Movimentos sociais e partidos políticos: as relações entre o movimento feminista e o sistema de partidos na Nicarágua (1974-2012)

Autores

  • Humberto Meza Universidade Estadual de Campinas
  • Luciana Tatagiba Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Movimentos sociais. Partidos políticos. Feminismo. Nicarágua

Resumo

Este artigo busca contribuir com o debate teórico sobre as relações entre movimentos sociais e partidos políticos, a partir de um estudo de caso sobre as relações entre o movimento feminista e o sistema de partidos na Nicarágua, ao longo da construção democrática nicaraguense, entre 1974 e 2012. A pesquisa de campo foi realizada entre 2011 e 2014 e consistiu da realização de entrevistas com lideranças do movimento feminista e dos partidos políticos, análise documental e observação participante nos eventos do movimento. A partir dos desafios colocados pela empiria, o artigo avança em dois debates principais: a natureza modular da autonomia e a zona de interseção. No primeiro, buscamos destacar a natureza relacional, histórica e estratégica da reivindicação da autonomia; no segundo, nosso tema são os impactos mútuos dessas relações sobre os atores e o contexto político da interação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Humberto Meza, Universidade Estadual de Campinas

É Doutor em Ciência Política (2015) pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), na área de Ação Coletiva, Movimentos Sociais e relações com instituições políticas; pesquisador do Núcleo de Estudos em Participação, Movimentos Sociais e Ação Coletiva (NEPAC) do IFCH/UNICAMP. Tem mestrado em Ciência Política pela UNICAMP (2003), na área de participação em Conselhos Indígenas de Saúde e implementação do SUS em comunidades étnicas. Possui graduação em Comunicação Social - Universidad Centroamericana (1997), em Manágua, Nicarágua, e experiência adquirida na área de projetos de Cooperação Internacional ao Desenvolvimento na América Central.

Luciana Tatagiba, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Espírito Santo (1994), mestrado em Ciência Política pela Universidade Estadual de Campinas (1998), doutorado em Ciências Sociais pela mesma universidade (2003). Atualmente é professora Livre Docente do Departamento de Ciência Política da Unicamp, onde desenvolve pesquisas sobre democracia participativa e movimentos sociais. Tem particular interesse na análise das relações entre movimentos sociais e Estado, com foco na conquista e garantia de direitos dos grupos desprivilegiados. Coordena o Núcleo de Pesquisa em Participação, Movimentos Sociais e Ação Coletiva (NEPAC, UNICAMP), criado em 2008. 

Referências

ABERS, R.; OLIVEIRA, M. S. "Nomeações políticas no Ministério do Meio Ambiente (2003-2013): interconexões entre ONGs, partidos e governos". Opinião Pública, Campinas, vol. 21, n° 2, p. 336-364, ago. 2015.

ABERS, R.; SERAFIM, L.; TATAGIBA, L. "Repertórios de interação Estado-sociedade em um Estado heterogêneo: a experiência na era Lula". Dados, Rio de Janeiro, vol. 57, n° 2, p. 325-357, 2014.

ABERS, R.; VON BÜLOW, M. "Movimentos sociais na teoria e na prática: como estudar o ativismo através da fronteira entre Estado e sociedade?". Sociologias, Porto Alegre, ano 3, n° 28, p. 52-84, set.-dez. 2011.

ALVAREZ, S.; ESCOBAR, A. Theoretical and political horizons of change in contemporary Latin American social movements. In: ESCOBAR, A.; ALVAREZ, S. (eds.). The making of social movements in Latin America: identity, strategy and democracy. Boulder: Westview Press, 1992.

ALVAREZ, S.; DAGNINO, E.; ESCOBAR, A. Cultura e política nos movimentos sociais latino-americanos: novas leituras. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2000.

AMENTA, E.; HALFMANN, S. Opportunity knocks: the trouble with political opportunity and what you can do about it. In: GOODWIN, J.; JASPER, J. (eds.). Contention in context: political opportunities and the emergence of protest. Stanford: Stanford University Press, 2012.

ARNSON, C. J.; PERALES, J. R. The 'New Left' and democratic governance in Latin America. Washington D.C.: Woodrow Wilson Center, 2007.

BAB, F. Después de la revolución. Género y cultura política en la Nicaragua neoliberal. INHCA-UCA, Managua, 2012.

BALDIZÓN, J. A. El Frente Sandinista de Liberación Nacional y sus órganos partidistas locales: uma primera aproximación a los municipios de Boaco y Estelí. Guatemala: Flacso, 2004.

BLIKSTAD, K. D. "O agir coletivo nas interfaces da sociedade civil e do sistema político. O caso da atuação do movimento de moradia de são Paulo sobre a política pública de habitação". Dissertação de Mestrado em Ciência Política. Unicamp, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, 2012.

BOSCHI, R. R.; VALLADARES, L. P. "Problemas teóricos na análise de movimentos sociais: comunidade, ação coletiva e o papel do Estado". Espaço e Debate, Rio de Janeiro, no 8, jan.-abr., 1983.

CANNON, B.; PEADAR, K. Civil society and the State in left-led Latin America. London: Zed Books, 2012.

CARDOSO, R. "Movimentos sociais na América Latina". Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, n° 3, vol. 1, fev. 1987.

CARDOSO, R. A trajetória dos movimentos sociais. In: DAGNINO, E. (ed.). Os anos 90: política e sociedade no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1994.

CASTRO, F.; KOONINGS, K.; WIESEBRON, M. Brazil under the Workers' Party: continuity and change from Lula to Dilma. London: Palgrave, 2014.

CHAGUACEDA, A. "El movimiento de mujeres y las luchas sociales por la democratización en La Nicaragua postrevolucionaria (1990-2010)". Revista Encuentro, Managua, n° 89, p. 39-62, 2011.

CORAGGIO, J. L.; LAVILLE, J. Reinventar la izquierda en el siglo XXI: hacia un diálogo norte-sur. Los Polvorines. Buenos Aires: Clacso, 2014.

CUADRA, E. E.; JIMENEZ, J. El movimiento de mujeres y la lucha por sus derechos: movimientos sociales y ciudadanía en Centroamérica. Managua: Cinco, 2010.

D'ARAÚJO, M. C. (ed.). Governo Lula: contornos sociais e políticos da elite no poder. Rio de Janeiro: CPDOC, 2007.

DAGNINO, E. Sociedade civil, espaços públicos e a construção democrática no Brasil. In: DAGNINO, E. (ed.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

DAGNINO, E.; OLVERA, A.; PANFICHI, A. (eds.). A disputa pela construção democrática na América Latina. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

DAGNINO, E.; TATAGIBA, L. "Mouvements sociaux et participation institutionnelle: répertoires d'action collective et dynamiques culturelles dans la difficile construction de la démocratie brésilienne". Revue Internationale de Politique Comparé, vol. 17, 2010.

DAGNINO, E.; TEIXEIRA, A. C. C. "The participation of civil society in Lula's government". Journal of Politics in Latin America, Hamburg, vol. 6, n° 3, p. 39-66, 2014.

D'AVILA FILHO, P.; SZWAKO, J.; ROMÃO, W. "Dossiê representação, participação e intermediação". Interseções: Revista de Estudos Interdisciplinares, Rio de Janeiro, vol. 17, n° 1, 2015.

DAVIS, D. "The power of distance: re-theorizing social movements in Latin America". Theory and Society, vol. 28, n° 4, p. 585-638, August 1999.

DOWBOR, M. "Arte da institucionalização: estratégias de mobilização dos sanitaristas (1974-2006)". Tese de Doutorado em Ciência Política. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, FFLCH/USP, São Paulo, 2012.

EL NUEVO DIARIO. "Votos vergonzantes". Nacional (online). Disponível em: http://archivo.elnuevodiario.com.ni/nacional/193748-votos-vergonzantes/. Acesso em: 10 fev. 2016.

FERRO, M. C. T. "Participación social en la construcción de la Política Nacional para la Población en Situación de Calle en Brasil: alcances y límites". In: Anais do XXIX Congreso de la Asociación de Estudios Latinoamericanos Lasa, Toronto, Canadá, 6-9 Octubre 2010.

FERRO, M. C. T."Desafíos de la participación social: alcances y límites de la construcción de la política nacional para la población en situación de calle en Brasil". Dissertação de Mestrado, Programa de Ciencia Política y Sociologia, Flacso, Argentina, 2011.

GIUGNI, M.; MCADAM, D.; TILLY, C. (eds.). From contention to democracy. Lanham: Rowman & Littlefield Publishers, 1998.

GOLDSTONE, J. A. Bridging institutionalized and noninstitutionalized politics. In: GOLDSTONE, J. (ed.). States, parties and social movements. Cambridge: Cambridge University, 2003.

GOODWIN, J.; JASPER, J. "Caught in a winding, snarling vine: the structural bias of political process theory". Sociological Forum, vol. 14, n° 1, p. 27-54, 1999.

GURZA LAVALLE, A.; ROMÃO, W.; ZAREMBERG, G. "Partidos políticos e innovación democrática: más allá de purezas y perversiones". Revista Mexicana de Ciencias Políticas y Sociales, ano LIX, n° 220, p. 21-54, Enero-Abril 2014.

GURZA LAVALLE, A.; SZWAKO, J. "Sociedade civil, Estado, autonomia: argumentos, contra-argumentos e avanços no debate". Opinião Pública, Campinas, vol. 21, n° 1, p. 157-187, abr. 2015.

GUTIERRES, K. A. "Projetos políticos, trajetórias e estratégias: a política de assistência social entre o partido e o Estado". Tese de Doutorado em Ciências Sociais, Unicamp, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas, 2015.

HELLMAN, J. A. The study of new social movements in Latin America and the question of autonomy. In: ESCOBAR, A.; ALVAREZ, S. (eds). The making of social movements in Latin America: identity, strategy and democracy. Boulder: Westview Press, 1992.

JACOBI, P. Movimentos sociais políticas públicas: demandas por saneamento básico e saúde. São Paulo: Cortez, 1989.

KAMPWIRTH, K. Revolución, feminismo y antifeminismo en Nicaragua. In: LEBON, N.; MAIER, E. (eds.). De lo privado a lo público: 30 años de lucha ciudadana de las mujeres en América Latina. Eds. N. Lebon e E. Maier. México: Siglo XXI, 2006.

KOWARICK, L. "Movimentos urbanos no Brasil contemporâneo: uma análise da literatura". Revista Brasileira de Ciências Sociais, n° 3, vol. I, 1987.

KRIESE, H. Political context and opportunities. In: SNOW, D. A.; SOULE, S. A.; KRIESI, H. (eds.). The blackwell companion to social movements. Oxford: Blackwell Publishing Ltd, p. 67-90, 2004.

LACOMBE, D. "¿'Luchar contra el peor escenario'? construcción del movimiento autónomo de mujeres y debates de la militancia feminista en el contexto pre-electoral Nicaragüense (2004-2006)". In: Anais do XXIX Congreso de la Asociación de Estudios Latinoamericanos Lasa, Toronto, Canadá, 6-9 Octubre 2010.

LARRACOECHEA, E. "¿Ciudadanía Cero? El 'Hambre Cero' y el empoderamiento de las mujeres en Nicaragua". Paper Grupo Venancia. Febr. 2014

LEITÃO, L. R. "Oportunidades políticas e repertórios de ação: o movimento negro e a luta de combate à discriminação racial". Tese de Doutorado em Sociologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Porto Alegre, 2012.

LOSEKANN, C. "A presença das organizações ambientalistas da sociedade civil no governo Lula (2003-2007) e as tensões com os setores econômicos". Tese de doutorado em Ciência Política. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

LUCIAK, I. After the revolution: gender and democracy in El Salvador, Nicaragua and Guatemala. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2001.

MAM. Acuerdo político entre el Movimiento Autónomo de Mujeres de Nicaragua (MAM) y la Alianza Movimiento de Renovación Sandinista (MRS). Managua, 15 junio 2006.

MAREGA, M. A Nicarágua sandinista. São Paulo: Brasiliense, 1982.

MAREGA, M. Documento Político. Política y ciudadanía de las mujeres. Bases de la refundación del Movimiento Autónomo de Mujeres de Nicaragua. Matagalpa/Managua, Febrero 2006.

MCADAM, D.; TARROW, S. "Movimentos sociais e eleições: por uma compreensão mais ampla do contexto político da contestação". Sociologias, vol. 13, n° 28, p. 18-51, 2011.

MCADAM, D.; TARROW, S.; TILLY, C. Dynamics of contention. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

MEYER, D.; JENNESS, V.; INGRAM, H. (eds.). Routing the opposition: social movements, public policy, and democracy. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2005.

MEYER, D.; TARROW, S. The social movement society. Oxford: Rowman & Littlefield, 1998.

MEZA, H. M. "Autonomia em movimento. Análise da trajetória das relações do movimento de mulheres com os partidos políticos na Nicarágua pós-revolucionária". Tese de Doutorado em Ciência Política, IFCH, Universidade Estadual de Campinas, 2015.

MIGUEL, L. F.; BIROLI, F. Feminismo e política: uma introdução. São Paulo: Boitempo, 2014.

MOLYNEUX, M. Mobilisation without emancipation? Women's interests, State and revolution in Nicaragua. In: MOLYNEUX, M. (ed.). Women's movements in international perspective. Latin America and Beyond. London: Institute of Latin American Studies, 2001.

MURGUIALDAY, C. Nicaragua, revolución y feminismo (1977-1989). Madrid: Revolución, 1990.

ORTEGA HEGG, M. Las relaciones gobierno: sociedad civil, a inicios de la administración del presidente Daniel Ortega. Managua: Ed. UCA, 2008.

PENNA, C. Conexões e controvérsias no Incra de Marabá: o Estado como um ator heterogêneo. Rio de Janeiro: Garamond, 2015.

POLLETTA, F. "Snarls, quacks and quarrels: culture and structure in political process theory". Sociological Forum, vol. 14, n° 1, p. 63-70, mar. 1999.

PRADO, S. Modelos de participación ciudadana y presupuestos municipales. Entre los CDM y los CPC. Managua: Ceap, 2007.

PUIG, M. S. "El regreso de Ortega: los primeros pasos de su segunda administración". Revista de Ciencia Política, Santiago, vol. 28, n° 1, p. 287-303, 2008.

PUIG, M. S.; CLOSE, D. (eds.). The sandinistas and Nicaragua since 1979. Boulder: Lynne Rienner Publishers, 2012.

SANTIUSTE, C. S. "Del monopolio del poder a la competencia electoral: la incompleta transformación del FSLN en los 90". América Latina Hoy, n° 27, p. 89-122, 2001.

SANTOS, C. N. Movimentos urbanos no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

SERAFIM, L. "Participação no governo Lula: as pautas da reforma urbana no Ministério das Cidades (2003-2010)". Tese de Doutorado em Ciências Sociais, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Unicamp, Campinas, 2013.

SILVA, M.; OLIVEIRA, G. L. "A face oculta(da) dos movimentos sociais: trânsito institucional e interseção Estado-movimento: uma análise do movimento de economia solidária no Rio Grande do Sul". Sociologias, vol. 13, n° 28, p. 86-125, 2011.

TATAGIBA, L. Relação entre movimentos sociais e instituições políticas no cenário brasileiro recente. Reflexões em torno de uma agenda preliminar de pesquisa. Mímeo, 2009.

TATAGIBA, L.; BLIKSTAD, K. "Como se fosse uma eleição para vereador: dinâmicas participativas e disputas partidárias na cidade de São Paulo. Lua Nova, São Paulo, vol. 84, p. 175-217, 2011.

TATAGIBA, L.; TEIXEIRA, A. C. "Participação e democracia: velhos e novos desafios". Civitas, Porto Alegre, vol. 6, n° 1, p. 223-240, 2006.

TATAGIBA, L. "Efeitos combinados dos movimentos de moradia sobre os programas habitacionais autogestionários". Revista de Sociologia e Política (online), vol. 24, n° 58, p. 85-102, 2016.

TEIXEIRA, A. C. "Para além do voto: uma narrativa sobre a democracia participativa no Brasil (1975-2010)". Tese de Doutorado em Ciências Sociais, IFCH, Universidade Estadual de Campinas, 2013.

TILLY, C. Popular contention in Great Britain, 1758-1834. Cambridge, Ma: Harvard University Press, 1995.

TILLY, C. Contentions performances. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.

WEYLAND, K.; MADRID, R.; HUNTER, W. Left governments in Latin America: successes and shortcomings. New York: Cambridge University Press, 2010.

ZIBECHI, R. "Movimientos sociales: nuevos escenarios y desafíos inéditos". Osal, Buenos Aires, ano VII, n° 21, p. 221-230, Clacso, September-December 2011.

ZIMMERMANN, M. A revolução nicaraguense. São Paulo: Unesp, 2006.

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

MEZA, H.; TATAGIBA, L. Movimentos sociais e partidos políticos: as relações entre o movimento feminista e o sistema de partidos na Nicarágua (1974-2012). Opinião Pública, Campinas, SP, v. 22, n. 2, p. 350–384, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8647281. Acesso em: 30 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos