 2008.

AVRITZER, L. ZANDER, N. A inovação democrática no Brasil. São Paulo: Cortez, 2003.

BAIOCCHI, G. Participation, Activism and Politics: The Porto Alegre Experiment and Deliberative Democratic Theory. Department of Sociology. University, 2005.

BOBBIO, N. Gramsci and the Concept of Civil Society. London: MacMillan, 1988.

BOSCHI, R. A arte da associação. Rio de Janeiro: Vértice, 1987.

CALDEIRA, T. São Paulo: city of walls. Berkeley: University of California Press, 2000.

COHEN, J. L. and ARATO, A. Civil Society and Political Theory. Cambridge: MIT Press, 1992.

COHEN, J. L. and ROGERS, J. Associations and democracy. London: Verso, 1995.

COELHO, V. S. R. P. Conselhos de saúde enquanto instituições políticas: o que está faltando? In: COELHO, V. S. R. P.; NOBRE, M. (eds.). Participação e Deliberação. São Paulo: 34Letras, p. 255-269, 2004.

CORNWALL, A.; COELHO, V. S. R. P. Spaces for Change? The politics of citizen participation in new democratic arenas. 1º ed. Londres: Zed Books, 2007 DAGNINO, E. Os movimentos sociais e a emergência de uma nova noção de cidadania: In: DAGNINO, E. (Ed.). Os anos 90: Política e Sociedade no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1994.

CORNWALL, A.; COELHO, V. S. R. P. Sociedade Civil e Espaços Públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

DAGNINO, E.; OLVERA, A. J. and PANFICHI, A. (eds.). A Disputa pela construção democrática na América Latina. S. Paulo: Paz e Terra, 501pp, 2006.

DOIMO, A. M. Pluralidade religiosa à brasileira, associativismo e movimentos sociais em São Paulo. In: AVRITZER, L. (Org). A participação em São Paulo. Unesp, 2004.

ESCOREL, S. Reviravolta na saúde: origem e articulação do movimento sanitário. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1998.

FEINBERG, R.; WAISMAN, C. and ZAMOSC, L. Civil society in Latin America. Palgrave, 2006.

FONTANA, B. “Gramsci on politics and the state”. Journal of Classical Sociology. Número 11, 2011.

FRANCO, M. S. C. Homens livres na ordem escravocrata. São Paulo: Ática Editores, 1974.

FREYRE, G. Masters and the slaves. New York Knopf. English translation, 1963 (1946).

FREYRE, G . The Mansions and the shanties. plantation relations and Mestizaje in American imaginaries. Edited by Alexandra Isfahani-Hammond. New York. Macmillan, 1959.

GAY, R. Popular organization and democracy in Rio de Janeiro. Philadelphia: Temple, 1994.

GOHN, M.G. Movimentos sociais e luta pela moradia. São Paulo: Edições Loyola, 1991.

HABERMAS, J. Between Facts and Norms. Cambridge: MIT Press, 1995.

HILAIRE, A. S. Segunda viagem do Rio de Janeiro a Minas Gerais. Belo Horizonte: Itatiaia, 1822.

HOUTZAGER, P.; LAVALLE, A. G.; CHARIA, A. “Who participates? Civil society and the new democratic politics in São Paulo, Brazil”. Intitute of Development Studies. Working Paper, 2003.

HOUTZAGER, P.; LAVALLE, A. G.; CHARIA, A. Atores da sociedade civil e atores políticos: participação nas novas políticas democráticas em São Paulo. In: AVRITZER, L. A participação em São Paulo. São Paulo: Editora da UNESP, 2004.

KEANE, J. Civil society and the State. London: Verso, 1988a.

KEANE, J. Civil society and democracy. London: Verso, 1988b.

KEANE, J .Civil Society : Old Images, New Visions, Stanford: Stanford University Press, 1998.

NAVARRO, Z. Mobilização sem Emancipação – As Lutas Sociais dos Sem Terra no Brasil. In: SANTOS, B. S. (ed.). Produzir para Viver: Os Caminhos da Produção Não Capitalista. São Paulo: Civilização Brasileira, 2002.

O’DONNELL, G. AND SCHMITTER, P. Transitions from authoritarian rule. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1986.

OXHORN, P. Organizing Civil Society: the Popular Sectors and the Struggle for Democracy in Chile. University Park: Pennsylvania State University Press, 1995.

PEREIRA, C. “A Política Pública como Caixa de Pandora: organização de interesses, processo decisório e efeitos perversos na Reforma Sanitária Brasileira - 1985-1989”. Dados, vol.39, n. 3, 1996.

PUTNAM, R. Making democracy work. Princeton: Princeton University Press, 1993.

RIEDEL, M. Between Tradition and Revolution. Cambridge: Cambridge University Press, 1984.

RODRIGUES NETO, E. Promessas e Limites da Constituição. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2003. .

REIS, E. “Desigualdade e Solidariedade: uma releitura do familismo amoral de Banfield”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.10. nº29, 1995.

SADER, E. Quando Novos Personagens Entraram em Cena. São Paulo: Paz e Terra, 1988.

SANTOS, W. G. Cidadania e justiça: a política social na ordem brasileira. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1979.

SANTOS, W. G . Crise e Castigo. Rio de Janeiro: Vértice, 1987.

SANTOS, W. G. Razões da Desordem. Rio de Janeiro: Rocco,1993.

SAULE JÚNIOR, N. “O Direito à cidade como paradigma da governança urbana democrática”. Instituto Polis, 2005. Disponível em: <http://www.polis.org.br/artigo>. Acesso em: 08 maio 2006.

SHILS, E. The Virtue of Civility: Selected Essays on Liberalism, Tradition and Civil Society, Chicago: Liberty Fund., 1997.

SILVA, A. A. “A luta pelos direitos urbanos: novas representações de cidade e cidadania”. Espaço & Debates. São Paulo: v. 10, n. 30, p. 28-41, 1990.

STEPAN, A. Democratizing Brazil. New York: Oxford University Press, 1989.

TATAGIBA, L. Os Conselhos Gestores e a democratização das políticas públicas no Brasil. In: DAGNINO, E. (ed.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

TATAGIBA, L. A institucionalização da participação: os conselhos municipais de políticas públicas na cidade de São Paulo. In: AVRITZER, L. A participação em São Paulo. São Paulo: Editora UNESP, p. 323-370, 2004.

WAMPLER, B. and AVRITZER, L. Participatory publics: civil society and new institutions. New York: Comparative Politics, 2004.

WEFFORT, F. O populismo na política brasileira. São Paulo. Brasiliense, 1979.

WEFFORT, F. Why Democracy. In: STEPAN, A. Democratizing Brazil. New York: Oxford University Press, 1989.

WHITAKER, F. Iniciativa popular de lei: limites e alternativas. In: BENEVIDES, M. V.; VANNUCHI, P. and KERCHE, F. Reforma política e cidadania. São Paulo: Perseu Abramo, 2003.

ZAULI, E. M. e RODRIGUES, M. M. A. “Presidentes e Congresso Nacional no Processo Decisório da Política de Saúde no Brasil Democrático”. Dados Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 45, n. 3, p. 387-429, 2002.

Downloads

Publicado

2015-10-30

Como Citar

Avritzer, L. (2015). Sociedade civil e Estado no Brasil: da autonomia à interdependência política. Opinião Pública, 18(2), 383–398. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641425

Edição

Seção

Artigos