Classificando ocupações prévias à entrada na política: uma discussão metodológica e um teste empírico

Autores

  • Adriano Codato Universidade Federal do Paraná
  • Luiz Domingos Costa Universidade Federal do Paraná
  • Lucas Massimo Universidade Federal do Paraná

Palavras-chave:

Recrutamento político. Candidatos a deputado. Gênero. Metodologia de pesquisa. Max Weber

Resumo

O artigo propõe uma discussão sobre definição, classificação e mensuração de posições sociais de origem para o estudo do recrutamento de elites políticas. Para tanto, apresenta diferentes estratégias teórico-metodológicas para enquadrar a variável “ocupação prévia à carreira parlamentar” e sugere a pertinência de um critério mais analítico que sociográfico na codificação das profissões daqueles que postulam ingressar no mundo político. Sustenta-se que o recrutamento político pode ser mais bem apreendido por meio de uma tipologia que leve em conta não apenas variáveis institucionais, mas, na linha sugerida por Max Weber, variáveis econômicas e sociais. No teste empírico dos critérios propostos neste artigo, foram utilizados dados sobre candidatos a deputado federal no Brasil em 2006 e 2010 para simular o rendimento de uma classificação alternativa. Essa classificação está baseada em três parâmetros: 1) a flexibilidade da carreira profissional do candidato (tempo livre e autonomia financeira), 2) a importância dessa ocupação numa dada comunidade (status social) e 3) sua afinidade prévia com os valores e as práticas do mundo político. O resultado revelou que clivagens sociais e clivagens de gênero podem ser reforçadas pelo tipo de atividade profissional exercida previamente pelos candidatos a parlamentar antes mesmo que filtros institucionais produzam seus efeitos.

 

Abstract:

This article brings forward a discussion regarding the definition, classification, and measurement of social positions of origin for research on political elite recruitment. To this end we present several theoretical and methodological strategies to establish the variable “occupation prior to a parliamentary career” and argue in favor of a more analytical criterion than a sociographic one when coding the occupations of those who consider entering the political world. The argument that follows considers that political recruitment could be better apprehended by means of a typology that takes into account not only institutional variables but also, as suggested by Max Weber, social and economic variables. For the empirical test concerning the proposed criteria the data is based on candidates for a federal deputy seat in 2006 and 2010 so as to simulate the efficiency of an alternative classification. This classification is based on three parameters: 1) the flexibility of the candidate’s professional career (free time and financial autonomy), 2) the importance of this occupation in a given community (social status) and 3) the candidate’s previous affinities with the values and practices of the political world. The results revealed that social cleavages as well as gender cleavages may be enhanced due to the type of professional activity previously exerted by the political candidates even before institutional filters yield their effects.

Keywords: political recruitment; candidates for deputy; gender; research methodology; Max Weber

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano Codato, Universidade Federal do Paraná

Adriano Codato é graduado em Ciências Sociais (com ênfase em Ciência Política), Mestre em Ciência Política e Doutor em Ciência Política, sempre pela UNICAMP. Professor de Ciência Política na Universidade Federal do Paraná (UFPR) desde 1992, é fundador e editor da Revista de Sociologia e Política (www.scielo.br/rsocp) e um dos coordenadores do Núcleo de Pesquisa em Sociologia Política Brasileira da UFPR. Atua no Programa de Pós-Graduação em Ciência Política e no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas na UFPR.

Luiz Domingos Costa, Universidade Federal do Paraná

Estudante de doutorado em Ciência Política na UFPR. Mestre em Ciência Política pela UNICAMP, possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atualmente é professor Centro Universitário UNINTER e da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). É pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Sociologia Política Brasileira - UFPR. 

Lucas Massimo, Universidade Federal do Paraná

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Paraná (2005) e mestrado em Ciência Política pela Universidade Estadual de Campinas (2012). Atualmente é douturando em Ciência Política na UFPR, pesquisador do NUSP/UFPR e editor executivo da Revista de Sociologia Política

Referências

ABREU, A. A. DE, et al. (eds.). Dicionário histórico-biográfico brasileiro. Rio de Janeiro: Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil/Fundação Getúlio Vargas, 2001.

ARAÚJO, C. "Partidos políticos e gênero: mediações nas rotas de ingresso das mulheres na representação política". Revista de Sociologia e Política, n° 24, p. 193-215, jun. 2005.

ARAÚJO, C. "Gênero e acesso ao Poder Legislativo no Brasil: as cotas entre as instituições e a cultura". Revista Brasileira de Ciência Política, n° 2, p. 23-59, 2009.

ARAÚJO, C.; ALVES, J. E. D. "Impactos de indicadores sociais e do sistema eleitoral sobre as chances das mulheres nas eleições e suas interações com as cotas". Dados, vol. 50, n° 3, p. 535-577, 2007.

BEST, H.; COTTA, M. Elite transformation and modes of representation since the mid-nineteenth century: some theoretical considerations. In: BEST, H.; COTTA, M. (eds.). Parliamentary representatives in Europe, 1848-2000: Legislative recruitment and careers in eleven European countries. Oxford, England: Oxford University Press, p. 1-28, 2000.

BONELLI, M. DA G. "Ideologias do profissionalismo em disputa na magistratura paulista". Sociologias, n° 13, p. 110-135, jun. 2005.

BOURDIEU, P. A representação política. Elementos para uma teoria do campo político. In: O poder simbólico. 2a ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, p. 163-207, 1998.

BRAGA, S. S. Quem foi quem na Assembleia Constituinte de 1946: um perfil socioeconômico e regional da Constituinte de 1946. Brasília-DF: Centro de Documentação e Informação/Câmara dos Deputados, vol. 2, 1998.

BRAGA, S. S.; NICOLÁS, M. A. "Prosopografia a partir da web: avaliando e mensurando as fontes para o estudo das elites parlamentares brasileiras na internet". Revista de Sociologia e Política, vol. 16, n° 30, p. 107-130, jun. 2008.

CARVALHO, J. M. DE. A construção da ordem: a elite política imperial; Teatro de sombras: a política imperial. 2a ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ; Relume-Dumará, p. 435, 1996.

CERVI, E. U., et al. "Dinheiro, profissão e partido político: a vitória na eleição para deputado federal no Brasil em 2010". Sociedade e Estado, vol. 29, n° 3, 2014.

CODATO, A. "Elites e instituições no Brasil: uma análise contextual do Estado Novo". Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Ciência Política. Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), 2008.

CODATO, A.; CERVI, E. U.; PERISSINOTTO, R. M. "Quem se elege prefeito no Brasil? Condicionantes do sucesso eleitoral em 2012". Cadernos Adenauer, vol. 14, n° 2, p. 61-84, 2013.

COLLOVALD, A. La république du militant. Recrutement et fillières de la carrière politique des deputés socialiste. In: BIRNBAUM, P. (ed.). Les élites socialistes au pouvoir: les dirigeants socialistes face à l’État, 1981-1985. Paris: PUF, p. 11- 52, 1985.

CORADINI, O. L. "Categorias socioprofissionais, titulação escolar e disputas eleitorais". Revista de Sociologia e Política, vol. 20, n° 41, p. 109-122, 2012.

COSTA, L. D.; CODATO, A. Profissionalização ou popularização da classe política brasileira? Um perfil dos senadores da República. In: MARENCO, A. (ed.). Os eleitos: representação e carreiras políticas em democracias. Porto Alegre: Editora da UFRGS, p. 107-134, 2013.

COSTA, O.; KERROUCHE, E. Qui sont les députés français? Enquête sur des élites inconnues. Paris: Presses de Sciences Po, p. 216, 2007.

DEZALAY, Y.; GARTH, B. G. The internationalization of palace wars: lawyers, economists, and the contest to transform Latin American States. Chicago: University Of Chicago Press, p. 352, 2002.

DOGAN, M. Political ascent in a class society: French deputies, 1870-1958. In: DWAINE, M. (ed.). Political decisionmakers. New York: Free Press of Glencoe, p. 57-90, 1961.

DOGAN, M. Les professions propices à la carrière politique. Osmoses, filières et viviers. In: OFFERLÉ, M. (ed.). La profession politique: XIXe-XXe siècles. Paris: Belin, p. 171-199, 1999.

GAXIE, D. "Les logiques du recrutement politique". Revue Française de Science Politique, vol. 30, n° 1, p. 5-45, 1980.

GUTTSMAN, W. L. The British political elite and the class structure. In: STANWORTH, P.; GIDDENS, A. (eds.). Elites and power in British society. Cambridge: Cambridge University Press, p. 22-44, 1974.

HEINZ, F. M. Nota sobre o uso de anuários sociais do tipo Who’s Who em pesquisa prosopográfica. In: HEINZ, F. M. (ed.). História social de elites. São Leopoldo: Oikos, p. 154-165, 2011.

HUBÉ, N. Le recrutement social des professionnels de la politique. In: COHEN, A.; LACROIX, B.; RIUTORT, P. (eds.). Nouveau manuel de science politique. Paris: La Découverte, p. 335-357, 2009.

MATTHEWS, D. R. "United States senators: a collective portrait". International Social Science Journal, vol. 13, n° 4, p. 620- 634, 1961.

MESSENBERG, D. "A elite parlamentar brasileira: um recorte sociocultural". Revista de Sociologia e Política, vol. 16, n° 30, p. 17-28, jun. 2008.

MESSENBERG, D. "Producción legislativa y representaciones políticas de la élite parlamentaria brasileña". Estudios Sociológicos, vol. 31, n° 93, p. 823-864, 2013.

MICELI, S. Carne e osso da elite política brasileira pós-1930. In: FAUSTO, B. (ed.). História geral da civilização brasileira. 5 a ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, vol. 3, p. 557-596, 1991.

MICELI, S. Biografia e cooptação (o estado atual das fontes para a história social e política das elites no Brasil). Intelectuais à brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, p. 345-356, 2001.

MIGUEL, L. F. "Political representation and gender in Brazil: quotas for women and their impact". Bulletin of Latin American Research, vol. 27, n° 2, p. 197-214, 2008.

MILLER, M. C. The high priests of American politics: the role of lawyers in American political institutions. Knoxville: University of Tennessee Press, p. 244, 1995.

MONTEIRO, N. DE G. (ed.). Dicionário biográfico de Minas Gerais. Período Republicano (1889/1991). Belo Horizonte: Assembleia Legislativa do estado de Minas Gerais, 1994.

NEIVA, P.; IZUMI, M. "Os 'doutores' da federação: formação acadêmica dos senadores brasileiros e variáveis associadas". Revista de Sociologia e Política, vol. 20, n° 41, p. 171-192, 2012.

NORRIS, P.; LOVENDUSKI, J. The United Kingdom. In: NORRIS, P. (eds.). Passages to power: legislative recruitment in advanced democracies. Cambridge: Cambridge University Press, p. 158-186, 1997.

OFFERLÉ, M. "Entrées en politique". Politix, vol. 9, n° 35, p. 3-5, 1996.

OFFERLÉ, M. Professions et profession politique. In: OFFERLÉ, M. (ed.). La profession politique: XIXe-XXe siècles. Paris: Belin, p. 7-35, 1999.

PANG, E.-S.; SECKINGER, R. L. "The mandarins of imperial Brazil". Comparative Studies in Society and History, vol. 14, n° 2, p. 215-244, 1972.

PEPINSKY, T. B. "How to code". In: SCHEDLER, A. (ed.). The C&M working paper series: Political Concepts. The Committee on Concepts and Methods (C&M); International Political Science Association (IPSA), 2007.

PERISSINOTTO, R. M., et al. (eds.). Quem governa? Um estudo das elites políticas do Paraná. Curitiba: Editora UFPR, 2007.

PINHEIRO, L. S. Vozes femininas na política: uma análise sobre mulheres parlamentares no pós-Constituinte. Brasília: [s.n.]., 2007.

PODMORE, D. "Lawyers and Politics". British Journal of Law and Society, vol. 4, n° 2, p. 155-185, 1977.

RANNEY, A. Pathways to Parliament: candidate selection in Britain. Madison: The University of Wisconsin Press, p. 288, 1965.

RODRIGUES, F. Políticos do Brasil. São Paulo: PubliFolha, p. 421, 2006.

RODRIGUES, L. M. Partidos, ideologia e composição social: um estudo das bancadas partidárias na Câmara dos Deputados. São Paulo: Edusp, 2002a.

RODRIGUES, L. M. "Partidos, ideologia e composição social". Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 17, n° 48, p. 31-47, fev. 2002b.

RODRIGUES, L. M. Mudanças na classe política brasileira. São Paulo: PubliFolha, 2006.

SACCHET, T.; SPECK, B. W. "Financiamento eleitoral, representação política e gênero: uma análise das eleições de 2006".Opinião Pública, vol. 18, n° 1, p. 177-197, jun. 2012.

SANTOS, F. Deputados federais e instituições legislativas no Brasil: 1946-99. In: BOSCHI, R.; DINIZ, E.; SANTOS, F. (eds.).

Elites políticas e econômicas no Brasil contemporâneo. São Paulo: Fundação Konder-Adenauer, p. 89-117, 2000.

SAUTU, R. "Teoría y medición del estatus ocupacional: escalas ocupacionales objetivas y de prestigio". Cuaderno de Investigaciones, Facultad de Ciencias Sociales, U.B.A., vol. 10, 1992.

SAWICKI, F. Classer les hommes politiques. Les usages des indicateurs de position sociale pour la compréhension de la professionnalisation politique. In: OFFERLÉ, M. (ed.). La profession politique, XIXe-XXe siècle. Paris: Belin, p. 135-170, 1999.

SCHUMPETER, J. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Zahar, 1984.

SPECK, B. W.; MANCUSO, W. P. "A study on the impact of campaign finance, political capital and gender on electoral performance". Brazilian Political Science Review, vol. 8, n° 1, p. 34-57, 2014.

WEBER, M. The profession and vocation of politics. In: LASSMAN, P.; SPEIRS, R. (eds.). Weber: political writings. Cambridge: Cambridge University Press, p. 309-369, 1994

Downloads

Publicado

2015-11-03

Como Citar

CODATO, A.; COSTA, L. D.; MASSIMO, L. Classificando ocupações prévias à entrada na política: uma discussão metodológica e um teste empírico. Opinião Pública, Campinas, SP, v. 20, n. 3, p. 346–362, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641563. Acesso em: 1 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos