Banner Portal
Profissionalização política, processo seletivo e recursos partidários: uma análise da percepção dos candidatos do PT, PMDB, PSDB e DEM nas eleições para Deputado Federal de 2010
PDF

Palavras-chave

Profissionalização política. Partidos políticos. Processo de recrutamento

Como Citar

PERISSINOTTO, Renato Monseff; VEIGA, Luciana Fernandes. Profissionalização política, processo seletivo e recursos partidários: uma análise da percepção dos candidatos do PT, PMDB, PSDB e DEM nas eleições para Deputado Federal de 2010. Opinião Pública, Campinas, SP, v. 20, n. 1, p. 49–66, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641539. Acesso em: 24 maio. 2024.

Resumo

Este artigo procura analisar a profissionalização política e seus efeitos em quatro partidos brasileiros - o Partido dos Trabalhadores (PT), o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), o Partido da Social-Democracia Brasileira (PSDB) e os Democratas (DEM), tendo como objeto os candidatos a deputado federal por essas legendas nas eleições de 2010. A pesquisa baseia-se em survey aplicado a 120 candidatos a deputado federal. A partir de uma definição conceitual foi construído o índice de profissionalização política. Como resultados, constata-se menos “profissionais da política” e mais “políticos ocasionais” dentre os candidatos dos quatro partidos em 2010. A tendência é mais acentuada entre os candidatos de centrodireita. Políticos profissionais e políticos ocasionais têm leituras distintas sobre que aspectos mais importam na hora de definir a composição da lista e as chances de vitória eleitoral.

 

Abstract:

The purpose of this article is to analyze political professionalization and its effects in four Brazilian parties - Partido dos Trabalhadores (PT), Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) and Democratas (DEM). Data used in the article come from a survey with 120 candidates to federal deputy equally distributed among the four parties. An index for political professionalization was created from a conceptual definition. As a result, it was found that there are less "professional politicians" and more "occasional politicians" among the candidates of the four parties in 2010 elections. The trend is more pronounced among the center-right candidates. Professional politicians and occasional politicians have different perceptions about the aspects that matter for defining the composition of the list and the chances of electoral success.

Keywords: political professionalization; political parties; recruitment process

PDF

Referências

AMORIM NETO, O.; SANTOS, F. A produção legislativa do congresso: entre a paróquia e a nação. In: VIANNA, L.W. (org.). A democracia e os três poderes no Brasil. Belo Horizonte/Rio de Janeiro: Editora da UFMG/Iuperj, 2002.

ALBUQUERQUE, A.; DIAS, M. “Propaganda política e a construção da imagem partidária no Brasil”. Civitas - Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, vol.2, nº 2, p. 309-326, dez, 2002.

ÁLVARES, M. L. M. “Determinantes da seleção de candidaturas aos cargos parlamentares e regras estatutárias na formação do selecionador brasileiro, nas eleições de 2002.” V Encontro da Associação Brasileira de Ciência Política, UFMG, Belo Horizonte, 2006.

ÁLVARES, M. L. M. “Formação de elites e seleção de candidaturas: o ‘jardim secreto’ da elaboração das listas partidárias.” XXXI Encontro Anual da Anpocs, Caxambu, 2007.

BIRNBAUM, P. Dimensions du pouvoir. Paris: Presse Universitaire de France, 1984.

BIRNBAUM, P. Les sommets de l’État. Essais sur l’élite du pouvoir en France. Paris: Éditions du Seuil, 1994.

BOURDIEU, P. A representação política. Elementos para uma teoria do campo político. In: BOURDIEU, P. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Difel/Bertrand Brasil, 1989.

BRAGA, M.S.; VEIGA, L. F.; MIRÍADE, A. “Recrutamento e Perfil dos Candidatos e dos Eleitos à Câmara dos Deputados nas Eleições de 2006”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, vol. 24 nº 70, p.123-143, jun. 2009.

CODATO, A.; COSTA, L. D. “A profissionalização da classe política brasileira no século XXI.” ANPOCS, Caxambu, 2011.

CORADINI, O. L. Em nome de quem? Recursos sociais no recrutamento de elites políticas. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

CZUDNOWSKI, M. M. Political Recruitment. Micropolitical Theory. In: GREENSTEIN, F. I. e POLSBY, N. W. (orgs.). Handbook of Political Science. Vol. 2, Massachusetts: Addison-Wesley Publishing Company, 1975.

CZUDNOWSKI, M. M. Introduction: A Statement of the Issues. In: CZUDNOWSKI, M. M (org.). Does Who Governs Matter? DeKalb: Northern Illinois University Press, 1982.

