Inclusão política? Recrutamento e seleção de atores nas conferências de políticas públicas

Autores

  • Cláudia Feres Faria Universidade Federal de Minas Gerais
  • Isabella Lourenço Lins Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Conferências de políticas públicas. Inclusão política. Recrutamento. Seleção e regras institucionais.

Resumo

O artigo avalia comparativamente a capacidade inclusiva das Conferências de Saúde e de Assistência Social realizadas em 2011, em Minas Gerais, por meio de uma estratégia analítica que envolve três passos distintos. Através do survey realizado com 729 participantes destas Conferências, analisa-se (1) quem são os participantes destas Conferências, (2) o impacto da mudança de escala no perfil socioeconômico e político destes participantes e (3) as regras referentes ao recrutamento (quem pode participar) e à eleição dos(as) delegados(as)-representantes nestas inovações. O artigo constata que, embora as Conferências de Políticas Públicas tenham como objetivo incluir nacionalmente novas vozes ao processo de discussão e decisão das políticas públicas as quais elas estão vinculadas, este processo ocorre majoritariamente nas etapas locais, mas não em suas etapas superiores. O artigo ainda sugere que mudanças nas regras de seleção das conferências analisadas podem contribuir para mudar este cenário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Feres Faria, Universidade Federal de Minas Gerais

Cláudia Feres Faria possui graduação em Ciências Sociais (1993), mestrado em Ciência Política (1996) e doutorado em Sociologia e Política (2005) pela Universidade Federal de Minas Gerais. Foi Visiting Scholar na New School for Social Research (USA) no período entre 2002-2003 e Visiting Researcher no Centre for the Study of Democracy (CSD) na University of Westminster (UK) no período entre 2014-2015. Coordenou o curso de Pós-graduação em Ciência Política da UFMG no período de 2012-2014. Coordena o AT de Participação Política da ABCP desde 2014. É Professora Associada no Departamento de Ciência Política da UFMG, onde coordena o Centro de Estudos em Deliberação (CEDE) que desenvolve pesquisas na área de Teoria Política Contemporânea com ênfase em temas como teoria democrática contemporânea, espaço público, participação e deliberação nas políticas públicas.

Isabella Lourenço Lins, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda em Ciência Política pela Universidade Federal de Minas Gerais (PPGCP/UFMG). Mestre em Ciência Politica pela Universidade Federal de Minas Gerais (PPGCP/UFMG). Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais (2014). Atualmente desenvolve trabalhos na linha de pesquisa: Inovações da Democracia e Tendências da Gestão Participativa, com enfoque na questão do envelhecimento. Tem interesse nos seguintes temas: sistemas deliberativos, participação social, controle social, instituições participativas, politicas para a pessoa idosa, envelhecimento.

Referências

ABERS, R. N.; KECK, M. E. “Mobilizing the State: the erratic partner in Brazil's participatory water policy”. Politics and Society, vol. 37, n° 2, 289-314, 2009.

ALENCAR, J., et al. “Participação social e desigualdades nos Conselhos Nacionais”. Sociologias, vol. 15, n° 32, p. 112-146, 2013.

ALMEIDA, D. R. Representação política e conferências: estabelecendo uma agenda de pesquisa. In: AVRITZER, L.; SOUZA, C. H. L. (orgs.). Conferências nacionais: atores, dinâmicas participativas e efetividades. Brasília: Ipea, 2013.

AVRITZER, L.; SOUZA, C. H. L. (orgs.). Conferências nacionais: atores, dinâmicas participativas e efetividades. Brasília: Ipea, 2013.

BELO HORIZONTE. Regimento Interno da III Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres. Belo Horizonte, 2011a.

BELO HORIZONTE. Regimento Interno da VII Conferência Estadual de Saúde de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2011b.

BIROLI, F. “Divisão sexual do trabalho e democracia”. Dados, vol. 59, n°3, p. 719-754, 2016.

BOHMAN, J. Public deliberation. Pluralism, complexity and democracy. The Cambridge: MIT Press, 1996.

BRASIL, SNJ. Secretaria Nacional da Juventude. Pesquisa nacional sobre “Perfil e opinião dos jovens brasileiros 2013”, nov. 2013.

BRASÍLIA. Regimento Interno da III Conferência Nacional de Política para as Mulheres. Brasília, SNPM, 2011a.

BRASÍLIA. Regimento Interno da XIV Conferência Nacional de Saúde. Brasília, Conselho Nacional de Saúde, 2011b.

COUTO, B. R., et al. (orgs.). O Sistema Único de Assistência Social no Brasil: uma realidade em movimento. São Paulo: Cortez, 2011.

CUNHA, E. S. M. Conferências de políticas públicas e inclusão participativa. In: AVRITZER, L.; SOUZA, C. H. L. (orgs.). Conferências nacionais: atores, dinâmicas participativas e efetividades. Brasília: Ipea, 2013.

DAHL, R. A. On democracy. New Haven: Yale University Press, 2000.

DAHL, R. A. On political equality. New Haven & London: Yale University Press, 2006.

DOWNS, A. Uma teoria econômica da democracia. São Paulo: Edusp, 1999.

FARIA, C. F. “Perfil e opinião dos atores sobre as conferências distritais, municipais e estaduais de políticas públicas em Minas Gerais”. Belo Horizonte: Fapemig – Relatório de pesquisa, 2015.

FARIA, C. F., et al. “Conselhos estaduais de políticas públicas: atores, regras e dinâmicas decisórias”. Belo Horizonte: Fapemig – Relatório de pesquisa, 2010.

FARIA, C. F. Conferências locais, distritais e municipais de saúde: mudança de escala e formação de um sistema participativo, representativo e deliberativo de políticas públicas. Texto para discussão (Ipea, Brasília), vol. 1.727, p. 7-73, 2012.

FARIA, C. F.; LINS, I. L. Participação e deliberação nas Conferências de Saúde: do local ao nacional. In: AVRITZER, L.; SOUZA, C. H. L. (orgs.). Conferências nacionais: atores, dinâmicas participativas e efetividades. Brasília: Ipea, 2013.

FARIA, C. F.; PETINELLI, V. S.; LINS, I. L. “Conferências de políticas públicas: um sistema integrado de participação e deliberação?”. Revista Brasileira de Ciência Política, vol. 7, p. 249-284, 2011.

FUKS, M.; PERISSINOTTO, R.; RIBEIRO, E. A. “Cultura política e desigualdade: o caso dos conselhos municipais de Curitiba”. Revista de Sociologia e Política, n° 21, p. 125-145, 2003.

FUNG, A. Receitas para esferas públicas: oito desenhos institucionais e suas consequências. In: COELHO, V. S. P; NOBRE, M. (orgs.). Participação e deliberação. Teoria democrática e experiências institucionais no Brasil contemporâneo. São Paulo: Editora 34, 2004.

FUNG, A. “Varieties of participation in complex governance”. Public Administration Review, vol. 66, n° 1, p. 66-75, 2006.

GREENACRE, M . Correpondence analysis in practice. 2ª ed. Champman & Hall/CRC, 2007.

GREENACRE, M.; BLAISUS, J. (eds.). Multiple correspondence analysis and related methods. Champman & Hall/CRC, 2006.

IBGE-PNAD. Pesquisa Nacional de Amostra Domiciliar (PNAD). Rio de Janeiro: IBGE, 2011. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2011/default_sintese.shtm. Acesso em: 17 ago. 2015.

LANDWEHR, C. “Democratic meta-deliberation: towards reflective institutional design”. Political Studies, vol. 63, p. 38-54, 2015.

LAVALLE, A.; CASTELLO, G. “Sociedade civil, representação e a dupla face da accountability: cidade do México e São Paulo”. Caderno CRH, vol. 21, n° 52, p. 67-86, jan./abr., 2008.

LÜCHMANN L. H. H. “A representação no interior das experiências de participação”. Lua Nova, n° 70, p. 139-170, 2007.

LÜCHMANN L. H. H.; ALMEIDA, C.; GIMENES, É. R. “Gênero e representação política nos conselhos gestores no Brasil”. Dados, vol. 59, n° 3, p. 789-822, 2016.

MANIN, B. The principles of representative government. Cambridge: Cambridge University Press, 1995.

MCCARTHY, J. D.; ZALD, M. N. “Resource mobilization and social movements: a partial theory”. American Journal of Sociology, vol. 82, nº 6, 1977.

MIGUEL, L. F. Democracia e representação: territórios em disputa. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

PHILLIPS, A. The politics of presence. Oxford: Clarendon Press, 1995.

POGREBINSCHI, T.; SANTOS, F. “Participação como representação: o impacto das conferências nacionais de políticas públicas no Congresso Nacional”. Dados, vol. 54, n° 3, p. 259-305, 2011.

RAMOS, A.; FARIA, C. F. "Las conferencias de políticas públicas en Brasil". Revista Española de Ciencia Política, vol. 32, p. 43-63, 2013.

RYAN, M.; SMITH, G. Defining mini-publics. In: GRONLUND, K.; BACHTIGER, A.; SETALA, M. (eds.). Deliberative mini-publics: involving citizens in the democratic process. Colchester, GB: ECPR Press, p. 9-26, 2014.

RYFE, D. M.; STALBURG, B. The participation and recruitment challenge. In: NABATCHI, T., et al. (eds.). Democracy in motion: evaluating the practice and impact of deliberative civic engagement. Oxford/New York: Oxford University Press, p. 43-59, 2012.

SANTOS, F. M.; POGREBINSCHI, T. Entre representação e participação: as conferências nacionais e o experimentalismo democrático brasileiro. Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj): Projeto “Pensando o Direito” da Secretaria de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça (SAL/MJ) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), 2010.

SANTOS JÚNIOR, O. A.; RIBEIRO, L. C. Q.; AZEVEDO, S. (orgs.). Governança democrática e poder local: a experiência dos conselhos municipais no Brasil. Rio de Janeiro: Revan/Fase, 2004.

SCHUMPETER, J. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

SILVA, A. C. F. “Ampliando os limites do Estado: conflito e cooperação entre agentes estatais e da sociedade civil na luta por inclusão das mulheres jovens na agenda governamental”. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Ciência Política. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

SMITH, G. Democratic innovations. Designing institutions for citizen participation. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

SOUZA, C., et. al. “Ampliação da participação na gestão pública: um estudo sobre conferências nacionais realizadas entre 2003 e 2011”. Relatório de pesquisa, Ipea, 2013.

TEIXEIRA, A. C. T.; SOUZA, C. H. L.; LIMA, P. P. F. “Arquitetura da participação no Brasil: uma leitura das representações políticas em espaços participativos nacionais”. Texto para discussão, nº 1735. Ipea, Rio de Janeiro, 2012.

VERBA, S.; SCHLOZMAN, K. L.; BRADY, H. E. Voice and equality: civic voluntarism in American politics. Cambridge: Harvard University Press, 1995.

YOUNG, I. M. Inclusion and democracy. Oxford: Oxford University Press, 2002.

Downloads

Publicado

2017-12-13

Como Citar

Faria, C. F., & Lins, I. L. (2017). Inclusão política? Recrutamento e seleção de atores nas conferências de políticas públicas. Opinião Pública, 23(3), 580–611. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8651191

Edição

Seção

Artigos