Entropias burocráticas no processo de recrutamento e seleção e sua influência na gestão de carreiras do setor público em Moçambique

Autores

Palavras-chave:

Entropias burocráticas, Recrutamento, Seleção, Gestão de carreiras, Setor público

Resumo

Este artigo explora a visão dos servidores públicos moçambicanos sobre as entropias burocráticas no processo de recrutamento e seleção e sua influência na gestão de carreiras. A investigação envolveu 20 participantes e foram administradas entrevistas semiestruturadas. O método grounded theory foi utilizado para analisar as narrativas recolhidas. Os achados obtidos colocam em evidência a ocorrência de quatro entropias burocráticas, nomeadamente: fragilidades da gestão de recursos humanos, ineficiência das práticas de gestão de carreiras, patronagem no recrutamento e decisões centralizadas. Contudo, as visões expressas pelos entrevistados são consensuais que as entropias burocráticas afetam, negativamente, a gestão de carreiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júnior João Samuel dos Santos, Universidade de Lisboa

Doutorando no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas pela Universidade de Lisboa.

Francisco Maria Januário, Universidade Eduardo Mondlane

Professor em Educação em Ciências Naturais e Matemática pela Universidade Eduardo Mondlane.

Abacar Molide, Universidade Mussa Bin Bique

Docente Estagiário pela Universidade Mussa Bin Bique.

Referências

ACIKGOZ, Y. “Employee recruitment and job search: towards a multi-level integration”. Human Resource Management Review, vol. 29, no 1, p. 1-13, 2019.

ANIDO, L. S.; RONDÓN, I. G. “Modelo de gestión de los recursos humanos con base en la teoría de los subconjuntos borrosos”. Revista Internacional de Gestión del Conocimiento y la Tecnología, vol. 4, no 2, p. 14-34, 2016.

AUSTER, R. “Institutional entropy”. Public Choice, vol. 40, no 2, p. 211-216, 1983.

ÁVILA, L. V.; STECCA, J. P. Gestão de pessoas. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, Colégio Politécnico, Rede e-Tec, 2015.

AWORTWI, N. “Building new competencies for government administrators and managers in an era of public sector reforms: the case of Mozambique”. International Review of Administrative Sciences, vol. 76, no 4, p. 723-748, 2010.

BAYLÃO, A. L. S.; ROCHA, A. P. S. “A importância do processo de recrutamento e seleção de pessoal na organização empresarial”. XI Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, vol. 15, p. 1-15, 2014.

BAILEY, K. D. “Social entropy theory: an overview”. Systems Practice, vol. 3, p. 365-382, 1990.

BARBOSA, A. R.; TEMOCHE, M. D. R. “O uso do poder discricionário pelo administrador público como instrumento de justiça social”. Qualitas Revista Eletrónica, vol. 6, no 1, 2007.

BOAS, A. A. A.; ANDRADE, R. O. B. Gestão estratégica de pessoas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

BRIERLEY, S. “Combining patronage and merit in public sector recruitment”. The Journal of Politics, vol. 83, no 1, 2020.

BRUM, T. M., et al. “A influência da socialização e integração na satisfação dos servidores públicos: um estudo de caso em uma organização pública”. Desafio Online, vol. 2, no 1, p. 465-686, 2014.

CARNEIRO, R.; MENICUCCI, T. M. G. Gestão pública no século XXI: as reformas pendentes. Brasília: Ipea, 2013.

CASTEL-BRANCO, C. N. “Growth, capital accumulation and economic porosity in Mozambique: social losses, private gains”. Review of African Political Economy, vol. 41, p. 26-48, 2014.

CENTRO DE INTEGRIDADE PÚBLICA (CIP). Descentralização fiscal sem enquadramento no contexto actual das finanças públicas. Maputo. CIP. 2019.

CENTRO DE INTEGRIDADE PÚBLICA (CIP). Governação e integridade em Moçambique. Maputo: CIP, 2020.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas organizações. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

CISTAC, G. “Institucionalização, organização e problemas do poder local”. In: Jornadas de Direito Municipal comparado Lusófono, Lisboa, vol. 2, abr. 2012.

CLARKE, M. “The organizational career: not dead but in need of redefinition”. The International Journal of Human Resource Management, vol. 24, no 4, p. 684-703, 2013.

COLDWELL, D. “Entropic citizenship behavior and sustainability in urban organizations: towards a theoretical model”. Entropy, vol. 18, no 12, p. 2-12, 2016.

COLONNELLI, E.; PREM, M.; TESO, E. “Patronage and selection in public sector organizations”. American Economic Review, vol. 110, no 10, p. 3.071-3.099, 2020.

DE VOS, A.; DEWETTINCK, K.; BUYENS, D. “To move or not to move?”. Employee Relations, vol. 30, no 2, p. 156-175, 2008.

DE VOS, A.; DEWETTINCK, K.; BUYENS, D. “The professional career on the right track: a study on the interaction between career self-management and organizational career management in explaining employee outcomes”. European Journal of Work and Organizational Psychology, vol. 18, no 1, p. 55-80, 2009.

DIBBEN, P., et al. “Institutional legacies and HRM: similarities and differences in HRM practices in Portugal and Mozambique”. The International Journal of Human Resource Management, vol. 28, no 18, p. 2.519-2.537, 2017.

DWIVEDI, O. P. “Bureaucratic corruption in developing countries”. Asian Survey, vol. 7, no 4, p. 245-253, 1967.

EKWOABA, J. O.; IKEIJE, U. U.; UFOMA, N. “The impact of recruitment and selection criteria on organizational performance”. Global Journal of Human Resource Management, vol. 3, no 2, p. 22-33, 2015.

FARIA, J. H. M.; MENEGHETTI, F. K. “Burocracia como organização e poder”. Revista de Administração de Empresas, vol. 51, p. 424-439, 2011.

FEIJÓ, J. “A gestão de recursos humanos em empresas moçambicanas num contexto de debilidade do Estado Providência”. In: II Conferência do IESE. Dinâmicas da Pobreza e Padrões de Acumulação em Moçambique. Maputo: Iese, 2009.

FONTANELLA, B. J. B.; RICAS, J.; TURATO, E. R. “Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas”. Cadernos de Saúde Pública, vol. 24, no 1, p. 17-27, 2008.

FORQUILHA, S. C. “Remendo novo em Pano Velho: o impacto das reformas de descentralização no processo de governação local em Moçambique”. In: Cidadania e Governação em Moçambique. Maputo: IESE, 2008.

FORQUILHA, S. C. “Reformas de descentralização em Moçambique: o papel das instituições na definição dos resultados”. Wider Working Paper, vol. 132, p. 1-21, 2020.

GONÇALVES, E. “Orientações superiores: time and bureaucratic authority in Mozambique”. African Affairs, vol. 112, no 449, p. 602-622, 2013.

GRAHAM, B.; THOMAS, K. “Building knowledge-developing a grounded theory of knowledge management for construction”. The Electronic Journal of Business Research Methods, vol. 6, no 2, p. 115-122, 2008.

GREENHAUS, J. H.; CALLANAN, G. A.; GODSHALK, V. M. Career management. 4th, Sage Publication, USA, 2010.

GUIMARÃES, M. F.; ARIEIRA, J. O. “O Processo de recrutamento e seleção como uma ferramenta de gestão”. Revista de Ciências Sociais da UNIPAR, vol. 6, no 2, p. 203-214, 2005.

HALLBERG, L. R. M. “The 'core category' of grounded theory: making constant comparisons”. International Journal of Qualitative Studies on Health and Well-Being, vol. 1, no 3, 141-148, 2006.

LACHLER, U.; WALKER, I. Mozambique Jobs Diagnostic. vol. 1, no 13. World Bank, Washington DC, 2018.

LAVIGNA, R. J.; HAYS, S. W. “Recruitment and selection of public workers: an international compendium of modern trends and practices”. Public Personnel Management, vol. 33, no 3, p. 237-253, 2004.

LAZARI, I.; BOLONHA, C.; RANGEL, H. “A relevância dos limites discricionários do juiz generalista”. Revista Direito, vol. 9, no 2, p. 417-434, 2013.

LEITE, F. “Raciocínio e procedimentos da Grounded Theory Construtivista”. Questões Transversais – Revista de Epistemologias da Comunicação, vol. 3, no 6, p. 20-21, 2015.

LIMA, R. D. C. “O recrutamento político impacta atitudes e perceções de burocratas em ministérios brasileiros? Evidências empíricas usando matching em survey”. Opinião Pública, vol. 26, no 3, p. 587-632, 2020.

LOUW, G. “Exploring recruitment and selection trends in the Eastern Cape”. South African Journal of Human Resource Management, vol. 11, no 1, p. 319-329, 2013.

MARTÍNEZ-BERUMEN, H. A.; LÓPEZ-TORRES, G. C.; ROMO-ROJAS, L. “Developing a method to evaluate entropy in organizational systems”. Procedia Computer Science, vol. 28, p. 389-397, 2014.

MATEJKO, A. J. “The obsolescence of bureaucracy”. Relations Industrielles, vol. 35, no 3, 467-493, 1980.

MAZON, L.; TREVIZAN, M. A. “Recrutamento e seleção de recursos humanos em um hospital psiquiátrico de um município paulista”. Revista Latino-Americana de Enfermagem, vol. 8, no 4, p. 81-87, 2000.

MILLS, J.; BONNER, A.; FRANCIS, K. “The development of constructivist grounded theory”. Internacional Journal of Qualitative Methods, vol. 5, no 1, p. 25-35, 2006.

MOÇAMBIQUE. Lei no 2/97 de 18 de fevereiro cria o quadro jurídico-legal para a implantação das Autarquias Locais. Boletim da República, I série, nº 7, p. 3-19, 1997.

MOÇAMBIQUE. Lei nº 14/2009 de 17 de março que aprova o Estatuto Geral dos Funcionários e Agentes do Estado. Boletim da República, I série, nº 10, p. 7-83, 2009.

MOÇAMBIQUE. Planificação, Orçamentação, Execução, Monitoria, Avaliação (POEMA). Maputo: Ministério da Educação, 2010.

MOÇAMBIQUE. Lei no 10/2017 de 01 de agosto aprova o Estatuto Geral dos Funcionários e Agentes do Estado e revoga a Lei no 14/2009 de 17 de março. Boletim da República, I série, nº 119, p. 1-25, 2017a.

MOÇAMBIQUE. Decreto no 75/2017 de 27 de dezembro aprova as medidas de contenção de despesa pública. Boletim da República, I série, nº 201, p. 2.590-2.592, 2017b.

MOÇAMBIQUE. Lei no 6/2018 de 18 de fevereiro, altera a Lei n° 2/97, de 18 de fevereiro, que estabelece o quadro jurídico-legal para a implantação das autarquias locais. Boletim da República, I série, nº 152, p. 1.799-1.842, 2018a.

MOÇAMBIQUE. Decreto no 5/2018 de 26 de fevereiro aprova o Regulamento do Estatuto Geral dos Funcionários e Agentes do Estado. Boletim da República, I série, nº 40, p. 253-267, 2018b.

MOÇAMBIQUE. Relatório de Execução do Orçamento do Estado-I Trimestre. Maputo. Maputo: Ministério da Economia e Finanças, 2020.

MONTEIRO, L. M. “Reforma da administração pública e carreiras de Estado: o caso dos especialistas em políticas públicas e gestão governamental no Poder Executivo federal”. Revista da Administração Pública, vol. 47, no 5, p. 1.117-1.143, 2013.

MOREIRA, F. G. “A importância da gestão estratégica no recrutamento e seleção de pessoal nas organizações”. Revista Práticas de Administração Pública, vol. 1, nº 2, p. 57-70, 2017.

MOZZATO, A. R.; GRZYBOVSKI, D. “Análise de conteúdo como técnica de análise de dados qualitativos no campo da administração: potencial e desafios”. Revista de Administração Contemporânea, vol. 15, no 4, p. 731-747, 2011.

MUELLER, H. “Patronage or meritocracy: political institutions and bureaucratic efficiency”. Institut d’Analisi Economica, p. 1-30, 2009.

NORONHA, J.; BRITO, L. Desafios da gestão municipal de uma lógica administrativa e institucional para uma lógica de desenvolvimento organizacional e sustentabilidade. Maputo: Iese, 2010.

OLIVEIRA, L. B.; CAVAZOTTE, F.; DUNZER, A. R. “The interactive effects of organizational and leadership career management support on job satisfaction and turnover intention”. International Journal of Human Resource Management, vol. 30, no 10, p. 1.583-1.603, 2019.

PIATAK, J. S. “Sector switching in good times and in bad: are public sector employees less likely to change sectors?”. Public Personnel Management, vol. 46, no 4, p. 327-341, 2017.

PIATAK, J. S. “Weathering the storm: the impact of cutbacks on public employees”. Public Personnel Management, vol. 48, no 1, p. 97-119, 2019.

ROSÁRIO, D. M. “Os municípios dos 'outros'. Alternância do poder local em Moçambique? O caso de Angoche”. Cadernos de Estudos Africanos, vol. 30, p. 135-165, 2015.

SANTOS, A. A.; GALLARDO, G.; FILIPE, M. “Moçambique in African economic outlook 2017”. In: African Development Bank (AfDB); Organisation for Economic Co-operation and Development (OECD), United Nations Development Programme (UNDP) (orgs.). African economic outlook: entrepreneurship and industrialization. Paris: OECD Publishing, 2017.

SARTORIUS, K.; MERINO, A.; CARMICHAEL, T. “Human resource management and cultural diversity: a case study in Mozambique”. The International Journal of Human Resource Management, vol. 22, no 9, p. 1.963-1.985, 2011.

SÁTYRO, N. G. D.; CUNHA, E. S. M. “Jogando luzes sobre os determinantes burocráticos e de gestão da política de assistência social nos municípios brasileiros”. Opinião Pública, vol. 25, no 2, p. 401-432, 2019.

SBARAINI, A., et al. “How to do a grounded theory study: a worked example of a study of dental practices”. BMC Medical Research Methodology, vol. 11, 2011.

SEEMA, A.; SUJATHA, S. “Conceptual work on career management strategies from an organization perspective”. International Journal of Management, IT and Engineering, vol. 3, no 7, p. 184-198, 2013.

SETYOWATI, E. “Merit system in recruitment and selection process of civil servant candidate in malang Indonesia”. Journal of Administrative Sciences and Policy Studies, vol. 4, no 1, p. 83-95, 2016.

SICOCHE, B. F. “Estudo comparativo do poder de decidir do Município no Estado Brasileiro e Moçambicano”. Revista Eletrônica Direito e Sociedade, vol. 2, no 2, p. 17-32, 2014.

SILVA, A. H.; FOSSÁ M. I. T. “Análise de conteúdo: exemplo de aplicação da técnica para análise de dados qualitativos”. Qualitas Revista Eletrônica, vol. 17, no 1, p. 1-14, 2015.

SIMIONE, A. A. “Gestão estratégica de recursos humanos: já se pode falar dela na administração pública em Moçambique?”. Revista Foco, vol. 12, no 3, p. 138-161, 2019.

SON, S.; KIM, D. Y. “Organizational career growth and career commitment: Moderated mediation model of work engagement and role modeling”. The International Journal of Human Resource Management, vol. 32, n° 20, p. 4.287-4.310, p. 1-23, 2019.

STYHRE, A. The innovative bureaucracy: bureaucracy in an age of fluidity. New York: Routledge, 2007.

SYLVESTRE, M. M.; MARRENGULA, C. P.; QUIVE, T. O. Dinâmica da sustentabilidade das finanças públicas em Moçambique (2000-2016). Maputo: Universidade Eduardo Mondlane, 2016.

TOLFO, S. R. “A carreira profissional e seus movimentos: revendo conceitos e formas de gestão em tempos de mudanças”. Revista Psicologia: Organizações & Trabalho, vol. 2, no 2, p. 39-63, 2002.

UNIDADE TÉCNICA DE REFORMA DO SETOR PÚBLICO (Utresp). Política salarial da administração pública moçambicana. Estratégia global da reforma 2006-2015. Maputo, 2006.

VAZ, A. C. N. “Dispersão decisória, centralidade política e entropia burocrática: mitigando custos transacionais na gestão pública”. Opinião Pública, vol. 24, nº 3, p. 622-669, 2018.

WIERSMA, M. L.; HALL, D. T. “Organizational career development is not dead: a case study on managing the new career during organizational change”. Journal of Organizational Behavior, vol. 28, p. 771–792, 2007.

WOOD, G., et al. “HRM in Mozambique: homogenization, path dependence or segmented business system?”. Journal of World Business, vol. 46, no 1, 31-41, 2011.

Downloads

Publicado

2022-09-21

Como Citar

Santos, J. J. S. dos ., Januário, F. M. ., & Molide, A. . (2022). Entropias burocráticas no processo de recrutamento e seleção e sua influência na gestão de carreiras do setor público em Moçambique. Opinião Pública, 28(2), 533–559. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/op/article/view/8671066

Edição

Seção

Artigos