DAHL, R. Who Governs? New Haven: Yale University Press, 1989.

DAMAMME, D. Professionnel de la politique, un métier peu avouable In: OFFERLÉ, M. (org.). La profession politique (XIXeXXe siècles). Paris: Éditions Belin, 1999.

DOGAN, M. Les professions propices à la carrière politique. Osmose, filières et viviers. In: OFFERLÉ, M. (org.). La profession politique (XIXe-XXe siècles). Paris: Éditions Belin, 1999.

FIGUEIREDO, A. C.; LIMONGI, F. Executivo e Legislativo na nova ordem constitucional. Rio de Janeiro: FGV/FAPESP, [2a edição], 2001.

FREIDENBERG, F. & LOPES, F. S. “Como se escolhe um candidato a presidente? Regras e práticas nos partidos políticos da América Latina”. Revista Opinião Pública, vol.8, nº1, 2002.

GUTTSMAN, W. L. The British Political Elite. London: MacGibbon & Kee, 1965.

HUNTINGTON, S. A ordem política nas sociedades em mudança. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1975.

LEONI, E., PEREIRA, e RENNÓ, L. “Estratégias para sobreviver politicamente: escolhas de carreiras na Câmara de Deputados do Brasil”. Opinião Pública, vol.9, n˚ 1, 2003.

MARENCO DOS SANTOS, A. “Nas fronteiras do campo político. Raposas e outsiders no Congresso Nacional”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 12, nº 33, 1997.

MARENCO DOS SANTOS, A. e SERNA, M. “Por que carreiras políticas na esquerda e na direita não são iguais? Recrutamento legislativo em Brasil, Chile e Uruguai”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.22, n˚ 64, 2007.

NORRIS, P. Passages to Power: Legislative recruitment in advanced democracies. Cambridge; New York: Cambridge University Press, 1997.

OFFERLÉ, M. Profession et professions politiques. In: _________. (org.). La profession politique (XIXe-XXe siècles). Paris: Éditions Belin, 1999.

PANEBIANCO, A. Modelos de partido: organização e poder nos partidos políticos. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PEIXOTO, V. M. “Eleições e Financiamento de Campanhas no Brasil.” Rio de Janeiro. Tese de doutoramento defendida no Instituto Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro, 2010.

PENNINGS, P, HAZAN, R. Y. “Democratizing Candidate Selection: Causes and Consequences”. Party Politics, vol. 7, nº 3, 2001.

PERISSINOTTO, R.; MÍRIADE, A. “Caminhos para o parlamento: candidatos e eleitos nas eleições para Deputado Federal em 2006”. Dados - Revista de Ciências Sociais. Rio de Janeiro, vol. 52, nº 2, 2009.

PERISSINOTTO, R.; MÍRIADE, A.; BOLOGNESI, B. “Electoral success and political institutionalization in the Federal Deputy elections in Brazil (1998, 2002 and 2006)”. Brazilian Political Science Review, vol.4, 2010.

POLSBY, N. “A institucionalização da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos”. Revista de Sociologia e Política, vol. 16, nº 30, jun. 2008.

PREWITT, K. The Recruitment of Political Leaders: A Study of Citizen-Politicians. New York: The Bobbs-Merril Company Inc., 1970.

PUTNAM, R. The Comparative Study of Political Elites. New Jersey: Prentice Hall, 1976.

RAHAT, G. & HAZAN, R. “Candidate Selection Methods: An Analytical Framework”. Party Politics, vol. 7, nº 3, 2001.

RANNEY, A. Pathways to parliament candidate selection in Britain. Madison: University of Wisconsin Press, 1965.

RODRIGUES, L. M. Partidos, Ideologia e Composição Social: Um estudo das bancadas partidárias na Câmara Federal. São Paulo: Edusp, 2002.

RODRIGUES, L. M. Mudança na Classe Política Brasileira. São Paulo: Publifolha, 2006.

SANTOS, F. O Poder Legislativo no presidencialismo de coalizão. Belo Horizonte: Editora da UFMG, Rio de Janeiro: IUPERJ, 2003.

SELIGMAN, L.G. “Political recruitment and party structure: a case study.” American Political Science Review, vol.55, p.77-86, 1961.

SCHMITT, R.; CARNEIRO, L. P.; KUSCHNIR, K. “Estratégias de campanha no horário gratuito de propaganda eleitoral em eleições proporcionais”. Dados, vol.42, nº 2, 1999.

TSEBELIS, G. Jogos ocultos. São Paulo: Edusp, 1998.

WEBER, M. Ciência e política: duas vocações. São Paulo: Cultrix, 1993.

A Opinião Pública utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.