Discussões em torno do referendo sobre o comércio de armas de fogo e munição na Folha de S. Paulo

Autores

  • Lauriston de Araújo Carvalho Universidade Estadual de Campinas
  • Daniel Henrique Pereira Espíndula Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Arma de fogo. Munição. Imprensa. Referendo

Resumo

Este artigo busca compreender os saberes veiculados pelo jornal Folha de S. Paulo a respeito do referendo das armas de fogo durante o ano de 2005. Foram realizadas buscas no site do jornal versão impressa e online via descritores: referendo; arma de fogo; munição, sendo encontradas 170 reportagens. O material foi analisado pelo software Alceste, que realiza análises de dados textuais, via classificação hierárquica descendente. Os resultados indicam a discussão do referendo organizada em dois eixos de significados da ordem da Segurança Privada x Segurança Pública, no qual temas como o controle das armas ilegais e munição são tratados em segundo plano, mostrando a necessidade do aprofundamento da discussão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lauriston de Araújo Carvalho, Universidade Estadual de Campinas

Concluiu a graduação em psicologia no ano de 2012 pela Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), em 2015 concluiu o mestrado no Programa de Pós-Graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), e atualmente cursa o doutorado em psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e o MBA em Gestão de Pessoas pela UNINASSAU-JP.

Daniel Henrique Pereira Espíndula, Universidade Estadual de Campinas

Graduado em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco (2003), Mestre e Doutor em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (2010). Professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF. Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Univasf. Tem experiência na área de Psicologia Social, com ênfase nos seguintes temas: Violência, Exclusão, Psicologia da Saúde, Adolescência/Juventude, Representações Sociais e Práticas Educativas.

Referências

ALLAIN, J. M.; NASCIMENTO-SCHULZE, C. M.; CAMARGO, B. C. "As representações sociais de transgênicos nos jornais brasileiros". Estudos de Psicologia, vol. 14, n° 1, p. 21-30, 2009.

ANDRADE, V. R. P. "A mudança do paradigma repressivo em segurança pública: reflexões criminológicas críticas em torno da proposta da 1° Conferência Nacional Brasileira de Segurança Pública". Sequência, n° 67, p. 335-356, 2013.

ANISTIA INTERNACIONAL. Você matou meu filho!: homicídios cometidos pela polícia militar na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Anistia Internacional, 2015.

ARAÚJO JÚNIOR, A. F., et al. "Dê-me segurança ou lhe dou um não": em busca do eleitor mediano no referendo das armas. Revista Brasileira de Economia, vol. 61, no 4, p. 429-447, 2007.

ASSIS, S. G. Traçando caminhos numa sociedade menos violenta: a vida de jovens infratores e seus irmãos não infratores. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1999.

AZEVEDO, F. A. "Imprensa, cobertura eleitoral e objetividade: a eleição de 2000 na capital paulista".

BIROLI, F.; MANTOVANI, D. "Disputas, ajustes e acomodações na produção da agenda eleitoral: a cobertura jornalística ao Programa Bolsa Família e as eleições de 2006". Opinião Pública, vol. 16, n° 1, p. 90-116, 2010.

BIROLI, F. "A parte que me cabe nesse julgamento: a Folha de S. Paulo na cobertura ao processo do Mensalão". Opinião Pública, vol. 20, n° 2, p. 204-218, 2014.

BONAMIGO, I. S. "Novas tecnologias de vigilância e a gestão de violências". Fractal – Revista de Psicologia, vol. 25, n° 3, p. 659-674, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação em Saúde. Saúde Brasil 2010. Uma análise da situação de saúde e de evidências selecionadas de impacto de ações de vigilância em saúde. Brasília, DF, 2011.

CAMARGO, B. V.; BARBARÁ, A. "Efeitos de panfletos informativos sobre a Aids em Adolescentes". Psicologia: Teoria e Pesquisa, vol. 20, n° 3, p. 279-287, 2004.

CAMPOS, M. S. "Mídia e política: a construção da agenda nas propostas de redução da maioridade penal na Câmara dos Deputados". Opinião Pública, vol. 15, n° 2, p. 478-509, 2009.

CORTEZ, M. B. "Maridos dominadores, esposas (in)subordinadas: as implicações do empoderamento feminino e da masculinidade hegemônica na violência conjugal". Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2006.

DREYFUS, P.; NASCIMENTO, M. S. Small arms holdings in Brazil: toward a comprehensive mapping of guns and their owners. In: FERNANDES, R. (ed.). Brazil: the arms and the victims. Rio de Janeiro: 7 Letras/Viva Rio/Iser, 2005.

ESPÍNDULA, D. H. P., et al. "'Perigoso e violento': representações sociais de adolescentes em conflito com a lei em material jornalístico". Psic – Revista de Psicologia, vol. 7, n° 2, p. 11-20, 2006.

FERNANDES, R. C. Brasil: as armas e as vítimas. Rio de Janeiro: 7Letras, 2005.

FONSECA, F. "O conservadorismo patronal da grande imprensa brasileira". Opinião Pública, vol. 9, n° 2, p. 73-92, 2003.

FONSECA, L. M. "Termos e expressões utilizados por familiares ao relatarem suas experiências nos diferentes momentos do adoecimento mental". Dissertação de Mestrado apresentada na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo – USP, 2010.

GLASSNER, B. Cultura do medo. Trad. Laura Knapp. São Paulo: Francis, 2003.

LIMA, D.; WERNECK, V. "A notícia política na mídia evangélica: O Mensageiro da Paz e a Folha Universal em perspectiva comparada". Dados – Revista de Ciências Sociais, vol. 55, n° 1, p. 221-250, 2012.

LIMA, M. L. C., et al. "Análise espacial dos determinantes socioeconômicos dos homicídios no estado de Pernambuco". Revista de Saúde Pública, vol. 39, no 2, p. 176-182, 2005.

LINS, R.; FIGUEIREDO FILHO, D.; SILVA, L. "A redução da maioridade penal diminui a violência? Evidências de um estudo comparado". Opinião Pública, vol. 22, n° 1, p. 118-139, 2016.

MARTINS, C. B. G.; JORGE, M. H. P. M. "Óbitos por causas externas em Cuiabá, de 0 a 24 anos: perfil das vítimas e famílias segundo a intencionalidade". Revista Brasileira de Epidemiologia, vol. 16, n°2, p. 454-468, 2013.

MASCARENHAS, M. D. M., et al. Epidemiologia das causas externas no Brasil: mortalidade por acidentes e violências no período de 2000 a 2009. In: Brasil, Ministério da Saúde, Brasil. Saúde Brasil 2010: uma análise da situação de saúde e de evidências selecionadas de impacto de ações de vigilância em saúde, 2010.

MENANDRO, M. C. S. ‘Gente jovem reunida: um estudo de representações sociais da adolescência/juventude a partir de textos jornalísticos (1968-1974 e 1996-2002)". Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2004.

MENDONÇA, R. F.; SANTOS, D. B. "A cooperação na deliberação pública: um estudo de caso sobre o referendo da proibição da comercialização de armas de fogo no Brasil". Dados, vol. 52, n° 2, p. 507-542, 2009.

MOSCOVICI, S. A psicanálise, sua imagem e seu público. Petrópolis: Vozes, 2012.

MUNDIM, P. S. "Um modelo para medir os efeitos da cobertura da imprensa no voto: teste nas eleições de 2002 e 2006". Opinião Pública, vol. 16, n° 2, p. 394-425, 2010.

OLIVEIRA, D. C.; GOMES, A. M. T.; MARQUES, S. C. Análise estatística de dados textuais na pesquisa das representações sociais: alguns princípios e uma aplicação ao campo da saúde. In: MENIN, M. S. S.; SHIMIZU, A. M. (orgs.). Experiência e representação social: questões teóricas e metodológicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, p. 157-200, 2005.

PHEBO, L. Impacto da arma de fogo na saúde da população no Brasil. In: FERNANDES, R. C. Brasil: as armas e as vítimas. Rio de Janeiro: 7 Letras, p. 9-36, 2005. Disponível em: http://comunidadesegura.org.br/files/active/0/vitimas_armas_impacto_saude.pdf. Acesso em: 27 jul. 2013.

RAMOS, F. P.; NOVO, H. A. "Mídia, violência e alteridade: um estudo de caso". Estudos de Psicologia, vol. 8, n° 3, p. 491-497, 2003.

REINERT, M. "Alceste, une méthodologie d’analyse des données textuelles et une application: Aurelia de Gerard de Nerval". Bulletin de Methodologie Sociologique, vol. 26, p. 24-54, 1990.

SANCHES, S.; DUARTE, S. J. H.; PONTES, E. R. J. C. "Caracterização das vítimas de ferimentos por arma de fogo, atendidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência em Campo Grande- MS". Saúde e Sociedade, vol. 18, n° 1, p. 95-102, 2009.

SERRA, G. M. A.; SANTOS, E. M. "Saúde e mídia na construção da obesidade e do corpo perfeito". Ciência e Saúde Coletiva, vol. 8, n° 3, p. 691-701, 2003.

SILVA, L. A. M. "'Violência urbana', segurança pública e favelas: o caso do Rio de Janeiro atual". Caderno CRH, vol. 23, n° 59, p. 283-300, 2010.

SORJ, B. "Internet, espaço público e marketing político: entre a promoção da comunicação e o solipsismo moralista". Novos estudos – Cebrap, vol. 76, p. 123-136, 2006.

THOMPSON, J. B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis: Vozes, 1995.

WAISELFISZ, J. J. Homicídios e juventude no Brasil. Brasília, DF, 2013.

WAISELFISZ, J. J. O mapa da violência: mortes matadas por armas de fogo. Brasília: Flacso Brasil, 2015.

ZALUAR, A.; BARCELLOS, C. "Mortes prematuras e conflito armado pelo domínio das favelas no Rio de Janeiro". Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 28, n° 81, p. 17-31, 2013.

Downloads

Publicado

2016-10-27

Como Citar

CARVALHO, L. de A.; ESPÍNDULA, D. H. P. Discussões em torno do referendo sobre o comércio de armas de fogo e munição na Folha de S. Paulo. Opinião Pública, Campinas, SP, v. 22, n. 2, p. 446–465, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8647284. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos