Políticas de ação afirmativa e o experimento de listas: o caso das cotas raciais na universidade brasileira

Autores

  • Mathieu Turgeon Universidade de Brasília
  • Bruno Sant’Anna Chaves Serviço Florestal Brasileiro
  • Willian Washington Wives Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

Palavras-chave:

Atitudes políticas. Experimento de survey. Efeito de survey. Políticas de ação afirmativa

Resumo

Neste artigo adotamos uma metodologia de questionamento indireto para medir as opiniões de estudantes da UnB acerca do uso da cor/raça como um critério de admissão à Universidade. Partimos da hipótese de que opiniões sobre políticas afirmativas não são obtidas com confiabilidade em surveys convencionais, pois o grupo não elegível ao benefício (no caso, os estudantes brancos) poderia ocultar uma resposta de oposição por receio de parecer preconceituoso. Esse efeito é conhecido na literatura como efeito da desejabilidade social. Portanto, adotamos uma metodologia que garante privacidade aos respondentes, denominada experimento de listas, para medir as opiniões sinceras dos estudantes acerca do sistema de cotas raciais. Porém os resultados mostraram que o viés nas opiniões ocorreu, de forma inesperada, no grupo de estudantes elegíveis às cotas (afrodescendentes e indígenas). Precisamente, eles apoiaram fortemente o sistema de cotas raciais (68,3%) quando tiveram privacidade nas respostas, mas na pergunta direta demonstraram apenas uma tímida aprovação (29,0%). Chamamos esse efeito de efeito de inibição. Paralelamente, os estudantes brancos não demonstraram nenhum efeito de desejabilidade social, contrariando alguns achados de pesquisas similares nos EUA.

 

Abstract:

In this article, we adopt an indirect questioning methodology to measure attitudes toward the use of race as a criterion for admission in Brazilian higher education institutions. We hypothesize that attitudes toward such affirmative action policies cannot be measured by conventional survey questions because non-eligible students – mostly white students – may fear to appear prejudiced by showing opposition to them. This survey effect is known as the social desirability effect. Thus we adopt a list experiment to measure students’ sincere attitudes toward the race-based quota admission system. We find that white students do not over-report their approval of racial quotas in university admissions. But, the results show that quota eligible students, Afro and indigenous Brazilians, tend to overwhelmingly under-report their approval of race quotas. Specifically, eligible students strongly approve of the racial quota system (68.3%) when provided privacy in their responses, but publicly voice only timid approval of it (29.0%). We label this effect as the inhibition effect. Moreover, we did not find a social desirability effect among white students, contrasting with some previous findings in the U.S.

Keywords: political attitudes; survey-experiment; survey effect; affirmative action policies

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mathieu Turgeon, Universidade de Brasília

Possui graduação em Economia - Université de Montréal (1998), mestrado em Economia - Université de Montréal (2000) e doutorado em Ciência Política - University of Texas at Austin (2006). Foi professor assistente no departamento de Ciência Política da University of North Texas (EUA) (2006-2009). Atualmente é professor adjunto do Instituto de Ciência Política (IPOL) da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Comportamento Político e Eleitoral, Representação Política, Opinião Pública, Psicologia Política, Políticas Públicas, Metodologias Quantitativa e Experimental e Política Comparada.

Bruno Sant’Anna Chaves, Serviço Florestal Brasileiro

Engenheiro Agrônomo e Doutor em Botânica pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Cursou o Pós-Doutorado em Botânica na UFV atuando como Professor Voluntário do Departamento de Biologia Vegetal (UFV) ministrando aulas em disciplinas da graduação (BVE210 - Anatomia das Espermatófitas) e pós-graduação (BVE617-Métodos em Anatomia Vegetal). Foi professor de Botânica na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), lotado no Campus Regional de Montes Claros, de 2009 a 2014.

Willian Washington Wives, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada

Possui graduação em Ciência Política pela Universidade de Brasília(2010) e mestrado em Ciência Política pela Universidade de Brasília(2013). Atualmente é Bolsista de Mestrado do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - DF. Atuando principalmente nos seguintes temas:Democracia Digital, Internet, Conflito.

Referências

AVELAR, L. Participação política. In: AVELAR, L.; CINTRA, A. O. (org.). Sistema político brasileiro: uma introdução. Rio de Janeiro: Konrad-Adenauer-Stiftung; São Paulo: Editora Unesp, 2007.

BARRETO, A. L. “Descolorindo as estatísticas oficiais”. Congresso Scientiarum Historia III; 13 a 15 de Outubro de 2010; Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UFRJ, 2010.

BERINSKY, A. J. “The two faces of public opinion”. American Journal of Political Science, nº 43, p. 1.209-1.230, 1999.

BERINSKY, A. J_. “Political context and the survey response: the dynamics of racial policy opinion”. American Journal of Political Science, nº 64, p. 567-584, 2002.

BITTAR, M.; ALMEIDA, C. E. M. DE. “Mitos e controvérsias sobre a política de cotas para negros na educação superior”. Educar em Revista. Curitiba, nº 28, p. 141-159, 2006.

BOBO, L.; HUTCHINGS, V. L. "Perceptions of racial group competition: extending Blumer's theory of group position to a multiracial social context". American Sociological Review, nº 6, p. 951-972, 1996.

BRASIL. Lei nº 12.711 de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília: Imprensa Nacional, ano 149, nº 169, seção 1, p. 1, 30 ago. 2012.

CAMPBELL, D. T.; STANLEY, J. C. Experimental and quasi-experimental designs for research. Chicago: Rand McNally, 1966.

EDSALL, T. B.; EDSALL, M. D. Chain reaction: the impact of race, rights, and taxes on American politics. New York: W.W. Norton and Company, 1991.

GAERTNER, S. L.; DOVIDIO, J. F. The aversive form of racism. In: DOVIDIO, J. F.; GAERTNER, S. L. (eds.). Prejudice, discrimination, and racism. New York: Academic Press, 1986.

GARLET, M.; GUIMARÃES, G.; BELLINI, M. I. B. “Cotas para estudantes indígenas: inclusão universitária ou exclusão escolar?”. Educação, nº 33, p. 65-74, 2010.

GLYNN, A. N. “What can we learn with statistical truth serum? Design and analysis of the list experiment”. Public Opinion Quarterly, nº 77, p. 159-172, 2013.

HUBBARD, M. L.; CASPER, R. A.; LESSLER, J. T. “Respondent reactions to item count lists and randomized response”. Proceedings of the Survey Research Section of the American Statistical Association, p. 544-548, 1989.

HUDDY, L., et al. “The effect of interviewer gender on the survey response”. Political Behavior. nº 19, p. 197-220, 1997.

IBGE. Censo Demográfico 2010: Educação e deslocamento: resultados da amostra. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010. Disponível em <ftp://ftp.ibge.gov.br/Censos/Censo_Demografico_2010/Educacao_e_Deslocamento/pdf/tab_educacao.pdf>. Acesso em: 5 abr. 2013.

KATOSH, J. P.; TRAUGOTT, M. W. “The consequences of validated and self-reported voting measures”. Public Opinion Quarterly, nº 45, p. 519-535, 1981.

KUKLINSKI, J. H.; COBB, M. D.; GILENS, M. “Racial attitudes and the

‘New South’”. Journal of Politics, nº 59, p. 323-349, 1997.

KUKLINSKI, J. H., et al. “Racial prejudice and attitudes toward affirmative action”. American Journal of Political Science, nº 41, p. 402-419, 1997.

KRYSAN, M. “Privacy and the expression of white racial attitudes: a comparison across three contexts”. Public Opinion Quarterly, nº 62, p. 506-544, 1998.

MAIO, M. C.; SANTOS, R. V. “Política de cotas raciais, os ‘olhos da sociedade’ e os usos da antropologia: o caso do vestibular da Universidade de Brasília (UnB)”. Horizontes Antropológicos. Porto Alegre: [s.n.], ano 11, nº 23, p.181-214, jan./jun. 2005.

NEVES, P. S. C.; LIMA, M. E. O. “Percepções de justiça social e atitudes de estudantes pré-vestibulandos e universitários sobre as cotas para negros e pardos nas universidades públicas”. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, vol. 12, nº 34, p. 17-38, jan./abr. 2007.

SCHUMAN, H.; CONVERSE, J. M. “The effects of black and white interviewers on black responses in 1968”. Public Opinion Quarterly, nº 35, p. 44-68, 1971.

SEARS, D. O. Symbolic racism. In: Katz, P. A.; Taylor, D. A. (eds.). Eliminating racism. New York: Plenum, 1988.

SNIDERMAN, P. M.; CARMINES, E. G. Reaching beyond race. Cambridge: Harvard University Press, 1997.

SNIDERMAN, P. M.; GROB, D. B. “Innovations in experimental design in attitude surveys”. Annual Review of Sociology, nº 22, p.377-399, 1996.

SNIDERMAN, P. M.; PIAZZA, T.The scar of race. Cambridge: Harvard University Press, 1993.

SOWELL, T. Ação afirmativa ao redor do mundo – Estudo empírico. Rio de Janeiro: Editora UniverCidade, 2004.

VARGAS, J. H. C. "Hyperconsciousness of race and its negation: the dialectic of white supremacy in Brazil". Identities: global studies in culture and power, nº 11, p. 443-470, 2004.

WARNER, S. L. “Randomized response: a survey technique for eliminating evasive answer bias”. Journal of the American

Statistical Association, nº 60, p. 63- 69, 1965.

WISE, T. White like me: reflections on race from a priviled son. Berkeley, CA: Publishers Group West, 2011.

WRIGHT, G. C. “Misreports of vote choice in the 1998 NES Senate election study”. Legislative Studies Quarterly, nº 15, p.543-563, 1990.

WRIGHT, G. C. “Errors in measuring vote choice in the national election studies, 1952-1988”. American Journal of Political Science, nº 37, p. 291-316, 1993.

Downloads

Publicado

2015-11-03

Como Citar

TURGEON, M.; SANT’ANNA CHAVES, B.; WIVES, W. W. Políticas de ação afirmativa e o experimento de listas: o caso das cotas raciais na universidade brasileira. Opinião Pública, Campinas, SP, v. 20, n. 3, p. 363–376, 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8641564. Acesso em: 20 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos