Voltar aos Detalhes do Artigo O corte urbano, as ambiências situadas e o “paradigma indiciário” Baixar Baixar PDF