Relações econômicas internacionais na América Latina

um estudo sobre as percepções das elites parlamentares

Autores

Palavras-chave:

Elites parlamentares, Poder legislativo, América Latina, Relações econômicas internacionais

Resumo

Este artigo analisa as percepções dos parlamentares de 17 países da América Latina sobre relações econômicas e internacionais. A questão central é identificar os determinantes da formação das estruturas de preferências dos  parlamentares. O artigo procura identificar quais são os determinantes que influenciam as opções expressas pelo parlamentar, colocando em contraste suas opções por relações políticas e econômicas entre países da região versus suas opções por países de outras regiões e as grandes potências econômicas. A análise está dividida em duas partes. A primeira é comparativa, utilizando estatística descritiva e análise de redes. Com essa análise são comparadas as legislaturas/países no nível agregado. A segunda parte desce ao nível do comportamento individual do parlamentar, buscando estimar, com a aplicação de modelos de regressão linear (OLS), o peso de diferentes preditores para a conformação das suas estruturas de preferências. O artigo conclui que as preferências dos parlamentares são fortemente determinadas por variáveis de contexto (estruturais) e por um alto grau de pragmatismo econômico, mas as ideias políticas continuam tendo alguma relevância. Embora em menor monta, a ideologia e as preferências por economias reguladas pelo Estado também ajudam a entender por que alguns parlamentares defendem mais regionalismo político e econômico que outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manoel Leonardo Santos, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco. Professor do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal de Minas Gerais.

Fernanda Cimini, Universidade Federal de Minas Gerais

Professora da Faculdade de Ciências Econômicas, Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) pela Universidade Federal de Minas Gerais. 

Asbel Bohigues, Universidade Federal de Minas Gerais

Pós-doutorando e pesquisadora da Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

ALCÁNTARA, M. (Dir.). Proyecto “Elites latinoamericanas” (Pela-Usal). Universidad de Salamanca, 1994- 2018.

ATKINS, G. P. Latin America and the Caribbean in the international system. London: Routledge, 2018.

BOHIGUES, A.; RIVAS, J. “Free trade agreements and regional alliances: support from Latin American legislators”. Revista Brasileira de Política Internacional, vol. 62, nº 1, 2019.

BRICEÑO-RUIZ, J. “Ejes y modelos en la etapa actual de la integración económica regional en América Latina”. Estudios Internacionales, vol. 45, nº 175, p. 9-39, 2013.

BRICEÑO-RUIZ, J.; MORALES, I. Post-hegemonic regionalism in the Americas: toward a Pacific-Atlantic divide? New York: Routledge, 2017.

BRICEÑO-RUIZ, J; SARAIVA, M. “Argentina, Brasil e Venezuela: as diferentes percepções sobre a construção do Mercosul”. Revista Brasileira de Política Internacional, vol. 52, nº 1, p. 149-166, 2009.

CAICHIOLO, C. R. “The Mercosur experience and theories of regional integration”. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, vol. 39, nº 1, p. 117-134, 2017.

CEPAL. COMISIÓN ECONÓMICA PARA AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE. El regionalismo abierto en América Latina y el Caribe: la integración económica al servicio de la transformación productiva con equidad. Santiago de Chile: Cepal, 1994.

DABÈNE, O. “Explaining Latin America’s fourth wave of regionalism. Regional integration of a third kind”. Anais do XXX Congresso Internacional da Latin American Studies Association (LASA), Washington, 23-26 de maio, 2012.

GARDINI, G. L. “Towards modular regionalism: the proliferation of Latin American cooperation”. Revista Brasileira de Política Internacional, Brasília, vol. 58, nº 1, p. 210-229, 2015.

GARDINI, G; LAMBERT, P. Latin American foreign policies: between ideology and pragmatism. New York: Palgrave Macmillan, 2011. GRATIUS, S. “The rise of Latin American regionalism: the same old thing?”. Madrid: Fundación Ideas (Discussion Papers 01/2012), 2012.

LIMA, M. R. S. “Instituições democráticas e política exterior”. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, vol. 22, nº 2, p. 265-303, 2000.

LOPES, D. B.; FARIA, C. A. P.; SANTOS, M. “Foreign policy analysis in Latin American democracies: the case for a research protocol”. Revista Brasileira de Política Internacional, Brasília, vol. 59, nº 1, 2016.

MALAMUD, A.; GARDINI, G. L. “Has regionalism peaked? The Latin American quagmire and its lessons”. The International Spectator: Italian Journal of International Affairs, vol. 47, nº 1, p. 116-133, 2012.

MEDEIROS, M. A.; TEIXEIRA JÚNIOR, A. W. M.; REIS, E. G. “Cooperação para autonomia? Explicando o paradoxo da política externa brasileira para a Unasul”. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, vol. 25, nº 61, p. 97-123, 2017.

NOLTE, D. Regional powers and regional governance. In: GODEHARDT, N.; NABERS, D. Regional powers and regional orders. London: Routledge, p. 49-67, 2011.

QUILICONI, C.; SALGADO, R. “Latin American integration: regionalism à la carte in a multipolar world?”. Colombia Internacional, nº 92, p. 15-41, 2017.

RIGGIOROZZI, P. “Region, regionness and regionalism in Latin America: towards a new synthesis”. New Political Economy, vol. 17, nº 4, 2012.

RIGGIOROZZI, P.; TUSSIE, D. The rise of post-hegemonic regionalism in Latin America. In: RIGGIOROZZI, P.; TUSSIE, D. The rise of post-hegemonic regionalism: the case of Latin America. London: Springer, p. 167-182, 2012.

SALOMON, M.; PINHEIRO, L. “Análise de política externa e política externa brasileira: trajetória, desafios e possibilidades de um campo de estudos”. Revista Brasileira de Política Internacional, vol. 56, nº 1, p. 40-59, 2013.

SANAHUJA, J. A. “Del regionalismo abierto al regionalismo post-liberal: crisis y cambio en la integración regional en América Latina”. Anais do Anuario de la Integración Regional de América Latina y el Gran Caribe nº 7. Managua: Coordinadora Regional de Investigaciones Económicas y Sociales, 2009.

SARAIVA, M. G. “As diferentes percepções na Argentina sobre o Mercosul”. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, vol. 30, nº 3, p. 735-775, 2008.

TUSSIE, D. “Relaciones internacionales y economía política internacional: notas para el debate”. Relaciones Internacionales, vol. 24, nº 48, p. 155-175, 2015.

VEIGA, P. M.; RÍOS, S. P. “O regionalismo pós-liberal na América do Sul: origens, iniciativas e dilemas”. Cepal Serie Comercio internacional, Santiago, nº 82, p. 1-48, 2007.

VIGEVANI, T., et al. “O papel da integração regional para o Brasil: universalismo, soberania e percepção das elites”. Revista Brasileira de Política Internacional, Brasília, vol. 51, nº 1, p. 5-27, 2008.

VIVARES, E.; DOLCETTI-MARCOLINI, M. “Two regionalisms, two Latin Americas or beyond Latin America? Contributions from a critical and decolonial IPE”. Third World Quarterly, vol. 7, nº 13, 2015.

Downloads

Publicado

2021-01-08

Como Citar

SANTOS, M. L. .; CIMINI, F.; BOHIGUES, A. . Relações econômicas internacionais na América Latina: um estudo sobre as percepções das elites parlamentares. Opinião Pública, Campinas, SP, v. 26, n. 3, p. 633–672, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8663887. Acesso em: 30 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)