Temporalidades em disputa

uma leitura deliberacionista de conflitos ambientais

Autores

Palavras-chave:

Tempo, Sistema deliberativo, Confronto político, Conflitos ambientais, Mineração

Resumo

O presente artigo busca discutir a dimensão temporal de conflitos sociais a partir das lentes da abordagem deliberacionista de democracia. Busca-se, assim, suprir uma lacuna dessa abordagem, contestando uma premissa implícita em diversos estudos, qual seja, a de que mais tempo de discussão implica incrementos de inclusão democrática. Em diálogo com os conceitos de slow violence, tempo duracional e acontecimento, buscamos debater como sobreposições de temporalidades, tentativas de controle dos ritmos e das durações de processos políticos por parte dos atores envolvidos impactam tanto a presença e o posicionamento desses atores quanto a configuração de debates públicos. Com uma abordagem metodológica interpretativa, tematizamos essas questões a partir de três casos de conflitos ambientais sobre mineração ocorridos no estado de Minas Gerais nas últimas décadas, na região da Serra do Gandarela, em Conceição do Mato Dentro e em Brumadinho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Filipe Mendes Motta, Universidade Federal de Minas Gerais

Po´s-doutorando em Ciência Política pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Ricardo Fabrino Mendonça, Universidade Federal de Minas Gerais

 Professor Assistente em Ciência Política pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

ACSELRAD, H. “Mariana, November, 2015: the political genealogy of a disaster”. Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology, vol. 14, n° 2, 2017.

AUYERO, J. Patients of the State: the politics of waiting in Argentina. Durham: Duke University Press, 2012.

BÄCHTIGER, A., et al. Deliberative democracy: an introduction. In: BÄCHTIGER, A., et al. (eds.). The Oxford handbook of deliberative democracy. Oxford: Oxford University Press. p. 1-32, 2018.

BENNETT, A.; CHECKEL, J. Process tracing: from metaphor to analytic tool. Cambridge: Cambridge University Press, 2015.

BEVIR, M.; ANSARI, N. “Should deliberative democrats eschew modernist social science?”. In: [Anais do] Western Political Science Association Conference. Portland, Oregon, 2012.

BOSWELL, J.; CORBETT, J. “Why and how to compare deliberative systems”. European Journal of Political Research, vol. 56, n° 4, p. 801-819, 2017.

BOSWELL. J.; HENDRIKS, C. M.; ERCAN, S. A. “Message received? Examining transmission in deliberative systems”. Critical Policy Studies, vol. 10, n° 3, p. 263-283, 2016.

BRAUDEL, F. A dinâmica do capitalismo. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

CARNEIRO, E. J. A oligarquização da política ambiental mineira. In. ZHOURI, A.; LASCHEFSKI, K.; PEREIRA, D. (orgs.). A insustentável leveza da política ambiental: desenvolvimento e conflitos socioambientais. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

CHAMBERS, S. Reasonable democracy: Jürgen Habermas and the politics of discourse. Ithaca: Cornell University Press, 1996.

CHRISTIANO, T. “Deliberative equality and democratic order”. Nomos, vol. 38, p. 251-287, 1996.

COELHO, T. P. “Noventa por cento de ferro nas calçadas: mineração e (sub) desenvolvimentos em municípios minerados pela Vale”. Tese de Doutorado em Ciência Sociais. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

COHEN, E. The political value of time: citizenship, duration, and justice. Cambridge: Cambridge University Press, 2018.

COLLIER, R. B.; COLLIER, D. Shaping the political arena: critical junctures, the labor movement, and regime dynamics in Latin America. Princeton: Princeton University Press, 1991.

CURATO, N. Democracy in a time of misery: from spectacular tragedy to deliberative action. Oxford: Oxford University Press, 2019.

CURATO, N.; HAMMOND, M.; MIN, J. Power in deliberative democracy: norms, forums, systems. Cham: Palgrave Macmillan, 2019.

DÖRING, H.; SANTOS, R. S. P.; POCHER, E. “New developmentalism in Brazil? The need for sectoral analysis”. Review of International Political Economy, vol. 24, n° 2, p. 332-362, 2017.

DRYZEK, J. S., et al. “The crisis of democracy and the science of deliberation”. Science, vol. 363, n° 6.432, p. 1.144-1.146, 2019.

ERCAN, S. A.; HENDRIKS, C.; BOSWELL, J. “Studying public deliberation after the systemic turn: the crucial role for interpretive research”. Policy and Politics, vol. 45, n° 2, p. 195-212, 2017.

FARIA, C. F. “Sistema deliberativo, formas de conexão e inclusão política: alcance teórico e prático”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 32, n° 95, 2017.

FRANÇA, V. R. V.; LOPES, S. C. “Análise do acontecimento: possibilidades metodológicas”. Matrizes (Online), vol. 11, p. 71-87, 2017.

GOODIN, R. “Sequencing deliberative moments”. Acta Politica, vol. 40, p. 182-196, 2005.

HENDRIKS, C. M.; ERCAN, S. A.; BOSWELL, J. Mending democracy: democratic repair in disconnected times. Oxford: Oxford University Press, 2020.

KOSELLECK, R. Futuro pasado: para una semántica de los tiempos históricos. Barcelona: Ediciones Paidos, 1993.

KOSELLECK, R., et al. O conceito de história. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

KRENAK, A. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

LACLAU, E.; MOUFFE, C. Hegemonia e estratégia socialista: por uma política democrática radical. São Paulo: Intermeios, 2015 [1985].

LAWRENCE, C.; CHURN, N. Introduction. In: LAWRENCE, C.; CHURN, N. (orgs.). Movements in time: revolution. Social justice, and times of change. Cambridge: Cambridge Scholars Publishing, 2012.

LOSEKANN, C. “Mobilização do direito como repertório de ação coletiva e crítica institucional no campo ambiental brasileiro”. Dados, vol. 56, p. 311-349, 2013.

LOSEKANN, C. “'It was no accident!' The place of emotions in the mobilization of people affected by the collapse of Samarco's tailings dam in Brazil”. Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology, vol. 14, n° 2, 2017.

LOSEKANN, C.; BISSOLI, L. D. “Direito, mobilização social e mudança institucional”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 32, 2017.

MAHONEY J. Analyzing path dependence: lessons from the social sciences. In: WIMMER A.; KÖSSLER R. (eds.). Understanding change. Londres: Palgrave Macmillan, 2006.

MAIA, R. C.; LARANJEIRA, M. D.; MUNDIM, P. S. “The role of experts across two different arenas in a deliberative system”. Journal of Deliberative Democracy, vol. 13, n° 1, 2017.

MAIA, R. C., et al. “Authority and deliberative moments: assessing equality and inequality in deeply divided groups”. Journal of Deliberative Democracy, vol. 13, n° 2, 2017.

MANSBRIDGE, J. A conversação cotidiana no sistema deliberativo. In: MARQUES, A. C. S. A deliberação pública e suas dimensões sociais, políticas e comunicativas. Belo Horizonte: Autêntica, 2009 [1999].

MARSH, D.; FURLONG, P. A skin not a sweater: ontology and epistemology in political science. In: MARSH, D.; STOKER, G. (eds.). Theory and methods in political science, 2ª ed. Londres: Palgrave Macmillan, 2002.

MENDONÇA, R. F. “Mitigating systemic dangers: the role of connectivity inducers in a deliberative system”. Critical Policy Studies, vol. 10, n° 2, p. 171-190, 2016.

MENDONÇA, R. F., et al. “Protests as ‘events’: the symbolic struggles in 2013 demonstrations in Turkey and Brazil”. Revista de Sociologia e Política, vol. 27, n° 69, 2019.

MENDONÇA, R. F.; SANTOS, N. “Now is the time to protest: the eternal sunshine of a spotless polity”. The 2021 conference of The International Journal of Press/Politics [online], 2021.

MILANEZ, B.; MAGNO, L.; PINTO, R. G. “Da política fraca à política privada: o papel do setor mineral nas mudanças da política ambiental em Minas Gerais, Brasil”. Cadernos de Saúde Pública, vol. 35, 2019.

MIOLA, E. “Sistema deliberativo e tensões entre interesses públicos e privados: a criação da Empresa Brasil de Comunicação em debate no Congresso e na imprensa”. Tese de Doutorado em Comunicação Social. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte (MG), 2011.

MOTTA, F. M. “Conflito e deliberação na Serra do Gandarela: pela superação de uma dicotomia”. Dissertação de Mestrado em Ciência Política. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte (MG), 2016.

MOTTA, F. M. “O conflito sobre a Serra do Gandarela: uma análise deliberativa sistêmica”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 36, 2020.

MOTTA, F. M. “Constrangimentos ao debate público sobre mineração em Minas Gerais”. Tese de Doutorado em Ciência Política. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte (MG), 2021.

NEBLO, M.; WHITE, L. “Politics in translation: communication between sites of the deliberative system”. In: BÄCHTIGER, A., et al. (eds.). The Oxford handbook of deliberative democracy. Oxford: Oxford University Press, 2018.

NIXON, R. Slow violence and the environmentalism of the poor. Cambridge; London: Harvard University Press, 2011.

OLIVEIRA, R.; ZUCARELLI, M. C. “A gestão dos conflitos e seus efeitos políticos: apontamentos de pesquisa sobre mineração no Espinhaço, Minas Gerais”. Antropolítica: Revista Contemporânea de Antropologia, vol. 49, p. 42-71, 2020.

PARKINSON, J. Deliberating in the real world: problems of legitimacy in deliberative democracy. Oxford: Oxford University Press, 2006.

PARKINSON, J.; MANSBRIDGE, J. (eds.). Deliberative systems: deliberative democracy at the large scale. Cambridge: Cambridge University Press, 2012.

PIERSON, P. “Increasing returns, path dependence, and the study of politics”. American Political Science Review, vol. 94, p. 251-67, 2000.

PIERSON, P.; SKOCPOL, T. Historical institutionalism in contemporary political science. In: KATZNELSON, I.; MILNER, H. (eds.). Political Science: the state of the discipline. Nova York: WW Norton & Company, 2002.

POCOCK, J. Cidadania, historiografia e res publica: contextos do pensamento político. São Paulo: Grupo Almedina, 2013.

QUÉRÉ, L. “Entre o facto e o sentido: a dualidade do acontecimento”. Trajectos, n° 6, p. 59-75, 2005.

RAGAZZI, L.; ROCHA, M. Brumadinho: a engenharia de um crime. Belo Horizonte: Letramento, 2019.

ROSA, H. Social acceleration: a new theory of modernity. Nova York: Columbia University Press, 2013.

SANTOS, A. F. M.; FERREIRA, L. S. S.; PENNA, V. V. Impactos supostos, violências reais: a construção da legalidade na implantação do Projeto Minas-Rio. In: ZHOURI, A. (org.). Mineração, violências e resistências: um campo aberto à produção de conhecimento no Brasil. Marabá/Brasília: Editorial iGuana/ABA, 2017.

SANTOS, R. S. P.; MILANEZ, B. “The global production network for iron ore: materiality, corporate strategies, and social contestation in Brazil”. The Extractive Industries and Society, vol. 2, n° 4, p. 756-765, 2015.

SARMENTO, R. “Entre tempos e tensões: o debate mediado sobre a Lei Maria da Penha (2001-2012)”. Dissertação de Mestrado em Ciência Política. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte (MG), 2013.

SIMÕES, P. G. O acontecimento e o campo da comunicação. In: FRANÇA, V. R. V.; ALDÉ, A.; RAMOS, M. C. (orgs.). Teorias da comunicação no Brasil: reflexões contemporâneas, p. 173-195. 1 ª ed. Salvador: EDUFBA, 2014.

SKINNER, Q. As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

STEINER, J., et al. Deliberation across deeply divided societies. Cambridge: Cambridge University Press, 2017.

STEVENSON, H.; DRYZEK, J. S. Democratizing global climate governance. Cambridge: Cambridge University Press, 2014.

SVAMPA, M. Del cambio de época al fin de ciclo: gobiernos progresistas, extractivismo, y movimientos sociales en América Latina. Buenos Aires: Edhasa, 2017.

THELEN, K. How institutions evolve: insights from comparative historical analysis. In: MAHONEY, J.; RUESCHEMEYER, D. (eds.). Comparative historical analysis in the social sciences. Cambridge: Cambridge University Press, p. 208-40, 2003.

YANOW, D.; SCHWARTZ-SHEA, P. Introduction. In: YANOW, D.; SCHWARTZ-SHEA, P. (orgs.). Interpretation and method: empirical research methods and the interpretive turn. Armonk: M. E. Sharpe, 2014.

ZHOURI, A., et al. “The Rio Doce mining disaster in Brazil: between policies of reparation and the politics of affectations”. Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology, vol. 14, 2017.

ZUCARELLI, M. C. “A matemática da gestão e a alma lameada: os conflitos da governança no licenciamento do projeto de mineração Minas-Rio e no desastre da Samarco”. Tese de Doutorado em Antropologia. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte (MG), 2018.

Downloads

Publicado

2022-09-21

Como Citar

Motta, F. M. ., & Mendonça, R. F. . (2022). Temporalidades em disputa: uma leitura deliberacionista de conflitos ambientais. Opinião Pública, 28(2), 357–385. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8671054

Edição

Seção

Artigos